segunda-feira, 6 de outubro de 2014

HÁ TANTO DE TI

Há tanto de ti em mim
Que me perdi nos limites
Vestida para amar, entrei no mar
E com a maré baixa
Consegui sentir o teu cheiro
Me enrolar no teu olhar meigo
E acabar perdida nos teus abraços

Há tanto de ti em mim
Que ainda que fosse meu desejo
Seria quase impossível resgatar
Todos os cantos e rugas
Que de mim te apoderaste
Há tanto de ti em mim
Que na escuridão
Onde se cala a solidão
Quando o que és parece não ter fim
Sinto o teu respirar
Oiço o bater do teu coração
Há tanto de ti em mim
Que mesmo sabendo
Eu ser mais de ti
Do que de mim
Nada faço, nem me lamento
Porque o pouco que sou de mim
Sem o tanto que há de ti
Seria nada, seria fim
Pois é em ti
Que me sustento.

Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário