terça-feira, 20 de novembro de 2012

PAIXÃO DE aMAR...

Deus permitiu-te um corpo ondulado
linhas curvas de mulher, aMar
e a mim o saber, como o navegar
Deus permitiu-te que em tua ira
te rasgasses em teu amâgo
e a mim o saber, de te penetrar
Deus permitiu-te que na rebentação
me expulsasses em extases
e a mim o saber, o azimute de voltar
Deus permitiu-te que no vento forte
te vestisses apenas de branco
e a mim o saber, de ver sob esse manto

Deus permitiu-nos esta paixão

este amor ardente em nossos corpos, cegos
pelas temperaturas elevadas que exalamos
apenas sobra um vastíssimo deserto de sal
por onde nos  perdemos e encontramos
nos dias de chuva em gemidos de prazer...

José Apolónia 

 

Sem comentários:

Enviar um comentário