domingo, 12 de agosto de 2012

Este inverno
Quando a primeira aura gelada me acordar
Balançarei para o sul,
Em busca do teu amor
Migrarei em demanda de um raio de sol
Como as aves ousadas, das semiesferas do norte…
Rasgarei os céus com a aragem no rosto
Voarei com as penas dos pássaros sem asas
Que alam em suas quimeras, presos a esta terra
Sem guia, sem rota, ao extremo dos destinos…
Largarei alas em origem daquele astro no anil
De todas as passagens vividas
Em liberdades e servidões…
Sempre de olhos colocados no leme de meus sonhos…

Maria Nóbrega
 

Sem comentários:

Enviar um comentário