sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Inútil
silenciar palavras presas
na garganta.

Imerecidos
são os momentos

de silêncio
suspensos na languidez
de uma língua
quase inerte.

À sombra

do terrifico medo
que nos sufoca
na espera de uma morte
suave
em noite de luar.

Essa certeza

que inutilmente
nos amordaça.

Até ao dia

Em que inevitavelmente
virá
para sempre
nos abraçar.

(eu) Cristina Cebola

3 comentários: