quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Cartas de Amor

Cartas de amor, não te escrevo
Pois não sei o teu endereço
Podia pedir-to mas não devo
Querer saber demais tem um preço

Não sei se vives sozinho

Ou se te sentes abandonado
Podes ter quem te dê carinho
E por ela seres muito amado

Deixo-te apenas o remetente

Num envelope extraordinário
E se um dia achares conveniente
Colocarás tu mesmo o destinatário

E então aquela carta guardada

No cantinho da minha memória
Somente para ti, amor, será enviada
Recordando os nossos dias de glória.
 
Cristina Russo
 

Sem comentários:

Enviar um comentário