quarta-feira, 25 de julho de 2012

Mulher babada!

Olho pró lado e nada vejo
Mas esperava ver-te ali
Era esse o meu desejo
Nesse amor que tenho por ti
Mas entretanto olho para trás
E tu lá vens bem sossegada
Espero-te e tu já estás
Ao meu lado toda babada
Babada de tanto amar
Toda babada por mim
Nesse amor que me queres dar
Nesse amor que quero assim
Fazes-me um gesto de ternura
Passas-me os dedos pelo cabelo
Abraço-te minha formosura
Dou-te um beijo com desvelo
Porque é que és assim
Quando me tens ao teu lado
Despertas o que há em mim
No mais fundo do meu fado
É tão bela a natureza
Que te pode ter com ela
Nesse espírito é só beleza
Tal e qual eu vi na tela
Tela que eu pintei
Num momento de loucura
Eras tu, eu bem o sei
Espreitei-te pela fechadura
Estavas já toda requintada
Na janela do meu quarto
Eras tu ó minha amada
E eu de ti nunca me farto

Armindo Loureiro 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário