Momentos Escaldantes 2017


É uma iniciativa Erótica/Sensual...NÃO PORNOGRÁFICA. Escrevam o que vos vai na alma, com classe, bom senso e respeito. Caso assim não seja, as publicações serão eliminadas.

ATENÇÃO: SÓ SERÃO VÁLIDAS  AS PUBLICAÇÕES FEITAS NO PRÓPRIO DIA - DAS 00:00H ÀS 24:00H. FORA DO DIA SERÃO ELIMINADAS


A DIVULGAÇÃO É SEMPRE FEITA NO DIA ANTERIOR! 
1 - Obrigatório identificar a iniciativa com: 
- ou com o nome da iniciativa, 
- ou com a foto da iniciativa, 
- ou com ambos. 
2 - A foto a usar é sempre a da iniciativa.
3 - Poemas a publicar no Grupo 
 TODOS PODEM PARTICIPAR!

23-03-2017
"Momentos escaldantes"
 Gosto de tocar-te...
 Beijar-te loucamente...
 Sentir a tua pele na minha
 Com nova volúpia e o sentimento de sempre.
 Gosto que me admires enquanto fazemos amor
 De sentir o teu toque suave, terno e sonhador...
 Gosto que aquele momento seja só nosso
 Especial, enternecedor, arrebatador intenso
 Que seja um tu e um eu em perfeita sintonia
 Ao tu seres meu alimento e eu ser tua alegria
 Quando estamos assim juntos
 E nos fundimos num único ser
 Tudo parece fazer sentido
 Sinto que vale a pena viver.
 Quando nos amamos como se não houvesse amanhã
 O imperfeito é perfeito, corpo são em mente sã
 A vida tem mais cor
 Se fazemos amor
 Se nos damos assim
 Até a alma sorri
 Quando eu te beijo a ti
 E tu me beijas a mim...
 Tu e eu somos e podemos ser sempre um nós perfeito
 Porque para além do corpo, tocas-me o coração que bate dentro do peito.
 Quando fazemos amor, é amor a brotar no seu estado mais puro
 Tu és o meu Condor e somos um do outro um porto seguro

Isabel Susana Marouço



“BEIJA-ME”
Beija-me
Com a tua alma
Abraça-me...
Como se me perdesses
Deseja-me como se fosse mel
Toca-me
Como se fosse uma flor
Devora-me
Estou sequiosa de ti
Sente o desejo
Que flui em mim
Entrelaça
Os meus sonhos
Aconchega-me no teu corpo
Acaricia-me
Com as tuas mãos ternas
Sacia o teu olhar
Dentro do meu olhar
Transforma paixão em delírio
Embrulha-me na tua pele
Escuta o bater do meu coração
Afasta
A minha solidão
Sente
A saudade que me consome
Converte
Este amor em loucura
Leva-me até aos limites
Ama-me
Como se fosse o ultimo dia…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




QUERO VER-TE CLARAMENTE

Aproximando-te,
 mas o que desfruto 
 é um sonho de névoa, 
 a continuar, durante o dia 
 e, ao fechar os olhos, 
 a cada segundo da noite, 
 vivo outra vida, 
 num sonho que dorme.
 Cada momento acordado, 
 mais me sinto,
 como uma primavera no inverno
 rumando em parede de vitral
 com visão focalizada, 
 segurando a esperança,
 mas as palavras não têm forma, 
 desfilam pelos meus lábios. 

O sonho retém-me.


José Lopes da Nave




Serpente do Desejo 

Sou a serpente
 Tu és a presa
 Impiedosamente
 Deixo-te indefesa

Num abraço fremente 
 Sob meu corpo subjugada
 Possuo-te lentamente
 Nessa tua expressão ousada

Imploras tudo de mim
 Acelero a cadência
 Corpos em frenesim
 Pura indecência

Em lascivo beijo
 Servos da paixão
 Escravos do desejo
 Entramos em ebulição

E no desfazer do enlace
 Uma estocada final
 Bebes do meu cálice
 O líquido triunfal.


© Antero Jeronimo





PROCURO-TE

Procuro-te, nas frias noites do meu desespero,
 Na cama vazia onde nossos desejos, se cumpriram,
 Nos meus lábios, onde os teus quentes beijos, repousavam
 E agora estão frios, sem o seu, calor.
 Procuro-te, nos gemidos de prazer da nossa loucura,
 Nos meus dedos que teu corpo percorriam,
 Em mil carícias de amor e paixão.
 Procuro-te, no bater ritmado dos nossos corações,
 Nos corpos suados de prazer e luxúria,
 Nas palavras que murmurava-mos baixinho,
 Enquanto o amor em nós, acontecia.
 Procuro-te, no meu corpo que beijavas com paixão,
 No meu sangue, que fervia com a tua presença
 E agora, apenas corre, vagarosamente.
 Naquela música que gostavas de ouvir baixinho,
 Enquanto murmuravas docemente, ao meu ouvido,
 Meu amor, meu amor.
 Mas só ouço o som do vento, gemendo, dorido
 E sinto, o longo silêncio do teu vazio,
 Onde a ausência, magoa.
 Talvez, não volte a encontrar-te,
 Mesmo assim procuro-te,
 Porque ainda mais, te amo, agora, sentindo
 Que te posso ter perdido, para sempre.


António Henriques 23/03/2017




O nosso amor

Não tem fronteiras não conhece barreiras
 é pura sedução quando nos amamos
 o sol no céu e nosso cúmplice 
 a lua e as estrelas dançam a mesma sintonia
 a natureza em festa tece fios de seda
 abençoando o nosso amor.

São momentos únicos de encantamento
 a nossa entrega é intensa
 és só tu e eu vivendo o amor em emoção
 amando-nos num amor sem limites
 que vai alem do tempo e do espaço
 que nos leva a viver a mais louca paixão.


Mila Lopes



Amar-te

...e já não existe nada
 Só a mente desatinada
 ...e o mundo enlouqueceu 
 Fez parar o tempo...esqueceu
 Nas bocas que se juntaram
 Nos braços que se cruzaram
 ...deslizaram
 No sentido do tacto
 Com cheiro de amor
 Nos corpos desnudos 
 ...e em gestos mudos
 Ficou em nós
 ...um tempo parado
 ......embriagado
 .........sufocado
 Na música do amar
 ...na dança do respirar
 ......e cada segundo é louco
 ...profundo
 ......e aí...
 Esquecemos o mundo

FCJ
 Fernanda Carneiro Jacinto

 Março 2017




16-03-2017
“FANTASIAS”
Fantasias de amor
 Quem não as tem
 Fantasias e loucuras
 Devaneios
 Amar sem limites
 Libertação dos pudores contidos
 Grito ao amor
 Partilhar a paixão que nos assola
 Fantasias de amor
 São para serem sentidas na alma
 Abraçar o corpo amado
 Partilhar desejos
 Gestos calados
 Levas-me ao infinito
 Volúpia sentida
 Bocas respirando em uníssimo
 Fantasias de amor
 Sentimentos ao rubro
 Instinto profundo
 Pele arrepiada e suada
 Ritual de emoções
 É surreal
 Dou-te o melhor de mim
 Dás-me o melhor de ti
 Almas despidas
 Amor ao rubro
 Amamos até o sol nascer…

 “BRASA” MAGDA BRAZINHA



AO RUBRO...

Amanhece e o sol vem nos saudar
 Depois da mais bela noite de luar
 Onde nos amámos

Fomos lobos esfaimados com sede de amar
 Suspiros e beijos marcaram o ensejo
 Da mais bela fragãncia ainda sinto odor

Impregnado no corpo que te seduziu
 Levaste-me ao rubro sem qualquer pudor
 Extasiados caímos no sono profundo

Agora enrolados nos lençóis suados 
 Trocamos olhares cúmplices de quem sabe
 Que o sol voltará de novo a nos vir brindar


Anabela Fernandes.




TINTA PAIXÃO 

Nos contornos ousados do meu pensamento 
 desenho-te formas em vontades inconfessadas 

O toque ansiado no desnudar de cada traço 
 da mão que se perde no êxtase da caricia 

Mãos em devaneio que não revelam segredos 
 desvendam sim a candura do pudor do mundo 

O espelho já não reflecte imagens racionais 
 corpos que se prendem na pulsação do beijo 

Formas que se misturam em contornos indefinidos 
 desenhando arabescos em dança voluptuosa 

A escuridão explode ao ritmo dos sentidos 
 e a música brota cadenciada dos hálitos ofegantes 

A noite amanhece no etéreo momento 
 dos corpos inundados em balsâmico unguento.


Antero Jeronimo, in "Janela do Tempo".



Hoje 
 Preciso beijar teus lábios
 abraçar eu corpo nu
 entrelaçar minhas pernas nas tuas
 entrar num jogo de sedução
 e deixar nossas roupas espalhadas pelo chão.
 Hoje
 Preciso ouvir as tuas juras de amor
 deixar-me levar pela emoção
 sentir o teu desejo e paixão
 e depois com a loucura de nos amarmos
 Dormir-mos unidos aconchegados.


Mila Lopes



TEU E MEU CORPO

Meu corpo no teu corpo
 Metáforas entrelaçadas 
 Sobre um espelho desfocado
 Ousadia despida
 No teu porto calmo
 Pele sedosa 
 Quente fogosa
 Sensível sem pudor
 Dançamos sensualmente
 Com uma nudez prazerosa
 Envolves-me com palavras insidiosas
 Num rastreiro sussurrado ao ouvido
 Chegando tocar o céu 
 Toca-me
 Invade meu abismo de desejos
 Quero te ver
 Quero-te sentir
 O momento é agora 


Sonia Pinto



Para ti

Escuta amor
 Um dia... Não muito longe
 As minhas mãos
 No teu rosto vão poisar
 Meus braços vão abrir
 Para te abraçar
 E um rio de amor vai correr
 Nossos corações
 Vão forte bater
 E nesse momento...
 O mar vai extravasar
 ...sobre as areias
 As pedras vão falar
 ...e seus gritos soltar
 A lua de crescente
 ...fica cheia
 As estrelas paradas
 ... Vão pestanejar
 E a Terra...Ah! A Terra
 Vai simplesmente parar
 E assim...
 O mundo transformar
 Cheio do nosso amor
 ...do nosso amar
 ......amo-te...

FCJ

 Fernanda Carneiro Jacinto




09-03-2017
Ao ver teu corpo desnudo
 Meu coração incendeia
 Esqueço logo de tudo e até quando
 Meu sangue ferve na veia.
 O teu olhar provocante
 Sorriso tão lindo e sedutor
 É um convite escaldante
 Para fazermos muito amor.
 Foi no primeiro ato
 Quando para tudo iniciar
 Tranquei a porta do quarto
 Para melhor poder te olhar.
 Vestida sou uma bela dama
 Com muito charme e glamour
 Despida queimo em chama
 Querendo dar-te amor
 Naquelemomento escaldante a gente esquece
 Numa loucura sem fim
 Num jogo de sobe e desce
 Beijo teus lábios e enrosco-te em mim
 Ficamos tão entrelaçados
 Que já nem sei quem eu sou
 Teus gemidos alucinados
 Vão sonorizando o amor que se apaixonou
 Naquela união 
 Vejo teus olhos brilhar
 E no momento meu coração
 Com muita força vaia acelerar.
 Desta paixão alucinante
 Sinto um novo aroma no ar
 É o teu perfume inebriante
 Que nosso amor faz brilhar.
 Quem..?Neste escaldante momento vai condenar?
 É porque nunca asim conheceu
 Alguém que pudesse lhe dar
 Um amor igual ao teu.
Carmen Bettencourt



AMOR SOMENTE

....................................................

Sinto o teu olhar meu corpo aquecer
 Teu suspiro despertar-me baixinho
 A tua mão roçar-me de mansinho
 Que doce toque, faz-me estremecer...
 .................................................

A minha alma parece resnacer
 Tal intensidade traz teu carinho
 Em ti, eu perco-me devagarinho
 Elevas-me, num novo alvorecer...
 ..................................................

Aos poucos envoves-me, docemente
 O deleite confunde-me o sentido
 No clima da nossa paixão ardente...
 ...................................................

Acarinhando-nos, mutuamente
 Perdemos noção do tempo vivido
 Tão embevecidos de amor, somente...
 ........................................................


Ausenda Ribeiro





DEVANEIO

Suave tempo, 
 o imaginar-te,
 em mim 
 pensar-te,
 fechando os olhos, 
 sentir-te,
 com os braços abertos, 
 esperar-te,
 alegria no teu rosto, 
 causar-te
 a um imaginário beijo teu, 
 desejar-me.
 Vertigem!
 Despertaste os meus olhos, 
 como uma primavera precoce,
 em apelo de amor 
 que esperava ouvir,
 na delonga 
 de sensitivas auras,
 alegre fonte de vida, 
 fizeste minha alma sorrir.
 Como aurora de amor,
 trouxeste a vida,
 o início de uma melodia,
 a despertar-me
 a fantasia.
 Olhei-te, 
 olhaste-me.
 Converteste o tempo!


José Lopes da Nave



“NO AMANHECER”
Penduro os beijos no varal
Deito ao vento as palavras inúteis
Voo com o pensamento...
Deslizo levemente na vida
Num precipício de cores
Mergulho o meu corpo na palavra
Irradia luz do meu poema
Num vaivém de ternura
Acaricio-te
Corpos que se entregam
São rios de prazer
Aromas doces e quentes
Um ir e vir de sombras
Dança de prazer e sedução
Levanto o véu da loucura
A brisa serena agita as cortinas
O sol da manhã irradia feliz
Somos semente a germinar
Num mar de amor
Neste lugar de ninguém
É o nosso universo
Melodias de corpos
No amanhecer …
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




JUVENTUDE E DEVANEIOS.

Moça airosa travessa riso lindo. 
 Cabelos soltos, afagos, vento. 
 Diadema altivo de jasmim e orvalho
 Pés delicados pisando flores. 
 Corsa leve adornando prados. 

E canta e passa, colhe flores. 
 Enamorada. 
 Lembra amores. 
 Ecoa então, fundo suspiro. 
 Quando te abeiras, amor querido. 

Já entre as árvores alguém a vê. 
 Apressa o passo, 
 Corre veloz. 
 Quer tanto tê-la entre seus braços. 
 Volta-se ela escutou seu riso. 
 Correm os dois, fazem abraço. 

Caem no prado. 
 Dizem segredos. 
 Despe o corpete, diz ele então. 
 Ela entre risos, 
 Responde não. 
 Mas ateado o fogo está. 
 Ardem os beijos. 
 Bocas de rosa. 
 Mãos entrelaçam. 
 Amor se faz. 
 São corpos alvos. 
 Flores, estio,
 Leito de sonhos. 
 Ao abandono. 
 Beija-lhe o ventre branco… macio. 
 Vivem um sonho de amor vadio. 


Augusta Maria Gonçalves





02-03-2017

Sonho
Sonho, partilhamos o mesmo leito.
Bebemos os dois da taça da luxuria.
Teus olhos bebem as fontes de meu corpo.
Dizes,
Teus cabelos soltos são quedas de água.
Rio, num cantar melodioso de cascata.

Degusto com o olhar, a escultura perfeita do teu corpo.
Peço, abraça-me forte, tal como o mar abraça areais.
Sim! Arrasa meu gosto e sentidos.
Faz-me ondular ao vento.

Sonharei!
Que tu amor, és vento.
Forte vento.
Faz de mim, pétala solta.
No nosso mais intimo momento.
Guarda na memória, a luz que me encendeia.
Amor.

Augusta Maria Gonçalves.



“DESEJÁVEL OU NÃO?”
Posso já não ser tão desejável
A minha pele não ser tão sedosa
Posso não ser já tão sensual
Os meus lábios podem estar preguiçosos
Mas sempre te beijam quando os beijas
Os nossos corpos ainda se conhecem
Encaixam na perfeição
Ainda enlouquecemos de amor
Ainda gostas do meu perfume
Ainda sinto borboletas no estômago
Ainda vamos atrás da emoção
Ainda nos escorre o amor entre os dedos
Ainda és a minha poção mágica
Ainda sabes a sal e a maresia
O silêncio percorre a nossa mente
O teu toque parece música
Tocamo-nos…a noite escuta o segredo
És um rasgo de ternura no nosso amanhecer
Voos rasantes de aves imaginárias
Caricias de amor ardente
Somos dois corpos selvagens
Em uníssono no acalentar da madrugada
Só ficam as sombras dos corpos
Afinal …sou desejável…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




 VOO AO SOL
Minha única paz,
vida, glória, esperança
vontade de amar
embala em ti,
sem saber caminhar,
a ti me doei.
Como sorrir poderei
se o único facto que tenho
é a ausência do teu querer
que me sufoca lentamente,
com lágrimas que escorrem
em mudez.
Perguntas me ocorrem,
sonho ou negrura,
e a parte de mim, passando,
apenas tu continuas viva,
és a minha força.
Tudo o que sou
sou por ti,
sem ti é difícil
ser.
Beijei-te no luar,
sonhei, teu corpo ebúrneo
de diáfano tule vestido,
ao meu encontro
se doando, enternecido,
em conjunto voo de sol.


José Lopes da Nave



Recordo-te…
Cada centímetro teu…
Cada curva do teu corpo…
Recordo a cor da tua pele…
Creme…
De África
O teu cheiro e o perfume do teu cabelo!
Lembro as tuas manchas negras
De pressupostas agressões
E os olhos brilhantes…
Negros…
Assim como a alma!
Recordo o modo como te entregavas…
Talvez para o esquecer…
Para esquecer…
Ou talvez para o castigares!
Lembro os teus seios
E com um sorriso talvez malicioso…
Recordo os teus mamilos pequenos e rosáceos
Que acariciava e deliciosamente beliscava…
Enquanto tu…
Numa ânsia arrebatadora…
Desenfreadamente
Gemendo e ronronando
Me «cavalgavas» incessantemente…
Na tua posição preferida
E eu ficava ali…
Inerte…
Extasiado…
Submetendo-me…
Entendendo-te…
Inebriado pela tua beleza
Quando de olhos fechados…
Desfalecias…
E de peito no meu peito
Feliz…
Adormecias!


Luís Farto




 Amor
E os sorrisos brilharam
Quando a noite se aproximou
Teu corpo frio aqueceu
E junto ao meu se chegou
Respiro ar na leveza do ser
Momento sublime do acontecer
Em que o amor se desarrumou
E nossos nomes gritou
No êxtase​ do nosso querer.


FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto


23-02-2017


TATUAGEM
Tatuo o amor na sedosidade da tua pele.
Propositadamente. Audaciosamente. Quedando-me no decalque de cada traço.
Alma de artista que sulca entre obstáculos macios, onde se viciam os dedos.
Gotículas orvalhadas de desejo prenunciam a madrugada, sentidos despertando o dia, fundindo-se num abraço que confunde o estiar das horas.
Cada traço que te enforma compõe o puzzle da beleza que te contorna.
És templo de adoração. Local sagrado. Ciclo vicioso. Um lugar já revisitado.
As palavras trocam-se, tocam-se, num leve sussurrar onde tudo se eleva de sentido.
Inebriante contradição! É sempre nova, cada tatuagem, que te impregno na pele.


© Antero Jeronimo




“LENÇÓIS DE CETIM”
Gosto dos nossos lençóis de cetim
A sua leveza em nós
Nascem de mim para ti
Fazem-nos viajar
No tempo
Por lugares desconhecidos
Montanhas e vales
O meu corpo e o teu
Em caricias constantes
Luz em mim e em ti
Conquistas-me
Segredos murmurados
Na ardência de mim
Na volúpia de ti
No poder que tem o amor
Sinto-te na alma
Acabamos e recomeçamos
O amor flutua no ar
O toque em mim
A tua pele e a minha
Magia
O sabor do beijo
O suor em nós
O amor a dois
Acabámos…
Recomeçámos…
O que fazem uns lençóis de cetim…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA





 NEGRO e BRANCO

Sou o chocolate
Que te adoça a boca
De negro vestido
Agro o paladar
No teu degustar
Sacio a tua vontade
De te lambuzar
Mas eu gosto de doce
De branco e quente
Ser transparente
Te seduzir
Dar uma trinca
No chocolate
Ver-te sorrir
Nos lábios gostosos
Atear a paixão
Barrar o teu corpo
Negro e branco
Será meu encanto
Degustarmos​
O nosso prazer
Até nos fartarmos

Anabela Fernandes




Melodia de amar
Sinto 
os teus olhos 
nos meus
e o meu ser 
estremece.
O
Universo 
em sintonia 
connosco
abre-se 
e tinge-se 
de mil cores
para receber 
o nosso amor
em 
caricias
de fogo 
e ondas
de paixão.
Juntos 
sentimos 
amor 
e emoção
os nossos corpos 
procuram –se 

encontram-se 
ávidos de prazer.
E
Unidos 
somos
cúmplices
do amor 
que nos une .
Não!
amor
não digas 
mais nada
sente 
e escuta 
a nossa
eterna 
melodia 
de amar-

Mila Lopes



 Sou
sou floco de neve
...que derrete
no quente ardente
...do teu corpo
deslizo feita água
pingos que te lavam
amor que te veste
...e alago-me em ti
feita braços em gestos
...floco de neve
que solto se atreve
e em ti escreve
e em ti prescreve
e se desfaz em amor


FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto




 TU e EU
Escaldas-me os sentidos,
não te posso dar ouvidos;
sacias o meu amor,
com um ar provocador;
desvio o olhar para não te ver,
e tu... Tu colocas-te à minha frente;
não dizes nada, apenas me olhas com amor,
e eu... Eu fico calada...
por vezes até um pouco envergonhada,
beijas-me com o olhar, estremeço;
não te o posso negar...
Calas as palavras que me queres falar,
e eu... Eu finjo que não te estou a ver;
e tu... Tu insistes, persistes,
até um dia eu ceder...
És fogo, és paixão,
és tudo o que uma mulher ao seu lado quer ter:
e eu... Eu já provei o teu doce mel,
e tu... Tu já entendestes que te escrevo,
que te amo, que és tatuagem neste papel.

Eu e tu... Tu e eu...
Num Mundo tão nosso...
Tão teu e tão meu.
Florinda Dias 


16-02-2017

“O SILÊNCIO “
O silêncio ouve-se
Sinto o som do teu silêncio
No sonho que se esvai
A convidar dois corpos a amar
Acordam as mentes adormecidas
Sinto o calor do silêncio amordaçado
Noite que exala amor
Amor que caminha na escuridão
Palmo a palmo
A ansiedade toma conta de nós
Numa emoção e desejos
Acordamos do silêncio
Abraças-me e acaricias-me
O teu toque tem magia
És um vulcão em erupção
Louco e suave, terno e doce
Silêncios de amor e cumplicidade
Vivemos o momento
Paixão de duas almas
Que se fundem numa só
Levas-me ao infinito
Sussurras ao meu ouvido
Palavras de amor e ternura
Beijas-me sofregamente
Consolidamos a noite
O silêncio ouve-se…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




Ao te encontrar,
comecei a sentir uma estranha brisa,
suave então, mas a transformar-se em vento brando,
prendendo-me a emoções e sentimentos,
a dirigir-me para o olho do vento,
fazendo-me respirar mais rapidamente.
Ainda!
Foi a velocidade daquele vento
que fez construir a comunhão
entre o coração, a mente e a alma.
E, nos meus sonhos
com as mãos te desenho
com os lábios te pinto
enquanto uma canção de amar te canto,
olhando a existência verde de esperança
e a alegria era a minha linguagem.
Acreditei e olhava o mundo completo de felicidade,
e, como não deveria ser assim,
diz-me.
Porque ainda não te compreendia
e não percebia
a mão de ajuda que me ias dando.
Deverei ficar estático,
ou lutar, a provar quem sou,
deixar a corrente da vida,
enfrentar as hesitações e esperar?
Não.
Mas, guiar os corações, aceitar
que nós somos semelhantes e o mesmo.


José Lopes da Nave



PARA TI...
Para ti, o meu pensamento voa
quando ouço a mais linda canção
melodia que em mim soa
em acordes de paixão.


Por ti o meu corpo treme
num frémito de ânsia e ardor
no peito o meu coração geme
sedento de ti meu amor.

Para ti abri clareiras na minha alma
deixando entrar esse sol do teu olhar
essa luz que me ilumina e acalma
o farol que me ajuda a navegar...

Para ti me dou em poema
beijando os versos que escrevo
és nuvem que na manhã me acena
mar de encanto onde me atrevo...

Para ti serei a fonte do teu calor
contigo eu quero o sonho perfeito
onde eu possa derramar todo este amor
que não me cabe no peito...

Aida Maria (Aida Marques)



Pura magia
por vezes
o tempo pára
... e fala o silêncio
...... no amor
e nada separa
... e nada existe
para além do calor
irresistível...que persiste
... em pura magia
e é a sensualidade
... a fantasia
do corpo...no corpo
... que se move
amor que absorve
...no vai e vem
......da união
segueira na escuridão
como as ondas do mar
que se espraiam
num êxtase de relaxar
nesta nossa dança
que nos balança
... no amar
e...enjaulada nos teus braços
... sem espaços
e em pura magia
... adormeço
...... nesta nossa fantasia


FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto




 GUITARRA EM MEU CORPO
O meu corpo é uma guitarra
Dedilhada por tuas mãos
Teus dedos longos e finos
Que suas cordas tocam com sedução.
Para ti não tem segredo!
Sabes todos os compassos
Está sempre bem tratada
Só tu sabes tocá-la e afiná-la
Por isso o seu trinar
É sempre ouvido com amor
Momentos de grande emoção
Que faz vibrar o coração.
A letra é amor puro e sincero
A música é cumplicidade
Que sempre tocas baixinho
Para não acordar a saudade.
Quero-te sempre meu guitarrista
Outro não poderá ser!
Conheces meus gostos e sentires
Não quero outro vir a ter.
Guitarra toca aquela canção
Que nos faz vibrar de amor
Toca baixo e com o coração
Para que eu amo o meu senhor.
Guitarra, amor e fado…
São amigos de longa data e eleição
Por isso te peço com ardor
Toca-me guitarra com sentimento e amor.

Rosete Cansado



 Doce doação
Tu que és de mim
eu que sou de ti .
__Elevas-me__
Fazes-me voar!
Ir mais além do meu frágil ser
não é sonho!
É verdade que envolve a minha alma
Tu que estás em mim
íntima fração de amor
o nosso encontro é puro
és a verdadeira existência
que completa o meu ser
porque tu és meu!
__E assim__
Eu vou-te descobrindo
e saboreando aromas
nas cores do teu corpo
onde pintam sabores
que no meu coração despertam
mais e mais amor.


Direitos de @utor reservados
Mila Lopes




 FLOR DE MEL

Vesti rendas e sedas
No corpo semi nu
Transparente e perfumada
O que tanto te seduz
A música envolvente
Um luar esplendoroso
Nos convida a desfrutar
O prazer de amar
Carícias trocadas
Beijos molhados
Lábios saciados
Num prazer desmedido
A mim estás rendido
Sei-te de cór
Cada traço teu
Cada curva do teu corpo
É um gosto meu
E tu sábio me tomas
Num ritmo fervoroso
Ali naquele momento
És maravilhoso
Sentimos o tempo voar
Entre gemidos de amor
Fomos um do outro
Tua flor de mel

Anabela Fernandes




 AMOR
Eram lembranças de um tempo.
De tempo de amor.
Tempo de arrepio à flor da pele.
De tempo de beijos...
De caricias, de pétalas soltas acesas em perfume.
Eram suspiros, sopro que ateava chama e lava.


Tu me vestias de ternura.
Me despias com, mãos de loucura,
Num desejo arrebatado.
Beijo a beijo, cingias meu corpo
Terno era o manto...

Hoje dentro do tempo caminhado.
Caminho ao teu encontro.
Eis-me aqui!
Diante de ti olhos nos olhos.
Mãos carentes!
De tatear as tatuagens de nós.

Nos degustamos docemente, poro a poro.
Saboreando.
O sal e o mel do amor.
Eis-nos aqui!

Augusta Maria Gonçalves.







09-02-2017
 MEUS DIAS

Os teus dias chamam-me, 

durante os meus sonhos,

as tuas mãos aquecem-me

mas permaneço, 

como uma ave morta 

caída na relva. 

Essas mãos me fazem esquecer 

as canções da solidão que me envolvem 

ao sentir o deserto da noite.

Nos meus sonhos lindos, 

pondero que és a estrela

cuja luz recai no meu ser. 

Tantas vezes, estamos juntos, 

enquanto durmo e torno a ti, 

cada noite, é uma carta de amor 

e, vendo-te, sinto o sabor dos teus beijos. 

Peço um milagre 

e será, tudo luz,

não me verás longe dos teus olhares, 

sentirás a resposta do meu coração.

José Lopes da Nave




“ESCREVO-TE POEMA”
Escrevo-te poema
Na noite…No dia
Na escuridão…Na luz
Penso e iludo o coração
Fantasio o amor
Escrevo-te ao luar
Lembranças que em mim despertas
Nas ondas do mar
Na loucura de um desejo
Na ternura de um beijo
No aconchego daquele abraço
Nestes prazeres contidos
Escrevo-te enquanto amo
Quando me envolvo em ti
E me dou por inteiro
Num ato de amar desinibido
Escrevo-te palavras sentidas
Esperando o teu retorno
Na imagem do espelho
Nossos corpos enrolados
Tu e eu …Somente
Escrevo cada pedaço teu
Na tua pele suada
Juntos no nosso ninho
Escrevo-te poema…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA





 NO CORPO TEU!

Na tua beleza navego.
O contorno dos teu lábio decorei.
Do desenho do teu rosto não esquecerei
Tenho a imagem comigo.
Os teus olhos me aprisionam
O teu corpo me enlouquece
A tua vontade me chama
O desejo em mim permanece.
Quero-te sentir, quero amar-te
Nesta loucura, sedento de amor, de desejo
Deitar na cama e possuir-te
Ter-te entre os meus braços, teu beijo.
Sentir o teu calor
Sonho com os nossos corpos húmidos
Molhados num sentido só, numa permuta de fluidos
Envolvidos com amor.
Entre gemidos de prazer,
São momentos de loucura
Sem saber mais o que fazer
Amamo-nos com ternura.
Sussurro-te no ouvido
Percorro o teu corpo com a mão
Querer deixar-te duvido
Pois que é grande a emoção.
Deixa-me levar-te ao paraíso
Perde-te nos meus lábios, entrega-te
Não renuncies esta paixão, devora-me
Sou tua meu corpo alma doteu amor preciso.
A ti entrego-me sem pudor
Serás eternamente meu
Á tua vontade desse amor
Sinto-me em ti,sentes-me?:NO CORPO TEU
Carmen Bettencourt




 Chegas, tocas-me, trauteias ao meu ouvido
excitante bolero, de duplo sentido
que suave arrepio me causa na pele;
roças os meus com teus lábios de mel.


Tal teclas de piano vais-me dedilhando,
os acordes do bolero vão ecoando,
nossos corpos ardendo na chama ateada,
suspirando, pela plenitude almejada.

Num envolvimento, fremente de desejo
de paixão, trememos a cada troca de beijo,
consumando assim o que a loucura pede .

Sorri a Lua, na sua cumplicidade...
eternamente fica na nossa saudade
o sumo momento, por amantes vivido
certos que a vida até à morte os há unido...

Ausenda Ribeiro



 ÉS O MEU POEMA

És o meu poema em noites de luar
Que deitada na areia junto ao mar
Vejo as estrelas cintilantes e a lua a brilhar.
Sinto-te quente e ofegante de amor pujante
Quando me tentas agarrar e sofregamente beijar.
Meu corpo treme ao toque de tuas mãos
E, num momento de alquimia, nos unimos
Com sentires e desejos profundos
No âmago do prazer adormecido.

És o meu poema em noites de luar
Que te desejo em qualquer lugar.
Saído da minha mente e no meu corpo mergulhar
Cerejas doces mordiscar com cumplicidade
Nos teus olhos ficar a olhar e amar para sempre
E desejar-te em qualquer lugar.

Rosete Cansado



 COROLA FLOR
Tempos ledos.
De riso e travessura.
Coração palpita,
Desenfreado amor procura.
Vem amor.
Vem, que te não sinto.
Ver-te, vejo.
Sei! De sonho em sonho.
Me cobres de caricias mil.
Durmo e sonho…
Numa embriaguez de absinto.


Desperto!
Já pressinto teus carinhos
Teus desejos.
Vem está o leito preparado.
De pétalas adornado.
Eu sou a candida flor

Vem amor…
Não deixes que eu flor perca o fulgor.
O desejo, o tenho aceso em meu olhar.
Te deste, sempre me darei.
Meu porte delicado, anseia de ti o corpo e o enleio
Falta teu beijo.
Vem amor delicia-te,
Delicadamente

Onde estás amor meu.
Vem devagar.
Sou a corola da flor.
Ama-me sem me desfolhar.
Segreda-me eu ser tua.
Serei pétala pura,
Te direi, és meu.

