terça-feira, 16 de outubro de 2012

Quem sou?

Quem és?
Quem foste?
Quem serás?
Dou-te com os pés!
Tu já foste!
Nunca me verás!
Perguntas e mais perguntas,
Se fazem no dia-a-dia;

Aquelas que vêm juntas,
Soam a grande porcaria;
Já não sei quem sou!
Nem o que aqui faço!
Fui, já cá não estou…
Ando à procura d’um belo traço.
E até lhe vou perguntar,
Quem és?
Não me vais dar com os pés!
Pois não?
És bela por fora e por dentro,
Mas que belo coração;
Contigo vou-me passar…
Vai ser belo o momento,
E depois de te amar,
Vou contigo passear;
De mãos dadas,
Ajudar-te a subir escadas;
Metendo as mãos onde não devo,
Mas aqui ouso dizê-lo…
Já que por ti,
Todo o amor eu senti;
E jamais te perguntarei,
Aquilo que só eu sei!
Hoje e sempre,
Ficarás na minha mente;
Como a mulher,
Que qualquer um quer.
Serás só minha,
Naquela bela caminha;
Que ficará cheia…
Com este amor que te enleia!
Que beleza,
É a tua natureza;
Vou-te beijar,
E te amar;
Até sempre,
Tem isso presente.

Armindo Loureiro  
 

Sem comentários:

Enviar um comentário