domingo, 14 de outubro de 2012

VIVER

Viver sem ter de perguntar porquê.
Viver apenas.
Olhar em frente, mesmo sem ver,
olhar simplesmente.
Sorrir porque se sente vontade,

sorrir porque...
os amigos estão fazendo cócegas
(como dizia a minha mãe).
Dar cor ao rosto, sorrir de verdade,
até às lágrimas, balouçando o corpo,
olhar a vida, rir do que se vê,
do que nós pensamos que é, sem ser.
Aquilo que queremos que a vida nos dê,
porque tudo é sempre pouco,
que a gente não mede, apenas deseja.
E do que nos resta,
se for só um sonho...
que seja!

Paula Amaro 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário