Poema Surpresa 2018

 Imagem Google

 É uma iniciativa em que o poema é composto por vários versos de vários participantes.  É apresentado um tema e o 1º verso, que será apenas o primeiro verso do poema.
Juntaremos os versos por ordem de chegada e assim será formado o poema. Dias: Sábado e Domingo

1 - Cada participante deverá enviar dois versos por dia através de mensagem para a Administradora HELENA SANTOS. Também poderão participar só num dia, enviando dois versos referentes a esse dia.

2 - NÃO ENVIEM VERSOS MUITO EXTENSOS. Se na altura da elaboração da foto, os versos forem muito extensos, tomarei a liberdade de eliminar uma ou outra palavra, ou simplesmente não os aceitar. Para que isso não aconteça, não enviem versos com tamanho superior ao que deixo aqui:


"Este é o tamanho ideal para os versos."



1 - Borboleta - 13 e 14 de Janeiro
2 - Mãe - 20 e 21 de Janeiro
3 - Amantes - 27 e 28 de Janeiro
4 - Livro - 03 e 04 de Fevereiro
5 - Coragem - 10 e 11 de Fevereiro
6 - Inverno - 17 e 18 de Fevereiro 



POEMA SURPRESA
Dias 17 e 18 de Fevereiro
Tema: INVERNO
1º verso: "Inverno frio e de águas mil"





POEMA SURPRESA
Dias 10 e 11 de Fevereiro
Tema: CORAGEM
1º verso: "Coragem, vence o medo"



POEMA SURPRESA
Dias 03 e 04 de Fevereiro
Tema: LIVRO
1º verso: Companheiro de todas as horas




POEMA SURPRESA
Dias 27 e 28 de Janeiro
Tema: AMANTES
1º verso:"Encontro fugaz do amor"





POEMA SURPRESA
Dias 20 e 21 de Janeiro 
Tema: MÃE
1º verso: "Luz que não se apaga"

LUZ QUE NÃO SE APAGA
Mãe, não devia morrer nunca
deveria viver para sempre.
O desapego constante de si
apenas preocupada em amor dar.
Mãe rainha minha flor
pérola do meu coração.
Quando a minha mãe partiu
meu coração ruiu.
Mistério da natureza
apenas à mulher ofertado.
Ser mãe, foi pura e inicial felicidade,
promoveu profunda afinidade.
Mãe estrela divina
que nos afaga.
Coração de mãe não engana
ela, tem-no no fundo dos olhos.
Água viva de sentimentos e cuidados
que semeia em redor do seu casulo.
Mãe, se hoje sou assim
foi porque tudo, fizeste por mim.
Mãos que nos protegem
luz que nunca se apaga .
A mão que sempre nos guia
nossa guardiã também.
Amor incondicional mãe
asas de carinho, manto meu.
Mãe é porta aberta de par em par
colo que embala quando eu chorar.
Mãe, é vida!

Participantes:
Magda Brazinha
José da Nave
Odete Sousa
José Martinho
Aida Marques
Rute Pio Lopes
Mary Horta
Anabela Fernandes
Maria Gonçalves
Helena Santos



POEMA SURPRESA
Dias 13 e 14 de Janeiro

Tema: BORBOLETA

1º verso: "De asas diáfanas como um véu”

DE ASAS DIÁFANAS COMO VÉU
Borboleta etérea e vaporosa
carregas nas asas o sonho
As metamorfoses advindas da vida
nos ensinam a vivenciá-la, plenamente.
Voam lindas borboletas no céu
à procura dum espaço só seu.
A alegria do teu carinho em mim
deixa-me leve como uma borboleta!
Trato muito bem o meu jardim
para que as borboletas venham até mim
Mariposa violeta, arco-íris multicolor
corpo de mulher, amor
Nas asas de uma borboleta sonhei
de cor amarela e preta, tão bela e serena,
Com as suas cores brilhantes
trazem-nos alegrias constantes
De cores iriadas, coloras os campos
e, bailas com a aragem, o teu par.
Colhi um raminho de flores no meu jardim
com as mais belas borboletas que eu já vi!
Uma borboleta multicolor
é linda como o amor.
Com aquela linda borboleta eu viajei
meu sonho de criança realizava.
Como borboleta gostava de ser
e dum casulo florescer.


Participantes:
Magda Brazinha
José da Nave
Mary Horta
Maria Gonçalves
José Martinho
Anabela Fernandes
Joana Rodrigues
Helena Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário