quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

FELIZ ANIVERSÁRIO, PAI...

Se sei que hoje é o teu aniversário? Sim Pai, sei…82 anos. E então? Achas que isso me impede de dizer o que sinto? Claro que não e tu és meu Pai, conheces-me como ninguém. Aliás, nisso e em tantas outras coisas, eramos iguais. Sabes que nada me faz calar, quando alguém fere o meu coração e me abandona sem direito a despedida ou explicação. E só as pessoas que eu amo conseguem esse feito e mesmo tendo conhecimento, me magoam do mesmo jeito. Não, não me entendem, Pai. Ou será que sou eu que não as entendo? As outras? Nem tomo conhecimento do que dizem ou fazem…E foi o que fizeste. Partiste pela madrugada, enquanto eu descansava esperando o amanhecer, para ir te ver. Preferiste morrer, a ter de ver mais um dia nascer sem que nada pudesses fazer. E eu? Não devia ter uma palavra a dizer? Talvez não, por isso nem pediste a minha opinião. Mas podias ter esperado só mais um bocado. Faltava tão pouco para podermos estar lado a lado.
Imagina como fiquei, quando tocou o telefone e despertei em sobressalto, do cansaço que durante dias me entorpeceu e naquela noite me venceu. Dei um salto da cama e gritei: o meu Pai. Confirmado, tudo tinha terminado. Não chorei, não falei. Eu tanto supliquei para que de mim não te levasse, mas Ele não me escutou, ou simplesmente ignorou.
Fica descansado, o que tenho para te dizer continua guardado até eu te encontrar, aí, nesse lugar sagrado. Vais ter de me ouvir, vais ter se saber o quanto tenho sofrido, por não teres ficado comigo, por não teres por mim esperado. Por que não me levaste contigo?
Tu sabes, Pai, eu nunca fui de histórias de encantar. É que isso de dizerem que quem morre nunca deixa de estar connosco, não é para mim. Ficam as lembranças e o resto? Os beijos, os abraços, as repreensões, as zangas, as pazes, o colo, o afago de mãos e os olhos em comunhão.... Onde vou buscar tudo isso? Não tenho onde, Pai e preciso tanto. Fazes-me falta. Já passou algum tempo, eu sei, mas que posso fazer? Perdi-te e nunca mais me encontrei.
E sim, Pai, hoje é o teu aniversário e desejo que o festejes em alegria, na paz dos anjos, que são a tua companhia. Afinal, hoje é o teu dia, mereces e se estivesses aqui…era o que faria….uma grande festança, onde AMOR certamente não faltaria e ALEGRIA…ai que alegria seria! AMO-TE, PAI!


Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário