sábado, 18 de janeiro de 2014

SOMBRAS DE MIM

Tentando matar o silêncio
que existe em mim
Deixo-me arrastar pela melodia das ondas
que encanta e não tem fim
Olho o imenso mar e nada vejo
Insisto e adivinho sombras de mim
Do que fui
ou do que sou?
Observo o voar de uma gaivota
e imagino
como seria se eu tivesse esse dom
De olhos fechados, agarro-me às suas asas
e peço que me leve a saborear o vento,
sempre ouvindo a melodia das ondas
que eu própria invento.

Helena Santos
Texto e foto

Sem comentários:

Enviar um comentário