quinta-feira, 26 de julho de 2012

MAREAR
( poema a duas mãos)


Respiro a tua pele nos meus dedos

Colho a tua saliva em meus lábios
Beijo o mar dos teus segredos.

E sou barco, timoneiro e passageiro
Aquele que voga no ondular das vagas
Que navega em tuas águas
E te sulca em espasmos de alegria.

Afogado em teu ventre dou à costa
Como náufrago boiando sobre teus seios
E ressuscito com minha boca sobre a tua
O meu peito arfando sobre o teu.

As minhas mãos em tua praia
E sou espuma do sal que te beija.

A alga macia na seda ondulante
Sabe agora o teu corpo a maresia
Os teus olhos brilham, mar azul
Espelham o voo rasante das gaivotas
Em dia de tempestade e calmaria.


Joaquim Monteiro e Fátima Guimarães 


Sem comentários:

Enviar um comentário