sábado, 5 de julho de 2014

HOJE VI-TE

Hoje vi-te
Sim
Consegui ver esses olhos mel
Brilhantes como estrelas grávidas
E senti-me abraçada pelos raios do sol
Como se fosses tu
A aconchegar-me com o teu corpo
Feito um lençol macio
Tendo a noite como abrigo
E não quisesse que com a orvalhada
Eu sentisse frio
Sendo eu frágil como um vidro
Sim
Hoje vi-te
Na minha tão fértil imaginação
E é assim todos os dias
A iludir o meu pobre coração
É uma dor enorme no peito
Haverá outra solução?
As estrelas empurram-me para ti
O sol brilha e me enche de luz
Mas a lua diz que sem o teu amor nada feito
Será que há algo perfeito?
Hoje vi-te
Sim
Em pensamento
A saudade está tão colada a mim
Que o meu coração prestes a sufocar
Já implora que lhe dê um fim.

Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário