Poema Sorriso 2018



Imagem Google

São poemas de membros ativos, escolhidos pela Administração, e divulgados aqui e no SORRISOS NOSSOS, diariamente.

 19-05-2018
AINDA ESTOU VIVO
Os anos vão-se passando
Porém não estou moribundo
Algumas ideais vou somando
Com todos sonhos do Mundo
Não me sinto ainda cansado
Coisas já não são o que eram
Ainda penso ir a algum lado
Muitas tarefas m’esperam
Parado não quero ficar
Não andando bem, coxeio
Bengala se tiver qu’arranjar
Vou lá chegar por algum meio
Não tenho receio do resto
Experiência tal vai ditar
Pois mesmo a mim empresto
Meios p’ra poder continuar.
José Manuel Melo Lopo







 18-05-2018
" I N V E R N O "
Inverno !!!...
O vento ruge...cai a neve...o frio impera ...
A Natureza , com tristeza vai olhando ;
As lágrimas, que de chuva está alagando ,
Os campos...a renascer na Primavera !!!...
Inverno !!!...
Tormentas...ciclones...temporais...
Trovoadas...tornados...inundações !!!...
Desgraças...sofrimentos..furacões...
A morte...a dor...a miséria e muito mais ...
Inverno !!!...
O rosto das nuvens é carregado ;
Qual manto negro no firmamento ...
Correndo veloz , tal como o vento ;
Corsel indomável...desenfreado !!!...
Inverno !!!...
As outras três estações foram vividas ,
E delas ficaram marcas indeléveis ...
Umas mais profundas...outras mais leves ;
Guardadas e relembradas...jamais esquecidas !!!...
Antonio Claudio





 17-05-2018
"Meu pai"
Do ventre da mãe tua voz ouvia
Sentia essa tua presença afetiva
Tua respiração em mim era viva
Amor presente tudo isso eu queria
Eras tu meu pai amigo e amado
Eras tu o guerreiro protector
Tu que controlas tudo ao teu redor
Homem verdadeiro pai estimado
Foste meu professor meu baluarte
Foste meu ídolo,guerreiro meu rei
O que me ensinaste eu guardei
Eterno pai em meu coração ficaste
És meu pai digo com ternura
És meu tudo meu lindo amigo
És o espelho meu,estou contigo
Amor verdadeiro existência pura.
Joao Sousa





 16-05-2018
Rosa caída"
Qualquer perfume pode dar vida a uma flor
É a sua essência que se insinua
Mas murcham de desgosto e de dor
Quando a sua alma é exposta nua
Eu tornei-me seca
Tombei perante a solidão
Sucumbi à vontade cega
De não ser apenas uma flor de Verão
Para que quis eu ser um jardim?
Ser uma flor do ano inteiro
Se não me regavam só a mim
Nem como amor fui o primeiro
Não mais danço ao vento
Nem abraço as folhas que caíram
Flor da cor do sofrimento
Pétalas cujos sorrisos fugiram
Era regada pelas lágrimas
De tantos anjos que choravam
Porém sequei e apesar da lástima
As lágrimas nunca cessaram
Qualquer beijo de qualquer botão de rosa
Seria um cantar de colibris
Perfume desenhado em prosa
Triste poesia a vida que eu quis
Ser flor de jardim
Ser flor dentro de mim
Morri rosa vermelha
De uma paixão já velha
Murchei, chegou o meu fim
Sonia Paulo




 15-05-22018
SORRINDO Á POESIA
Trago dentro de mim a poesia
Sinto o calor desse amor com alegria
Sinto-me de diversas cores...
Para ti apanho flores, e, enfeito a vida
És o sonho dos poetas
Dos que choram amarguras
Dos que cantam venturas
Dos que amam com intensidade
Dos que mergulham no teu seio...
...com ansiedade e loucura...
És frescura no verão quente
És calor no inverno da vida
És amor ardente da musa atrevida...
...que tens dentro...
Das flores és o odor perfumado...
...resistente...
O teu caminho é o meu caminho
O teu encanto é o meu fado
O teu sonho é o meu aliado
Trago-te no peito para sempre
Da minha alma és o alimento
Visto-me da escrita para te cantar...
...a ti poesia...
A serenata de todos os dias...
Em noites de luar...
...e FANTASIA!!!
Irene Matias




14-05-2018
 Há neve em Aleppo.
Flocos
pintam
ruínas
desertas

Rostos
inocentes

Órfãos
amanhecem
sem amanhã
Corpos
deambulam
errantes
na dor
que nem o vento afasta.
É vermelha a neve em Aleppo.
Alice Santos



 12-05-2018
QUANDO EU MORRER
Vistam-me roupas alegres e sobre o meu peito, uma rosa amarela.
Em minhas orelhas furadas, brincos de cereja e cubram de batom garrido meus lábios fingindo um sorriso que já não tenho.
Nos pés, uns sapatos leves, moldados por mim.
QUANDO EU MORRER
Abram todas as janelas.
Deixem entrar o Ar, o Sol e o Dia que já não me pertence.
Destruam todos os pedaços de mim.
Apaguem todos os retractos:
- Aqueles que podem ser tocados com as mãos.
Não quero ser sombra, nem Luar, nem Sol, nem Estrela sem amor.
Derramem minhas cinzas em mansas águas, com alegria.
Não chorem o momento com lágrimas que não mereço, nem me enalteçam ou cubram com ternuras que em vida me foram negadas.
* QUANDO EU MORRER
Levo pouca bagagem.
Apenas um amor simples, leve,
que ultrapassa a existência,
a beleza do mar, das montanhas
e do universo:
O AMOR DE MEUS FILHOS
Alice Ruivo




11-05-2018 
No meu caminho.
Caminho de passos leves.
Como o vento que leve,
no meu rosto vem pairar.
Como as ondas do mar,
quando de mansinho,
o meu corpo vem abraçar.
Como o azul do céu,
que traz mais cor ao meu dia.
E me eleva para junto de Deus.
Caminho.. numa certa direção.
Um rumo que oiço,murmurar dentro de mim.
Onde estou?
Para onde vou?
Até onde,conseguirei chegar?
Caminho.. sobretudo para me encontrar.
Caminhando de passos leves,
e de tão leve quanto o saber voar!!!
Tania Lourenço



 10-05-2018
Mergulho no pranto
de águas caídas,
lágrimas de sangue
em corpos lavadas,
míriades de folhas
na cor esmaecidas,
dos tombos da vida
em águas passadas!
Canto a tristeza
na melancolia
de um povo sofrido,
afoga-se-me o peito
um grito gemido,
ao ver dia após dia,
acabar a esperança
e não ver o jeito
de vir a ser outra
a nossa herança!
Dedicado a todos os povos que sofrem e são oprimidos,
por causa da ganância dos poderosos..
Luis Filipe




 09-05-2018
Espero por ti todos os dias
Espero por ti, todos os dias. A poesia de ver o nascer do sol, esperando por ti. Olho e vejo o caminho do mar. Espero por ti. Que saudades tenho quando esperava por ti à porta da escola. Levava uma flor para te oferecer só para ver o teu sorriso. Ainda hoje espero por ti, quando entro no barquinho à vela e singro pela água, à tua espera.
Espero por ti até na fila do trânsito, cheio de caras ensonadas. Mas não te encontro. Em cada carro que passa, ganho a esperança de esperar por ti. Mas não estás lá. Volto ao mar. Tenho mais fé em reencontrar-te por aí. O canto da sereia. Outra vez! Serás tu quem me encanta?
Passo de carro à porta de uma escola e vejo uma criança com uma flor na mão. Rola uma lágrima de saudade. Vejo que essa criança oferece uma flor à menina que devolve um sorriso. Difícil de explicar. Onde vi aquela cena? Provavelmente acontece um pouco por todo o mundo, em todas as escolas.
Volto ao mar onde me sinto seguro e espero por ti. Para trás ficam campos de flores e lindas melodias, mas a música das ondas do mar é mais bela. Espero por ti. Tenho tempo. O meu caminho está traçado nas ondas do mar, onde as lágrimas salgadas se confundem no oceano.
Guardo a esperança de que um dia virás virás até mim, para te oferecer a flor Poema escolhido pelos administradores, diariamente e publicado no grupo e no blogue de apoio.
que nunca te entreguei, porque naquele dia não estavas lá.
Sinto-me renascer, todos os dias, porque espero por ti. Sei que um dia vais chegar ou vais enviar uma carta com a mensagem: “Espero por ti”
Joao Pires 




 08-05-2018
Como é linda a natureza
Ainda não é inverno
Mas já está muito frio
São coisas da natureza
Mas se há calor interno
O mar espera pelo rio
Eu espero pla tua beleza
No inverno ou no verão
Com o teu calor interno
Não tenho frio de certeza
Te dou o meu coração
E neste quente inverno
Como é linda a natureza
Como é linda a natureza
Um dia o sol brilha
Outro dia está a chover
Mas eu tenho a certeza
Tu és a mais linda maravilha
Que os meus olhos podem ver
Luis Marcelino




 07-05-2018
AQUELE MÍNIMO INSTANTE
Um tremor, um arrepio,
um rubor que sobe à face.
Coração que bate, bate,
algo que contrai o peito
e o ventre ao mesmo tempo.
Depois chega a paixão,
um fogo que nos abrasa,
uma ideia que persiste
à beira da obsessão.
E os sonhos noite e dia,
de tanta beleza feitos
que doem de exaltação.
Passa a hora e o corpo acalma,
não mais fogo ou arrepio,
pois nenhum excesso dura.
Só um leve calor, conforto
e mãos cheias de ternura.
Se é eterno ou efémero,
deixa paz ou amargura,
este poema não diz.
O que importa é o momento,
aquele mínimo instante
de um universo feliz.
Alice Duarte




 05-05-2018
"Sorri"
Sorri, com a alma e o coração
espelhado no olhar.
No sorriso.
No jeito de falar.
Pois as palavras, também sorriem
quando proferidas com carinho!
Sorri por sorrir
dá a "ti", este mimo!
Deixa que as rugas do sorriso
tracem no "teu" rosto,
um caminho de fácil leitura
para quem, pra "ti" olha!
E veja, que em "ti" perdura
um mapa do sorriso
gravado ao pormenor,
sincero e "preciso"
desse sorriso maior!
Espelhando-se no "teu" olhar
vindo da alma e do coração
fazendo os "outros" acreditar..
em sorrir e sorrindo
até mais não..
..até nunca mais acabar..
.."Esse" mapa do sorriso
gravado em "ti",
sincero e "preciso"!
Por isso sorri,
sorri com carinho,
dá a "ti", este mimo!
Fátima Andrade



 04-05-2018
“SOU”
Sou cisne tranquilo
Sou água transparente
Sou reflexo de mim
Sou lua ensolarada
Sou meio louca
Sou luz translucida
Sou brisa que sopra
Sou noite envergonhada
Sou mar revolto
Sou maresia
Sou pedra atirada
Sou nuvem sonhadora
Sou sombra
Sou miragem
Sou segredo
Sou solidão
Sou meretriz sem perdão
Sou sonho sonhado
Sou pesadelo
Sou fogo que arde
Sou ternura contida
Sou amor a renascer em ti
Sou o teu encanto
Sou o meu espanto
Sou o teu quebranto
Sou segredo
Sou soluço
Sou sorriso
Sou corpo que se agita
Sou paixão em nós
Sou sensual e louca
Sou beijo na tua boca
Sou amor em ti…
Magda Pacheco Brazinha




 03-05-2018

Pintei-me de cores
Fiz do meu corpo a minha tela
E senti-me assim tão bela
Que me dei a conhecer
Ilustrei-me como a um desenho
E em cada esboço que tenho
Vai surgindo outra mulher
Cada traço se define
Com a forma de um só corpo
e com um corpo de tantas formas
Delicado, sublime
Colorido a meu gosto
Como meu desejo e não seguindo normas
Quero que me vejam
Eternizo a tela ao me dar
Nesta forma quase poética e nada vulgar
Nem todos podem entender
Mas muitos saberão amar
Sonia Paulo





 02-05-2018
Ninguém é igual a ninguém...
Cada um com sua vida em paralelos
Uns constroem castelos de areia
Outros alicerces de ferro
Alguns têm vidas rasas.
Outros mergulham na vida.
Cada um com seus conflitos.
Conceitos.
Segredos.
Desejos.
Medos.
E ritmos.
Ninguém é igual a ninguém.
Somos ora singulares.
Ora somos plurais.
Pontos.
Virgulas.
Reticências.
Interrogação.
Uns usam a razão.
Outros a emoção.
Uns presos.
Outros livres.
Uns amados.
Outros infelizes.
Uns inseguros.
Outros convictos.
Uns desejam chegar.
Outros desejam partir.
Uns em metade.
Outros em completo.
Uns pelo acaso.
Outros em projectos.
Ninguém é igual a ninguém.
Nem eu...
Nem você...
Nem uns...
Nem outros...
Nem ninguém.
Maria Luz



 01-05-2018
Luz do amor.
Sobre as árvores pendem,
Raios de sol fluidos,
Que provocam gemidos,
A luz do dia acendem!
E o quarto se ilumina,
Na cama o sono ainda dorme,
O sonho se consome,
E o sol penetra a cortina!
No espelho a luz é vitral,
Que percorre o silêncio,
Abro os olhos, logo penso,
Nunca vi beleza tal!
A vida é luz e cor,
Pois esta é tão pura,
Tanta beleza e doçura,
É a luz do amor!
Maria Gomes Pereira Cabana





 30-04-2018

A corrente do rio
Leva nas tuas aguas o velho ano
deixa ir na corrente o mal que nos afligiu
aguas passadas não voltam, nem por engano
Procuram o mar na louca corrente do rio
Deixa connosco as boas lembranças
Leva contigo as más recordações
Deixa comigo essa verde esperança
Afoga as mágoas de todos os corações
Corrente de agua límpida, transparente
Não te juntes às revoltas aguas turvas
Essas estão perdidas definitivamente
Contorna e corre faz todas as curvas
Chega depressa ao teu destino, vai
Carrega e leva na corrente as amarguras
Tão cristalina agua na cascata cai
Eu escuto o som de notas musicais e puras
Amalia Pereira Fado-Poesia



 28-04-2018

VOLTAR A DAR PÃO
Quem ficou sem casa…não ficou só sem casa
Ficou sem os seus bens, os seus animais
O trabalho de uma vida
Sem esperança, sem alegria,
Sem os seus familiares, numa imensa agonia.
Quem ficou sem casa…não ficou só sem casa
Ficou sem horizonte, viu arder terras e montes
Os carros, os tractores, os barracões
As lenhas, a alma até às entranhas
Tudo viu a arder em labaredas tamanhas
Impotência e tudo a arder
Nem a casa conseguiu defender.
… mas eis que começou espontaneamente a surgir
Uma pequena onda de solidariedade
A ela se juntou um coração nobre
Mais um, mais outro e muitos mais
Cresceu e o seu tamanho foi tal
Que ficou muito maior que Portugal
Carros e camiões a chegar com ajuda
Era urgente descarregar, arregaçar as mangas
E todos ajudar, acordar as pessoas da tristeza,
Da letargia… e começar a distribuir
Uma centelha de esperança, começa a aparecer
Na aldeia tudo mexe, tudo está a bulir
E mais muitas mais ajudas continuam a surgir
Agora é hora, vamos renascer
À nossa freguesia não existe outra igual
O infortúnio que sobre nós se abateu
Deixou tudo negro, fumo, escuridão
Vamos voltar a semear
A nossa terra vai voltar a dar pão
Aqui o futuro não se perde
Queremos ver de novo
A nossa freguesia vestida de verde!
Nanda Rocha




27-04-2018 
"Prometi"
Naquele dia quando juramos a união
Prometi que esperava tua liberdade
Afirmei integridade saída do coração
Desde aí fui firme em manter a verdade
Siladas foram postas no meu caminho
Quase te aprisionaram com grades
Quiseram dividir-nos ficando sozinho
Tudo parecia bater certo mas sabes?
O amor fala alto quem o pode vencer?
Prometi ao amor ser somente de ti
Abandonei o ouro o diamante e viver
Viver em harmonia contigo mesmo aqui
Se tao somente tomasses atenção
Teu ser estaria protegido da tempestade
Assim te resguardarias em meu coração
E o amor permaneceria até a eternidade.
Prometi...
Vou cumprir.
Joao Sousa





26-04-2018 

MEU DIVINO PROTECTOR. ..
Cansada de vaguear sozinha
Procurando o meu destino...
Entreguei-me em tuas mãos
Enrolei-me em teu carinho...
Tentando descansar um pouco
Recuperar forças, para seguir caminho...
Em ti, me aliviei do cansaço
Desta vida, já cansada
Fiz de ti, meu porto de abrigo. ..
Me quedei, em teus braços
Senti em mim, o calor do teu coração
Nos teus beijos e abraços
Inundei minha alma de amor...
E adormeci cansada, mas feliz
Como se... no amanhã
Fosses tu, o meu divino protector!
Quina Custodio

 25-04-2018
 O caminho de 2015, leva-nos a uma nova encruzilhada... Ao chegares ao Grande Largo da Confusão, pára, escuta, olha... Observa bem, tudo, à tua volta... Interioriza, Reflecte... Sai, dali, o melhor caminho para 2016... Escolhe, Decide e vai em frente... Encontrarás a placa indicadora do Rumo da Vida... O Rumo da tua Vida!... Durante o caminho, vais encontrar muitos obstáculos: pedras duras e pontiagudas mas, encontrarás, também, pérolas, rubis, esmeraldas... Por certo, estarás atento e recolherás o melhor, na tua caminhada...
Acolhe o Novo Ano, com Sabedoria e, com esta companheira, passa um Excelente 2016...
Manuel Dias Ribeiro.





 24-04-2018
Na face de um rio
Riacho
Ou de um ribeiro
Há sempre uma névoa de frio
Mais ou menos sentido
Que envolve todo um Povoado inteiro!
Sentado
Na Árvore que dá sombra
Quando o Sol ardente brilha,
Há, por agora, uma penúmbra
E um arrepio
onde eu, sentado e parado,
Escrevo, atento e cansado, dando mais um suspiro...
E é assim,
Na face de um rio
Em qualquer riacho
Ou qualquer ribeiro
Que vai e vem, sempre primeiro,
No ar frio que corta e constipa
-E até piora a saúde, quando alguém engripa-,
Pois só assim é que a noite vem trazer tudo por inteiro!
Helder Filipe Silva Monteiro



 23-04-2018
POESIA E POETA
A Poesia é magia
É beleza e alegria
Traz emoção, que a
pele arrepia
Transforma as palavras
em doce melodia.
Faz chorar e faz sorrir
Traz alento ao viver
Faz sonhar e acreditar
Que o amor pode acontecer.
O Poeta fala de tudo
Do que há espalhado no mundo.
Só tem uma coisa que ele esconde...bem escondido
Não fala ou usa de subterfúgio
...padece...ou só fica mudo
É do Amor que sente...sentido e tão profundo.
Maria De Fatima Bezerra de Franca





 21-04-2018

UM PARA O OUTRO
Combinámos uma hora e um local para conversarmos, após um inesperado reencontro. Passaram-se tantos anos, meu Deus, e tu continuas igual, ordinária nas palavras (...) mas genuína a expressar o que te vai na Alma, embora com uns "quilinhos" a mais e contenção a menos (...).Antes da hora marcada, lá estava eu, sentado na esplanada do café à tua espera, ainda a digerir uma espécie de almoço, fingindo estar calmo e tranquilo, quando na verdade, o meu coração estava tudo menos "Zen" (...). Quase meia-hora depois (...), vejo-te a caminhar na minha direção, sorridente, simples no vestir e no andar mas "estonteante" nos contornos e movimentos corporais (...). Sentas-te à minha frente e quase que fico bloqueado sem saber por onde começar, tal é o "congestionamento" de emoções (...). Então, como que por "telepatia" (...), pegas nas "rédeas", escolhes o tema, inicias a conversa e "dispara o turbo" (...).
Só sei dizer que durante meia-hora, se disse duas frases com início, meio e fim, foi muito (...).
Percebo então que precisas de desabafar, bastante, e de certo modo até contribuis para colocar o meu coração em sentido e a minha mente em modo "compreensão", pois o assunto é sério. Durante horas, os nossos olhares focam-se, como que se estivéssemos ali só nós dois neste mundo. Nada nos perturba, e ao mesmo tempo, algo tão de subtil como de impossível de dominar nos aproxima (...). Não sei como é que fazes isso, mas o certo é que consegues com que me distraia, e é precisamente quando me encontras distraído que ouves o que não quero dizer e vês o que não quero mostrar (...).
Nisto tudo, o que me surpreende é essa tua inesgotável capacidade de comunicar, pois parece que as tuas palavras contêm outras palavras, e como que se não bastasse, ecos, chamando ou atraindo algo ou alguém (...).
Olho então para as horas e fico de boca aberta. Já é quase noite! Parece que me "enfeitiçaste", tal foi a "dose". E de repente, dou comigo a pensar nisto, passadas tantas horas (...): "Eu, que não sou pessoa para estar tanto tempo à conversa, e tu, que não és pessoa para estar tanto tempo no mesmo sítio, porque é que ambos nos sentimos tão... um para o outro?
A verdade é que a vontade é enorme, mas tu..., e com essas tuas palavras ordinárias mas com Alma, sem avisar, dizes o que sinto e eu faço o que não esperas (...). Escusado será dizer que a partir de agora somos um para o outro.
Nelson Filipe



 20-04-2018
NA ALDEIA
Quando o sol, entre as cortinas da janela,
me batia no rosto
e acordava pela manhã,
ainda dormentemente desperto,
recordo, ao longe,
a gorjeada dos pássaros, em alvoroço,
o ladrar dos cães, em correria
o chiar insistente das rodas dos carros de bois,
estrada acima.
E, nesta quietude ambiental do quarto,
apenas o zumbido das moscas
impertinentes interrompia e incomodava,
me ficava,
deixando o pensamento divagar,
em aventuras,
longe dos afazeres do liceu e bulício da cidade,
até que uma das minhas tias avó,
ternamente, trazia o pequeno almoço,
sempre acompanhado de guloseima,
me dava um beijinho de bom dia.
Apressado, lá ia eu para a brincadeira,
ouvindo os conselhos de cuidado.
Que nostalgia desse tempo de meninice!D
José Lopes da Nave




19-04-2018
AS MÃOS
A lenha crepitava na fogueira,
Entre estalos, fagulhas luminosas,
E as trémulas mãos, junto à lareira,
Foram, em tempos idos, tão formosas.
Agora, enrugadas, doloridas,
Cansadas duma vida de trabalho,
Que, já nem o calor e o agasalho,
Lhe repõem as forças, já perdidas.
Também, as outras mãos que as seguravam,
Que espantavam o medo e a solidão,
Há muito, que partiram e deixaram
D’amparar e segurar a sua mão.
A chama da fogueira fenecendo,
Enquanto o vento sopra e vai gemendo,
Aquelas crespas mãos, em ritual,
Mal seguram as contas do rosário,
Companheiro do retiro solitário,
Em mais esta, triste noite de Natal.
Leonel Alberto Furtado
 







 17-04-2018
COMO ME CONTER
Como me conter ...ao perceber
Que acompanhei a corrida ...foram 365 dias
Onde pude ver ...o sol nascer
O que me resta é agradecer...
E deixar a lagrima cair ...pois foram emoções
Vividas ...com tantas conquistas ...e perdas
Que me deram um novo sentido ...do que é viver
E pra quem chegou primeiro ergue se o troféu
Naquilo que se perdeu ...valeu a experiência
Vivida ...
Pois é vida ...vida ...vida ...!
E a gaivota ainda sobrevoa ...a tal virtude
Em liberdade...sendo mensageira ...entre o céu
E a terra ...ou céu e mar ...
Onde somos passageiros ...e o amor
Nos espera ...nessa nova era ...é continuar
Lutar ,amar ,sorrir , sofrer também é o caso
Que não posso deixar de lado ...pois o coração
E o aliado ...a tantas emoções
Do amor oprimido ...da dor de um irmão
Do sofrer na busca de soluções ...
Então ...seremos a gaivota que voa ...
Onde olhar para um céu ...e saber da existência
De um Deus ...que na partida ...desse novo tempo
Ainda somos vida ...e
Como me conter ... pois estou num presente ...que amanhã...
Já e futuro ...e deixo tantos sentimentos ...no passado ...
Que não acompanharam a corrida ...e mesmo que agradecida
Minhas lagrimas não serão contidas ...é permitir
Que elas sejam caídas !!
Maria Helena Ferreira




 16-04-2018
A Guitarra Portuguesa
Dedilho as cordas aos pares,
Misturam-se os sons diversos,
E muitos Fados dispersos,
Criam modas, e cantares.
Não chores assim Guitarra,
Nesse trinar tão sofrido,
Tira daí o sentido,
E toca o Fado com garra.
De bizarra não tens nada,
Tens forma de um coração,
Teu trinar é uma oração,
Plangendo, mas encantada.
Tens alma bem portuguesa,
Fazes jus a todos nós.
Cantamos a uma só voz
Sentados à mesma mesa.
Estás no nosso coração,
Pertences à Humanidade,
És o Fado na verdade,
Símbolo de uma nação.
Vicente Faria





 14-04-2018

SER CHUVA SER MAR
Ser chuva ser mar
Em ti deitar-me
Ao luar ...
E o som das ondas ...
Parecendo gemidos ...
Caídos na areia ...
Que se encharca ...
De beijos ...
Dados pelo Mar ...
E as gotas de chuva ...
Molham-me o rosto ...
E eu já não sei ...
Se são lágrimas ...
Guardadas ...
Dos gemidos do mar ...
Ou de mágoas ...
Sofridas ...
Silenciadas ...
Pelo mar ...
E ser chuva ...
Ser mar ...
E não mais acabar ...
Esta tortura ....
De te amar ...
Neste sofrimento ...
Constante ...
Nesta noite de luar ...
Maria Margarida Moreira





 13-04-2018
Palavras
As Palavras podem expressar tudo que eu quero dizer
As palavras tem poder
Cada palavra é um tiro disparado
Com uma simples palavra posso ser condenado
Posso ser atingido de morte
Ser jogado a própria sorte
Palavras podem ser doces e me lambuzar de felicidade
Podem ser amargas e causar mágoas, abrir feridas para o resto da vida
Cada palavra dita é uma sentença de vida Palavras não voltam atrás
Impossível voltar goela a abaixo, palavras se perdem no espaço
Prefiro as belas palavras: palavras de amor, declarações de amor, palavras de carinho Essas palavras fazem um bem danado
Fale a vontade, fique sossegado, pois não é cobrado
A palavra é um dom de cada um
Use o seu para o bem
Diga sempre palavras belas e nunca ofenda ninguém.
Jonas Luiz




 12-04-2018
PAIXÃO
Coração Apaixonado
No meu Peito a Beter
Pedindo Para Ser Amado
Batendo Para Viver .
Viver um Amor Sentido
De Paixao e de Prazer
Porque um Coração Perdido
Pode Parar e Morrer .
Coração Apaixonado
Muitas Vezes Amargurado
De Amar, e Tanto Querer
Coração Apaixonado
Nunca Pares de Bater
Para eu Poder Viver
O Sonho de Ser Amado .
Coração Apaixonado
Nunca Pares de Bater
Para Poder ser Amado
E de Amor , Poder Viver .
Virgilio Teixeira




 11-04-2018
Menina.
A menina apaixonou-se.
Uma noite de clara lua cheia,
Ela apaixonou-se pela magia da sua beleza.
Suspirando ao vento pelo seu amado.
No alto brilhou uma estrela,
Como parece o silêncio folgado,
Em sonho sonho revelado
Em fugacidade que deixa um borrão.
A menina nessa noite chorou,
Gritando ao céu a sua pena
Por esse amor que a enganou!.
A menina é uma branca pérola
Que vive em lugar aposentado
Escondendo a sua amarga vergonha!.

Antonia Rodriguez Ferreiro




10-04-2018 
SOLIDÃO
A noite cai
Erguem-se os muros do medo
Em volta dos meus sonhos na noite imensa
No silêncio do quarto sombrio
Enroscada nos brancos lençóis engelhados
Na noite negra, num sono agitado
Naufrago sem rumo pela madrugada
Vozes que gritam e me agitam
Desço ao inferno de mãos amarradas
Cuspo o fogo lançado pelo demónio
Meu peito queima
Meus olhos ardem
Meus pés entorpecem
Grito aos anjos que me acordam do pesadelo
Inquieta, gelada…
De olhos pousados no teto escuro
Minh ’alma chora
Meu coração desespera
Na procura da luz
Abro a janela
Lá fora a chuva enlameia a calçada
Embrenho-me na tristeza da folhagem
Amarelecida que reveste o chão
Acendo um cigarro que queimo até aos dedos
Lembranças torturam a minha mente
Não quero sair… Não quero ficar…
Enrosco-me numa manta, encosto-me no sofá
E ali fico… longe de mim, longe do mundo
Respirando angústias
Entregue à saudade e à solidão
Lurdes Rebelo





 09-04-2018
FILHA DO VENTO
Filha do vento
de um belo momento
não foi por acaso
nada estava pensado
era só sentimento
louco e vadio
mas muito sadio
és a chama ardente
um vulcão aparente
um coração que enternece
e que de nada se esquece
és um botão de rosa
que floresce e cresce
num jardim florido
por todos muito querido
mulher guerreira
de punho erguido
segue o teu caminho
encontra carinho
neste mundo louco
em que tudo é aparência
mostra que és diferente
com a tua sensibilidade
aclama a tua liberdade
no Sul ou no Norte
terás sempre sorte
pois és filha do vento...
Anabela Fernandes

  


07-04-2018 
NÃO PRESTO, MAS AMO!
Sim, não presto mas já prestei…
Quando os cabelos brancos eram apenas raios de luz, a frontalidade uma virtude e a lealdade um tesouro a preservar. Não presto mas sou tudo que de mim resto, depois de abraçar o tempo, mesmo sem tempo; silenciar a dor com gritos de cor; beijar o amor com dedos apaziguadores; ouvir e calar; servir sem reclamar e ensinar a voar quem mal sabia andar. Já prestei e isso eu sei, enquanto transformei noites em dias, tristezas em alegrias, com impossíveis fiz magia e transformei medos em valentias. Tantas vidas apagadas transformadas em verdadeiras fontes de luz que jamais deixaram de brilhar. Muito me enriqueceu e um enorme prazer me deu. Reconhecimento? Chega-me o que recebo do Céu.
Da vida nada me queixo. Sorri, ri, gargalhei, chorei, errei, amei, fui amada, magoei e fui magoada, pedi perdão e perdoei…mas nem sempre fui perdoada. Agora, lágrimas, outros olhos chorarão, porque dos meus nem diamantes cairão. Pintei a revolta com a cor da harmonia e a desilusão, afoguei-a no mar da minha alegria. Decidi só respirar calmaria.
Cruzei-me com o vento e gritou-me que eu não prestava, que o que eu dizia nada tinha sentido e o que fazia era incomodativo. Mas por que motivo? Na, não deve ser nada comigo, mas fiquei a pensar naquilo. Que terá acontecido, para me ter ofendido? Acho que primeiro devia ter falado comigo, ter esclarecido. Talvez tenha se confundido. Sempre fomos amigos e sabe que pode contar sempre comigo. Espero quando o encontrar, novamente, esteja mais tranquilo.
Perdem-se amigos por medo da frontalidade, do diálogo…esta é a triste realidade!
Ou será que não presto mesmo e não dei por isso? E como poderia dar, se não sei o que é isso de prestar e não prestar? Alguém me sabe explicar? Não concordo nada com essas definições. Mas tenho a certeza que já prestei…quando tudo tive, tudo fiz e tudo dei! Eu acho que é mesmo assim, é tudo normal…quando o mar deixa de ter boas ondas para surfar, deixa de prestar. Isso agora é só o que eu deduzo…. eu nem sei nadar, quanto mais nas ondas deslizar! É que para mim, o mar é sempre prestável…isso é incontestável…. assim como todas as coisas e todas as pessoas.
Posso até não prestar, mas garanto-vos que já prestei…só que me esgotei! Eu não presto, tu também não e outros assim serão. E então? Qual a admiração? Acreditamos na perfeição? Ora….e se nos preocupássemos mais com a afeição? Isso de prestar ou não, é tão relativo e cada um tem a sua opinião, há que respeitar. Podemos não prestar para uns, mas sermos muito importantes para outros…É bom haver gostos diferentes! Ainda que não preste, há tanta gente a gostar de mim, tanta gente que precisa de mim…e eu a precisar de todos. Eu não presto, mas amo…e sou amada!
A Vida ali a passar e tanta gente a não notar, a não ver…nem sequer olhar… Isso sim, é importante salientar…e não o facto de eu prestar, ou não prestar.
Helena Santos






 06-04-2018
Eu Ser Humano
Na amplitude do Ser Humano,
existe a esperança
Naquele momento de angustia
Vem ao de cima, a verdade
Somos areia numa ampulheta
Que escorre sem parar
Na estrada da vida
Paramos na encruzilhada
Escolhemos um destino
E na curva morremos
Somos o eco do ego
De um espelho sem reflexo
Refugiados na sombra do passado
E acreditamos no futuro
O presente é tudo que temos
A linha é indelével
Num sopro
Damos o último suspiro
Saibamos viver
Ergamos a cabeça
E gritemos
Estou vivo!
Jorge Ferreira






 05-04-2018
EU ESTOU AQUI
Murcharam as pétalas vermelhas...
Das rosas de amor ...
Que estendi na cama !
Espero-te , até ao dia do meu último sonho...
Vem meu amor...
Me estreita nos braços...
Me esmaga contra o peito...
Me beija e me ama...
Não tenhas medo do que te proponho...
Nós somos indestrutíveis ...
Nossos corações se amalgamaram...
Somos duas almas sensíveis ...
Que loucamente se apaixonaram...
Tu sabes meu amor ...
Que não podemos viver um sem o outro...
É preciso colocar o orgulho no lugar..
Marcar dentro de nós ...
O nosso ponto de encontro...
Nós nunca vamos deixar de nos amar...
Meu amor , feliz Ano Novo !
Se precisares de mim...Eu estou aqui !
Quando quiseres falar ...Eu estou aqui !
Se te faltar um amigo...Eu estou aqui !
Se quiseres um abraço ...Eu estou aqui !
Se precisares de alguém...Eu estou aqui !
Eu estou aqui meu amor ...
De coração aberto para te amar !
Eu te amo , eu te amo , eu te amo !
Maria Dulce Leitao Reis



 04-04-2018
Descrevo-te porque me roubas o sono
Fizeste da minha boca um palco de dança
Deslizaras lentamente teus lábios no meu
Mergulhei profundamente no verde mar
Dos olhos teus para matar minha sede de amar
A todo segundo sinto tuas mãos
a passearem no meu corpo
Toque leve
Sentimento
Tua alma
Fiz do teu corpo a estrada que me guia
Ao nosso destino final
Viver contigo um amor que jamais se viu
Nosso amor imortal
Fugia da realidade
Sentimento rejubilado
Voava alto em corpo cansado
Fugia do perigo
Quero teu abrigo
Busca incansável
A Alma era vazia
Gritei,clamei
Por fim te encontrei
A vida modificou
Um amor angelical
História de amor real
Amor encantado
Sentimento exagerado
Palavras infinitas
Declarações de amor
Pitadas de utopia
Sem perder a magia
Viramos almas dependentes
Jamais separadas
Viremos lenda poética
História de um lindo escrito
Onde o poeta assinará
Poemas de um sonhador
Anjo e musa
O tema do escritor
NOSSA HISTORIA DE AMOR
Paulo Ricardo Duarte Cunha





 03-04-2018
Ano Velho Ano Novo!
Ai ano findo que estás de partida
Vai, depressa não te arrependas, lá
Espero o ver o céu azul desta vida,
Esquecer o tormento que não voltará.
Ano Novo a chegar mas vem feliz,
Vem abençoar a terra de tanta dor
Nesta data linda que espero e quis,
Aquecer corações com todo o calor.
Que em todas as casas haja magia
Que em todos os Povos da Terra,
O Novo Ano chegue com a alegria,
Esperança que nos corações encerra
A todos os meus amigos queridos
Nesta data e época linda nos diz,
Magia, festas e sonhos vividos,
E para todos desejo um Ano Feliz!
Maria De Lurdes Cunha





 02-04-2018
A minha Poesia
*******************
Comigo nasceu a sina
ser poeta a trovar
desde muito pequenino
fazia poemas no ar
Tudo era ao meu redor
uma alegre poesia
verão, inverno ou calor
rimava com alegria
Na escola pouco estudava
na poesia sempre a pensar
o professor me ralhava
e eu respondia a trovar
Só uma vez me chegava
ler o queno livro estava
a poesia me encantava
era o que mais me interçava
Já mais tarde trabalhando
e da minha boca saía
muito baixinho eu cantando
o fado da poesia
Só mais tarde é que pensei
e comecei a escrever
nunca mais esquecerei
o que faço com prazer
Até de noite sonhava
com a minha poesia
a todos eu imitava
as canções do dia a dia
Um dia se eu poder
e a minha sina mudar
a poesia vou escrever
e no palco vou clamar
Mas o tempo vai passando
é a poesia o meu prazer
as forças vão acabando
e vou deixando de a fazer
Idálio Da Silva Torres





31-03-2018 
“SOU BORBOLETA”
Sou uma linda borboleta
Há pouco saída do casulo,
Sou transformação,
Sou até alguma confusão!
O desconhecido assusta,
Talvez porque ainda sou novata,
Mas também sou garra,
E da vida faço minha fanfarra,
Tanta dor para ver o céu,
Azul da cor das minhas asas,
Mas não importa nadinha,
Gosto de ser safadinha!
A mudança, á a minha essência,
O meu destino, é o dia de amanhã;
Chove lá fora, e o frio é uma realidade,
Mas sou forte, sou prioridade!
Há quem goste das minhas asas,
De as ver grandes e coloridas,
Á procura do caminho,
Que não tem sido calminho!
Fecho os olhos e sinto o vento,
Pouso e sinto a chuva,
Voo e sinto o frio,
Mas ouso, sou sangue frio!
Tanto é dia como é npoite,
Até parece que me querem enganar,
Mas nunca desistirei de voar!
Sou enfim uma borboleta,
Com a vida em transformação,
Sou a turbulência, e o bom humor,
Sou o bater das asas com amor.
Autora Litas Ricardo





 30-03-2018
Seu corpo se vestia de desejo, louco cheiro de seu perfume.
 Isa queria José
 Ele se tornara sua veste de seus colares.
 O proibido....
 AO senti-lo dentro dela , Isa sentia se domada pelo toque das mãos dele . No silencio da noite.
 o prazer nao tinha fim ,ele sentia seu prazer ,e com um beijo de José, as emoções improváveis naquele momento á muito previsto nos sonhos de Isa.
 O encontro dos olhares
 Isa se rendeu nos braços de José .
 Ela se encontrará dominada por aquele amor.
 Ali rompeu as notas no seu coração , pois só lembrava do olhar de menino de José.
 Seguindo seus passos não podia evitar um sentimento tão profundo , naquela hora confessou seu amor por José.
 Nos braços de José
 Isa se revestia do amor novamente.
 O colapso era brusco
 olhares penetrantes
 Isa derramou uma lágrima .
 Um adeus que nunca teve seu fim.
 Confrontando os sentimentos de Isa.
 E no fim já cansados face a face
 José sorria para Isa e dizendo lhe que sempre foi seu único grande amor. Isa e José fecharam os olhos e adormeceram sorrindo para a felicidade.
Carla Mendes



 29-03-2018
Sabes....
Foste uma prenda fora de época
Um embrulho, em que o laço sorria
Uma surpresa com papel de fantasia
que desembrulhei com um só olhar
O Natal será sempre que alguém quiser
E tu chegaste na data marcada
Quando era Inverno no meu coração
e Outono na tua alma amargurada
Foi Dezembro, na Primavera
Fazia calor numa manhã de Abril
O que parecia improvável aconteceu
Sabes,
Foste a prenda que em criança
eu pedia todos os anos ao Pai Natal
esperei tanto, que perdi a esperança
mas, olho para ti e percebo que és real!
Angela Caboz



 28-03-2018
Mulher
Ser mulher
É ser poder.
É ter veias de betão.
É controlar o coração.
É mergulhar no pensamento sem pensar.
É sorrir
Mesmo desdentada.
É ser tudo
No meio do nada.
É ser força
Da natureza.
É haver sempre pão na mesa.
É lutar
Pelo perdido.
É vencer
O já vencido!
Mulher,
É um raio de sol
Que nos aquece a alma.
É ter paciência
Onde não há calma…
Mulher,
É uma estrela que brilha
Em qualquer momento da vida!
É ser capaz de curar, uma mente ferida!
Cândida Passos





 27-03-2018
“MUSA DOS MEUS CANSAÇOS”
Caminha ardente o sol p’lo horizonte
num entardecer de secura e quebranto
busca a aragem fresca de uma fonte…
Fonte d’água pura, de ti e do teu pranto.
Já o Outono ligeiro desliza pelo monte
gemado no tom de infinitos traços…
O cotovelo do rio acariciando a ponte,
Pátria Lusa, musa dos meus cansaços…
Com o reflexo perfeito do teu querer,
Prodígio de silêncio e de martírios …
Aproximas-te de mim e dás-me de beber
a água fresca e límpida dos meus delírios …
Nesta sede que se apaga de repente,
Eu sinto-me eternamente “Rainha Santa”
por entre a secura de tanta gente…
Um, beijo d’água fresca… me quebranta!
Saraiva Maria José




 26-03-2018
Ano Velho Ano Novo!
Ai ano findo que estás de partida
Vai, depressa não te arrependas, lá
Espero o ver o céu azul desta vida,
Esquecer o tormento que não voltará.
Ano Novo a chegar mas vem feliz,
Vem abençoar a terra de tanta dor
Nesta data linda que espero e quis,
Aquecer corações com todo o calor.
Que em todas as casas haja magia
Que em todos os Povos da Terra,
O Novo Ano chegue com a alegria,
Esperança que nos corações encerra
A todos os meus amigos queridos
Nesta data e época linda nos diz,
Magia, festas e sonhos vividos,
E para todos desejo um Ano Feliz!
Maria De Lurdes Cunha




 24-03-2018

Um dia aprendo a desligar me do mundo por segundos ou minutos .
Começo por tocar nas teclas que cessam os telemóveis prolongadamente e começo a entrar em delírio , ponderando as inúmeras chamadas que não vou ouvir . Suponho os acontecimentos que eventualmente não irão acontecer porque o mundo não deixa de girar quando os ecrãs se apagam. Desligo da tomada o aparelho telefónico de casa ... Fecho as portas as janelas ou parte numa aventura na natureza ... Levo comigo o meu “eu” e tento deixar adormecidos os outros eus que moram em mim ...
Tento esvaziar o pensamento com um aspirador de palavras e atitudes , operação morosa e dolorosa ... semelhante a um parto ... de ventosa no mínimo !
Por segundos e minutos entro num mundo de palavras e pensamentos que fluem ao sabor do tic tac das teclas ... afinal os aparelhos electrónicos podem ficar ligados ... existe um escape que escapa o pensamento , o magnífico poder da escrita . Enquanto aqui permaneço o mundo passa sem eu o sentir e sei que faço sentir o meu sentir com uma harmonia de sons que surgem do acaso dos casos da vida .
Sentei me reflectindo sobre um diálogo que ocorreu hoje : Antes vivíamos sem telemóveis ! Vivíamos e éramos mais livres ... tirando os benefícios deste meios ... somos controlados 24 horas diárias sem nos darmos conta . E neste momento , já viajei aqui sentada pelo desejo do silêncio e pelo sonho da escrita que adormece e acorda no sentir dos dias .
Um dia desligo os telemóveis ... não hoje porque podem precisar de mim !
Carla Félix



 23-03-2018
Tenho sede do tempo
De beber ar, do vento
De dançar descompassadamente ao relento
Alheia a qualquer julgamento
Tenho sede do teu sorriso
Desse sumptuoso paraíso
De pisar o improviso
Perder o juízo e dobrar o riso
Mas, se de quando em vez,
Nem tempo, nem sorriso me vês
E não adivinhas os porquês
Será porque talvez
Afinal tenho avidez do tempo
Quando deste lado fica cinzento
E do triste rosto sisudo
Quando do sorrir não faz uso
Rute Pio Lopes





 22-03-2018
QUERO GOZAR
Mais um ano vai acabar
Eu, sem saber para onde ir
Nem vontade para dançar
Fico triste com meu sentir
De braço ao peito com pena
Talvez o melhor será dormir
Como estou, faria triste cena
A alguém daria vontade de rir
Ficarei contente onde ficar
Terei alguém a pensar em mim
Bebam uns copos a festejar
Também ficarei feliz assim
O mundo não acaba amanhã
P'ra gozar terei outros dias
De Espinho até Campanhã
Para sentir grandes alegrias
Porto, terra forte em diversões
Que no comboio quero viajar
Beber uns copos e sentir emoções
No próximo ano que vai entrar.
Antonio Gonçalves



21-03-2018
" DERRAMO ROSAS... "
Neste rio... derramo rosas;
Vermelhas... como gostavas.
Vão nas pétala - ditosas -
As lágrimas, que tu me davas!
Cada uma... leva a lembrança;
Dum lindo sonho de amor.
Mas hoje desfaço a esp'rança,
Ao desfolhar cada flor.
E tu rio, para onde vais?
Fico à beira deste Cais,
A ver-te levá-las, nas águas.
Esmoreço, em cada uma.
Não tenho sorte nenhuma!
Afogo em ti... minhas mágoas!
Liska Azevedo 




20-03-2018 

DENTRO DESTA PALAVRA SAUDADE
Dentro desta palavra saudade
há um passado que me ficou perdido
e as verdades que s' aflorem sem pedido
revelem-se íntegras e sem vaidade!
Adentrou-se em mim o tempo
aquele que por graça a vida me deu
foi a vida que assim me trouxe e nele me perdeu
quem me deu de novo esta mudança...que lembro!
Haverá sempre uma lembrança
na tempestade e na bonança
que por bem dizer faça em mim o sol nascer
sem que eu tenha que nada dizer ou fazer!
Sei hoje o teu valor acrescido, talvez já fenecido
na fartura e no medo abeirados do degredo
rapidez sem rasto ou prova de que tenhas nascido
de uma aurora redentora, réstia d' amor em segredo!
E eu que já desisti dessa procura incessante
que empurrada pelo vento me trazia deambulante
sei que dentro de ti, ó saudade, há histórias
que acrescidas de pensamentos
longe de me darem tormentos
dentro de mim são agora pequenas memórias
desinquietadas por pelejas e vitórias
revestidas de singelas glórias!
Zita De Fátima Nogueira



 19-03-2018

PALAVRAS ROUBADAS…
Eu queria construir as bases dum poema
Que retratassem a luz que me ilumina a mente
Sem que as palavras chegassem a mais gente
Como que roubadas a uma alma que dá pena
Queria que não vissem um semblante carregado
Quando a expressão do meu sentir chegar à face
Para que a paixão da palavra nunca me trespasse
Como anúncio de morte de comboio desgovernado
Não me roubem as palavras que só tenho estas
Por mais que pense e tente limar arestas
O sangue que corre é quente e de espírito sagaz
O corpo treme e sinto-o à beira de explodir
A chama abre-me o caminho por onde não devo ir
Quero construir um poema mas hoje não sou capaz
Ângelo Gomes




17-03-2018 
SENTEI- ME AO PÉ DO RIO
Sentei-me ao pé do rio
haveria de ter um sopro de brisa
um respirar de cantiga
que me pudesse aliviar a cor dessa dor...
As mãos paralelas ao lado do corpo
o olhar fundo no fundo das águas
e o coração deserto
e uma resposta por dar...
Sentei-me ao pé do rio
deixei-me ficar
haveria de lançar um seixo
num saltitar de circulos transparentes
e o meu olhar quieto
e o meu pensar sózinho
haveriam de encontrar outro caminho
num embalar de poentes
noutro sopro a respirar
Sentei-me ao pé do rio
e fiquei-me lá para o escutar...
Susana Nunes.



16-03-2018
Poesia é vida lavrada em estrofes
De versos que brotam em terra alma arada
Em regos de rimas plantadas
Ou palavras semeadas a desmando
Poesia rega-se a lágrimas salgadas

No sufoco incómodo de má colheita
Poesia é jardim vivaz e multicor
Ornada a flores com pétalas de seda
A doce aroma de momentos felizes

Dispersos pelos canteiros do amor
Ler poesia é alimentar a alma
É tantas vezes o redescobrir
De recônditos recantos de nós
A vida é um poema!Poema-te!...
Celso Cordeiro




 15-03-2018
DESCOBRI O AMOR
Vejo nos teus olhos um mundo
Sinto bondade no teu coração
Vejo em ti um amor fecundo
Quero ler, intrepretar tua mão
Não me quero voltar a enganar
Meu coração é fraco no amor
Entrega-se completo deixa-se amar
Depois exausto sofre com a dor
Se ele fraco se voltar a entregar
Quer de ti uma entrega completa
Quero minha aura voltar a louvar
Uma vida feliz é a minha meta
Vou te dar toda a minha essência
Não me vou contentar com pouco
Quero de ti toda a tua existência
Senão serei considerado um louco
Mas eu também tenho a certeza
O sol desta vez me iluminou
Me mostrou toda a sua beleza
O destino agora não me enganou
José Silva


14-03-2018
ACREDITAR
Um furacão de pensamentos
Invadiu-me a consciência
Arrancou-a da brandura
E Infligiu-lhe a nostalgia
Como uma dor ou punição
Pela petulante postura
De lassidão compulsiva
Desajustada à data.
Porque não tenho eu força
Para este mundo mudar
Ou levá-lo para outro lugar
Onde tudo fosse diferente?
Porque não tenho um coração
Capaz de amar toda a gente
E alterar a inveja e o ódio
Numa afeição permanente?
No novo ano quero dar início
A uma construção de verdade
Colocar de lado as dificuldades
E crer nas minhas capacidades.
Se os outros foram competentes
Para grandiosas obras erguer
Não mais me verão lamentar
Porque irei sempre acreditar.
Agostinho Silva




13-03-2018 
E se a inspiração
Dentro de ti adormecer
Deixa-a estar
Quietinha no seu canto…
Não a perturbes
Não a julgues
Com precipitação…
Afinal, nem sempre o coração
Se quer abrir
E é preciso saber respeitar
A sua vontade!
Deixa o coração também dormir
Alimenta-o em silêncio
Mas não o desprezes
Nem o leves
Por caminhos que não são os seus…
Dá-lhe apenas tempo
Algum repouso e tranquilidade
Algum dia
Ele irá abrir em total liberdade
Oferecendo-te o que de melhor possuir:
Todos os sentimentos
Com os quais poderás construir
A tua própria essência!
Sabes… escrever não é uma ciência
Exata!
É preciso saber esperar
Saber parar ou avançar
De acordo com o momento.
Não tenhas pressa de soltar o pensamento
Deixa-o crescer dentro de ti
Depois, sim
Liberta-o e dá-lhe asas para percorrer o teu mundo!
Clara Lopes 


 12-03-2018

2015....
Um ano em que chorei....
Resmunguei. ...
Sorri....
Dei gargalhadas. ..
Até internada fui... minha parceira já à seis anos pregou uma partida
Sofri bastante. ...
Arrependimento nunca...
Aconteceu, aguentei, passei, mas cheguei ao fim...
Pois 2015, assim fez o caminho para eu caminhar...
Falta pouco para o novo ano...
Ansiosa por saber o que me preparou. ...
Mas estarei cá para de novo arrancar. ...
Não peço mais ou menos. ...
Só peço saúde, trabalho e dinheiro. ..
E tudo mais será por acréscimo. ...
Amor, amizade, carinho não é pedido. ..
É conquistado naturalmente ...
Sem artimanhas e vícios. ...
Em 2016, quero ser o que sou à 45 anos....
Paula....Paulinha...
O mesmo vos desejo amigos ....
Sejam físicos ou virtuais. ...
Resumindo. ....sejam felizes. ....
Haja alegria em cada um dos vossos dias.....
Paula Oliveira





10-03-2018 
ESTADO DE ESPIRITO
Hoje estou como o tempo
Não há sol, só chuva e vento
O que é proprio desta estação,
Sou como poço vazio
Onde ecoa o assobio
Da minha imaginação.
Está o vento assobiando
Pela freschas vai entrando
Na janela da minha alma.
Paro e fico a pensar
O que se estará a passar
No fundo tanta calma.
Tenho um pressentimento
Que voo como o vento
Abanando com o arvoredo,
Sinto angustia sinto mágoa
Sou como riacho de pouca água
Que aos poucos se perde em segredo.
O segredo de quem percorre
E sabe que um dia morre
No encontro com o mar,
É este o meu alento
Ser veloz como o vento
Sem parar para pensar.
E lá ir continuando
Como pescador remando
Embalado pelas marés,
Sentido o mar a bater
Nas tabuas do barco e dizer
Afinal quem tu és.
Sou apenas algo no tempo
Remando a contratempo
Nos meus sonhos e pensamentos,
Sou fumaça que se esvai
Ou como folha que cai
Nas brumas dos meus tormentos...
Jose Duarte Soares


 09-03-2018

Agora chovendo
Meu quintal vai gostar
Fim de um dia laborioso
Uma chuva para regar
Quero um quintal vaidoso
Só se ouve lamentos
A terra não tem culpa
Devemos estar atentos
Cultivando a cultura
Também somos culpados
Por de lado acusações
Com que é que estamos cansados
São tantas as questões
Ensinam-te caminhos
Não estão certos
São apenas labirintos
Terminando em desertos
As águas subiram
Só sobreviveram alguns
De novo construíram
Só um povo comum
Agora é treta
Santanas vade rétro
Quero ir para o céu
Não está nada correto
Caminhando sem luz
Sem olhar para trás
A nada conduz
Desiste não vás
Neste mundo sem rumo
Subsiste a ilusão
Perdidos no consumo
Não bate coração
Outros virão
Na terra acolhedora
Libera-te da servidão
Capitalismo esmagador
Serafim De Sousa Almeida



08-03-2018 
Palavras de Amor
Ecos de juras de amor
Esbatidos nas folhas caídas
De um Outono da vida
Outrora palavras cor de primavera
Hoje não passam de uma miragem
Lívidas giestas corações gelados
Saudades de um tempo uno
Alado no Ser, duas Almas unidas
Pretérito imperfeito, de um amor-perfeito
Verbo, amar
Eu amo, tu amas
Até que a morte nos separe
Viajo no tempo
Revejo sorrisos
Duas mãos unidas
Num templo sagrado
Amor eterno, mitificação de um sonho
Perdido num castelo de ilusões
Sentimentos afogados
Num mar de sargaços
O que hoje é verdade
Amanhã não passa de quimeras
Depois disto tudo…
Voltaremos a sonhar?
Jorge Ferreira



 07-03-2018
O MEU LEGADO
Pensando alto,
só agora concluí que não sou original,
pois não surgi do nada,
não apareci, por artes mágicas,
do vazio ou do éter,
e nem sequer o pecado do começo foi inédito.
Existo por opção alheia e ilusória,
não fui ouvido nem achado e,
muito menos,
criado a partir de um meu desejo.
Sou apenas o produto da ínfima probabilidade
de um projeto de vida aleatório.
Ainda assim,
repiso vivências sentidas,
digo ideias antes ditas com palavras repetidas,
porventura mal pensadas,
e quero de um modo já velho
como Adão queria Eva.
A minha memória genética
encerra lendas vivas,
reminiscências mais ou menos sonolentas
e outras quase mortas,
nos neurónios que andam distraídos
com lengalengas futuristas.
No parágrafo da minha existência,
pareço um amontoado
de palavras despejadas de uma página,
e serei,
na melhor das hipóteses,
um dador de histórias futuras
após o desenlace da última linha.
Mas não quero ir já embora.
Se não posso falar, eu penso, eu escrevo
[o meu abrigo é o agora],
para que o meu legado conste
nos projetos de vida aleatórios seguintes,
até que as lendas morram
e não marquem os pecados dos seus genes.
Jaime Portela 


 06-03-2018
Loriga já não tem luzes mortiças
olhando vultos de quem chega
do Covão de areias movediças
e que de nada ver quase cega.
Loriga já não tem luzes de nevoeiro
neutras da visão de quem passa
apagou-se a chama do candeeiro
agora são brilhantes e com graça.
Loriga já não tem luzes mortiças
Loriga já não tem luzes de nevoeiro
Loriga terá sempre serras maciças
Loriga é Dezembro, amanhã Janeiro.
Jose Cacapo



05-03-2018 
Cai a neve nas montanhas
E o Sol em jeito de breu
Vai saíndo das entranhas
Do espaço, vindo do Ceu.
O vento lembra o passado
Que se sente e não se vê
D`alguem que esteve a meu lado
lembro bem, e sei porquê.
O lume traz a lembrança
Do calor que a gente sente
De quando era criança
E toda a familia presente.
É Natal tempo festivo
Nasce o menino da esperança
É um refugio, e um abrigo
De uma fé, feita criança.
Um Natal feito de esperas
De chegadas e de ausencias
Que tal como as primaveras
São marcadores de existencias.
É Natal, passa depressa
Corre corre vida fora
Vida que vai, não regressa
E outro ano, não demora.
É Natal passa depressa
Hermínio Mendes


03-03-2018 
VISÃO DE UM ANJO
Surges assim: envolta em níveo manto
jorra de ti a luz que me deslumbra
áureo espaço, rompes-me a penumbra
tocas-me o coração com teu encanto!
És minha musa, bela esfinge erguida
és momento, magia, como um sonho!
és toda a poesia que componho,
para ti ,minha deusa aparecida!
Abres teus braços: como uma flor
repartes do teu pólen o mel
cinges meu corpo como doce anel
tocas meu peito com o teu amor
transportas-me a ti em pensamento
inundas o meu ser com teu alento!
Adelino Pais




 02-03-2018
Tempo
Tempo ou contratempo
Vai e vem num momento
Quanto nele encerra,
A memória destempera.
Nas voltas que o tempo dá
Mudam-se vontades
Dos tempos que já lá vão
Sabem a mudança…
De tempos-em-tempos,
Trazem tempos
Desconformes
Nas formas temporais,
Tempos em que jamais,
Os tempos se encontram.
Nesses momentos
Lembranças de outros
Tempos…
Tempo em que tudo
Tem tempo
Nem que para isso
O tempo tenha a hora,
Do que julgas sem demora,
Ter tempo para mudar,
Onde todo o tempo
Vai lembrar,
As horas que vão passar.
Em cada minuto da hora
Fica na memória
O tempo que sem demora
Se quer lembrar…
Tempo que o tempo tem
Na orla das histórias
Construídas pelo tempo
Registadas no momento.
No tempo p’la vida fora,
Nesse tempo
Tem o momento
Em que o tempo se demora.
O vento nos segreda
No tempo que se espera,
Diz-nos que o tempo
Nos traz incertezas…
Que o tempo
Não tem singelezas…
Ana Matias




01-03-2018
I N V E R N O "
Inverno !!!...
O vento ruge...cai a neve...o frio impera ...
A Natureza , com tristeza vai olhando ;
As lágrimas, que de chuva está alagando ,
Os campos...a renascer na Primavera !!!...
Inverno !!!...
Tormentas...ciclones...temporais...
Trovoadas...tornados...inundações !!!...
Desgraças...sofrimentos..furacões...
A morte...a dor...a miséria e muito mais ...
Inverno !!!...
O rosto das nuvens é carregado ;
Qual manto negro no firmamento ...
Correndo veloz , tal como o vento ;
Corsel indomável...desenfreado !!!...
Inverno !!!...
As outras três estações foram vividas ,
E delas ficaram marcas indeléveis ...
Umas mais profundas...outras mais leves ;
Guardadas e relembradas...jamais esquecidas !!!...
Antonio Claudio



 28-02-2018
HOJE BATEU-ME A SAUDADE
Hoje bateu-me a saudade
Dessa minha mocidade,
Nessa época em que vivi,
Recordações me deixaram
Tantas delas que passaram,
Tão depressa, nem senti.
Recordações da infância
Vejo-as agora à distância,
Desses tempos de menino,
Desse viver encantado
Sonhando eu acordado,
Magicando meu destino.
Nessa bela juventude
Em que pensava amiúde,
Em que me transformaria,
Estava longe de imaginar
Que tanto viria a amar,
A linda e bela poesia.
Aquilo que fui e que sou,
Foi a vida que moldou
Com o decorrer dos anos,
Agora para trás olhando
Dei comigo recordando,
O falhar de alguns planos.
Mas a vida é mesmo assim
E não é só para mim,
A todos deixa saudades,
De tudo o que se viveu,
Que já não volta, morreu,
São duras realidades.
Restam-me as recordações,
Das boas e más lições,
Que a vida me foi dando,
Tudo o que fui fazendo
De pouco me arrependo,
E agora estou, relembrando.
António Henriques



 27-02-2018
Fascínio
Não sei de onde me vem este fascínio
Que sinto pelo tempo do passado!
Fui princesa?! Ou fada eu terei sido?!
Ou será minha mente num delírio?!
O futuro! Essa incógnita... esse mistério!
Tanto me atrai ! E me faz viver, sonhando!
Entro nele...mundo iluminado!
Sonho-o...vejo-o como um idílio.
Fascínio! ...do passado que me encanta,
De memórias que eu tento recordar
Porque o tempo , não esqueceu de girar.
Futuro! ...desse tempo ando faminta!
O meu tempo de "ser," veio correndo...
Antes do tempo !... E foge, voando.
Sara Mota



 
26-02-2018
Uma nova madrugada
que venham pássaros
de asas multicolores
numa dança
louca
de Esperança…
que o beijo seja Poesia
no meu corpo
enamorado
desabrochando
para amar…
que cresçam árvores de Luz
com folhas
de Paz
voando pelos confins
da Terra inteira…
que as mãos se abram
para as Estrelas
que nasçam abraços
onde houver lágrimas
e um sorriso
seja o despontar
de uma nova madrugada…
Ana Cristina Macieira
    

 24-02-2018
Queria fazer-te um poema”
Peguei na caneta para fazer um poema
mas a caneta não conseguiu deslizar,
parou, encostou, chorou e reprimiu...
me confessou tristonha; não consigo falar…
Transmitir ao papel as mágoas, as incertezas
pela escrita que espelha a verdade da mente,
voltou a dizer baixinho,
estou triste, estou sonolenta,
preciso de um aconchego, preciso de um carinho,
para escrever aquilo que tu sentes…
Irritada com ela, a pus na secretária
uma gota de água deslizou-lhe de mansinho…
estava apavorada, por se sentir vazia…
e a tremer, tremente, porque sentia frio…
Sorriu de repente, aconchegou-se a mim
pediu me pesarosa para lhe dar a mão,
perdoa, eu hoje estou sem pensamento algum
não consigo transpor o que te vai no coração….
Emudeci por longos minutos,
suspensa no vácuo, perdida em mim,
perdida em sentimentos, esvaziada em ideais…
queria fazer te um poema,
queria que tu lesses esse meu poema
tão magoado,
que ficou sem emoção, que ficou multiplicado
em partículas desfeitas pelos vendavais…
Apenas sinto, neste desequilíbrio solitário…
que lendo e relendo aquilo que escrevi,
esta caneta, que versos imensos te têm escrito
hoje chorosa, recusou-se a escrever para ti…
Fanny Mota





23-02-2018

CHEGA DE NOITES BRANCAS E VAZIAS-CCXX
Chega de tristeza.
Noites em branco
Chega de espanto e desencanto.
Chega de lágrimas escondidas no canto
Chega de almas amarguradas
Sentindo-se impuras e culpadas.
Venham vidas adocicadas
Encantos, sorrisos abertos e precisos
Que termine o sofrimento numa bolinha de azevinho
Que se desencrave no tempo o tal encravado espinho
Que se alivie todo o mal
Que se acredite em deus
Na essência da vida
Na ressurreição
No amor permanente de um puro coração.
Num pecado venial
Numa breve despedida,
No grito gatafunhado de um poema
Que ressuscite a esperança.
Que se acredite na mudança.
Que tenhamos firmeza.
Fortaleza
Até um pouco de rudeza
Que sare o intrépido tremor.
Que se reze com mais fervor,
Que se entupam nossos ouvidos com melodias de amor.
Que venham inundações de louvor calor e vigor.
Que possamos acreditar definitivamente no amor.
Esquecer todo o mal porque hoje e todos os dias…
Deveria ser NATAL
Maria Da Conceição Marques
 



21-02-2018 
Noite Serena
Saiam estrelas do Céu voando ...
iluminando a noite do nosso Mundo
Tocando de esperança o coração
De todos o homens de sono profundo !
E assim tirar angustias da Noite
Que vindo o dia pesam no Mundo !
É meu pensamento
que a noite
seja de sonhos
serenos !
Só com serenidade
é que descobriremos
em nós a fonte
do conhecimento !
Para obter a felicidade
Que tudo abarca
Amor ,paz ,liberdade
Depois de descoberta
em boa verdade
Essa fonte
nunca mais seca !
"Amar é agora "
Mario Sampaio


 20-02-2018
METANAMORFOSE
Um dia, de dia, estive só, submerso em mim
Preenchi-me, submerso, sonhava em respirar.
Um dia, esse dia, submerso, chegou ao fim
Pensei, basta... suspirei, sem rumo sai, ao ar.
Nessa noite, de noite, estava só, sem mim
Ao lado, um sinal, em frente, vinho, no copo
Nervoso, atrevi-me... ao lado, não estava só,
Arrisquei, basta, sorri, em mim, era pouco
À tona fiquei, à deriva, cheio de mim, sem dó.
Perdido, continuei, mas, não estava sozinho
Amanheceu, sem dar conta, aconteceu, nada fiz,
Emergi, sonhei, sem dormir, e sai, de fininho
Acordei, de dia, submerso, em nós... feliz!
Joaquim Jorge Costa




 19-02-2018
DESCOBRI O AMOR
Vejo nos teus olhos um mundo
Sinto bondade no teu coração
Vejo em ti um amor fecundo
Quero ler, intrepretar tua mão
Não me quero voltar a enganar
Meu coração é fraco no amor
Entrega-se completo deixa-se amar
Depois exausto sofre com a dor
Se ele fraco se voltar a entregar
Quer de ti uma entrega completa
Quero minha aura voltar a louvar
Uma vida feliz é a minha meta
Vou te dar toda a minha essência
Não me vou contentar com pouco
Quero de ti toda a tua existência
Senão serei considerado um louco
Mas eu também tenho a certeza
O sol desta vez me iluminou
Me mostrou toda a sua beleza
O destino agora não me enganou
José Silva




17-02-2018
SENTEI- ME AO PÉ DO RIO
Sentei-me ao pé do rio
haveria de ter um sopro de brisa
um respirar de cantiga
que me pudesse aliviar a cor dessa dor...
As mãos paralelas ao lado do corpo
o olhar fundo no fundo das águas
e o coração deserto
e uma resposta por dar...
Sentei-me ao pé do rio
deixei-me ficar
haveria de lançar um seixo
num saltitar de circulos transparentes
e o meu olhar quieto
e o meu pensar sózinho
haveriam de encontrar outro caminho
num embalar de poentes
noutro sopro a respirar
Sentei-me ao pé do rio
e fiquei-me lá para o escutar...
Susana Nunes 


16-02-2018 
Quero-te
no sustenido de mim ...
em canto
grave
ou
agudo
no amor ...
quero tocar-te ...
continuamente ...
em solo
dos meus dedos ...
mas
o querer
ter-te
no tacto
do sonoro
em cordas
do sentir
e não
te ter ...
no contacto
vibrante
entre mãos ...
agarrada
no colo
tocando-te ...
em várias árias ...
mas
entretanto
fico
na
espera
dos solos
baixos
no meu corpo ...
que
aquecem
nos altos
do desejo
sustidos
à capela...
pelo meio
de ti ...
que faz
silêncio
na melodia
do completo
de mim...
pautado ...
sentindo-te
em compasso
de
duo musical ...
existente
na
vontade
de
querer
tocar-te
num todo ritmo
de mim ...
sustenido
no quero-te ...
Jaca T. Guto


  15-02-2018
 Palavras soltas de Mim
Pensa-me,
num só momento...
Guarda-me no teu pensamento.
Olha-me,
num só momento...
Guarda-me no teu olhar.
Deixa-me ser,
Deixa-me amar...
Deixa-me amar o que foi e o que é,
Deixa-me continuar a sonhar...
Deixa-me ser a fragância do teu respirar,
Deixa-me erguer as mãos a Deus e acreditar.
Deixa-me pensar,
que o Mundo é profício...
Mundo,
terra céu e mar...
Terra firme, bola redonda, perseverante
Céu infinito, infindável, bendito...
Mar imenso pélago na profundidade
Mundo tão constante.
Vida...
Penso-te no infinito.
Florinda Dias

 




14-02-2018 
Meu grande amor!
O que sempre quis da vida sempre foi ter uma estrela,
Apenas uma única estrela que brilhasse só para mim,
O teu amor me ofereceu isso
Encontrei dentro deste ser celestial
O que precisava para me manter viva
Nunca pensei encontrar nesta vida um amor igual ao teu
Fecho os olhos e tua imagem aparece
Sem que me perceba minha face alegrasse
Mas quando
Tu não apareces
Uma lágrima cai sem motivo aparente
Meu coração fala por mim
Meu corpo precisa do teu
Meu Amor
Tem um aroma indecifrável
um sabor inigualável
A sensação que causa em mim é incomparável
E tento expressar cada vez mais este sentimento
Porque quero que saibas que preciso muito de ti
Amo-te com todas as minhas forças
Fomos talvez à outra passagem
Namorados, casados, amantes talvez
Mas sei que tu
de alguma forma
Sempre estiveste presente na minha vida
Fomos separados pelo tempo
Mas nesta vida juntamos nossas metades
E só Deus pode nos separar
Sonia Pinto


13-02-2018

MADRUGADA FRIA
De prantos e luzes me cubro
Nesta madrugada fria
Enquanto um vento vadio
Sopra e ruge no vazio.
A noite e a escuridão
Não querem de mim se afastar
O tempo adormeceu
E a manhã tarda em chegar.
Meus sonhos, por companhia
E esta solidão atroz
Envolvem-me em agonia
E tentam calar-me a voz!
Soluça a alma em surdina
Bate o coração veloz;
Sinto-me tão pequenina...
Quero esse tempo de volta,
O tempo em que éramos... Nós!
Aida Marques 


12-02-2018 

A música fala-me,
com a voz da Natureza,
entendo cada palavra,
vejo a sua beleza.
Se há certeza que tenho,
é que tudo é melodia,
basta escutar o silêncio,
p'ra sentir sua magia.
É como bela poesia,
escrita no vento que passa,
hino à pura alegria,
cantado com toda a graça.
Não há nada que me faça,
elevar em união,
tão alto como a poesia,
música do coração.
Diogo Silva


10-02-2018 
“Sem ti”
Sem ti
Sem ti sou lua sem brilho
sou sol com frio,
uma nuvem escura sem chuva.
sou vento sem tempestade,
sou no teu coração saudade.
Sem ti sou pássaro na gaiola
sou árvore sem folhas,
sou flor sem pétalas,
sou nua vestida de nada.
Sem ti não sei amar,
sou sono sem sonhar,
sou barulho no silêncio.
Sem ti ...
sou apenas metade de mim.
Mónica Dias


09-02-2018
O CÉU DA MINHA BOCA...
Interrogo este dia como sendo de inverno...
O primeiro...
Porque é frio, e soalheiro por inteiro?
Se o céu transpira azul, e o mar subterrâneo
Se adorna de corais...
Porque se consome a minha boca
Pelo néctar emanado do teu corpo
Como chuva de cristais?
Interrogo as formas, os sons e as palavras
Mais o olhar ingénuo da lua....
Porque o meu se traveste de criança
Quando à tardinha. ..
Eu sou tua?
Cada verso que transpira no meu rosto
É um poema
Que tatuo no teu corpo
Como se fora de Pitágoras. ..teorema!
Interrogo o teu beijo porque deixa a saliva
Expessa e sinuosa...no céu
Da minha boca!?
Interrogo a floração súbita do êxtase
No tangível ao ilegível, da linha paralela
Ao meu imaginário..
Porque me assola a música da folhagem
Em rumor denso do fogo que na hora
Me consome?
Interrogo os sons e as tempestades
As torrentes d'horizontes, mais as enchentes
Das sombras descobertas..
Porque é a minha boca trémula e entreaberta
Pela ânsia que o discurso descompassa
No chão transfigurado os teus passos?
No meu sitio sitiado...Interrogo somente este dia
Como sendo de inverno..... o primeiro!!!!
...............
Natália Pais Dinis 


08-02-2018 
“MEIGA MULHER”
Agora que nos adstringimos neste silêncio,
Agora que nos procuramos
decifrar neste amor,
tendo viajar na luz do seu olhar
espiando nas frestas
do seu coração
os anseios perdidos
na minha alma,
Agora que sinto seus braços
vergados nos meus ombros,
sua respiração em minha boca
deliciando o mel dos seus beijos,
procuro me entreter
na pacividade
das suas carícias
e dormir no seu colo
e libertar o cansaço
dos meus prazeres,
Agora que desatas
os botões da minha camisa
despindo-me o corpo loucamente,
murmurando nos
meus ouvidos frases curtas
que fazem fumegar a ternura,
quero sentir-te meiga
mulher dos meus sonhos,
quero embriagar-te
com vinho dos meus desejos
e ver-te sufocada
na sentença
dos meus beijos.
Ngunza Domingos Alberto


 07-02-2018
DECLARO-ME
Se me declaro, neste olhar!
Longínquo...que sobe até ao céu...
Dias há que não sei quem sou
E estremeço.
O olhar é vazio nem parece meu.
O pensamento é claro e presente
E o coração também.
No desespero é urgente.
Saber porque a passagem
Por esta vida é tão breve
E por alguns tão sofrida
Há vidas revoltadas e estranhas.
Perco-me nesta folhagem
Sou mais uma no meio delas.
Neste outono morno e dourado
A pele perde a cor de canela
Vem mais um dia e envelheço
Olho-me e não me conheço
Faço a minha passagem
Neste estar
E há dias tristes e esmoreço..
Lúcia Saraiva



 06-02-2018
O SONHO

Neste dia que vai findando,
e lentamente vai desfiando as horas
do fim de mais um ano,
eu vou plantando um sonho,
um sonho que quero sonhar,
desejo muito que ele cresça,
que realmente floresça,
e que o possa abraçar...
Plantei uma ilusão,
uma fantasia pois então,
para alegrar o coração!
Socorri a mim mesma,
reformando meu pequeno jardim,
aquele que andava esquecido,
lá no fundo dentro de mim...
Pensava abandoná-lo,
por já estar a murchar,
não dar flores,
mas plantei o meu sonho nele,
e vejo lá já desabrochar beleza
despontar folhas com firmeza
pequenas rosas ainda em botão...
E vou regar com cuidado e amor o meu sonho,
tirar as ervas daninhas,
que o possam sufocar,
vou tratar o sonho muito bem,
para que venha a dar flor,
no novo ano que aí vem!
Adelina Santos



05-02-2018 
 O MEU ABRAÇO.
Passou a hora passou o dia,
Muito tempo eu já vi passar
Aquele abraço que eu queria,
Muito tarda não quer chegar.
Nesta ânsia em que eu estou
Pela incerteza que eu passo,
Sem saber se um dia te dou
O meu tão desejado abraço,
Se essa hora um dia chegar,
Esteja eu morto de cansaço,
Arranjarei a força para te dar,
Meu beijo e saudoso abraço,
É o desejo do meu coração,
E passe o tempo que passar,
Serei feliz na minha paixão,
Se um dia te volto a abraçar
Se por acaso tal dia houver,
Sem ver em ti outra paixão,
Deixa-me abraçar:-te mulher
No meu abraço de gratidão,
António Martins



03-02-2018
 Morango do meu Quintal
O morango do meu quintal
Acabado agora de colher
Tem um gostinho especial
Mesmo antes de o comer.
É bem regado e adubado
Com um alimento natural
É sem pesticidas tratado
À saúde não me faz mal.
Nos dias que faz mais calor
É quando tem melhor sabor
Tem um requintado paladar
Se logo pela manhã colhido
E bem fresquinho consumido
É como os teus lábios beijar!
Abílio Aires

 

31-01-2018 
MENINOS DE NINGUÉM
Os meninos de ninguém vieram, com
os seus rostos tristes e sofridos olhar
o mundo, dirigido pela falta de afectos
da humanidade...
Meninos de ninguém que o mundo rejeitou,
sem amor de pai ou de mãe...Meninos tristes,
de rosto sujo e olhar vazio, trazem consigo
os dias do esquecimento num mundo de
sofrimento...São indiferentes ao mal e ao bem...
são seres únicos...São os meninos de ninguém!
Mary Horta



30-01-2018 
HOJE, CHEGUEI AO CAIS!
Hoje, cheguei ao cais…
Sem nada que não fosse meu
com tudo o que Deus me deu!
Cheguei ao meu porto de abrigo
à espera de estar contigo
e que Tu estivesses comigo!
Hoje, cheguei ao cais…
Despido de adereços e querer
para nas tuas águas morrer
e renascer nas tuas águas de sal
que me libertam de todo mal
com a profundidade do ser!
Hoje, cheguei ao cais…
Contemplei a imensidão da Tua beleza
A saia ondulada azul-turquesa
bordada de espuma branca e realeza!
Sabias a mar…
Um mar que só sei amar!
Hoje, cheguei ao cais…
para ouvir a sereia cantar!
Entre a serenidade e vendavais
fazias nas rochas festivais
serenatas de encantar
para quem te sentia vibrar!
Hoje, cheguei ao cais…
Para, em mim, sentir teus sinais!
Senti!... Eram reais!
Sabias a mar…
Sabias me amar!...
Sempre estiveste no meu cais!
João Bettencourt


29-01-2018 

ESCUTAR…
Escutar a voz de alguém de quem se gosta como amigo, é reconfortante...
Perceber a voz de alguém por quem se tem carinho e ternura, é aprazível...
Agora ouvir a voz de alguém que se ama e a quem muito se quer, é afrodisíaco, é o cúmulo do desejo, é o expoente máximo da cobiça, é o zénite da ambição...
Foi isto que eu hoje senti quando ouvi a tua voz, linda, maviosa, quase de adolescente apaixonada, com aquele timbre perfeito que eu, embora não esperando, entendi ser de quem era, donde vinha, e quem podia estar do outro lado…Que delícia, que prazer imenso, que loucura, perceber a voz de alguém que está longe, de quem não se espera, mas que, quando se ouve, quase corta a respiração, tal o desejo que se tem desse alguém…
Obrigado meu amor, meu anjo, minha diva, por quem em sonhos me perco e realizo…
O prazer que hoje me deste, só por si encheu meu dia de luz, de cor, de alegria e de desejo, por tanto amor por ti sentir…Beijos… mil beijos em tuas mãos, em tua boca e em teu corpo de mulher…
Antonio Bernardo


 27-01-2018
MÃE
Um Ser maravilhoso, pleno de amor, bondade, humildade e uma coragem e determinação sem igual perante as adversidades.
É, e será sempre, uma das minhas maiores referências de vida.
Sinto-me verdadeiramente abençoado por isso e espero ainda poder partilhar da sua presença pelo maior espaço de tempo possível.
As palavras para descrever sabem sempre a pouco, mas fica um pouco do meu sentimento:
Mãe,
As tuas mãos semeiam a paz, destroem ervas daninhas
Acolhem e afagam a semente que nasce
Matam a fome à sede de viver.
Os teus braços-ramos fornecerão sempre sombra protectora
Num corpo para sempre grávido de belo sentimento.
Guardas em ti a eternidade, o infinito
No teu sonho realizado dás vida a este mundo.
Mãe,
Tu dás um novo nome à esperança!
Antero Jeronimo



26-01-2018
Ter tempo
É tempo de parar
Para a vida saborear!
É tempo de chegar e partir.
É tempo de falar e saber ouvir.
É tempo de um bom livro ler
E as minhas memórias escrever.
É tempo de ver e perceber,
Pensar e refletir!
É tempo de dar e receber
Novas amizades fazer!
É tempo de rir com os meus netos
E vê-los crescer!
É tempo de escutar...
Os silêncios da noite
E um novo sol nascente...
Ver romper!
É tempo de viajar
E o mundo conhecer!
É tempo de ter tempo...
Para poder ... Viver!!!
Maria Goncalves 


25-01-2018 
Os olhos de uma Janela
Aqui nesta janela
virada para o mundo
São os olhos sempre atentos
observando tudo ao segundo
São janelas que lá do alto
miram paisagens cheias de encanto
mares lindos, planícies e planaltos
lindos campos onde aves efetuam seu lindo canto
São janelas que se riem
pela algazarra das crianças
Que em plena rua se divertem
imaginando suas fantasias
na ingenuidade de sua inocência
vivem seu mundo de magia
São janelas que se entristecem
numa desumanidade que partilham
pois em nada enaltecem
pelas desgraças que avizinham
Testemunham mau agoiro
de gentes aflitas ao abandono
sem recanto, sem poiso e sem coiro
São janelas que choram
como todos nós choramos
São janelas do teu sentimento
porque para elas também nós cá estamos
Anselmo Watamen



24-01-2018 
MEU ENCANTO!
Conheci-te...Logo te beijei
Teu olhar me seduziu
Ao teu encanto me entreguei
Do meu coração jamais saiu.
Amei-te com delicadeza
De quem segura nas mãos, o seu próprio coração
Amar-te hei até a eternidade com certeza
Vou cumprir minha missão.
A vida nos propõe caminhos, por vezes separados
Sem saber qual o que seguir
São tantos já os tracejados
Sem saber para onde ir.
As incertezas nos cercam
Tomando conta das nossa ansiedades
Teu ser, olhar teu sorriso me encantam
Não são mentiras são verdades.
Por mim serás sempre lembrado
Um segredo escondido
Um plano a ser traçado
Um sonho para ser vivido.
Foi naquele lugar
Que meu corpo em declínio latia
Com tanto amor para te dar
Sabendo bem o que fazia
Tu és o sol que me aquece
Mesmo em mundos diferentes entretanto
Teu amor meu coração alma não esquece
A natureza será a testemunha que és: MEU ENCANTO!!
Carmen Bettencourt 


23-01-2018 
Atrás da esquina
espreita
o silêncio envergonhado
dissimulado
num faz de conta.
Não se vê
não lhe dá jeito ver
...a penumbra
no olhar destas crianças
a escuridão nas ruas claras
onde vagueiam, famintas.
Esses fixos olhares
miram o horizonte sombrio
sonhos devastados
leem o futuro
como quem lê
uma negra história.
Por elas...
O que eu fiz?
O que tu fizeste?
Que mundo lhes deixaremos?
Lembre-se,
Serão os homens de amanhã.
Zeze Lopes


22-01-2018
__Ao __
S onhar eu sinto leveza da alma
O lho sem medo do futuro
N unca imaginei viver o que neste ano vivi
H abituei-me a ser assim
O lhando vendo e aprendendo
S ei que vou lutar vencer.
R umo vou ao ano 2015
E u vou andando sem medo
A mando e sonhando
L utando pelos meus ideais
I maginando e criando sempre
Z elo pelo bem estar de todos
A mando tudo o que faço
D ons que amo de coração
O lho e que vejo tudo com amor
S ou feliz estou viva e amo o que faço.
__Que__
O ano que está a chegar
seja como o que está a terminar
com paz, saúde e amor
e a família toda unida
vivendo o ano todos juntos
com saúde e amor no coração.
Mila Lopes



20-01-2018
Um Castro Laboreiro…
Certo dia
Minha mulher
Chegou a casa
Com um Castro Laboreiro
Que lhe tinha sido oferecido
Por uma colega de trabalho
Passados dias
Grandes alegrias
E grandes tristezas
Era um espectáculo
Na sua rebeldia
E eu só me ria
Pois o cachorro
Dava cabo de tudo
E eu mudo
Nada dizia
Minha mulher
Sempre a tirar-lhe da boca
Roupa e outros apetrechos
A ficar apanhada, um pouco louca
Em alguns trechos
Não o aguentou muito tempo
Acabou por o dar a outra pessoa
Que coisa boa
Vivíamos num apartamento
Não havia espaço para o ter
E ele a todo o momento
Tirava-nos todo o prazer
Mas gostei de o ter
Porque o cão era stressado
E me dava um tal prazer
Vê-lo a derreter até o calçado
No decurso da minha vida
Já tive vários cães
Mas ela nunca foi tão sentida
Como com este que era demais
Armindo Loureiro 


19-01-2018 
.QUE FICARÁ DE TI.....
quando fores?
A saudade do corpo que amei
e nele ter construído o sonho do prazer,
no toque da boca e das mãos........
a falta que a tua mente me fará
no arremesso das palavras carregadas de paixão,
entre conflitos que rasgaram as mágoas
e abriram estradas de alegrias em risos .......
ou a lembrança das iras inúteis do ciúme
que faziam estremecer o sono da noite ?
O quanto ficará de ti, não sei.....
mas o que ficará.......será amor em saudade !
Carlos Lacerda


18-01-2018
O Espirito
O espirito é o trabalho da inteligência
E da alma única razão para
Aprofundá-lo uma ciência
Conhecimento completo poucos vêm a ter
A unificação do espirito é a poucos acessível
A alma deve ser pura para se inflamar
Com todo o conhecimento possível
Que o impuro tenta manipular
O corpo morre o espirito não
Vive eternamente mil anos
Se for puros seus traços retomarão
Deus devolve o que conservou dos humanos
Florimundo Carvalho


 17-01-2018
NUM LINDO DIA DE SOL
Num lindo dia de sol
Fartei-me de trabalhar.
Estendi o meu lençol,
Vi passar um caracol
No seu lento caminhar.
Lá ia… devagarinho…
E eu a vê-lo passar.
Continuou no caminho
E o meu lençol de linho
No estendal a secar.
Fiquei cheia d´alegria
Só por ver o caracol...!
Tão devagar ele ia,
Que eu ganhei energia
E retirei o lençol...!
Na cama o fui colocar
Para de noite ir dormir
E no linho m´embrulhar,
Para depois eu sonhar
E acordar a sorrir.
Enrolada no lençol
Dormi pela madrugada.
De manhã havia sol.
O pequeno caracol...
Estava na minha almofada...!
O caracol... apareceu (!)
Como veio para a cama?
Onde foi que s´escondeu?
Queria um carinho meu...?
Meu caracol… ganhou fama...!
Agora estou descansada
Dormindo no meu lençol
De caracol na almofada!
Durmo pela madrugada
E acordo com o sol...!
Aida Dinis Sampaio


16-01-2018

" BREVES PALAVRAS! MÃE"
Mãe!
Palavra pequena...
Quem, não a sabe escrever!
Palavra
Mãe!
Breve ,serei minha mãe...
Mãe!
Sempre cheia de luz
Assim o caminho
De um filho
Conduz...
Mãe!
Me ignoras...sem justificação...alguma.
Como chora
Este meu coração
Sabes? mãe...
Sinto a tua breve partida
Eu! queria fazer parte da tua vida!
Mas será ? não haverá outra saída...
Fica na minha memória
O teu cabelo parecendo neve
A tua pele macia e corada, ficando enrugada.
Quando meus lábios
Te beijavam
Parecia veludo
Como as pétalas de uma papoila...
Tantas vezes te disse que te amava.
A minha alma limpa
Após a última conversa
Nossa!
Sei que andas nas despedidas
Não me esqueço... daquele dia.. .foste fria e distante.
Onde te conheço desde a minha infância...
Continuo
Contigo
Mãe!
Serás sempre eterna
Mãe!
Estive sempre
Permanente nas tuas aflições...
Aí comigo,comunicavas...
Mãe, Mãe, Mãe...
Grito! sufocante...
Desta minha garganta.
Vou correr vales, montes, sem destino.
Mãe ,Mãe, Mãe...
Eu vou caminhar na ânsia, de te voltar a ver!
Lá no alto nos vamos encontrar ,aí me vais amar...
Sim mãe!
Porque na terra não te deixam
Tocar nesta pequenina árvore, que plantas-te.
Já deu frutos! sou mãe e avó!
Dou o melhor de mim
Se alguém não quer receber
A culpa não é minha
Mãe é tudo! paisagem...
Lamento! fico com esta agonia
Minha mãe!
A vida é um sopro
Ficam recordações
Deste descuido da vida
Raízes duma profundidade sem fim
Mas tu ficas sempre em mim
De mim para ti...
MÃE,MÃE, MÃE.
Clara Patachão 

 

15-01-2018 
Ah! Saudade
Dor que vem devagarzinho, de mansinho,
Vai chegando como quem nada quer...
Se instala sem pedir licença...
Como o vento...
é brisa que vai aumentando sem se ver...
Ah!... Saudade...
Tu és a ausência de alguma presença. .
És a musa inspiradora dos poetas...
Companheira dos amores perdidos...
desiludidos,
sofridos...
Dos amores banidos...
Ah!... Saudade...
Lição de vida...
E que lição...
que vida...
Vida vivida...
aprendida...
Sofrida.
Lição de quem já amou,
sofreu...
enfim... viveu.
Ah!... Saudade...
Saudade da infância...
das brincadeiras...
dos lugares...
dos amigos...
dos parceiros...
falsos ou verdadeiros,
Dos namoros,
das músicas,
das conversas,
Saudade é dor doida...
Porém, sincera...
verdadeira...
Ah!... Saudade...
Enfim... saudade... 
Companheira de uma vida inteira...
Adelina Santos


13-01-2018
“VIVER”
---------------***---------------
Há quem viva, mas não viva,
Na ânsia de qu'rer viver,
Não há vida que lhe sirva,
Que o possa satisfazer.
Gente que não está contente
Com tudo o que Deus lhe deu.
Porque se julga mais gente
Que a gente que és tu e eu.
---------------***---------------
Ser humilde não aceita
Numa vaidade assumida,
A vida de pobre enjeita
Nada lhe serve na vida.
Vida com moralidade
Mesmo no meio da pobreza,
Dá-nos mais felicidade
Que toda e qualquer riqueza.
---------------***---------------
Abílio Ferradeira de Brito


12-01-2018

VIDA.
O passado já não conta
Temos que olhar para a frente
Pensando no futuro
Não esquecendo o presente
O futuro pertence aqueles
Que não têm temeridade
Acreditando nos seus sonhos
De na vida terem uma oportunidade
A mudança é a lei da vida
Que não devemos esquecer
Para uns é mais curta que comprida
Mas nada podemos fazer
Cada hora que outrora perdemos
Na nossa mocidade
Ainda hoje nos lembremos
E recordamo-la com saudade
Se eu tivesse o poder de adivinhar o futuro
Seria muito pior para mim
Viveria muito mais inseguro
Sabendo quando chegava o meu fim
Como não tenho esse poder
Vivo um dia de cada vez
Eu quero lá saber
Quando chega a minha vez
Meus amigos façam pela vida
Até chegarem a avós
Vivam-na bem vivida
É o que desejo a todos vós.
José Martinho
 


11-01-2018 
TU
Amiga, tu que me sorris e guardas as palavras no teu peito,
tu, amigo, que me abraças e estás a meu lado no momento preciso,
tu, pessoa que conheci ocasionalmente, que me estendes a mão
num cumprimento de simpatia,
tu, desconhecido/a, que me disseste bom dia quando entraste no elevador,
e tu, mendigo, que me pediste desculpa por me estenderes a mão a uma esmola...
Deixo-vos aqui nestas singelas palavras o meu enorme OBRIGADO e aceitem um ABRAÇO sensibilizado de gratidão!
José Carlos Moutinho


10-01-2018 

“OLHO O MAR”
Olho o mar mais uma vez
antes do ano terminar
o tempo está meio turbo
mas o sol esta a brilhar
está surpreendentemente quente
no abraço que vem dar
trás mais um sorriso ao rosto
e aquele brilho ao olhar
e a mais de meio da tarde
com o sol já a baixar
queria desde já a todos
bom Fim de ANO desejar.
e no novo ano que amanhã vai começar
este sol que hoje brilha, brilhe sempre em nosso olhar!
que o ano seja de paz, saúde, alegria e amor
e que a amizade não falte ao nosso coração sonhador
que os sonhos sejam realidade
e nunca deixemos de sonhar
que para lutar haja sempre vontade
e sejamos sempre fortes para acreditar!
Isabel Susana Marouço



09-01-2018 
Bem lá dentro.
Na solidão da noite penso sempre em ti
Uns braços para Me -apertar só a mim,
Uns abraços feitos quentes de sol ardente
Não quando se deita a dormir no poente!
Somos dois e não um só! Quero-te comigo.
Caminho de promessas desfeitas em lágrimas,
Lagrimas de paz de alegria a construir um lar
E a vontade do vento empurrado de brumas!
Tudo é poesia o que escrevo e está escrito
Ilusões do sonhar na construção do viver
Querer alcançar subir ao arco iris e descer!
Na ilusão da vida do tempo e do amor eterno
Seremos dois a viver no cosmos lá no centro
Seremos viventes corpo e alma bem lá dentro.
Maria Fernanda


08-01-2018

“ANO NOVO”
Caminhavam elas cautelosas,
Riam os pássaros elas mudas,
Receosas de dar ao vento risos como rosas.
Que o vento as desfolha-se ao passar rindo.
Quedaram-se olhando o vago, o nada,
Já não tinham olhos, nem boca,
Para o riso nem o pranto.
Só a saudade de um tempo de bonança!
Um tempo de flores rindo sem pudor.
No lugar dos olhos violetas tristes.
Porquê o clamor das águas ao passar???
O choro dos sem voz, semeava nas margens.
As flores da coragem!
Elas de mãos entrelaçadas.
interrogavam o céu.
E nós?
O céu empalideceu.
Mas brotaram da raiz do infinito trepadeiras.
Pendiam verdes…
Bailando ao vento,
Floriram ali, num milagre de cor tal perfeição.
E Elas quatro mulheres, cansadas de tanto na vida caminhar…
Encontraram por fim, a esperança toda em flor!
Desuniram as mãos, partiram decididas.
A dar! Tudo que o mundo mais precisa.
Um abraço terno.
Um sorriso doce.
Uma estrela acesa na noite mais perdida.
Um canto de ninar ao recem nascido,
Cuja mãe como flor sucumbiu ao florescer.
Uma palavra meiga,
Colher talvez algumas pérolas das mais raras.
Aquelas que trazem os idosos no olhar.
Abraçar os meninos sujos dos caminhos.
Onde só ferros retorcidos são o lar.
Arar no meio dos descampados, ainda fumegantes,
Pelo fogo atiçado sem perdão.
Arar num calcinado chão.
O amor! A solidariedade!
A esperança! A paz desejada.
Em terra de feridas curada,
E assim! As sementes regadas de lágrimas de dor.
Ressurjam perfumadas como flores delicadas de pétalas
Suaves como o AMOR!
“ Três mulheres partiram…” Há quatro cantos no mundo.
UMA Fica AQUI!
Também aqui tem de se arar para florir!
Eu!
Augusta Maria Gonçalves
 

Sem comentários:

Enviar um comentário