terça-feira, 19 de abril de 2016

CERTEZA NAS INCERTEZAS

A vida é tão incerta
Que são poucas as certezas
Que habitam o mundo
Em que me balanço
São imensas dúvidas
A corroerem o meu sono
E mares de medos
A afogarem os meus sonhos
Como será? O que será? Quando será?
Mas nas ínfimas certezas
Que não chegam a transbordar
Da minha mão
Há uma que se realça, com clareza
Já não há vagas no meu coração
O amor encheu-o com bolas de sabão
Coloridas com alegria e emoção
O amor provoca dor?
Sim, mas depende do que se alimenta
O meu é sustentado com sorrisos
Serenidade, esperança e compreensão
A porta continua aberta
Sem perigo da tentação de substituição
Convidei-o a entrar, em mim se instalou
E por cá ficou
E para sempre ficará
Uma das poucas certezas
No meio das tantas incertezas
O amor que me chegou um dia
Embrulhado num verso inacabado
Afinal fazia magia
E transformou a minha vida
Numa melodiosa poesia
Lugar para o amor no meu coração?
Existia um mas há muito está ocupado!


Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário