domingo, 22 de julho de 2012

Repouso

De que valem as minhas mãos
Se já não te posso tocar?
De que valem os meus braços
Se já não consigo te abraçar?
Na tua sombra repouso
Um corpo já cansado
E contudo já não ouso
Sair deste meu estado
Imóvel, eu permaneço
Retida num só pensamento
A tua ausência, não esqueço
Tudo sabe a sofrimento
Se me viesses buscar
Sei que não hesitaria
Por ti deixar-me-ia levar
E esta dor acabaria.

 Cristina Russo
 

Sem comentários:

Enviar um comentário