quinta-feira, 8 de outubro de 2015

OUTRAS REALIDADES

Explodiram relâmpagos de dor
No dia em que ouvi, sentida
Já não ser Rainha do castelo
Que foi construído só com amor


A Natureza é soberana
Põe, dispõe e tantas vezes se engana
Se dizem que errei, meu Deus e Senhor
Não terei direito a defesa, como humana?

Já somos arrogantes por o dedo apontar
Como podemos castigar sem antes escutar
Acaso nos foi dado o papel de “Deus Todo Poderoso”
Que nos permite os mais frágeis calcar?

Apregoamos a simplicidade e humildade
Mas só valorizamos rios de vaidades
Será essa uma forma de generosidade?
Olhemo-nos ao espelho. Quem somos de verdade?

Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário