terça-feira, 15 de julho de 2014

TUDO E NADA

Sou ave
que voa sem destino
Um rio
que corre fora do leito
Vento sou
e sigo sem direcção
porque a vida
não me deu outra opção
No deserto
sou alma perdida
que um oásis desejou
mas que a vista nunca alcançou
Nos campos floridos
ofuscantes em beleza
sou flor murcha
esquecida pela natureza
Assim sou eu
vazia de tudo
e cheia de nada
tentando entender
qual a razão
que leva o destino
a manter-me encurralada.

Helena Santos


Sem comentários:

Enviar um comentário