Poema Sorriso 2017


São poemas de membros ativos, escolhidos  aleatoriamente pela Administração e divulgados no SORRISOS NOSSOS, diariamente. A ideia é que sejam poemas antigos....mas nem sempre é possível.


27-05-2017

TEMPO
 Como eu anseio
 Que o tempo passe
 Que o vento o leve
 Depressinha
 Para eu poder ir 
 À minha terrinha
 Matar saudades
 De tudo que está
 No meu coração
 Quero ver o meu mar
 Os meus amores
 Estar com eles
 Até me fartar
 Peço mesmo 
 Ao tempo para parar
 Deixar-me estar
 Até meu coração
 Se encher
 E se deliciar
 De tudo
 Que quer
 Para depois
 Tudo recomeçar

Fernanda Costa




26-05-2017

Hoje serei breve…
Hoje serei breve…
Serei mais breve, não porque não tenha vontade de dissertar, mas porque estou carente demais da tua presença e por isso, sinto a tua falta…
Fazem-me falta, o teu sorriso, o teu olhar brilhando de desejo, o teu rosto angelical, o teu porte de mulher sedenta, o teu corpo ondulante quando te levantas e andas, as tuas curvas pronunciadas onde distingo tanta perfeição e beleza, os teus abraços e os teus beijos quando mos ofereces… 
Fazem-me ainda falta as tuas palavras, as nossas conversas sérias, as blagues ou as brincadeiras com segundo sentido, os teus pedidos de vem, te espero, estou aqui, o deixar ver e o mostrar, a excitação momentânea e o prazer continuado, o êxtase final em prostração e, o beijo de despedida entre sorrisos, embora com aquela mágoa e muita tristeza, por separação.
 Anda, chega, vem depressa… 
Estou-te esperando de braços abertos, para te receber junto ao meu peito e assim poder dizer-te ao ouvido, muito baixinho… 
Fazes-me falta… Amo-te.

Antonio Bernardo



25-05-2017


Sou
 Feita de sonhos mágicos e encantados
 Viajo pelos corações e vivo de emoções
 Voo em liberdade e amo o que faço
 E em cada voo deixo um pouco de mim .

Sou poesia, pintura e desenho
 Sou amor que sinto no meu coração
 Sou brisa da manhã

Sou gota cristalina e purpurina
 Sou luz que me faz viver com magia
 Parece que sinto alguém me guia.

Escrevo sem rimas
 Pinto e desenho sem nada planejar 
 Assim levito no meu caminhar. 

Sonho e voo nas asas da imaginação 
 Canto, danço e faço magia
 E mergulho no mundo dos sonhos.

Assim é o meu mundo
 Assim é a minha vida de magia.


Mila Lopes




24-05-2017

POEMA NÃO SOU
 Não,
 Não gosto quando eu não sou eu. 
 Não gosto quando sendo eu não sou capaz e fico desfeito. 
 Não gosto quando me apanhas descalço
 Não gosto de ser apanhado calçado com sapatos desiguais.
 Não gosto de estar fechado sem janelas
 Não gosto da ausência do horizonte
 Não gosto do tempo dos interesses mesquinhos
 Não gosto que me apontes dedos
 Não gosto de apontar o dedo
 Não gosto de estar sem amor
 Não gosto de ficar sem amar!

Gosto de ser eu quando és tu 
 Gosto da união velejante 
 Gosto do vento na face e o sorriso
 Gosto de ser nós: caminhantes
 Gosto da cumplicidade, subtil
 Gosto do cumpliciar de amigo (a)
 Gosto quando ris alto
 Gosto do sorriso e silêncio
 Gosto quanto eu sou em ti, e tu és em mim
 Gosto!

Pj Conde Paulino




23-05-2017

Frasco de Pandora.
 Do frasco de tampa de cortiça de boca larga
 Em cima da mesa velha…. 
Saem perfumes saem pétalas, que criam asas
 E se desfazem no ar.
 Não identifico os aromas e os donos
 Acho que sonho.
 Ao imaginar tanta gente
 Que poderia ali estar, para me saudar.
 Sacudo a cabeça para não inventar,
 Não trocar identidades de pessoas
 Que se podem chatear melindrar, com a troca….
E ficar a perder na sua maneira de ser.
 Respeito esses ideais, porque aromas
 São cheiros especiais diferentes…
Para cada raça de gentes.
 Mesmo assim sorri, cicatrizes 
 São já passados, que foi ontem.
 Senti um abraço apertado de alguém
 Que Deus tem do passado, que foi hoje.
 Fechei o meu frasco de tampa de cortiça.
Maria Fernanda



22-05-2017

Chora ao Meu Ombro
Hoje queria puder dar-te o meu ombro
Para chorares a vontade
Senti uma lágrima em teu rosto 
Mostrando um sentimento de saudade
Uma frase desmedida
Um conceito tão falado
Provoca a dor em teu peito
Pela lembrança de um sonho parado
No silêncio de um amor ausente
Paira em ti a angústia de um sentimento
Que a lembrança e o desejo de o sentir presente
Sente na alma sua dor e sofrimento
Lava a alma com as lágrimas que caem
Sente o desejo desse teu amor querido
Que mesmo ausente e ainda indefinido 
Ele também chora e implora pelo teu sentido
Anselmo Watamen



20-05-2017

Ter tempo

 É tempo de parar

 Para a vida saborear!

 É tempo de chegar e partir.

 É tempo de falar e saber ouvir.

 É tempo de um bom livro ler 
 E as minhas memórias escrever.
 É tempo de ver e perceber,
 Pensar e refletir!
 É tempo de dar e receber 
 Novas amizades fazer!
 É tempo de rir com os meus netos 
 E vê-los crescer!
 É tempo de escutar...
 Os silêncios da noite 
 E um novo sol nascente...
 Ver romper!
 É tempo de viajar 
 E o mundo conhecer!
 É tempo de ter tempo...
 Para poder... Viver!
Maria Goncalves


19-05-2017

ARTE DO POETA
A arte do poeta,
É semelhante à do agricultor.
Com o aço temperado da perseverança
Escava profundo em chão inóspito
Na busca constante da raiz da palavra
Sabendo que é na seiva que a alimenta
Que se fortalece a árvore das sensações.
A arte do poeta,
É semelhante à do escultor.
Esculpe, com a pedra do instante
O momento que passa a caminho do eterno.
Esse é o seu dom, a sua virtude
De gravar a fogo na pedra fria
o imortalizar desse momento
Evitando a sua queda inerte
No poço invisível do esquecimento.
Mas a arte do poeta,
Também se assemelha à do pescador.
Navegando em constante mar de emoções.
Mesmo quando no horizonte se perfilam
Nuvens carregadas de palavras escuras.
As suas mãos consertam com mestria milenar
A rede fina donde provirá o alimento
Com que evita o naufrágio da alma.
A arte do poeta,
Está presente em todas as profissões do mundo!

Antero Jeronimo


18-05-2017

QUANDO TE CONHECI!!!
 Para mim foi um dia lindo, meu coração bateu forte.
 Olhei para o céu, um brilhar diferente,
 E percebi
 Eu estava ali...
 Senti uma emoção tamanha..
 Como nunca...estranha...
 Deixei-me seduzir por meus desejos,
 Só queria teus beijos...
 Fiquei dominada..
 Apaixonada..
 Acorrentada neste amor,
 Nesta louca paixão,
 Nunca amei com tamanho ardor.
 A chama passou a morar no meu coração,
 Hoje tu és o meu mundo,
 Meu sentido de viver,
 Presa me encontro a este amor profundo,
 Meu viver meu bem-querer.
 Por ti morro de amor,
 Mesmo com grande agonia,
 Sei enfrentar esta dor...
 Para ti escrevendo poesia.
 És uma grande magia...
 Como uma rosa entre espinhos,
 És meu prazer que me contagia.
 E norteia meus caminhos.
 O mistério do amor nasceu,
 Um dia dentro de mim...
 Foi assim que te conheceu,
 E lavo-o até ao fim...
 Se não te amasse assim...
 Quem sabe,perderia meus sonhos,
 Que moram dentro de mim...
 Mesmo em momentos medonhos.
 Perderia meus sonhos enfim...
 Vivia na escuridão.
 Porque tu és estrela que brilha em mim,
 Bem no fundo do meu ser, meu coração.
 É grande meu amor, tamanho do universo,
 Perfumada como a rubra rosa,
 E sem fim escrito num verso,
 Igual a flor mais formosa.
 Não sei dizes como nasceu,
 Mas sei que o descobri...
 Estava perdida e como o sol apareceu,
 Encontrei-o com carinho: QUANDO TE CONHECI!

Carmen Bettencourt




17-05-2017
Atrás da esquina 
 Espreita
 O silêncio envergonhado
 Dissimulado
 Num faz de conta.
 Não se vê
 Não lhe dá jeito ver
 ...a penumbra 
 No olhar destas crianças
 A escuridão nas ruas claras
 Onde vagueiam, famintas.
 Esses fixos olhares
 Miram o horizonte sombrio
 Sonhos devastados
 Leem o futuro 
 Como quem lê 
 Uma negra história.
 Por elas... 
 O que eu fiz?
 O que tu fizeste?
 Que mundo lhes deixaremos?
 Lembre-se 
 Serão os homens de amanhã.
Zeze Lopes




16-05-2017

ESTOU QUASE A IR EMBORA”
Estou quase a ir embora!
Espero pela meia-noite ...
Para levar, sem demora,
Aquele valente açoite !!!

Estou, para ir embora !!!

Vos deixei tantas maldades!
E... me "fizeram a folha" ...
Venha o diabo, e escolha! ...
Na ida... Deixo saudades!!!

Um ano, de tropelias ...
Próprias da minha idade!
... Que, até tu ... As farias !!!
Sem dizer, que era maldade!

Tenho mesmo, de ir embora!

Não me deixam cá ficar,
Pois até nem vejo a hora!
Tenho de ir, sem demora,
Estou cheio, de cá estar !!!

Falta só mais um pouquinho!
Sei que me vão expulsar ...
E não tenho outro caminho !!!

Tratem-me com algum carinho ...
Que não mais, irei voltar !!! ...

Tenho o destino traçado ...
Porque é este o meu fado!
Para mim, já não há lado!
Onde me deixem ficar!!!

Um ano, foi pouco ...
Neste Mundo louco!!!

Ó quem me dera saber,
O que O Outro, vai trazer !?
Mas eu, não sou adivinho !!!
... Venha Ele, de mansinho!

Eu, fui "um Ano encrencado"
... Deixo tudo maltratado! ...

Também vou ser emigrante
Num lugar, lá tão distante!

... Sou outro escorraçado!
E a culpa não foi minha!
Sendo de certa "gentinha" ...

Que fez de mim... "Pau-mandado"
... "A tudo, fui obrigado" !!! ...

Em tudo ... tudo, que fiz!
Como tal, nem fui feliz! ...
Nem vou lembrar, o passado!

Põe-te lá no meu lugar! ...
O que é que tu, farias ...
Se não pudesses mandar ?!
... Nos darias ... Alegrias ?!!

É esta, a realidade !!!

Vou fazer-vos um pedido!
Que fará todo o sentido!

Que antes de ter morrido,
Eu vivi... Uma verdade!!!

E, se lembrarem, de mim ...
Espero tenham saudade!
Pois a vida ... É mesmo assim!
Demonstrem vossa amizade.

Sou muito contestatário,
Sem me dever atrasar!
Tenho de ir, no meu horário!

Minha vontade ... É ficar,
E não ir para as "alminhas" ...
Mas, tenho de vos deixar!...

... O Novo irá chegar ...
E não quer saudades minhas!
**
**
Eu ... sou a Aida Dinis,
... Este poema te fiz ! ...

É, Todo Teu ... Meu poema!

Digo, sem nenhum dilema,
Vou ter saudades de ti !!! ...

Neste Teu Ano ... Senti ...
O Teu cheiro a alfazema !!! ...

Para mim e para os meus,
Foi um Ano de Emoções!!!

... Foi o Ano do Adeus ...
Que ficou nos corações !!!
Aida Dinis Sampaio


15-05-2017

Que me queres...............
Assim romântica, dócil, e parada a estenderes-me os braços que acompanham um olhar carente e de boca entreaberta em lábios carnudos e aveludados a solicitares-me?
É desejo de mim, paixão, amor?
Espera……Espera antes que o terror da minha carne frágil se transforme numa mordedura de lábios, num fechar de olhos e no abrir da minha fértil mente a dizer-me tudo….Tudo.
Tudo o que o silêncio das palavras que ainda de ti não as ouvi, nem tu de mim,
Me provoque o cerimonial do abraço para te dar e ter.

