terça-feira, 10 de julho de 2012

Submersa num véu de tanta ternura , escondida dos olhares tão percorridos, no silêncio do meu tempo que perdura, murmurando eu ouvi o teu pedido .
Faz- me uma poesia!
É hoje o dia da tua poesia.
Senti-te cedo no viver, beijei-te em pedido de socorro , bebi da tua fonte de prazer, a poesia é para ti, por quem eu morro .A distância nos separa, neste chão, mas no ar que nos une é linha recta, trago em mim sempre a tua canção, pois só por ti eu voltei a ser poeta.

Rui J Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário