sábado, 4 de agosto de 2012

Eu já mudei de morada
Na hora que tu partiste
Era uma herança pesada
Em redor tudo era triste

Dentro da minha cidade
Fui morar num`outra rua
Que tem de nome saudade
E guardo lembrança tua

Essa rua onde moravas
Deixou de ter luz e cor
Pensando que não voltavas
Perdeu todo o seu explendor

Se um dia quizeres voltar
Já não estarei por ali
Escuta no vento a passar
A mensagem que escrevi

Eu todos dias te escrevo
No vento e de improviso
Até por vezes me atrevo
Meter nele o meu sorriso

Vivo de esprança perdida
Na fantasia, eu invento
Nesta solidão sofrida
Meto as saudades no vento

J/severino
 

Sem comentários:

Enviar um comentário