Não, não.....
Volta-te ......volta-te e vai........
E baixa esses braços pedintes, e não te tortures. Nem a ti, nem a mim. Porque o tempo da nossa paixão e loucura é frio e inquieto como o vento que levou e arrastou as pétalas das nossas palavras que eram flores perfumadas.
Se não te voltares, volto-me eu,........
Mesmo que fique perdido nos nervos, por não te dizer.... Que me apetece a tua carne quente de mulher nos lençóis da minha cama.

Ahhhhh !.........mas espera.
Espera e não te voltes. Fica, fica aí........afinal, isto não é só loucura, nem só paixão......

......isto, isto é amor.........!!!!!!!
Carlos Lacerda





13-05-2017
BREVES PALAVRAS! MÃE"
 Mãe!
 Palavra pequena...
 Quem, não a sabe escrever!
 Palavra
 Mãe!
 Breve ,serei minha mãe...
 Mãe!
 Sempre cheia de luz
 Assim o caminho
 De um filho
 Conduz...
 Mãe!
 Me ignoras...sem justificação...alguma.
 Como chora
 Este meu coração
 Sabes? mãe...
 Sinto a tua breve partida
 Eu! queria fazer parte da tua vida!
 Mas será ? não haverá outra saída...
 Fica na minha memória
 O teu cabelo parecendo neve
 A tua pele macia e corada, ficando enrugada.
 Quando meus lábios
 Te beijavam
 Parecia veludo
 Como as pétalas de uma papoila...
 Tantas vezes te disse que te amava.
 A minha alma limpa
 Após a última conversa
 Nossa!
 Sei que andas nas despedidas
 Não me esqueço... daquele dia.. .foste fria e distante.
 Onde te conheço desde a minha infância...
 Continuo 
 Contigo
 Mãe!
 Serás sempre eterna
 Mãe!
 Estive sempre
 Permanente nas tuas aflições...
 Aí comigo,comunicavas...
 Mãe, Mãe, Mãe...
 Grito! sufocante...
 Desta minha garganta.
 Vou correr vales, montes, sem destino.
 Mãe ,Mãe, Mãe...
 Eu vou caminhar na ânsia, de te voltar a ver!
 Lá no alto nos vamos encontrar ,aí me vais amar...
 Sim mãe!
 Porque na terra não te deixam
 Tocar nesta pequenina árvore, que plantas-te.
 Já deu frutos! sou mãe e avó!
 Dou o melhor de mim
 Se alguém não quer receber
 A culpa não é minha
 Mãe é tudo! paisagem...
 Lamento! fico com esta agonia
 Minha mãe!
 A vida é um sopro
 Ficam recordações
 Deste descuido da vida
 Raízes duma profundidade sem fim
 Mas tu ficas sempre em mim
 De mim para ti...
 MÃE,MÃE, MÃE.
Clara Patachão




12-05-2017
Num belo entardecer

Num belo entardecer
 Rondando a luz artificial
 Perante os meus olhos vi aparecer
 Uma imagem divinal

O sol no acaso escurecia
 Por traz da espectral figura
 Os seus contornos eram magia
 Que Deusa…Que formusura

Depois desapareceu misteriosamente
 Do meu campo visual
 Seria uma estrela cadente
 Ou fruto da minha ilusão

Procurei-a pela noite escura
 Batendo a todos os umbrais
 Para minha mágoa e amargura
 Não a encontrei jamais.

Florimundo Carvalho





11-05-2017

QUE IMPORTA
 Hoje pouco me importa
 De ser esta ou aquela;
 Feia, gorda ou bela;
 Porque nunca fui aquela,
 Que desejei ser.

E nada do que fui,
 Ou sou agora,
 Valeu a pena;
 Já fui loura, já fui morena,
 Madalena, Judite e Helena,
 Fui senhora, mulher, donzela e petiz,
 Só não pude ser como quis...

Que mal fez, essa cor fingida
 Do meu cabelo, e do meu rosto,
 As curvas desenhadas do meu corpo
 Se é tudo tinta, traço, esboço,
 o mundo, a vida,
 O contentamento, o desgosto?

Por fora, serei como leve poeira
 Da moda, que me vai levando.
 Mas por dentro lutarei contra a corrente
 Serei eu,
 A verdadeira,
 A que se refugia no silêncio e na calma.

Que me levem pele e cabeleira
 Agora, não me importa quando.
 Que a morte um dia me levará o espelho,
 Nas nunca me levará a alma...

Adelina Santos




10-05-2017

MENDIGO
 Sou miserável e imundo
 Desprezível vagabundo
 Que segundo a segundo
 Pão mendiga pelo mundo...

Quem me fera, mal profundo
 Ter um amo iracundo
 Me ferindo com seu junco
 Por salário infecundo...

Como preços nem resmungo
 Assim mesmo moribundo
 Arcaria sacos de chumbo
 Pelo osso de seu presunto...

Ó morte... Faz-me defunto
 Aos do Além eu me junto
 Se isso é bom... Nem pergunto
 Ao Céu entrego este assunto.

Eduardo Schultz Gonçalves




01-05-2017

Amizade…

Para alguns, palavra vã
Para outros, um encanto
Para mim o melhor que há
Se ninguém me chuta para canto

Gosto muito desta palavra
Quando ele se reflete
E por justiça nos é dada
Quando algo acontece

Nem sempre será assim
Mas o que é que posso fazer
Há gente que não está afim
De a amizade fortalecer

Por isso muita cautela
Com gente que é assim
Não gosto nada de vê-la
Não faz parte do meu Jardim!


Armindo Loureiro



02-05-2017

A MINHA SOMBRA
Falava o vento com os muros gastos!
As árvores num frenesim,
Agitavam seus ramos semi nus.
E só a minha sombra projetada
Era testemunha de tudo quanto
Se passava.
Na mudez da minha sombra.
Ninguém por mim deu!
Mas eu! Sim eu, tudo vi!
O chão dos sonhos prometidos,
As aves em bando a sombrear
Os castelos de nuvens iluminados,
Ainda o sol ria no pomar,
O perfume das maças do vinho mosto.
O rir das sementes a sonhar,
Num tempo novo, que virá depois.
Das geadas brilharem ao luar.
As folhas num bailado clássico
De harmonia e cor suavemente,
Caíam ainda em meu regaço.
Na minha sombra vestida de poente!
Sonhei a voz das raízes abraçadas,
Num tecer de turfas, ventre, chão!
Pois seio negro tem a mãe natura,
Dele brotam suaves flores e pão.
Anoitece já, a minha sombra apaga-se.
Saio do muro numa correria.
Soprou forte o vento... Levou-me o chapéu.
Mais uma dança de folhas,
Nas mãos da ventania!
Abri o portão do terreiro.
Olhei o chão!
Tive dó de o calcar
Porque para mim!
Esse chão era um altar!
Onde todas as folhas
A chorar.
Cantavam um "de profundis "
Para mim!
Eu!


Augusta Maria Gonçalves




03-05-2017


Minha máquina de escrever

Não havia ainda computadores,
Tinha eu uma máquina de escrever 
Onde inventava os meus amores,
Batendo nas teclas do meu querer,
Criando prosas de múltiplas cores

Havia entre nós uma bela relação,
Muita amizade e absoluta sintonia,
Em cada tecla um som de emoção
E em cada caracter uma melodia
Em ritmo de estonteante paixão

A máquina tinha nome de “Torpedo”,
Por isso trabalhava com tanto vigor,
Nela eu escrevi poemas sem medo,
Alguns de tristeza, outros de amor
Numa parceria de total segredo

Lembro-me da sua cor com saudade, 
Era um azul sereno, quase celestial,
Teria eu uns catorze anos de idade,
Muitos sonhos, coisa muito natural,
Mas meus poemas tinham maturidade 

Recordo outra máquina onde escrevi,
“Remington”, preta, portátil e elegante,
Mas foi na Torpedo onde mais senti
A força das palavras em cada instante,
De paixão e quimera com que eu vivi.


José Carlos Moutinho



04-05-2017

Um mar de silêncio.

As labaredas do meu mar
 Contagiante de alegria
 E nostalgia, as ondas dormentes
 Não se sentiam vivas!
 Sentidas as ausências
 A transbordar os sentimentos.
 O mar tem “ALMA”
Na magia da sua origem.
 Transformou o meu dia
 Em dia sem explicação
 Lembrei-me então das marés,
 Rasantes e alterantes
 Como os pés das mulheres,
 Altivas, bravas pisando de vida
 A areia molhada.
 Sulcada com força de garças!
 São cogentes da vida que transformam
 A terra, homens mulheres
Os oceanos, o Universo…
E eu nas labaredas que quero apagar!
 Nelas entrar e buscar o silêncio
 Entre as vagas me encontro!


Maria Fernanda




05-05-2017



SER POETA:

Não nasci para ser poeta
 Digo alto e bom som
 Ser poeta não é quem quer
 Tem que nascer com esse Dom

Infelizmente eu não nasci
 Com vocação para escrever
 Mas como gosto de poesia
 Poeta gostava de ser

Gostava de escrever lindos poemas
 Para os meus amigos ler
 Por mais que eu tente não consigo
 E isso faz-me sofrer

Tenho uma admiração enorme
 Por quem lindos poemas fazem
 Leio-os com muito gosto
 Mas lamento não ser capaz

Valorizo muito os poetas
 Pela sua inteligência
 A facilidade com que escrevem
 Com muita competência

Ai se eu nascesse poeta
 Agradecia ao Senhor
 Escrevia lindos poemas
 Com doces frases de amor

José Martinho




06-05-2017

“SOPRA O VENTO DA SAUDADE”
Sopra o vento da saudade
 A invadir o meu coração
 E passam na minha mente, 
 Olhares e sorrisos que já são apenas recordação!
 E uma lagrima corre no meu rosto
 E não a consigo deter
 Foi em outubro e agosto
 Que deixei de os poder ver!
 Mas mesmo não os tendo
 Sinto-os comigo em cada caminhar
 de dia nos raios do sol
 Á noite nas estrelas a brilhar!
 E quando o sol me vem abraçar
 Ou o vento me beija e acarinha
 Sinto-os aqui comigo
 Ainda que esteja sozinha!
 Sei que partiram 
 Mas no fundo sei que nunca fiquei só
 Pois aquilo que nos uniu
 Era mais forte que qualquer nó
 Era um laço de amor e carinho que perdura no tempo
 Não o quebra nem a morte nem o maior sofrimento!
 Por isso guardo em mim cada sorriso
 Cada beijo, cada carinho
 E às estrelas cada noite lhes envio um beijinho!
 Porque onde quer que estejam
 Sei que estão comigo aqui
 Ao recordá-los entre lágrimas
 A minha alma sorri!

Isabel Susana Marouço




08-05-2017


VIVER É AMAR
A vida tem razões p’ra ser vivida,
Se temos algo belo a partilhar,
É que, só nesta vida vive a vida,
Quem tem um coração que sabe amar.
Só o amor faz a vida colorida,
Só o amor nos envolve e faz sonhar,
Porque é transcendental se faz jazida
Do melhor que esta vida pode dar.
A vida sem amor é noite escura,
Sem elos, sem carinho, sem ternura,
Jamais terá o selo da alegria.
É agreste, desprovida de sabor,
E se alguém já viveu sem ter amor,
Foi porque um grande amor desconhecia.

Abílio Ferradeira de Brito




09-05-2017


SEM SENTIDO!

 Erva perfídia e daninha

 Em campo cultivado de trigo

 Palavra vilipendiosa e mesquinha

 Dita num portão sem postigo

 Faces descoloridas, pálidas

 Olhos que chispam encolerizados

 Razões ditas e válidas

 Em sentimentos anulados

 Castigo solteiro e impune

 Lei em lucidez falseada

 O réu o termântico ciúme

 A vítima a alma torturada

 Paleio e mais paleiam a arte

 De todo o ser falsador

 Hipocrisia o forte

 De todo o ser enganador
 Noite estrelada mas só
 Caminhos escondidos e ermos
 Na garganta forma-se um nó
 Na boca saem espasmos
 Vida vivida em agonia
 Janela airosamente florida
 O sorriso o vinho da alegria
 No caminhar de uma vida
MIsabel Assunção Machadinho


Sem comentários:

Enviar um comentário