terça-feira, 12 de janeiro de 2016

HÁ SEMPRE MOMENTOS FELIZES

Há nuvens negras a escurecer os nossos dias. Mas cada vez que olho para o céu e penso em ti, só vejo cor, alegria, seja noite ou dia. Foi o sítio que o meu coração escolheu para se encontrar com o teu.
Sim, estás lá, olho e vejo-te. Deixei de te ver por algum tempo, não por teres deixado de existir, mas porque os meus olhos andavam turvos. Verdade. Atropelo-me muitas vezes, firo-me e choro como uma bezerra desmamada. Sou muito desastrada.
Gosto de te sentir por perto. Saber que estás aí, é como se estivesses aqui. Sinto-me abraçada, com os teus fortes braços. Lembras-te? Acho que abraços foi o que mais te pedi. É que quando nos abraçávamos, eu sentia o teu coração. Tenho saudades tuas, mas também tenho vergonha de dizer tantas vezes. Sei que não devemos deixar de dizer o que sentimos pelas pessoas que gostamos e eu nunca fui assim. Parece que com a idade tornei-me mais reservada, mais cuidadosa... Nem eu sei. Mas sei que continuo sensível, apaixonada, a amar e a querer ser amada como qualquer mortal. E enquanto souber que estás aí e que te preocupas comigo, serei sempre feliz. Até as flores dos meus canteiros notam isso e estão mais vistosas. A felicidade é contagiante e elas todos os dias sorriem para mim, chova ou faça sol, porque sabem que eu sorrio para ti do mesmo jeito. São umas compinchas. Sabem que quando olho para o céu estou a ver-te e a enviar-te doçuras. Muitas vezes lembram-me que estás à espera do meu beijo, quando te adiantas, envias o teu e elas guardaram-no. Nunca se esquecem de entregar. És o meu sol, és uma pessoa de Luz, sempre foste.

Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário