Momentos Escaldantes 2017


É uma iniciativa Erótica/Sensual...NÃO PORNOGRÁFICA. Escrevam o que vos vai na alma, com classe, bom senso e respeito. Caso assim não seja, as publicações serão eliminadas.

ATENÇÃO: SÓ SERÃO VÁLIDAS  AS PUBLICAÇÕES FEITAS NO PRÓPRIO DIA - DAS 00:00H ÀS 23:45H. FORA DO DIA SERÃO ELIMINADAS


A DIVULGAÇÃO É SEMPRE FEITA NO DIA ANTERIOR! 
1 - Obrigatório identificar a iniciativa com: 
- ou com o nome da iniciativa, 
- ou com a foto da iniciativa, 
- ou com ambos. 
2 - A foto a usar é sempre a da iniciativa.
3 - Poemas a publicar no Grupo 
 TODOS PODEM PARTICIPAR!
 
19-10-2017
 Braille

Percorro o teu corpo
Como braille, lendo
Cada poro, cada arrepio
Cada sussurro, cada gemido…

Viajo longamente por ti
No toque, no perfume
No cheiro, no sabor
No sentido do amor…

Ergo-me, elevo-me
Cresço, no desejo
Lábios que te tacteiam
Dedos que te conhecem
Que reconhecem, encontram
Fonte e fome
Sede e alimento…

Quero todo eu
Conhecer este sonho
Lá bem fundo
Por dentro…

Vou, vou,
Subo, desço
Afasto, aperto,
Dispo, revisto
Tapo, cubro,
Declamo em ti
O prazer da poesia
Mesmo que te falhem
As longas pernas…

Alberto Cuddel






Sonhei contigo. ..
Senti-te em mim ...
Beijavas-me ...
Como só tu sabes assim...
As tuas mãos percorriam o meu corpo ternamente
Passeavam em mim tal qual serpente
Despiste-me lentamente ...
Senti o teu corpo quente...
Derreti ...
E derreteste comigo
Fundimo-nos um no outro ...
Os nossos fluidos se misturaram...
Os nossos corpos soaram
Subiu em nós o calor....
É tão bom ser sonhador. ...
Isabel Susana Marouço 





 NO TEU MAR...NOSSO

Quero me banhar nas ondas do teu mar
Enrolar o corpo nos espasmos da tua loucura
Sentir a areia nos corpos que embora despidos
Estão vestidos de nós
Quero saciar a sede nos teus beijos gulosos
Na pele degustar o teu sabor a sal
Atravessar o oceano ,ver os teus olhos
Lerem os meus
Castanhos de amêndoa que te sabem a pouco
Na hora acontecerá e será a cura total
Da saudade das noites e dias sem ti
Nos versos declamados entre os sonhos sonhados
Vivemos a fantasia ...voltamos no tempo
Que nunca foi nosso
Apenas o sonho dos sonhos de um desejo sem limite
Resiste á vontade,á liberdade de voar em liberdade
Até ti...

Anabela Fernandes 




“AS HORAS PASSAM”
As horas passam afiadas
O amor veste-se de sonhos
Todos os dias
Despem-se os olhares
Suspiram e sorriem
A todas as horas
O amor mostra-se ao mundo
Abre portas
Fecha janelas
Desnuda os véus
Sacode a vida
Entra num estado de embriaguez
São sensações únicas
Sentimentos arrebatados
Tanto pode dizer um olhar
Tanto amor dentro dele
Basta somente
Um toque
Um pensamento
Um roçar de corpos
Para entrar no sonho
Acelera a respiração
Clama a emoção
A volúpia arrepia
Olham-se nos olhos
O dia tarda
A noite chega
Delírios e sedução
Em mais uma noite de paixão…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA





 MEMÓRIAS DE AMOR!

Ela era vulcão de rubros lábios.
Ele o amante suave de sedosa pele.
Eles o encaixe perfeito, da pose desnudada.
A distancia inconcebida entre arena...
As imagens de amor eram a trama.
A mantilha caída, o leque a sombrear o negro olhar.
Floresciam rosas... Pétalas desfolhadas beijos mil.
Ondulantes os lençois de seda anil.

Era verde o traje,
Verde esperança.
Tão arriscada a lide.
Tanta paixão punha na arte equestre.
Seu amigo fiel, um cavalo de uma linhagem pura.
De pelo lustroso, de uma obediência delicadamente exuberante.
De esperança acesa com cirio em oração, no sol de cada lide.
Alto, olhos negros, perfil suave, tão docemente enamorado.
Por ela, uma deusa morena, olhos de onix de intenso brilho.
Cabelos soltos anelados.
Vestia esbelto traje, saia longa de seda selvagem, blusa clara de punhos rendados, delicadamente recortados.
Na boca sensual, sempre o abrir de uma rosa para beijar.
Espreitava o beijo na rosea boca, num sorriso traquina, de menina amante.
Ele usava camisa de javôs, a enfeitar-lhe o elegante porte!
Entreaberta a camisa, ela beijava-lhe o peito amado.
Camisa… sabia os segredos desabotoados antes de cada corrida para amar!
Eram tardes de glória.
De sóis acesos, de leques, de mantilhas rendadas!
Eh! Touro bravo e lindo, cavalo altivo, entre duas bandarilhas bem armadas, caiu de joelhos o cavalo, já a fera sofrida cansada , encurralada, tinha colhido o Homem,
o amor! A rosa perfumada!
Ela agora de mantilha preta, põe no cabelo a rosa encarnada. Grita nas noites sem amor, Olé! Olé!
Rasga na noite a camisa de javôs ensanguentada,
Beija-a na noite deserta, só habitada por saudade.
A rosa purpúrea de dor caída do peito, faz do chão seu leito.
Cobre-a a mantilha,
É a rosa do desalento desfolhada.

Augusta Maria Gonçalves  





 Amar...

...e nesse instante nada se vê
Tudo se sente e tudo se lê
Pelo toque das mãos
...que passeiam e incendeiam
Os corpos perenes em fogo
Lago do amor
...em que me afogo
......e jogo...o grito meu
...afogado no teu...
Ah!...loucura no tempo
...e fico perdida...
Neste momento...esquecida
Afogada...no teu amar

FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto 





 Embriagados de amor

Os nossos corpos a vibrar
embriagados de amor
as nossas bocas unidas
nossos beijos húmidos
e unidos
a paixão nos domina-

As palavras de amor
ditas no silencio do olhar
jogamos o jogo de sedução
que acendei-a a nossa alma
e acelera o nosso coração.
__________*_________

Eu e tu
somos amigos e amantes .
o destino nos uniu
e só a morte separará.

Mila Lopes





Talvez hoje não te apeteça fazer amor…
Talvez não queiras vestir “aquela” lingerie
Com que me enfeitiças…
Talvez não queiras a minha língua nos teus mamilos
Ou os meus dedos no tufo da tua púbis…
Talvez não queiras que te sussurre
Aquelas palavras roucas…
Loucas…
Que te embriagam de tesão…
E te molham as coxas
Que se abrem á outra minha mão…
Talvez hoje não me queiras
Mas eu anseio-te…
Quero entranhar-me nas tuas entranhas
Dizer-te asneiras e palavras estranhas
Possuir-te violenta e suavemente
Cadenciando movimentos
Para que no fim tivesses desejado
Não teres feito apenas sexo…
Mas teres gritado palavras sem nexo
Num orgasmo descontrolado
Num completo acto de amor!

Luís farto





12-10-2017


SINFONIA DO AMOR A DOIS

S atisfaz o meu pedido
I nventa as personagens
N ão quero ouvir um não
F az ouvir o coração
O ndas do teu sentir
N a mesa onde brindámos
I ntenso o momento
A guardado á tanto tempo

D espidos de preconceitos
O uvindo o som do violino

A mamo-nos sem pudor
M ordiscarei o teu ouvido
O uvirei de ti amor
R efrão da melodia

A voz solta um gemido

D e um fá sustenido
O lhares trocaremos extasiados
I ndo até ao infinito
S implesmente estaremos rendidos

Á nossa sintonia

Anabela Fernandes




Sensualidade
No teu olhar
Realidade
Do verbo amar
Calor a subir
a cada toque teu
Mais vou pedir
quero subir ao céu
Quero ver as estrelas
Quero tocar a lua
Quando tuas mãos singelas
Tocam minha pele nua...
Teu cheiro me inebria
Poe-me louca de desejo
Alegras o meu dia
A cada toque, a cada beijo...
Gosto de te sentir
Guardar-te dentro de mim
É belo o meu sorrir
Quando te sinto assim...
Fazes-me arrepiar
Ao meu pescoço beijar
E então eu peco bis
Para me sentir feliz...
É no teu abraço
Que quero desfalecer
Depois de muito amasso
Em momentos de prazer
Sentir que vale a pena
Arriscar para petiscar
Ser atriz desta cena
Com um brilho no olhar ...
Deixa-me enlouquecer
Enlouquece comigo
No cume do prazer
Se meu fa sustenido...
Quero te ouvir gemer
Arfar ao respirar
Sentir todo o teu ser
Pronto a me assaltar
Da-me tudo de ti
Quero sentir-te em mim
Até a alma sorri
Ao chegarmos ao fim....
Isabel Susana Marouço 





“SINTO A TUA VOZ”
Sinto a tua voz morna
Acariciar-me o rosto
Como costumas fazer
Quando tenho frio
E te enroscas em mim
Acaricias-me a pele
E cada palavra tua
É como se me beijasses
Um beijo terno
Languidamente
Sem pudor
Desnudo-me em ti
Deixas-me perdida
Quando me envolves
No teu abraço
Deixas-me a flutuar
Dormente
Beijas-me a nuca
Continuas
Essa caricia prolongada
Descobres caminhos
No meu corpo que é teu
Sorrio, feliz
Mesmo que depois
Cales a voz
Já me aqueceste por dentro
Só fica o eco da noite
Sorrindo…Adormeço…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA





 SORTILÉGIO

Este tempo, de agora, é um sonho de magia!
Começou, quando te olhei e vi
e prossegue contigo.
Por ti, comecei a querer-te.
Que terá acontecido naqueles dias,
olhar-nos-íamos, já, de forma especial?
Algo despertou em nós!
O tempo seguinte
fez-me admirar as cores do arco-íris,
todos os clamores do vento,
todos os sonhos que me alcançam.
Cada estrela, cada recôndito de beijos desejados
cada respiração,
cada palavra da minha história
existirão para testemunhar o amor.
Antes, não me sentia só, era feliz comigo,
mas tu fizeste descobrir que algo me faltava.
Nada decorria pelo meu pensamento,
até abrires os meus olhos
e, então, comecei a imaginar-te na minha vida,
a partilhá-la.
Quando tive de amar, estive no teu caminho,
pensando em ti, a cada momento
e amar-te-ei nos meus sonhos
porque sei
que a vida futura será bondosa para nós,
neste meu ansiar,
com o desejo da tua alegria e felicidade.

José Lopes da Nave 





 HÁ QUE ESCUTAR O CORAÇÃO.

Vem amor.
Vamos tecer fiar os finos fios do sol de outono.
Vamos tecer exarpes leves.
Decorar com ternura essas peças imaginárias de arte.
Beijos acesos como pétalas de rosas a desabrochar.
Astes de riso em flor.
Nascidos de cantares de amor.
Vamos amor.
O sol é breve, se perdermos o perdurar da tarde.
Fica inacabado o amor sonhado,
No agora, deixa acontecer.
No tempo de hoje amor.
Vamos de mão dada.
Cabelos soltos adornados pelas folhas que caem em danças flutuantes.
Sei! Ali na clareira me coroas-te.
Heras enleaste… Com folhas rubras da videira e vagas vermelhas,
Pepitas de corais em terra firme.
Senti ser rainha, do lugar idílico,
Onde a um trono de tronco de árvore,
Me conduziste e sentaste.
Rimos felizes, nossos riso ecoou,
Tão mais além.
Fitamos o fundo do nossos querer,
Vestimo-nos dessa vontade de amar.
As roupas riam caídas entre os juncos.
As pedras pasmavam, gargalhavam os musgos,
Eram espanto verde de limos à tona leve.
Beijando labirintos de água corredia.
A nossa pele era seda a flutuar.
Fazer amor, pedir, refazer, dar, beijar, ensandecer.
Fomos um poema de amor ao entardecer.

Augusta Maria Gonçalves. 




 O Poder da Poesia

Aquela flor
Que a tua mão carinhosa
Acaricia...sem saber
...do seu amor....sou eu
Rosa bela mas espinhosa
Que ansiosa te cheira
Arma poderosa e verdadeira
Que pica á sua maneira
E serei sol também
Que quando aberta á luz
Pelo caminho conduz
E seduz como ninguém
Sou estrelas cintilantes belas
Daquelas brilhantes e luminosas
Saltitando nos teus olhos
Dançando pecaminosas
Atraindo-te ao meu céu
Essa sou eu e também
Aquela estrela cadente
Rasgando a tua pele
Pousando no teu corpo vorazmente
Caindo sem cuidado nele
Feiticeiro és tu que me levas
Enfeitiças todos os meus eus
A abraçar os teus dentro dos meus
E caio em ti assim de repente
Em sonho meu estrela cadente
Mas deixo-te aqui feiticeiro
Escrito em palavras de poesia
Onde podes ser fantasia
Imagem de magia
E depois baixar as pálpebras
E apagar-te
Assim de repente
Tal qual estrela cadente
E voltar a inventar-te
E voltar a amar-te

FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto 





 Amor sincero

O amor puro e sincero
nasce enraizado
nas profundezas
da nossa alma
e na essência
do amor que os une.

Muitas vezes rolam lágrimas
em cascatas de alegria
refletindo a luz de quem ama
é o brilho dos amantes
a ternura neles é constante
e a felicidade não tem fim.

São dois seres de amor
unidos num amor sem fim
que se amam
que se envolvem
que se completam
de corpo e alma e coração.

Direitos de @utor reservados
Mila Lopes 




Deixa-me dizer-te amor
que ainda sonho
com os teus abraços
de teus fortes braços
que num impedo de loucura
me erguiam pela cintura
até á altura da tua boca
que avidamente
me mordia ...
com desejos de luxúria
doida pelos meus beijos
que os meus lábios
sem recuo te oferecia!

12-10-17-maria g. 





AO ENCONTRO DO DESEJO

Amar-te seria o fim
Do teu passado em mim
E passares ase r o presente,
Sentir o teu corpo macio
Cá dentro aquele arrepio
Que só quem ama sente,
Mas depois de abraçados
Com beijos entrelaçados
De amor e doce desejo,
Percorro teu corpo de seda
Como quem percorre uma Alameda
Ao encontro do teu beijo... Jose Duarte Soares




05-10-2017
EM SONHOS TUA!
Loiro e moreno amante louco.
Escultura perfeita peito largo.
Teus braços formosos.
Bícpes perfeitos,
Têm como os ramos caprichosos enleios.
Eu a donzela formosa,
De peito alvo.
Pela macia.
Banho-me nua quando entardece.
No lugar idílico de lírios e jacintos.
Só a luxuriante floresta me conhece.
Sou segredo de candura.
Ancas de ânfora que aguardam a semente.
Cintura estreita.
Busto ereto como tangerinas adoçando.
Espera meu ser o tempo certo.
Emerge das águas minha imagem.
Tapeçaria verde se verga a meus passos.
Sou primorosa flor.
Sonho que verás.
Entre as ramarias passam sombras…
Estremeço.
Cubro de lírios o corpo.
Não será que em segredo me olhas.
E impudicamente me beijas.
Os lábios de polpa doce.
Os seios que adorno para ti nas horas que te desejo em segredo.
Augusta Maria Gonçalves.




Deixa seduzir-te nas palavras
Sente-as no corpo, na alma
Na erótica fantasia de ser,
De sermos carne, feitiço
Mãos, boca, desejo, beijo
Língua e sabor, odor, febre
Movimento, paixão
No corpo contra o meu
Invasão, preenchimento
Movimento, penetração
Bocas que se trocam
Que invocam, que chupam
Que saboreiam licorosos prazeres
Que escorrem pelos cantos dos lábios...
Sejamos tudo, sejamos sonho
Sejamos vontade, fidelidade
Sejamos traição, tesão
Fantazia e saudade
Sejamos a loucura
Onde nos levar a imaginação

Tiago Paixão

Heterónimo de Alberto Cuddel




Pó de arroz

Passinhos lentos... nostálgicos...
Pequenos círculos desenhados
no chão que nos perde...

O abraço longo... afago,
infinitamente apaziguador,
Do tempo, da distância, da saudade,
protector de todos os elos
Sela o mais puro dos sentimentos

Toca-nos profundamente o beijo
Toque ligeiro...quente...queima.
E assim,de imediato,a ávido
Incitador, longo... Inebriante,
Arrebatador, desejo.... paixão.

Os lábios trocam, suaves, o beijo
As mãos tocam, dedo a dedo, ligeiro

Procuro-te... Encontra-me...

Dois corpos reflectidos
Em perfeito jogo, cingidos
Na sensualidade do movimento
Silhuetas unas
Na dança lânguida,
desejavelmente lenta,
Desejavelmente ardente,
Desejada

Incendeias-me
(in)corporas-te
Enlaçamo-nos
Numa bela e amantíssima fragrância
Num vaivém de bem-querer
Numa dança de ritmo audaz
Onde o tempo é insano e os sentidos se evadem

Texto de Rute Pio Lopes





De ti..
Quero loucura
Intensidade
Quero ternura
Sentir saudade...
De ti quero beijos molhados
Abracos enrolados
Orgasmos intensos
Gritos suspensos...
De ti quero tudo e nada
Tudo o que me faça feliz
Nada que me faça mal amada
De ti
Quero entusiasmo, Interesse e motivação
Sentir que faço bater mais forte o teu coração
De ti
Quero aquele colinho
Aquele abraço quentinho
Aquele brilho no olhar
Quando me vieres beijar
De Ti
Quero amor, amor, amor...
Isabel Susana Marouço 




Desejo...

Quero "comer-te"...
Sem demora
Beijar-te...
Lamber-te...
Chupar-te sem que me deixes ir embora!
Faz-me num ir e vir de prazer...
Algo que não possa esquecer!
Vem...
Endoidece-me
Faz sexo comigo...
Apetece-me!

Luís Farto 




 EXISTES

Existes no suco doce das cerejas
Que me faz lembrar os teus lábios!
Existes no perfume das flores silvestres
Onde crescem mirtilos que sabem aos teus beijos!
Existes entre as rosas do meu jardim no silêncio
E na ausência da tua saudade!
Existes na brisa orvalhada da manhã,
Que beija meu rosto, pensando que és tu!
Existes nas ondas do mar que me envolvem,
Como se fossem os teus braços a abraçar-me!
Existes no aroma dos morangos,
Que juntos saboreamos com deleite!
Existes em todas as horas, dias e noites
Onde o silêncio é mais que muitas palavras
Deixando-me presa neste amor
Que eleva a minha alma a sentir o som de violinos.
Existes quando no âmago da nossa paixão
Os nossos corpos se unem num mistério
Que é o nosso amor!
Existes quando me embriagas de sedução
Ficando sem voz, apenas saboreando o cheiro
Do teu corpo!
Existes porque existes, pois o meu Mundo sem ti,
Seria um barco sem cais para atracar!
E existes, porque o brilho dos teus olhos
São luz que ilumina a minha vida, todos
Os dias quando me dizes…Bom dia amor!
E eu repito…Bom dia amor!

Rosete Cansado 




Em ti...

...em ti eu plantei flores
Na minha boca de vento
Levando o teu suspiro
A suspirar no vazio do silêncio
Que se ouve através do tempo
E se alonga nos corpos
Numa comunhão de cheiros
...e ares transpirados
......em ti
Trazes o vento nas mãos
Em mariposas vaidosas
Dançando em mim...
...e para mim...gulosas
O mundo está lá fora
...e não se ouve
Aqui só estamos nós agora
...vestidos de amor
Despidos nos nossos olhares
... nós dois...perdidos
......nos nossos amares
Livres e soltos...em nós

Fernanda Carneiro Jacinto


 

21-09-2017

NÚPCIASUso o anel de pedras raras.
A escrava de ouro cinzelada.
Presentes teus amor.
Perante tal grandeza me compravas.

Dizem seres terno carinhoso.
És sim, de lírio perfumado tu me chamas.
Mas…
Deixa-me penetrar no teu olhar.
Saber de ti segredos mudos.
Os que tens nos lábios ao beijar.

Sou lírio do céu caído.
Numa primavera já esquecida.
Passou aqui breve o cupido.
Que importou?
Se destinaram para mim marido.

Alindam-me de rendas.
Perfumam-me com jasmim e rosas.
Sim num banho,
Entrei nua descalça, desci mármores espelhados.
Minha sombra vi, estremeci.
Como sou frágil, linda.
Tão desventurosa.

Me queres eu sei!
Sou teu troféu.
Não esqueças porém de carne feita.
Ter-me-ás,
Nua de rendas, vestida só de pele.
Já que o destino foi cruel.
Bebe meu ser dá-me de beber.
Ensina-me a ter prazer.
Faz de mim Mulher e vencerás.
Leva-me além do sol se fores capaz.

Augusta Maria Gonçalves. 



Provocante…

Era apenas mais uma manhã…
Igual a tantas outras
Mas hoje ela vestia uma mini blusa de pijama
Que lhe deixava ver as cuecas pretas
Preparava o pequeno almoço como sempre
A minha ereção foi quase instantânea
Encostei-me por tás dela e pressionei-a contra a bancada
Despia…
Senti-a rendida…
Pressionei-lhe o esfíncter
Senti a glande quase que esmagada
Num ligeiro impulso de nádegas
O musculo cedeu á pressão…
Fizemos sexo anal…
Gemíamos os dois, nunca o tínhamos feito
Foi divinal!

Lúis Farto 





 ___DELIRANDO____

Apaguei a luz para pensar em ti
Assim, deixar voar a minha imaginação
Agora posso tudo! Sinto segurança em mim!
Só assim feliz viverá a minha ilusão
.
Depois da luz apagada, só tu no pensamento
O meu poder mental, penetra na escuridão da noite
Deleito-me, nos prazeres que só quem ama sente
E extasiada, rendida a paixão fico naturalmente.

Bebo em pequenos goles o sabor dos teus beijos
A temperatura aumenta nas minhas latentes veias
Contenho e retenho o prazer que me arrasta
Sinto-me nos mares límpidos a mais bela das sereias.

Navego deleitada nos meus delírios incontroláveis
Carregados de energia pela paixão e loucura
Que vencidos pela tua nula presença
Me transportam a uma autêntica tortura.

Fátima Verissimo 





NO ABRAÇO DOS AMANTES...

Na praia de areia branca
brilhante como o coral
nossa paixão era tanta
como no mar há de sal.

Pelas ondas embalados
cedemos aos nossos desejos
os nossos corpos salgados
fremiam com os nossos beijos.

A luz do dia incendiada
por um lindo pôr de sol
ao nosso prazer se aliava
com as cores do arrebol.

Como velas enfunadas
num mar de paixão navegámos
e com carícias trocadas
ao êxtase nos entregámos.

Saboreando o momento
demos-nos ao descanso ofegantes
depois adormecemos no tempo
no abraço dos amantes...

Aida Maria (Aida Marques) 





 Finais de Verão
Praia vazia
Se perde o olhar
Um toque de leve
Arrepio de desejo
Vontade de amar
As ondas se espraiam
No areal
Corpos despidos
Rendidos ,carentes
Momento ideal
Sorrimos contentes
Algo acontece
Estremece o coração
Arrepio na pele
Degusta-se o beijo
O corpo se ajeita
Mar confidente
Escureceu o dia
Nós finalmente
Nos amamos loucos
Perdemos o tempo
Num puro sentimento
Sem arrependimentos
Nem mar de tormentos
Caímos nas ondas
Nos refrescando
Amando e amando
Tu foste o mentor
Eu aprendiz
Com todo o bom senso
Neste mar imenso
Voltaremos um dia
Recomeçando de novo.

Anabela Fernandes 





 Sôfregadamente

Beijo,
Como se te beijasse a alma
Declaração profunda do desejos
Por entre silêncios reprimido
Ocultos, calados e despertos
Nos lábios e línguas que se tocam...

Tocam-se...
Nas vírgulas e tempos escondidos
Nas mãos que vagueiam nos versos
Que se acariciam na alma
Que se desejam no corpo
Que acreditam na calma...

Corpos que se beijam
Que se bebem sofregamente
Que se tocam, mãos que se trocam...
Eu em ti, tu em mim
Num profundo êxtase literário
Onde sonhas acordada...

Alberto Cuddel 





“PRECISO DE TI”
Preciso de ti em mim
Preciso dos teus silêncios
Que me atormentam e reconfortam
Preciso da tua presença
Do teu beijo sufocante
Que me faz ir ao céu e voltar
Preciso de ti
Para não perder o meu norte
E seguir os meus sonhos
Preciso do teu enlaço
Do teu vaivém em mim
Preciso das tuas mãos
Desejosas de beijar
E acariciar sem limites
Preciso de ti
Para organizar o meu caos
Preciso do calor do teu corpo
Para me aquecer nas noites frias
Preciso de ti em mim
O teu roçar vadio
O teu murmúrio no meu ouvido
O teu olhar dentro do meu
Preciso do teu amar
Inebriante e doce
Preciso de ti em mim…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA 




 SENTADOS NA AREIA

São teus beijos um afago
Que os recebe com prazer
Sentados na areia ao pé do mar,
Perene de alegria e a sorrir
Me dizes que és feliz… a meu lado.
Seguras-me nas mãos com carinho
Perante o mar sereno que nos rodeia
Só ele é testemunha do nosso amor
Salpicando os nossos corpos com areia.
Parece que sou uma donzela que se casou
Embevecida e com vergonha do teu olhar
Que me despe num desejo encoberto
Com o esplendor e a vontade de me amar.
Abraças o meu corpo que fica a tremer
De emoções fortes e desejadas
No âmago do amor enternecer e suspirar
Com o reflectir da nossa imagem, dentro da água…
…Salgada no seu ser e em fragas lentas,
Envolves o teu corpo junto ao meu com carinho
Que no raiar da madrugada e brisa do mar
Somos os dois num só corpo, já famintos.
Ternurento e com brilho nos olhos
Sussurras ao meu ouvido!...
Foi divinal…meu amor,
É pura verdade… não te minto.

Rosete Cansado 





 Em ti...

...em ti eu plantei flores
na minha boca de vento
levando o teu suspiro
a suspirar no vazio do silêncio
que se ouve através do tempo
e se alonga nos corpos
numa comunhão de cheiros
...e ares transpirados
......em ti...
trazes o vento nas mãos
em mariposas vaidosas
dançando em mim
...e para mim...gulosas
o mundo está lá fora
...e não se ouve
aqui só estamos nós agora
...vestidos de amor
despidos nos nossos olhares
... nós dois...perdidos
......nos nossos amares
livres e soltos...em nós

FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto 




Excita-me o cheiro do teu after shade
A suavidade do teu rosto de barba feita
Apetece-me beijar-te, deixa-me elouquecer
Entregar-me de corpo inteiro até ao come do prazer..
Diz-me, apenas diz-me... Diz-me como é que eu hei-de
Como posso resistir á excitação que estou sujeita?
Se todos os meus sentidos pedem para te dizer
Para que comigo amor venhas fazer...
Beija-me como tu sabes
Dá-me amor e ternura
Adoro que tu me leves.
Ao limiar da loucura
Essa loucura tão boa
Á qual Ninguém quer resistir
Essa tentação carnal
Na qual todos gostam de cair.
Sabes que não te resisto
Por isso insisto
Dá-me prazer...
Dá-me beijos de ternura
Quero aventura
Quero enlouquecer.
E desmaiar no teu abraço
E em teu regaço
Adormecer...
Isabel Susana Marouço 




Ama-me sempre

Ama-me …
Como só tu sabes amar
faz tua, faz-me sonhar.
Ama-me…
Inventa para mim uma canção
que fale de amor e paixão.
Ama-me…
E com carinho oferece-me flores
com perfume e de várias cores .
Ama-me …
E acaricia-me com prazer
pois só tu sabes me satisfazer.
Ama-me…
Seduz-me , leva-me ao paraíso
assim ouvirás o meu sorriso.
Ama-me ….
E beija-me com loucura
os teus beijos são a minha cura.
___________*_____________

Ama-me, ama-me sempre
e terás o meu amor eternamente.

Mila Lopes 






“ESTAR SÓ”
Estar só
Estar aqui
Sem ti
Saudade em mim
Sentir assim
Desejos ínfimos
Paixão contida
Noites de insónia
Dias sem noites
Silêncio que cala
O grito na garganta
Horas são dias
Que passo sem ti
Cansada
Voltas e mais voltas na cama
Adormeço o corpo
A alma está inquieta
Sonho que me envolves
No teu amor sensual
Estou em ti
Mas afinal
Estou só
A noite não finda
É um pesadelo
Não te encontro em mim
Desespero
Não quero
Estar mais só
Quero-te aqui
Preciso de amor
Quero estar em ti
Quero que estejas em mim
Em nós…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA 





 CAI A NOITE

Adormece a noite,
com ela a imaginação acorda
e nebulosas de sentires se revelam
ao meu agitado espirito
e tornam a ti,
continuadamente,
até o sono me adormecer
e o sonho me cativar
em companhia tua,
envoltos em perfumes de jasmim
que de ti rescendem
e inebriam todo o meu ser.
E canto-te de saudade,
quando o sonho se despede,
de mim.

José Lopes da Nave 




 Amor de fogo

Amor de fogo
Assim é o nosso amor
Nossos corpos nus
Nossas almas unidas
Num desejo sem fim .

Amor de fogo
Ardendo de paixão
Queimando
Como lava de vulcão.

Amor de fogo
Explode de emoção
Nossos lábios
Unidos no desejo de um beijo .

Amor de fogo
É êxtase é explosão em nós
É comunhão do nosso corpo unido
Dançado a dança de amar
Sentindo a nossa pele se arrepiar .

Amor de fogo
Assim é o nosso amor
É como uma brasa quente
Que queima no nosso peito
E arde no nosso coração.

Mila Lopes




Amor------

Queres saber amor
porque me entreguei
a ti naquele dia?
É que o sol já ia alto
e antes que a noite viesse...
longa e fria...
ficar na solidão
eu não queria!
Este amor que me faz bem
e me leva para além
do simples finito prazer
pois em ti encontrei
tudo quanto preciso ter!
Como foi longa a espera
e feliz a descoberta
como o amor nos irradia...
e a diferença...
nos completa!!!

05-10-17- maria g.

 



14-09-2017
 PELO RECATO DA TARDE.

Tão angelical a moça e delicada.
Segue sua trilha do destino.
Sonha ser adulta mulher,
Eva talvez,
Nasce a ancia de encontrar,
Seu anjo terreno para amar.
Pensa taciturna.
Passeia no pomar na tarde luzente.
Vai solta como borboleta azul nas sedosas asas.
Ri ao voltear de uma ave contente.
Vê entre os troncos passear um ser diferente.
De longe fica a observar.
OH! Como é belo exclama.
Colhe frutos, morde e saboreia.
A doce polpa sumarenta.
Ela deixa fluir um riso entoante.
Ele, cora,
Olhando em volta.
Ela solta os cabelos e volteia.
Ele vê uma miragem que o espanta.
Correm de lados opostos ao encontro.
Se olham num desejo de se terem.
Ali no perfume da tarde ao sol poente.
Se ergue um grito.
Um e outro se beberam em taças transbordantes.
De mel puro.
Enquanto seus corpos ondulavam,
Os lábios desenhavam beijos, esses que nas cândidas almas são doçura.
Eram iluminura de ternura,
Arrebatados na sensual finura de refazer amor em tal candura.
Transpondo o prazer, davam-se á ventura.
Nus e inocentes.
No leito negro da terra virgem pura.

Augusta Maria Gonçalves 





 DOIS em UM

Nossos corpos molhados
.... extasiados de prazer....
Um dia ,um momento
... sentimento ao rubro...
Vagas gigantes
....de nós amantes...
Nos empurram sem norte
....num delírio num desnorte...
Sentimos um vulcão
...paixão e fantasia...
Explode o coração
...absorve cada gemido...
No íntimo de nós
...se solta e se ouve...
Na noite tão nossa
....desejos reprimidos...
Contidos na alma
. ..meu corpo foi teu...
Senti-te tão puro
...no lugar mais seguro ...
...amanheceu ....
Fomos um dois em um
... aconteceu....

No céu as estrelas dançaram
Por fim nos brindaram
Cúmplices....

Anabela Fernandes 




Quero-te...
Quero-te beijar
Quero-te elouquecer
Quero-te levar comigo ao cume do prazer...
Quero-te ...
Quero o teu beijo
Quero o teu abraço
Quero-te​ por inteiro com nó e com laço...
Quero-te...
Quero o teu corpo no meu
Quero alcançar o céu
Quero que me leves á loucura...
Quero-te...
Quero tudo o que tens pra dar
Te beijar e te abraçar
Em muito mais que uma aventura...
Quero-te...
Mas se não me queres que me adianta querer?
Não me deixes assim, leva-me ao prazer...
Isabel Susana Marouço 




Virtualmente…

Virtualmente excitas-me…
Seduzes-me e irritas-me
Por não te poder ter!
Virtualmente já foste minha
Na serra no mar
No campo na praia
E em tanto outro lugar…
Já ouvi tua voz de solfejo…
Numa canção de encantar
Que aumentou meu desejo
De te querer…de te conquistar!
Virtualmente imaginei…
Cada centímetro do teu corpo
Nua te acariciei
Em tua fonte de prazer te beijei
Em meu falo te empalei!
Fizemos amor num desnorte impar
Virtualmente sei que me queres…
Não desesperes…
Um dia haveremos de nos encontrar!

Luís Farto 





 CAMINHO DESFRUTADO

Como é longo o caminho
visto da extremidade…
mas avista-se já a guarida
abrigo derradeiro a alcançar,

calmamente escolho trilhas
para percorrer desfrutando
da suavidade do caminho,

descruzo as encruzilhadas,
descarto elegantes ornatos,
iniciando calmo o desfrute
em pernas que entreabrem,

vou saboreando caminho
e cada detalhe da paisagem
que paro para contemplar,

como pássaro quase a pousar
em doce e suave esvoaçar,
desfruto antes de entrar
no ninho abrigo em espera,

e no calor húmido que acolhe
desfruto e sacio os sentidos
na fonte do fim de caminho.

Celso Cordeiro 




“BEIJO-TE”
Beijo-te
Vivência de momentos
Vou até ao infinito
Sinto-me em mim
Suavemente
Envolvo-me nos teus abraços
Duas bocas que se amam
Entrego-me
Arrepio-me
Sinto a tua respiração
Silêncio
O amor fala
Perco-me no prazer
De duas almas numa
Nossos corpos se agitam
Clamam amor
Desejos profundos
Somos um só
Embriago-me em ti
Nossas bocas dizem
Quero mais…
O amor adormeceu…
Silêncio…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA





Momento...

Talvez não te recordes
Da dança da minha boca
No seu baile irrequieta
Dança ela sem poisar
Sem nunca parar quieta
Esvoaçando no teu corpo
Sem parar...a te incendiar
Deixa que te mime
Só mais uma vez... só esta
Como nossa última festa
Então dá-me um abraço
...embrulhado num beijo
Provoca minha boca
...com teu desejo
E ardo até na água
Em chamas que não apagam
E minhas mãos...que não param
E acendem em ti
...um rastro de fogo
No fundo dos teus olhos
Nas colinas do teu corpo
E são minhas pernas
...que te enlaçam
Numa fome que te abraçam
Enrosco-me em ti tal trepadeira
Tocando-te á minha maneira
Ferve em nós o sangue da vida
Paixão inebriante e colorida
E é a pequena morte que grita
...da minha boca...para a tua
Numa ponte de pura loucura

Fernanda Carneiro Jacinto



 Amor

És meu abrigo
és minha força
e se a tempestade
chegar
nos teus braços
eu quero me refugiar
és amor sentido
és carinho e emoção
és fogo e paixão
és lava de vulcão
o teu corpo transpira
minha pele se arrepia
e a minh’alma grita
que te amo
do fundo do coração.

Mila Lopes





 Hoje e Sempre

Na calada da noite
Escrevo-te com amor
E sem pudor
Peço-te...
Vem...
Abeira-te de mim e não digas nada
Beija-me, deita-me na cama
E fica comigo até nascer a alvorada
Fica para sempre abraçado a mim
Sente que sou tua de corpo e alma
A vida é nossa, vamos seguir em frente
Há-de vir uma e mais outra noite de amor
Há-de vir também uma tarde calma
Para nos dizer que fazer amor não tem hora
Veste-me de carícias
Fica comigo não vás embora
Fica comigo ama-me com Paixão
Ama-me na cama, no chão
Ama-me, dá-me a tua mão.

Florinda Dias.





07-09-2017
 NO LIMITE DO PRAZER

N ão me digas apenas um sim
O nde o céu encontra o mar

L eva-me até ao limite da tua imaginação
I nventando mil e uma personagens
M e despe só com o olhar
I nverte as posições
T em coragem segue em frente
E nvolvente sedutor

D as mãos que sem pudor
O usadas são o quente

P ara me darem todo o prazer
R ealizar a fantasia
A mbos queremos muito mais
Z umbidos de prazer
E nvoltos os corpos
R asgam a noite extasiados

Nos lençóis amarrotados...marcas de um momento...

Anabela Fernandes 





 LENTO ACORDAR

O dia tardava em começar
e ele, sempre lento a acordar,
pasma, entre espanto e encanto,
com a imagem que vislumbra
dessas pernas entreabertas,
como oferenda desmedida
num gesto de quem clama
por doce bucal investida…

Qual garoto deslumbrado,
como se o mar estivesse ao lado
e só pensasse em nadar,
em incontida vontade de ousar…

Celso Cordeiro 




 CORPO

Corpo sabor,
despido de preconceito
água , fervor dentro do peito.
Pernas que se viram, que se mexem,,
que se tocam .

Corpo despido de vestes,
suor a escorrer pelo dorso...
Sabor a mosto no sangue corrente...
No fim das pernas a ternura...
A seda das vestes cobrindo a nudez,
que pouco dura,dum corpo formoso,
cheio de amor , de prazer e doçura .

MARY HORTA  





 Que calor de verão
Tão intensa é a paixão.
Bebo um copo de vinho
e pego na tua mão.
Despenteia meus cabelos,
mexe na minha pele rubra
e entrega-te na volúpia
do nosso denso querer.
Teu corpo é escaldante
como o sol do verão
teus beijos são delícias
e a minha perdição.
Entrega teu corpo de novo
ao meu,
roça teus lábios em minha pele.
Freme uma carícia
como doce é o mel.
Que calor no êxtase da paixão,
amor toca-me com tua mão.

Emilia Pedreiro 




MOMENTOS ESCALDANTES SEM IDADE...

Já não vês em mim o viço de outrora
e eu em ti já não me escudo
na força dos teus braços.
Ambos cruzámos as fronteiras do tempo
e hoje saboreamos o amor
entregues aos mesmos desejos
mas com a foça de um sentimento
reforçado a cada hora.

Somos um todo em cada abraço
enfrentamos mais serenos
a sofreguidão que nos avassala
testemunhas são os nossos beijos
na ternura que nos acasala.

Conheço cada palmo do teu corpo
e em mim saboreio
o calor das tuas energias.
Escrava do meu amor por ti
nesse momento
abro-me para acolher as tuas fantasias
e "morro" de prazer,
às vezes calmo... às vezes violento...

Nesses momentos escaldantes
recordamos o fogo que em nós ardia
nos anos da mocidade,
esse fogo em que sempre se aqueceu
a nossa felicidade.

Aida Maria (Aida Marques) 




 Há em mim um silêncio profundo,
Nesta noite sem fim.
Um cansaço...
Uma tristeza...
A vida,,,o nada doi...
Dói esta saudade,
Infinita de ti...
És paixão...
Desejo, alma pura e doce,
Que toca direto,
No coração...
Não perguntes
Porque choro !?!
É a saudade
Do teu jeito...
Esta vontade
De me colar
A teu peito...
Do teu susurrar
Em meu ouvido,
Sentir o teu arrepio,
Olhar o teto colorido...
Do teu corpo,
Sentir um brasão,
A me encendiar,
O coração...

Arminda.T.G.L... 




 NUDEZ.

E iam nus pela tarde quieta.
A túnica rasgou-se nas mãos da madrugada.
Pois foi lá na madrugada,
Na hora mais brilhante,
Que a natureza acordou cansada de amar,
Dentro do seio da noite em cada instante.
Na clareira dormiam,
Casal inocente, em busca docemente do ímpeto de amar.
Jovens garbosos, o ato repetiam.
Tudo se aquietava, para não os perturbar.
Foram rompantes de beijos.
E mãos acariciar.
E bocas formosas como rosas.
Num toque de lábios, macios, molhados, doces, degustados…
Eram manjar.
Se deram em amor,
Profana oração, profano altar.
Depois um sono, um cansaço.
O dormir num abraço.
Um descanso de espirito de quem amar se deu.
Dormiram, o sol se ergueu.
Acordaram circundados de luz,
Tiaras tinham, núpcias gozavam.
Viram seus corpos nus.
Toldados porém os olhos seus,
Por brilhos irreais.
Partiram sem véus.
Pois ali, mais além debaixo do céu.
Se procurariam de novo,
Dando-se ao abandono.
De amar,
Mais e mais e mais.

Augusta Mar.
Augusta Maria Gonçalves. 




 BRISA DE SEDUÇÃO
 

Ai! esse corpo forrado a cetim
Que pena não ser para mim
E não só no meu sonhar,
Vou desfraldando a minha vela
Ao amarrar o mastro a ela
Para no teu mar navegar.
E sentir a tua brisa no meu rosto bater
Onde nossos corpos exaustos ficam a tremer
Pelo nosso prazer estonteante,
Onde as horas desaparecem pelo ar
Nossos corpos navegam nesta cama que é o mar
Num dançar de prazer de uma loucura desconcertante... José Duarte Soares. 




“AS TUAS CARICIAS SÃO SOIS”
As tuas caricias são sois
No meu corpo são mistérios
Acordas-me a alma
Despertas a volúpia em mim
Dançam os beijos nas bocas ávidas
Palavras roucas
Que murmuras suavemente
Mil promessas
Giramos os corpos
Num rodopio de amor
Delícias profundas
Que brotam da alma
Escurecem a mente
Num calafrio de amor
Fundem-se os corpos
Num só desejo
Afagos ansiados
Corpos que se confundem
Na ardência do traço do amor
A vida pulsa na dança
Do amor etéreo
Sensual e louca
No beijo que queima o fogo
Que exala em nós
Ardente desalinho de lençóis
Cúmplices do amor
Sussurro soluçado
Do amor consumado
Numa prece
Descansamos…enfim…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA 




Como é bom sonhar…

Julgava-me o rei dos amantes
Todas as mulheres me idolatravam
Atiravam-se a mim insinuantes
E eu dava-lhes tudo o que esperavam

Mas alguma coisa não batia certo
Pois quando Deus distribuiu a beleza
Se eu nem sequer estava ali por perto
Qual a razão de me sentir «realeza» ?

