quinta-feira, 12 de junho de 2014

SOU

Sou pele a destilar
E carne a inflamar
O rio que corre em mim
Deseja fundir-se com teu mar
Na minha foz
Que anseia por esse dia chegar
Desejos incontroláveis
Fazem-nos viajar e fantasiar
Sem limites
E sem hora para voltar
E tudo é emoção e satisfação
Arrepia-me a rudez das tuas mãos
No meu corpo que sempre foi teu
Activam os meus sentidos
Rasgam caminhos sinuosos
E no latejar da excitação
Entrego-me à luxúria
Os gemidos são teus e me descontrolo
Gritando até à exaustão
E no dar e receber
Perdemo-nos no espaço
Sem nos preocuparmos em descer
Porque é tempo de aproveitar
E nos embriagarmos de prazer
E é nos teus beijos que me encontro
Sempre que me perco de mim
Porque eles me mostram
Que nada no amor tem regras, medida ou fim
E amor sexo paixão
São o combustível
Que mantem palpitante
Qualquer coração.

Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário