Poema Surpresa 2018

 Imagem Google

 É uma iniciativa em que o poema é composto por vários versos de vários participantes.  É apresentado um tema e o 1º verso, que será apenas o primeiro verso do poema.
Juntaremos os versos por ordem de chegada e assim será formado o poema. Daí ser obrigatório enviar os versos em dias separados, para os do mesmo membro não ficarem juntos. Dias: Sábado e Domingo

1 - Cada participante deverá enviar dois versos por dia através de mensagem para a Administradora HELENA SANTOS. Também poderão participar só num dia, enviando dois versos referentes a esse dia.

2 - NÃO ENVIEM VERSOS MUITO EXTENSOS. Se na altura da elaboração da foto, os versos forem muito extensos, tomarei a liberdade de eliminar uma ou outra palavra, ou simplesmente não os aceitar. Para que isso não aconteça, não enviem versos com tamanho superior ao que deixo aqui:


Este é o tamanho ideal, sim


1 - Borboleta - 13 e 14 de Janeiro
2 - Mãe - 20 e 21 de Janeiro
3 - Amantes - 27 e 28 de Janeiro
4 - Livro - 03 e 04 de Fevereiro
5 - Coragem - 10 e 11 de Fevereiro
6 - Inverno - 17 e 18 de Fevereiro 
7 - Idade - 24 e 25 de Fevereiro
8 - Dor - 03 e 04 de Março 
9 - Escrever - 10 e 11 de Março 
10 - Inocência - 17 e 18 de Março
11 - Pai - 24 e 25 de Março 
12 - Avós - 31 de Março e 01 de Abril 
13 - Sorriso - 07 e 08 de Abril
14 - Chuva - 14 e 15 de Abril 
15 - Nuvens - 21 e 22 de Abril 



POEMA SURPRESA
21 e 22 de Abril
Tema: NUVENS
1º verso: "Nuvens de mil formas"




POEMA SURPRESA
14 e 15 de Abril
Tema: CHUVA
1º verso: "São rastos de poesia"




POEMA SURPRESA
07 e 08 de Abril

Tema: SORRISO
1º verso: "Um sorriso tem poesia"



POEMA SURPRESA
Dias 31 de Março e 01 de Abril
Tema: AVÓS
1º verso: "São anjos sem asas" 


SÃO ANJOS SEM ASAS
São sementes na vida
braços abertos ao amor
Zeladores, por toda a vida
nos mimam e afagam.
São quem mima nas horas más
e não dizem sim por trás!
Os avós, com a sua sabedoria
dão aos seus netos amor e alegria.
Mestres de conhecimento
nos transmitem sabedoria de vida
Há sempre um sorriso Doce
e um beijinho no olhar
Sempre presentes como avós
quando chamam por nós
Agora, os Avós amam os seus netos
depois, também amam seus bisnetos
Avós, são pais que não foram
com coração mais cheio e tempo!

Participantes:
Magda Brazinha
José da Nave
Maria Gonçalves
José Martinho
Helena Santos



POEMA SURPRESA
Dias 24 e 25 de Março
Tema: PAI
1º verso: "Amigo do coração"


AMIGO DO CORAÇÃO
Pai, chama-se saudade
este grito que vem da alma
Pai trave forte que sustém
a família unida por bem!
Companheiro dos dias,
sempre disponível a ouvir.
Um pai no seu coração
p´los filhos muito amor tem.
Sem querer parecer
parecia sempre saber
Foste um pai disciplinador
mas, com carinho e amor
Eu te vi Pai através da janela
no brilho de uma estrela.
Sinto falta desse abraço
dessas mãos de ternura
A saudade vive contigo,
todos os momentos te penso.
E em muita ocasião
faz de pai e faz de mãe
Quando partiste só eu sei
as dificuldades que passei
Pai é quem ensina a caminhar
e no cair, ajuda a levantar
Um apertado abraço 
um amigo que me guiava o passo
Presente ou ausente
pai, é pai para sempre!

Participantes:
Magda Brazinha
Maria Gonçalves
José da Nave
António Henriques
Rute Pio Lopes
José Martinho
Maria Arminda
Helena Santos



POEMA SURPRESA
Dias 17 e 18 de Março
Tema: INOCÊNCIA
1º verso: “A inocência de um olhar” 


A INOCÊNCIA DE UM OLHAR
Todos erramos um dia
por inocência ou maldade
Ensejo que nos faz sentir bem
quando o amigo nos encara
Inocente ...é a pura verdade
só ela não tem maldade!!!
Inocência não pode ser notada
a quem comete argolada
Um olhar que diz
que quero e assim quis
A inocência de um olhar
faz caricias desabrochar.
Inocência tem magia
depois, fica a fantasia
A candura transparece
no olhar doce, expresso.
Quando se quer e tudo sente
através de um olhar inocente
Era um olhar inocente
aceso na noite ardente
Inocente é carinho de criança
e seu olhar cheio de esperança
Lembro-me na minha infância
confundir, fragilidade com inocência
Inocente este olhar
que me faz querer amar
A inocência
que tanto nos leva a errar!

Participantes:
Magda Brazinha
José da Nave
Maria Gonçalves
José Martinho
Fátima Andrade
Augusta Maria
Maria Arminda
Helena Santos
 





POEMA SURPRESA
Dias 10 e 11 de Março
Tema: ESCREVER
1º verso: "Escrever é dizer o que vai na alma"


ESCREVER É DIZER O QUE VAI NA ALMA
A escrita é a comunhão do pensar

com os leitores que o partilham.

Escrever é um verdadeiro prazer

dizer aquilo que a alma sente

Escrever é um dom de Deus

que nos faz voar pelos céus

Escreve meu coração poeta

o sentir desta alma e inquieta.

Escrever é partilhar a vida.
é soltar o grito pelos inocentes
Se não pudesse escrever
não gostaria de viver.
Escrever é como voar
basta soltar palavras
O ânimo sente suas inquietações
e necessidade de as transmitir
Dar vida ao que estou a pensar
passar para o papel e criar
Sinto um enorme prazer
um poema de amor escrever
A mente comanda o peito grita
de tanta palavra nunca dita.
Escrever é dar asas à alma!


Participantes:

José da Nave

Magda Brazinha

Isabel Marouço

Mary Horta

José Martinho

Maria Gonçalves

Maria Augusta

Helena Santos


 




POEMA SURPRESA
Dias 03 e 04 de Março
Tema: DOR
1º verso: "São cicatrizes da alma"



SÃO CICATRIZES DA ALMA
Os teus olhos são dor,

Escurecem, mudam  de cor

Cada suspiro, um desabafo lento

gritando apaziguei a dor

O pesar usurpador e vertiginoso

que silencia a festividade da vida

Dor magoa e chora a alma

esperança é a poesia da dor

Esta dor dentro de mim,

que sinto tão assim.
Essas lágrimas de dor
refletem o nosso amor
A dor mais forte está na alma
pois nenhum medicamento acalma
São essas difíceis de sarar
de tão profundas  raízes
A dor do desalento na alma
é chama que arde no coração
Dúvida que flacidamente se introduz
transforma-se em acutilante mágoa
Transformar a dor em poesia
faz reviver e aliviar os sonhos
Ando louco por te ver
passo o tempo a sofrer
Esta dor que me consome,
matando meu coração de fome
Cicatrizes tantas tenho
sem as conseguir  eliminar
Dor, o despertador da vida!


Participantes:

Rute Pio Lopes

Sónia Paulo

José da Nave

Magda Brazinha

Fátima Andrade

José Martinho

Isabel Marouço

Joana Rodrigues

Anabela Fernandes
José da Nave
Helena Santos




POEMA SURPRESA
Dias 24 e 25 de Fevereiro
 Tema: IDADE
1º verso: "Só sei que o tempo passou"



SÓ SEI QUE O TEMPO PASSOU
Aquietam-se no tempo memórias
mantem-se a vontade de ser.

Que importância tem a idade

importa sim, como a vivemos

Tempo meu amigo confidente

traz o que hoje é ausente

E nem por mim esperou

para um pouco descansar

A idade não tem tempo

tempo está na duração
No ser humano, idade não conta,
importa a sabedoria acumulada.
Com a idade vem o saber
sorrisos, amor e poesia
Nos homens, quanto mais idade
mais jovens mulheres os querem.
O tempo passar, termos idade
é sinal de anos vividos!


Participantes:

José da Nave

Magda Brazinha

Maria Gonçalves

Vicente Faria

Anabela Fernandes

José Martinho

Helena Santos
 


POEMA SURPRESA
Dias 17 e 18 de Fevereiro
Tema: INVERNO
1º verso: "Inverno frio e de águas mil" 



INVERNO FRIO E DE ÁGUAS MIL
Lá fora o frio assobia e congela a alma

cá dentro tu aqueces o meu inverno

Tempo chuvoso, noites de aninho

melodia dos pingos na vidraça, caindo

Cai neve de mansinho no meu cabelo

dá-me um ar de inverno mas belo

No céu como bolas de algodão

alegram o coração

No Inverno frio que devora

o Outono em mim presente
Preciso do teu calor, meu amor 
para quebrar este frio Inverno
Quando a chuva cai de mansinho
ouvi la é como sentir um carinho
Frio de inverno acalora os corações
na brandura das almas apaixonadas
Inverno, saudades e noites longas
calor da lareira e do amor
Quando chega o Inverno
no teu leito hiberno
No Inverno florescem rosas
nas nuvens anjos com asas
Nunca é Inverno no corpo
quando se tem Verão na alma.



Participantes:

Magda Brazinha

José da Nave

Maria Gonçalves

Anabela Fernandes

Luís Marcelino
Carmen Bettencourt
Helena Santos
 





POEMA SURPRESA
Dias 10 e 11 de Fevereiro
Tema: CORAGEM
1º verso: "Coragem, vence o medo"


CORAGEM, VENCE O MEDO

O animo que estimula na demanda

dos anseios que nutrem a alma.

A coragem enfrenta o perigo

luta com o temor da alma

É energia que na voz soa...

e reage contra a amargura

Coragem? Tenho-a sim 

tenho-a bem dentro de mim.

Coragem de anoitecer e deixar-me

surpreender pelo acto de viver

Ganhaste coragem, disseste que sim

receava que não gostasses de mim

A coragem que eu tenho

acentua-se num medo que retenho

Se a coragem o medo tirasse

eu seria uma guerreira

Denodo que se entranha e vence

motivado pela  esperança do triunfo.

Será coragem, o dia a dia viver

e ser somente, Mulher?

A ventura chama e vamos

cheios de coragem caminhamos

Um medo que tenho de vencer

este para fazer a vida...Acontecer.

Que a coragem não me falte

que o medo de mim se afaste

Se eu tivesse coragem

tatuava no teu corpo, a minha imagem.

Preciso coragem, para atravessar

e te amar na outra margem!



Participantes:
José da Nave

Magda Brazinha

Maria Gonçalves

Fátima Andrade

Mary Horta

José Martinho

Florinda Dias

Joana Rodrigues

Helena Santos



POEMA SURPRESA
Dias 03 e 04 de Fevereiro
Tema: LIVRO
1º verso: Companheiro de todas as horas


COMPANHEIRO DE TODAS AS HORAS

Janela de saberes que se transmitem

e nos assistem, no decorrer do tempo.

Um livro é mar calmo onde navego

à descoberta de outros mundos

Degusto-te quando leio tuas histórias

recordo-te nas mais belas memórias

Prefiro um livro ler

do que da tua vida saber

Um livro tem asas, é amigo fiel

leva-nos para lá da imaginação

Magia que nos transporta no tempo

e espaço, numa viagem de encantos.

Amigo que tenho sempre ali à mão

onde busco conhecimento e emoção

Folheio-te folha a folha, leio

leio e sinto o devaneio

Não é necessário poeta ser

para um livro escrever

De livro na mão, viajo, viajo

e aumento o meu saber!



Participantes:

José da Nave

Maria Gonçalves

Florinda Dias

José Martinho

Magda Brazinha
Helena Santos



POEMA SURPRESA
Dias 27 e 28 de Janeiro
Tema: AMANTES
1º verso:"Encontro fugaz do amor"


ENCONTRO FUGAZ DO AMOR

Amantes enlouquecem a noite

Num ballet de desejos e luxuria

A paixão e a fantasia vividas,

caminhando  no desconhecido.

Amantes de verão seu amor é fugaz

como espuma que na areia se desfaz

Os amantes da natureza

por ela têm amor, devido à sua beleza

Fugaz mas terno

mor não se procura o tempo o traz

A poesia e os alucinados amantes

têm algo em comum a loucura

Conflito entre a dúvida de momentos

e a certeza do êxtase de um futuro.

Amantes, aqueles que gostam de amar

na cama, no campo ou à beira mar.

Não tenhas nunca pejo de dizer

fugaz o beijo, que fez um amor acender
Que os amantes nunca deixem

de saber dar e receber


Participantes:
Magda Brazinha

José da Nave

Maria Gonçalves

José Martinho

Augusta Gonçalves

Helena Santos





POEMA SURPRESA
Dias 20 e 21 de Janeiro 
Tema: MÃE
1º verso: "Luz que não se apaga"

LUZ QUE NÃO SE APAGA
Mãe, não devia morrer nunca
deveria viver para sempre.
O desapego constante de si
apenas preocupada em amor dar.
Mãe rainha minha flor
pérola do meu coração.
Quando a minha mãe partiu
meu coração ruiu.
Mistério da natureza
apenas à mulher ofertado.
Ser mãe, foi pura e inicial felicidade,
promoveu profunda afinidade.
Mãe estrela divina
que nos afaga.
Coração de mãe não engana
ela, tem-no no fundo dos olhos.
Água viva de sentimentos e cuidados
que semeia em redor do seu casulo.
Mãe, se hoje sou assim
foi porque tudo, fizeste por mim.
Mãos que nos protegem
luz que nunca se apaga .
A mão que sempre nos guia
nossa guardiã também.
Amor incondicional mãe
asas de carinho, manto meu.
Mãe é porta aberta de par em par
colo que embala quando eu chorar.
Mãe, é vida!

Participantes:
Magda Brazinha
José da Nave
Odete Sousa
José Martinho
Aida Marques
Rute Pio Lopes
Mary Horta
Anabela Fernandes
Maria Gonçalves
Helena Santos



POEMA SURPRESA
Dias 13 e 14 de Janeiro

Tema: BORBOLETA

1º verso: "De asas diáfanas como um véu”

DE ASAS DIÁFANAS COMO VÉU
Borboleta etérea e vaporosa
carregas nas asas o sonho
As metamorfoses advindas da vida
nos ensinam a vivenciá-la, plenamente.
Voam lindas borboletas no céu
à procura dum espaço só seu.
A alegria do teu carinho em mim
deixa-me leve como uma borboleta!
Trato muito bem o meu jardim
para que as borboletas venham até mim
Mariposa violeta, arco-íris multicolor
corpo de mulher, amor
Nas asas de uma borboleta sonhei
de cor amarela e preta, tão bela e serena,
Com as suas cores brilhantes
trazem-nos alegrias constantes
De cores iriadas, coloras os campos
e, bailas com a aragem, o teu par.
Colhi um raminho de flores no meu jardim
com as mais belas borboletas que eu já vi!
Uma borboleta multicolor
é linda como o amor.
Com aquela linda borboleta eu viajei
meu sonho de criança realizava.
Como borboleta gostava de ser
e dum casulo florescer.


Participantes:
Magda Brazinha
José da Nave
Mary Horta
Maria Gonçalves
José Martinho
Anabela Fernandes
Joana Rodrigues
Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário