terça-feira, 4 de dezembro de 2012

OS MEUS VERSOS

Os meus versos, os meus versos,
Hoje ao acordar rasguei-os,
Eram meus sonhos dispersos,
Em louco impulso queimei-os.
Os meus versos, os meus versos,
Eram só meus, escondi-os.
Achei-os tolos, perversos,
Piegas, tristes e frios.

Os meus versos, os meus versos,
De “maus olhares” os livrei
Que importa a outros, reversos,
Maus bocados que passei.

Os meus versos, vou fechá-los,
Estes versos que escrevi,
Quem sabe se ao guardá-los
Ao mundo um tesouro escondi…?

Manuel Manços
 

Sem comentários:

Enviar um comentário