segunda-feira, 30 de julho de 2012

mergulhava assim
absorto
nos meus pensamentos
cujo tópico
tua silhueta se apresentava
sentado sob a sombra
de uma arvore desfolhada
meditava
e esvoaçava meu matutar
pelo espaço ancestral
cujo silêncio se sinalizava
com o sentido proibido
de ser fecundado
como linha do horizonte
despontava
em forma das tuas
sobrancelhas
e astrolábio se mostrava
na candura do teu olhar
teus lábios o porto onde atracava
a minha reflexão
e se o silêncio não for quebrado
aqui me manterei
para sempre acampado


jorge morais
 
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário