terça-feira, 24 de setembro de 2013



 NÃO SEI

Não sei onde andarás
Tão pouco com quem estarás
Mas sei que a tua ausência
Mais valor dá à tua existência

Sentimentos puros e verdadeiros
Não se melindram com a chegada do Outono
Quem com um coração cheio de amor
Se preocupa com uma pequena dor em jeito de desamor

A saudade cimenta e alimenta haja vontade
E inflama as grandes paixões sentidas em liberdade
O que se dá não tem de ser na proporção do que se recebe
Sabendo valorizar respeitar já tudo merece com docilidade

O teu regresso será um raio de Sol
Não me irá aquecer directamente
Mas o seu efeito será contagiante
Se há felicidade em ti o pouco é-me suficiente

Helena Santos
 

Sem comentários:

Enviar um comentário