segunda-feira, 6 de agosto de 2012

saudade esbatida

vem, fica aqui do meu lado
do lado do que é meu
dos escritos

dos poemas
das lendas
das histórias
das sátiras
das crónicas

vai, regressa

e respira junto a mim
a minha tristeza
a minha alegria
a minha felicidade
o meu suspiro
o meu esquecimento
o meu humor

fica e sentados

naquele banco encontraremos
o nosso amor
o nosso sabor
o nosso pormenor
a nossa vaidade
a nossa seriedade
a nossa verdade

permanece comigo

e ambos
esbatemos a saudade

“aboletofonseca
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário