domingo, 25 de novembro de 2012

NOITE DE POESIA

Há uma pedra preciosa
onde se senta a noite

quando as palavras brotam.
É nascente, pois.
E tem alma lustrosa
como fiandeiras ao luar.
Tem as mais belas quadras
com coração de mar.
É cantiga sedosa
que passeia bonomia nos montes
e nas vangloriadas fontes
de tantas penas por lavar.

- És noite e és gota de sequeiro

seio de mão cheia e sedimento
de um rio que devia sorrir e não veio
mas falas-me de amor
e de quantas estrelas anseiam
tua voz das pedras
tuas nascentes tépidas
que o corpo glosa
e a alma inquieta despe
na alvura de basto calor.


José Brites Marques Inácio 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário