sexta-feira, 23 de outubro de 2015

PRIMEIROS VERSOS

Foi aqui que tudo começou
Nesta aldeia que me acolheu
Quando tudo era tão doloroso
Que até o sol comigo soluçou


Precisei falar, a alma abrir
E a quem apelei, simplesmente recusou
Não me quis ouvir

Pedi ao vento Norte, um conselho
Respondeu que dele não precisava
No coração encontraria a resposta que ansiava

E encontrei, depois de muito pensar
Com uma caneta fiz uma arma
Do papel o campo de batalha
E iniciei uma guerra para ganhar

Usei munições de palavras doces
Bandeira da cor do amor
Transportei-me numa estrela cadente
E aterrei no campo adversário, sempre sorridente

Denunciei-me

Fui descoberta como planeei
E expulsa como esperei
A mensagem que na bagagem levei
Deixei espalhada na terra fértil que encontrei

Missão cumprida
Fui lida mas não sei se entendida
Diálogo não houve mas estou de bem com a vida
Embora triste e um pouco desiludida

Alguns anos passaram e novamente aqui estou
Com o olhar perdido no mesmo horizonte
Onde a Serra que as minhas lágrimas amparou
Acena-me feliz porque agora só sorrisos captou

Se o primeiro escrito foi manchado com sal
Este está iluminado com amor e alegria
E até recordo com serenidade e saudade
Tudo o que aqui vivi um dia!

Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário