segunda-feira, 9 de julho de 2012

NÃO ME PEÇAS…

Não me peças que não fume
Porque o vaguear da vil bactéria
Pelos jardins das entranhas
Me dão vida enquanto há vida
Não me peças que não beba
Porque o nefasto líquido
Enquanto percorre o meu corpo
Rega as artérias até que chegue a seca
Não me peças que não chore
Porque as lágrimas me lavam o rosto
E disfarçam o tom lívido
Em que me transformei
Pede apenas que a morte tenha passo curto
Percorra mares, vales e montanhas
Para que quando chegue a mim
Me leve com a suavidade
De quem já não fuma, não bebe, não chora.

ÂNGELO GOMES


Sem comentários:

Enviar um comentário