quinta-feira, 28 de maio de 2015

CORES DO SILÊNCIO

Os silêncios povoam a nossa mente
Uns quase nos enlouquecem, ensurdecedores
Também os há mudos e calados,
Que nos deixam ocos, vazios, prostrados
Mas os que me impressionam, são os multi cores
Para saber distinguir, é preciso ter sentido as dores
Já atravessei todos os seus estágios
Alguns provocam profundas depressões
Tão pesados são os seus tons
Outros criam em nós oceanos de esperança sem fim
Pintados com cores vivas e alegres
Exalando das suas ondas, um cheirinho a alecrim
Mas ambos não deixam de ser silêncios
E quantas vezes precisamos
Que um silêncio mesmo colorido e perfumado
Se transforme numa palavra, fria ou quente
É indiferente
O importante, é ouvirmos o barulho do silêncio
Transformado em som de letras em movimento
Fazendo chegar algo em nós
Lembrando que somos almas sensíveis
E precisamos ouvir o ruído de palavras
Ainda que escritas, caso as ditas
Não consigam fazer ouvir a sua voz
Porque um silêncio, mesmo colorido
Não substitui a magia do ler
Ou a emoção de um sussurro ao ouvido.


Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário