domingo, 29 de julho de 2012

Ao teu lado invento o mar
Sigo os teus passos ainda
Desenhados na areia húmida e fria
Leito que nos acolheu
Nas carícias aveludadas
Que a lua passageira
Verteu em nossos corpos desnudados
Misturando com a brisa marinha
Um desejo ( in)contido
De beijos escondidos nas conchas…
Quero-me em ti não pela metade
Mas inteira…
…Hoje sou o teu barco
Fundeado nos teus braços
Que me acalentam
Sem demora os dias inquietados
Da tua ausência…
Partidas silenciosas
De palavras presas no peito…

Volto ao mesmo mar
Sigo os mesmos passos
Olho a mesma lua
E deixo que o sonho se solte
E mergulhe sem mágoa
No marejar das ondas a beijar meus pés…

Rosa Fonseca
 

Sem comentários:

Enviar um comentário