Augusta Maria Gonçalves



 Eu em ti
Sou eu em ti
Sonho do teu sonho
Num sonho meu
Que na noite nasceu
E lá...eu flutuo
... pássaro livre
e voo...corpo leve
...leve...
Dunas afagadas
Nas curvas em movimento
Lento por mãos levadas
Sonho no meu tempo
Em que te fazes
Anjo meu
...que trazes
Nas asas o coração
E a proteção
...do meu caminho
E em ti fico
...dentro...crio ninho
......no teu carinho
...E voo...e flutuo
Aconchegada
...bem agasalhada
......no teu abrigo
...deixo-me ir
...neste sonho...contigo

FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto




 Vem amor
Quero viver uma vida inteira ao teu lado
sentir entre nós o amor eterno.
Vem amor
Quero viver sempre apaixonada
e sentir que sou sempre a tua amada.
Vem amor
Quero ouvir dos teus lábios palavras de amor
e ao olhar os teus olhos sentir o teu amar.
Vem amor
Quero adormecer nos teus braços
e os teus lábios com sabor a mel beijar.
Vem amor
Quero acordar com os teus beijos
e sentir em ti sempre amor e desejo.
_______________*_____________


Vem amor quero ser tua eternamente
.

Mila Lopes





Chegaste já de noite e trazias nos olhos o desejo,
no corpo a ardência de quem precisa amar
e ser amada.
Esperei a tarde inteira para te amar, e para
colmatar
o tempo, bebi mais e mais um copo.
Fiz o jantar e caprichei no vinho, aquele que tu
gostas,
não deixei nada ao acaso.
Eu conheço-te bem. Por ti eu faria o possível
e o impossível para te agradar.
Enquanto chegavas e não chegavas, ajustei a toa-
lha da mesa e os talheres mil e umas vezes, já os copos,
nunca dei com o jeito de os acertar.
Os nervos foram tantos, muito mais
do que da outra vez.
Jantámos!
Jantámos à luz das velas, num ambiente
romântico,
mais um copo,
o calor transbordou do nosso corpo e eu beijei
os teus doces lábios
há muito apetecidos.
Saciámos a sede. Era um desejo
mútuo...
A noite foi longa, escaldante, talhada à nossa
medida.
Ficam saudades...


José Maria... Z L




Sei(te)
Em cada gesto meu
O teu olhar
Seduzes(me)
Sou dona e senhora
Uma mão e um sinal
Entendo(te)
Dispo(me) de preconceitos
Entro na tua libido
Na febre dos teus sentidos
Que incendeiam o meu querer
Tateamos incandescentes momentos
E entregamos a alma
Sentimentos ao rubro
Sei(te)
Uma mão e um sinal

Fernanda Cerqueira



02-02-2017
 LUA MÁGICA
Debruçado na janela
a brisa me afaga suave,
tal os teus beijos
que me enamoram.
A lua queda-se
e reflecte o teu olhar cantante,
o corpo baloiçando,
aspergindo flores de jasmim
em bailado mavioso e oscilante
num pas de deux afectuoso
de carinho e amor.


José Lopes da Nave



“GOSTO DA TUA PELE”
Gosto do cheiro da tua pele
Gosto de acaricia-la
Do roçar da tua pele na minha
Escrevo poemas na tua pele
A tua pele respira amor
Abraça-me forte
Quero sentir a tua pele
A tua pele é um mar de emoções
Gosto de despir a tua pele
Vestir a tua pele na minha
Aqueces-me a pele e a mente
Um toque na pele
Um jogo de sedução
Arrepias-me a pele
Tocas-me e o prazer flui
As nossas peles conhecem-se
Sabem qual o caminho
Alisas-me a pele suavemente
Mãos trémulas numa viagem a dois
Deslizas no meu corpo
Devagarinho, sem pressas
Minha pele responde
Amo-te…
Dois corpos suados
Fundimo-nos num só
Revigoras-me
Gosto da tua pele…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




 MOMENTO

Chegou o momento tanto esperado
Entre os pingos da chuva te vi aparecer
Um pouco sem jeito e desconfiado
Se afinal irias por fim me conhecer

Sem nada dizer te abracei docemente
Teu corpo termia homem sedutor
Ali rendido á paixão loucamente
Esperando sentir o fervor do amor

Não foram precisas palavras apenas olhares
Cúmplices de desejos tanto reprimidos
E tu junto de mim a me desafiares

Num tempo sem tempo tomei a tua mão
O mar confidente e sem estarmos escondidos
Fizemos amor sentindo a emoção

Anabela Fernandes.



 Nós dois
enamorados
o teu corpo
no meu corpo
beijos
abraços
desejos
gostos
e mil
sabores.
Nós dois
juntos
no mesmo
laço
no mesmo
abraço
unidos
nas
asas
dos sonhos
colhendo
desejos
do amor
sentido
por
nós.

Mila Lopes



Despertar em Amar
...e a madrugada despertou
no quarto de lençóis desalinhados
lançou a tênue claridade sobre nós
e despertou os sentidos do sono
e...aos teus olhos juntei os meus
roubei os beijos que eram teus
as mãos correram por teu corpo
... preguiçoso...langoroso...
sentindo...acariciando...amando
e tu...despertas sonolento
...ternurento
tuas mãos percorrem meu corpo
lentas e rápidas e loucas
e da tua boca saíram palavras roucas
na rouquidão que o amor provoca
...ar que nos sufoca
e as asas do desejo voaram sem sentido
assustadas pelo êxtase gritado
e os sentidos cansados adormeceram
...na madrugada
testemunha silenciosa
de despertares que aconteceram
...em um momento
FCJ

Fernanda Carneiro Jacinto




 Louca de desejos
Louca de desejos
Desejos insanos
Loucos poros
Transbordando
Os meus olhos
Palavras de carinho,
Teu jeito doce de chegar de mansinho
Suave encanto,
Doce magia no teu olhar
Sentimento de um fogo intenso,
que me atormenta e me faz sentir...
minhas mãos percorrendo teu corpo,
loucamente, te materializo em meus sonhos,
sinto tua boca na minha,
tua língua de fogo a percorrer minha pele,
Louca de desejos
Perco me de mim mesma
Sobre os improváveis abraços teus
Me deixam flutuar
Numa magia contemplada pelo luar
Na cama do teu corpo
Me deito saciando a vontade
do teu amar


Sónia Pinto




LEVA-ME!
Por caminhos de amor e prazer
Se inflame na chama do meu corpo
Sufoca-me até nunca esquecer
Enrosca no meu o teu rosto,
De forma natural
Eu entrego-me a ti
Num momento escaldante sem igual
Leva-me para mais perto de ti.
Vem me induzir aos anseios teus
E aos desejos tão loucos meus
Naquele momento naquele instante
Em que o momento é escaldante.
Que aos poucos vão nos consumindo
De tanto amor e prazer
Mesmo conseguindo
Para jamais esquecer.
Eu quero teu amor
Quero que me tenhas por inteiro
Amando com ardor
Como se fosses o primeiro.
Quero teus beijos ardentes
Tão doces... tão quentes...
Embriaga-me com teu perfume
Do teu corpo.teu queichume
Para que possamos viajar
Nesse amor tão bonito e e belo
Desejando sempre amar
E connosco sempre te-lo!!!
Carmen Bettencourt





26-01-2017

ANOITECEU


Anoiteceu e todos se foram embora

Somos só tu e eu,em saber o que fazer

Pois que chegou a hora

E tinha que acontecer.

Senti tua respiração

Tuas mãos passeando meu corpo

Ardente aquele mometo de paixão

Onde via só teu rosto.

Sinto tua face na minha

Tua boca no meu beijo

E assim se caminha

Com todo o nosso desejo.

Sem palavras apenas gestos

Não sendo necessário mais nada 

Naqueles momentos escaldantes modestos

Eu por ti ser amada.

Descobrindo o que se promove

No demais instante

Os corpos se entregam tudo move

Num momento escaldante.

Transpirando de desejos 

Respirando amor e paixão

Sussurrando ao ouvido com beijos

Vindos do fundo do coração.

Foi a mais erótica sensação

Por algo que se vicia

Amor desejo paixão

O ritual que se inicia.

Sinto o teu perfume

Estás longe e tão perto

Assim eu com meu queixume

Naquele momento recordando teu rosto!!

Carmen Bettencourt





A PROMESSA...
Aguardo-te impaciente
com um sorriso no olhar
não quero que me vejas triste
quando o momento chegar.

Meus lábios estão ansiosos
para os teus saborear
nesses beijos carinhosos
que só tu me sabes dar.
Sinto as minhas mãos trementes
na ânsia de te tocar...
descobrir tudo o que sentes
quando eu te afagar.
Mergulhar no teu olhar
ler nele a tua paixão
ansioso por me abraçar
sedento da nossa união...
És para mim a promessa
do meu regalo e prazer
a febre que me atravessa
só em ti cura há-de ter...
Aida Maria (Aida Marques)





AMANTES.
Chovem estrelas cadentes do céu,
Iluminam os teus olhos brilhantes,
Descubro teu lindo rosto do véu,
Beijo teus lábios, eternos amantes.
Em teu cabelo baila a brisa do mar,
O teu sorriso um convite ao amor,
Teus lábios uma flor a desabrochar,
Teu corpo ondas do mar em furor.
Nossos lábios colados com paixão,
Rolamos nus na areia fina da praia,
Como testemunha a brilhante lua.
Sinto bater acelerado o teu coração,
Acaricio a pele fina como cambraia,
Teu corpo arfante, navio que flutua.
Francisco Galvão.

“A PALAVRA”
A palavra 
Terna e morna
Dança sensual
No meio do nada
Na caricia de um beijo
Num abraço teu
No toque dos corpos
Na malicia do olhar
Num grito tresloucado
Numa entrega total
Num roçar de ternura
Num murmúrio sentido
Num amor sem barreiras
Numa volúpia sem par
Esperas-me
Sacias-me
Quero-te
Enlouqueces-me
Perdemos a noção
O tempo dá-nos tempo
Percorres-me
A palavra não tem tempo
Amamos sem palavras…
“BRASA” MAGADA BRAZINHA




 SONETO DE AMOR
Não me peças canções nem baladas,
Nem palavras, abre-me o teu peito
Deixa cair as pestanas fechando os olhos
Que entre os teus braços me alinho com respeito.
Na tua boca pousarei a minha com desejo
Que nossas línguas desvairadas se buscarão
Na languidez de um sentido profundo
Farão pulsar de amor o nosso coração.
Uma língua somente… em duas bocas unidas
Trocaremos nossos beijos em perfeito ênfase
Sentindo o nosso sangue em nós a pulsar.
Depois… meu amor abre os teus olhos
Verás que os meus estão a chorar por amar
Não digas nada… A vida, foi ela a nos juntar.
Rosete Cansado





 ENTRE BEIJOS E SUSSURROS.
Sorve a minha saliva,
Possui o meu corpo,
Entre beijos e sussurros,
Faz de mim tua loucura.
Rasga a minha veste,
Escorrega tuas mãos
pelos meus ombros,
Deixa teu suor na minha pele,
Aflora meus íntimos desejos.

Fica agarradinho comigo,
Me retém nas tuas pernas,
Acaricia a minha carne,
Me conduz ao gozo.

Sónia Pinto



És tu…
Quem me atiça o desejo
Me enlouquece com um beijo…
E uma caricia sensual!
És tu…
Quem me entontece…
Em meu corpo estremece…
Numa posse infernal!
És tu…
Minha ninfa do prazer…
Quem minha alma quer comer
Num louco instinto canibal!
És tu…
Quem numa ânsia desmesurada…
Se me revela despudorada…
Numa embriaguez de amor!
És tu…
Quem me tolda os sentidos…
E nos sentimentos envolvidos…
Me queima com o teu calor!

Luís Farto




 EVA

Era linda, formosa, esbelta risonha.
Agil como corça,
Torneadas as pernas…
Terminando no pé tão delicado.
De ancas redondas.
Como ânfora.
Contendo o perfume do pecado.

Olhavam-na olhos indiscretos.
Cheios de pensamentos menos bons.
Uns despiam-na.
Outros a beijavam.
Outros ainda mais ousados.
Os lábios carmim…
Rosa perfumada perdida no jardim.
Profanamente mordiscavam.

Tremia a calçada ao seu passar.
Graciosa de gestos riso franco.
Tinha no olhar o céu azul claro.
No peito flores, em botões ainda por desabrochar.
Na cintura um verbo por decifrar
No ventre a generosidade de um amplo mar.
Mas sabia bem o desejar.
De umas mãos de seda.
Que teceriam mapas no seu corpo.
Onde habitava a fome desconhecida,
Da Eva pronta a desbravar.

Augusta Maria Gonçalves.







19-01-2017



EDIFICAR



Não ouses amor. 
Não ouses ignorar. 
Pois foi dentro da noite. 
Que o amor se desenhou. 
Numa cama de luar. 
Recordas? 
Disseste!
Aqui edificaremos. 
E foi ali. 
Foram alicerces de ternura. 
Foram desejos de desbravar.
Beijo a beijo o sal da pele. 
Foi escutar a louca voz dos sentidos. 
Foi tatear as curvas da nossa nudez na noite acesa. 
Foi velejar o barco do amor por rotas só sonhadas.
Mas nos perdemos. 
Nos demos em enlaces de desejo e espasmos. 
Foi termos o cais das nossas bocas. 
Foi o rasar o céu, caminhar tocando estrelas. 
Depois… 
A noite em nós adormeceu. 
Recordas? 
Sentimos frio. 
Foi o resplandecer do sol o nosso, sedoso e delicado véu. 
Recordas amor!?


Augusta Maria Gonçalves.


“ÉS TUDO”
Despojas-me os sentidos
Sentimentos gritantes
Pairam dentro de mim
Ecoam em ti
Paixão velada na tua boca
Desejos que se entrelaçam
Em cada toque teu
Há um apelo ao amor
Um arrepiar de pele
Matizado como um arco-íris
Deixas-me tresloucada
Nas madrugadas amantes
És a leve neblina
Que baila no meu corpo
Deixas mel na minha boca
Sorrateiramente beijas-me
Saboreamos o doce sabor
É como se sol nascesse
Radiante e rubro de amor
A volúpia aumenta
Dançamos o amor
Bailamos como um só
Amamos a dois
Terno aperto de mão
És a vida que dá vida
És tudo…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA



A ILUSÃO DOS SENTIDOS...

Porque é em ti que desagua o meu desejo
procuro-te na recordação de um beijo,
o que sempre me embriaga de emoção
e transborda de ternura no coração.

Revejo-me assim no teu abraço
meu corpo colado ao teu como num laço
onde me dispo de preconceitos,
onde os nossos pulsares são perfeitos.

Acorda em mim o sonho há tanto adormecido,
volta ao meu corpo esse calor apetecido...
respiro ofegante de excitação, embargada
pela falta da tua presença que tanto tarda...

Desafio todo o sentir que há no meu peito
olhando o teu lugar vazio no meu leito...
e adormeço pensando que tu, ser amado,
ao acordar estarás de novo ao meu lado...
Aida Maria (Aida Marques)



NA PRAIA


Os últimos laivos de sol, raiados
brincavam connosco
na areia da praia.
Enquanto deitados,
as ondas tépidas
beijavam-nos os pés ternamente
como as carícias que trocávamos
afectuosamente.
Alongada, olhavas-me,
sorrindo,
fascinavas-me
com teu corpo florindo
em tuas mãos acalentado
nele me sentindo
por teus braços apresado,
em revolta agitados
corpos cingidos
em amplexos
dissolvidos
entre
beijos fermentados
encantados.

José Lopes da Nave



VOO OUSADO
O nu insinuante projecta-se no chão da imaginação
seduzido pelos encantos da luz libidinosa
que em pinceladas eróticas desenha suaves contornos
revelando as sombras dos nossos ébrios momentos.
Corpo que veste as palavras desse sentir onde vagueio
na volatilidade dos sentidos em desassossego constante.
Enceto um voo audaz sobre as colinas dos teus seios
e a sombra das minhas asas se engrandece de vontade.
Visão de condor, que plana sobre o desfiladeiro que encerra
a gruta mistério dos segredos por revelar.
Metamorfose de insecto, ofuscado pelo brilho do teu sexo
desfaleço mais e mais em esvoaçar estonteado
preso na teia, em doce caos enredado.
Por onde deixo escorrer o magma liquefeito
no regaço acetinado e quente do teu jeito.
Neste breve instante em que estou pousado em ti
vivo no teu corpo, e esqueço-me de mim.

© Antero Jeronimo,



EMOÇÕES


Sinto-te num beijo longo e quente
No raiar da aurora com o canto dos pássaros
Dentro de lênçoís de fino linho bordados
Embriaga-me o coração e deleita meu corpo
Que junto ao teu se envolve na camisa de tule
Sinto o teu cheiro e o desejo de me amares
Com ênfase e paixão.
Seduzes-me quando meus olhos procuram os teus
E numa longa dança de emoções
Desafio-te para o meu corpo apetecido de desejo
Respirando, ofegante que me tomes nos teus braços
E me faças tua! Sim tua somente…
Em mim desaguas todo o amor que te envolve
Dando-me alegria e prazer.
Enlaçados e saciados, adormecemos felizes
Acordei, julgando estar a sonhar…
Mas tu estavas a meu lado amor! Embevecido
E apaixonado.
Beijaste-me com carinho e disseste:
O amor acontece quando se ama ternamente.
São emoções que nem sempre a razão as conhece.

Rosete Cansado


A Nossa Dança
Num momento escaldante,
vi-me num momento errante;
vi-me contigo em pecado:
mas fui por aí adiante...
flui no amor que tinha por ti;
e foi num momento escaldante,
foi ... Foi aquele em que por ti me perdi:
Perdi-me ou não...
Nessa tão grande e tempestuosa Paixão,
nessa dualidade que por um tempo.,
nos deu um sim ao amor e à ilusão;
beijei-te com fervor...
E tu num terno abraço sentias o meu laço,
era mágico...
Quando me cantavas a nossa canção,
cantavas pra mim e ao mesmo tempo;
os teus dedos trinavam,
num leve toque, como um toque de viola
e eu serena ouvia-te calada...
acariaciava-te os cabelos em sentimento;
e ficava a ouvir-te até adormecer ...
Como não lembrar, essa doce madrugada
Num todo...
Tudo passou num instante;
vivemos assim juntos...
Um Momento Escaldante.
Florinda Dias



A dança do amor
O calor do teu corpo acende a minh’alma
levando-me ao abismo de desejos
louca e sôfrega
sinto a paixão me consome
voo entre nuvens e versos de carinho
pouso nos teus braços
que me acolhem com ternura
doce arrepio sons e melodias
e acordes de musica romântica
apaixonada ouço os de teus gemidos
a lua dança as estrelas brilham
e o sol banha nosso corpo nu
os anjos encantam-se
ao ver tamanha loucura
unidos dançamos trocamos carinhos
na cama de nuvens nos amamos
e no céu do amor levitamos.

Mila Lopes



LÂNGUIDOS DESEJOS


Vem numa noite de luar
Ao som da melodia que nos desperta
Em cada manhã em que sentimos a distância traiçoeira
E nos envolvemos nos sonhos que sonhamos
No amor que não fizemos
No desejo que desperta ao ouvir a tua voz
Mas vem...
Sem pressas porque eu estarei aqui
Sentada junto ao mar brincando na areia
Escrevendo o teu nome
Quem sabe um poema que irás sublimar
Vem amor sentir o calor dos meus braços
Sugar o este sabor amorangado do meu corpo
Alimentar a paixão que queima cada entranha do meu ser
Quero-te ter hoje, amanhã e sempre
Subir no teu barco á vela e irmos sem rumo
Ser o teu paraíso,na viagem que nunca fizemos
Nos prazeres recalcados que o tempo não apagou
E eu aqui estou esperando por mais um anoitecer
Ouvi o sino da igreja e senti ser um sinal de um final que teima em não terminar

Anabela Fernandes.


Ainda
Ainda ouço tua voz de veludo
Que num sussurro me dizia
Querido…
Amo-te mais que tudo
És tudo aquilo que eu mais queria
Sinto ainda teu corpo no meu
A nudez de nossas almas
A língua que minha saliva bebeu
O navegar em águas mais calmas
Fazes amor como ninguém
Com doçura nos movimentos
Os teus gemidos soam-me tão bem
Guardo-os em meus pensamentos
Se pudesse…
Manhã cedinho…
Acordava-te suavemente
e decerto te pediria baixinho…
Façamos amor novamente
Porque tenho medo de te perder
de não mais acariciar teu cabelo…
Dizes-me que não vai acontecer…
Mas como irei sabê-lo?

Luís Farto




E me sinto navegar
nessa paixão
que me derrete o coração.
Como aplacar o desejo
do meu corpo febril,
a morrer sem tua pele,
inebriada em mim?
Navegar no mar dessa paixão
Que transborda,
de cada célula do meu corpo.
Odor do teu suor,
nos lençóis de meu querer,
em gemidos de prazer...
Febril estou
nos rios de mim
que navegam em ti!
Vem
que o tempo se detém
e o sangue fervendo,
lateja em desespero.
Porque muito te quero
no corpo e na alma
de dia ou de noite!
Vem
navegar comigo neste rio
de desejo
que aflora em minha pele!
Traz a paixão e a ternura,
teus olhos a brilhar,
como luz a cintilar.
Vem
e navega comigo nas águas da paixão
em desejo e sedução.

Emilia Pedreiro


NAS MINHAS VEIAS CORRE O AMOR

A tua respiração corre nas minhas veias
Deliciando-me com o teu carinho
Beijas-me como a brisa quente em dia de verão
Acaricias-me com suavidade, que me dá calma
No teu olhar vejo ternura e confiança
Que se espelha no lago do nosso amor
Sou envolvida nos teus braços com esperança
Ouço o bater do teu coração latente de amor
Aperto-me no teu peito sentindo o teu cheiro
Que me faz entrar num mundo de sensações
Não são ditas palavras...
Os teus olhos fitam os meus,
Falam-me em volúpia e em entrega total
De um prazer que não inventado
Multiplicando-se em delírios e ais
Assim em nossas veias o amor tem fulgor.

Rosete Cansado



No meu corpo sinto o teu toque, mesmo sem estares aqui...
Sinto o cheiro, o aroma que em mim ficou de ti,
Nos meus lábios sinto o beijo que nossos lábios uniu
O suspiro de desejo que pelo meu corpo subiu....
Fecho os olhos e sinto a ternura de cada toque teu...
De cada beijo de doçura que me levou ao céu...
Ainda sinto aquele abraço que me fez sentir tão bem
O teu carinho em cada amasso, que me levou mais além...
Ainda sinto o teu desejo, a vontade de me ter em ti
A tua loucura em cada beijo, a vontade de ter te sempre aqui
Cada toque que causa arrepio e me faz sempre pedir mais
O teu calor que apaga o meu frio e soltar muitos e muitos ais.
Podes estar longe mas não te esquecerei
E quando voltares à tua espera estarei
Para te sentir de novo em mim
Com aquele desejo que nunca tem fim
Isabel Susana Marouço




CHAMA VIVA

Nos teus cabelos, fios de negrura
Planto afagos escorrendo em cascata

Do brilho intenso que inunda o teu olhar


Eclodem relâmpagos em mar de coral ardente

Dos lábios maduros de romã gretada
Reluzem laivos adocicados de orvalhada tentação

Na enseada acolhedora dos teus braços
Desfaço lonjuras pela extensão dos nossos abraços

Da seda pura que reveste as tuas mãos
Alvas pombas chegam em voo anunciado

Renascem então as bocas, na claridade dos astros
Lábios comprimidos na plenitude do erógeno sentir
Línguas que se encontram em rota de colisão
Buscando a saliva em fremente oásis sideral

Resta o fogo do sangue, alastrando
Consumindo a seara das entranhas
Em chama viva correndo sem margens
Pela força do ventre incendiado.

© Antero Jeronimo




Para nós o tempo a paixão aprimora
Coração acelera inebria e dia-a-adia melhora
Em intenso momento ardente
Naquele momento escaldante.
Onde os corpos se fundem mo ato amoroso
Fascínio,carinho,ternura
Num momento primoroso
Que se vive com loucura.
Amor que alucina inflama
Os corpos transmitem amor
Tudo o que vem com alma
É escaldante tráz calor.
Na alcova do prazer verdadeiro
Delirando de amor busco o teu abraço
Aquele momento fascinante o primeiro
Num eterno fascínio do corpo fazer um laço.
Levar-te ao delírio extremo
E perder-me em desejos excitantes
Calar-te enquanto gemo
Naqueles:MOMENTOS ESCALDANTES!!
Carmen Bettencourt




Dança do Amor

Silêncio
Na dança... Dança do amor
Em calmante e colorido prado
Florido em seu esplendor
Como manto ondulante de cor
Onde o beijo é terno e sagrado
E são os sentidos que sentem
Tateiam e deslizam e derretem
Na mulher embrulhada
Cintada
Em jardim de flores
Corpo quente sensual
Amor nos ardores
Loucura luxúria sem igual
São sabores e quereres
Sentidos entre dois seres
Esquecidos no silêncio
Desta dança...Do amor





FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto



SABOR A TI


Deixaste no meu corpo o sabor a ti
O mel que me adoça e me faz estremecer
Eternos amantes de uma noite louca
Embriagados de desejos partimos na aventura
Salientes que duraria só apenas alguns momentos
Mas que interessa se estavam presentes belos sentimentos
Tu foste o mentor e eu a aprendiz de um amor que não se contradiz
Mulher repleta de sedas e algumas transparências fui eu sedutora
Te levei ao auge e desfrutamos rendidos
Caindo na cama extasiados soubemos
Que um pelo outro estávamos perdidos
E hoje tenho a certeza que ainda sinto nos lábios
O vinho maduro que entre tragos saboreamos ao jantar
Sabendo que depois irias me beijar
Naquela noite onde o imenso luar
Se fez presente como uma benção
Ah! pudesse eu por ti chamar
Que hoje mesmo iríamos recordar...

Anabela Fernandes.



Gosto que percorras o meu corpo como só tu sabes fazer
De forma mais arisca ou mais doce dando me sempre prazer
Gosto que me beijes q que me abraçasses, que me amasses, tudo com amor
E com aquele desejo crescente que faz subir meu calor
Gosto de sentir a tua pele suave e quente
Que faz mil e uma fantasias povoar a minha mente
Gosto de te amar lentamente ou no frenesim da paixão
Gosto que percorras o meu corpo com a suavidade da tua mão
Gosto de sentir me tua, à luz da lua ou na escuridão
E depois ficar a ouvir o bater do teu coração
Como quem escuta a mais bela melodia
E sente no corpo e na alma uma imensa alegria..
Isabel Susana Marouço




Hoje

Nesta noite de lua cheia
preciso beijar teus lábios
abraçar eu corpo nu
entrelaçar minhas pernas nas tuas
entrar num jogo de sedução
e deixar nossas roupas espalhadas pelo chão.
Nesta noite de lua cheia
preciso ouvir as tuas juras de amor
deixar-me levar pela emoção
e sentir o teu desejo e paixão
e depois com a loucura de nos amarmos
dormir-mos unidos aconchegados.

Mila Lopes




ACENO DE ASA

Amor! Amor!
Porque não escutas minha voz.
Gravada tenho a tua, meu amor…
Também alguns suspiros,
Das horas em que o amor cantou em nós,
Assim como tatuada minha pele.
De beijos salgados e suor.

Olho a praia deserta.
Desenhados ao poente entrelaçados.
No areal dourado, ficou nossa moldura.
Foram testemunhas mar e bruma.

Sabia teu copo a sal marinho.
Fizeste de mim pérola rara.
Apertaste-me contra teu peito.
Amas-te-me na horizontal pose de estátua deleitada.

Mas, hoje amor, tenho saudades.
Teceu o tempo outros caminhos.
Escuto-te no marujar de cada onda que se quebra.
Abraçando a areia com carinho.
Dizem-me as gaivotas, em aceno de asas.
Parte! Refaz esse teu peito.
Mereces ter muito amor e novo ninho.

Augusta Maria Gonçalves.


05-01-2017

“BOM DIA MEU AMOR”
Deixo-me invadir pela ansiedade
Deixo a lua iluminar meus ombros
Lua escondida nos escombros
Do meu verso inacabado
És metade de mim
A outra metade onde anda?
Saudades tuas meu amor
Das tuas mãos em mim
Quando afagas meu seio
Contornas o meu corpo
Escondo-me no teu sorriso
Espraio-me na tua noite
Anseio a tua chegada
Olho o mar entorpecida
Cai-me o véu da ternura
Sinto-me cansada de mim
Sou apenas um nó de saudade
Que espera a chegada do seu amor
Saudades tenho sempre
Do teu eu dentro do meu
Chegas…Enfim…
Passou a ansiedade
Entardece nos teus braços
Anoiteci nos teus olhos
Adormeci na tua paixão
Acordei na tua boca
Bom dia meu amor…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA



" DOCE EXPLOSÃO "

Quero!

Me banhar
Nessa explosão
De prazer...
Húmida!
Sinto um arrepio!
Te chama a minha vulva...
Doce, louca, Ardendo de prazer!
Fico faminta
Como uma loba
Há procura
De caça.
Onde devora
Esse teu manjar...
Nesta invasão, teu corpo...
Beijei!
O meu hálito
De uma respiração
Ofegante!
Fico enfeitiçada...
No reino das palavras
Me afundo!
Da química
Deste amor.
AUT: Clara Patachão


CONTEMPLANDO

Se, contigo
puder
contemplar o firmamento,
pintá-lo de arco íris,
desejarei o céu
por ser um desígnio,
o símbolo do todo,
o que me permanece.
Tu és o sol
que me surgiste
em noite de luar,
no presente,
no futuro.
És o desejo,
o mistério
de toda a meditação.

José Lopes da Nave




AMANTES NA NOITE
Já a luz do dia entra pela janela
da nossa exaltação o que restou
foi essa sensação tão doce e bela
que aos nossos corpos se colou.


O mundo lá fora parou
o tempo ficou sem horas
a paixão que em nós brotou
saboreámo-la sem demoras.

Escrevi no teu corpo poesias
com os meus beijos as gravei
e viajando em fantasias
como em transe... a ti me dei...

Na noite fomos amantes rendidos
ao desejo que o prazer matou
no abraço dos corpos unidos
a manhã nos encontrou...

Aida Maria (Aida Marques)




 Meu corpo
Meu corpo
Chama pelo teu
Anseio cada segundo
Pelo toque do teu corpo no meu
Tua volúpia luxante de amor
Me transborda pelos poros
Aquecendo meu desejo
Prosseguido pela paixão
Queimando dentro de mim
Uma chama que inflama
Devoradamente anseia pela tua cama
Meu corpo persiste em segredar
Quero somente este amor despojar
Te quero
Te desejo
Deixa me arrastar
Pela fusão do amor
Assaltar teu ser
Quero-te suplicar
Não quero ficar a imaginar
Quero fazer-te delirar
No meu quente
Fazer-te gatinhar
Na minha entrega ardente


Sonia Pinto



Ouvir o silêncio...
As palavras que em silêncio saem
Da tua boca fechada…
Muda…
Calada…
Não fazem sentido
Ecoam em tempo perdido
Não dizem nada!
Possuo-te…
Numa posse apenas permitida
Isenta de sentires e mentida
Onde no rosto se lê a dor…
Intensa…
Numa amargura imensa,
Transformada em chama…
Calor…
Em doença!
E no silêncio que dói…
Que por dentro consome…
Que destrói…
Que fere os ouvidos…
Em surdos gemidos…
Que lenta…
Pausadamente…
De forma indiferente
Se ouve sibilar
E sem poder evitar…
Se apodera da gente!


Luís Farto




 Quero
Beijar os teus lábios
perder-me no toque das tuas mãos
como se nada mais existisse
entre nós e o nosso amor.


Quero
Acariciar o teu corpo
descobri-lo devagarinho
escrever o meu nome no teu coração
com a pena do amor.

Quero
Sussurrar que te amo
sentir-te vibrar com doces palavras
sentir teu corpo tremer
e gemer de amor e prazer.

Quero
Ser a tua mulher amada
ser uma letra uma música uma pintura
ser para ti um mar de amor.
ser o teu amor p´ra toda a vida .

Mila Lopes



 Desperta-me
Despe-me com o olhar
Destapa o véu que te cobre os olhos
Desperta o meu desejo adormecido
Á luz do luar faz amor comigo
Alimenta a minha fantasia
Com toques de mestria
Suga este sabor a pouco
Que te deixa louco
Sim,tão sedento de mais
Que sem findar a hora
Me sussurras ais
Intensos demais
Me corpo respondeu
Ao teu...
Sem pudor


Anabela Fernandes



 APENAS GOIVOS PERFUMADOS
Recordo nossas noites.
Eram nossos corpos luas.
De luar iluminados, de amor incandescentes.
A túnica era apenas transparência.


Éramos as sombras entre o arvoredo.
Leitos eram as clareiras.
Eu num abandono.
Era minha boca a rosa entreaberta.
Tu reclinado, tocavas a seda fresca,
Era meu corpo…
O jardim de goivos.
Explosão de perfume.

Fechei os olhos.
Escutei a canção da fonte de teus lábios.
Profanaste de beijos meu jardim.
Depois, mil rumores, suspiros,
O mar foi nosso leito, por momentos.

Depois… se aquietou o corpo.
Adormeceram os sentidos.
Tu disseste-me.
És o meu jardim.
Eu era só a terra fértil onde os goivos
Germinaram.

Augusta Maria Gonçalves.

Sem comentários:

Enviar um comentário