sábado, 1 de setembro de 2012

ONDE SE ESCONDEM OS NINHOS


Ao romper das manhãs
De cores amenas,

Com o bico da doçura
Alimentam novos rebentos,
Afagando o ninho
Em extremosos carinhos,
Qual sinfonia das folhas,
De mansinho…
Mas de um Amor-passarinho
Num Sonho de ser,
Criaste um lar,
Criaste um leito
De colo doce
De folhas de arminho,
Em que seu seio vasto
Mãe zelosa acolhe.
Vem passarinho,
Conta-me os teus segredos,
Encanta-me com o teu canto,
Revestido de carinhos
Quando cantas ledo,
Num gracejo doce
De melodiosas harpas,
Das manhãs serenas
Sempre que o dia vem vindo.
O teu Coração é puro,
Doce,
Transforma em emoção
A Poesia que te trouxe!
Não temes a Chuva,
Nem o Céu nublado,
Quando ousas no fluxo do teu sangue
Voar …num voar tanto!
É delicada e brilha a tua pupila,
Cintila ao Sol
No Céu que sob voas, veemente,
No murmurar de cantares de desvelo.
Vem…leva-me contigo,
Voemos na mesma direcção,
Com Alma serena,
Coração leve,
Até onde se escondem os ninhos.

.

Isabel Lucas Simões
 

Sem comentários:

Enviar um comentário