quarta-feira, 22 de junho de 2016

GARGALHADAS

Não me vejo nem me sinto
Sem gargalhar
Gosto de gargalhar sem me preocupar
Com o que alguém possa pensar
As gargalhadas fazem parte da minha essência
Há quem ache vulgar, para mim é salutar
Vulgar é não saber ser, nem estar
Gostar de apontar, criticar e julgar
Para esconder o que a muitos iria chocar
Pensando que aos outros podem enganar
E há tanto disso por aí a espernear
Num mar só de inveja e maldade
Mas até gosto de apreciar e aproveito
Para mais umas gargalhadas soltar
Comigo não contem para vos salvar
Certamente que vos deixarei afogar
Eu nem sei nadar…em águas conspurcadas
E para gentinha assim estou-me a borrifar
O que eu quero mesmo, é… GARGALHAR!
Isso sim, é saudável e não tem contra indicações
É esta malvadeza que ofereço muitas vezes
Com imenso prazer porque vitaliza corações
Às poucas pessoas que merecem
A quem me sabe amar, mimar e respeitar! 


Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário