segunda-feira, 9 de julho de 2012

insonora palavra
que véu a cobre ?

secreta
palavra minha
essência de vida

luz e noite
céu e terra
murmúrio e rosa

cores
reflectidas pelo cristal
na minha mão aberta
onde talvez
se esconda a indizível palavra oculta

semente de todas as palavras
que sei e escrevo
e que por ela se unificam *
 
António Cardoso Pinto
 
 

2 comentários:

  1. * Querida Lenita, viva ! *
    ... gostei que tivesses 'roubado' este meu poema! :)) ***
    Obrigado por colocares neste teu belo Blogue cheio de belos sorrisos poéticos ! *
    Meu grande e terno Abraço e Bji * Saudades *

    António C Pinto

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, doce António. É um prazer ter-te no meu "Jardim" e ler-te!!! Muitos SORRISOS e saudades! Beijocas.

    ResponderEliminar