Até que um belo dia sem querer
Coloquei um dedo inadvertidamente
Ouvi um tão longo e intenso gemer
Que entendi o significado de carente

Aperfeiçoei-me então nos preliminares
Passei a ser hábil de língua e dedos
Utilizando técnicas milenares
Das quais nunca revelei os segredos

Aprendi a bela arte da sedução
E não ser bonito não é algo que importe
Para além de se saber falar ao coração
Também é preciso um pouco de sorte

Tantas e tantas mulheres possuí…
Tantas que adormeceram ao meu lado
Outras tantas vezes me desiludi
Acordando sozinho todo «molhado»

Luís Farto




 Amor …
É sublime a união
dos nossos corpos
numa só alma
onde
mergulhados na paixão
nos carinhos
onde sentimos
sensações
e doces de emoções-
Amor …
Unidos
formamos
pérolas de prazer
que são sentimentos
só nossos
e onde mais nada existe
somente nós
e a nossa vontade de amar
até a madrugada chegar-

Mila Lopes






13-07-2017



Saudade
Tenho saudades do teu beijo​
Que provoca em mim desejo
Que me faz de amor suspirar
Saudade
De sentir tua pele nua
E então seres meu e eu ser tua
Naquela ânsia de amar
Saudade
Da paixão arrebatadora
De te amar a toda a hora
De sorrir no teu sorriso
Saudade
Do abraço que não me apetece largar
Dos lábios doces que desejo beijar
De me levares ao paraíso
Saudade
Dos passeios á beira mar
Dos suspiros do verbo amar
Dados pelo nosso coração
Saudade
Das palavras que me fazem sonhar
E no nosso amor acreditar
Com alegria e com emoção
Então vem
Vem causar arrepio em mim
Vem me amar sem princípio nem fim
Vem que eu quero-te sempre ao meu lado
Vem
Da-me a água do teu doce beijo
Arrepia-me a pele de desejo
Faz-me sentir o ser mais amado
Vem
Fica para sempre aqui comigo
Meu amor, meu porto de abrigo
És poema que quero sempre cantar
Vem
Só tu fazes a vida ter sentido
Quero vive-la sempre contigo
Quero hoje e para sempre te amar.

Isabel Susana Marouço


"Maria Helena "
Hoje falta-me a inspiração
Recorro à técnica como alternativa
Ponho uma pedra no lugar do coração
E escolho o nome de uma qualquer diva
Maria Helena é hoje a escolhida
Para o tema " Momentos Escaldantes "
Vou idealiza-la uma mulher extrovertida
E nós juntos dois perfeitos amantes
Vou contar um pouco da nossa história 
Desde o dia em que nos conhecemos
Pois saibam que só já resta a memória
Dos bons bocados que juntos vivemos
Fazíamos amor como dois loucos
Não havia preconceitos nem tabus
Gritavamos no fim até ficar roucos
Colando com suor nossos corpos nus
Em qualquer lugar fazíamos sexo oral
No carro, em casa ou até no elevador
Para nós tudo isso era muito normal
Pois também era feito com muito amor
Mas como tudo na vida tem um fim
E também não há regra sem exceção
Mesmo separados ela ainda vive em mim
E só morrerá junto com o meu coração
Luís Farto



Nascente de amor 
que corre pelo meu corpo
e desagua no teu
orvalho do nosso desejo
que dentro de nós escorreu
na súmula dos nossos beijos
a paixão se reacendeu.
Jorram carícias ardentes
afagos que nos ofertamos 
de os comungar tão carentes
na "luta" dos nossos sexos
num torpor semi dormentes
abraçados nos quedamos
de tal prazer sorridentes.
Momentos abrasadores
flamejam nossos sentidos
num amplexo assim unidos
guardamos nossos sabores
tornamos-nos mais amantes
um no outro recolhidos
nesses momentos escaldantes...

Aida Maria ( Aida Marques)



“TÂO LEVE É A MINHA MÃO”
Tão leve é a minha mão
Procura-te incessante
Rasgo a doçura da tua pele
Onde milhares de vezes renasço
Serpenteio no teu corpo
Sem palavras
Sem aviso prévio
Sentir-te é a única meta
Às cegas minhas mãos te encontram
Há oscilações em mim
Gemidos sentidos
Murmúrios contidos
Inquieta
Perdida em mim
Súbita loucura
Explosão de doçura
Momentos únicos
Como um trovão
Como o grito do relâmpago
O tempo flutua entre nós
Não sei se é noite se é dia
Ou se é um sonho
Que se anuncia
No roçar de corpos
No amor consolidado
Tão leve é a minha mão…

“BRASA” MAGDA BRAZINHA



sonho-te...Princesa
és o meu fruto proibido
a razão que não faz sentido...
sonho com o sabor do teu beijo
e se é verdadeiro o desejo...
é uma permanente loucura
o sonhar pegar-te pela cintura
aproximar-te de mim
num abraço sem fim
poder sentir o teu cheiro
ouvir o teu riso verdadeiro...
sonho-te... Princesa...
dançando na mãe Natureza
rodeada pelas mais belas flores
respirando os mais doces odores
ouvindo o chilrear dos passarinhos
acomodados nos seus belos ninhos
sonho-te...Princesa
iluminando-me qual candeia acesa...
pintando no Céu borboletas
medindo o tempo em ampulhetas
e nas noites que não consigo dormir
sorrio...recordando o teu existir !

Luís Farto




Quem me enlaça
Quem me abraça
Quando tu não estás comigo...
Quem me beija
E me deseja
Não temendo nenhum perigo...
Quem me faz arrepiar
E deixa marcas de amor
Quem me leva a acreditar
Que posso ser sonhador
Quem me envolve com doçura
Fazendo-me pedir mais
Quem se perde na aventura
Ouvindo de amor meus ais
Quem me toca
Me provoca
Me põe louca de paixão
Quem me seduz
E é luz
Sempre acesa no coração
Quem me beija a pele nua
E me faz chegar ao céu
Quem me faz sonhar com a lua
Se eu sou tua e tu és meu.?
Vem beijar os lábios meus
Que de desejo por ti chamam
Vem levar-me da terra aos céus
Unindo dois corpos que se amam
Contigo não há complexo
Fazemos sexo sem nenhum tabú
Eu gosto tanto, tu também gostas
Quero sentir o teu corpo nu
Percorrer cada centímetro de ti
Em beijos molhados que a tua pele arrepiam
Sentindo que o teu corpo para mim sorri
Cada vez que os meus lábios de prazer gemiam.
Humm
que doce loucura
Amar-te com ternura e prazer
Quero mais e mais aventura
Faz-me de desejo tremer.
Humm
Como te desejo...
Minhas unhas em ti vou cravar
Arrebata-me em cada beijo
Entre nós reina o verbo amar.

Isabel Susana Marouço




Mar...a(mar)
...amar...
Perdidos os corpos...no mar
Espuma...bruma...no ondular
Corpo na areia...a espreguiçar
... abraço no dançar...
Balançar no mar...em amar
Corpo quente...respirar
Calor...amor...sabor...a(mar)
...beijo...carícia...beijar...
Bocas caladas...coladas...
Horizonte nos olhos...a silenciar
Amor...nas ondas...a deslizar
... paixão...fogo...no a(mar)
......amar...no mar...
FCJ

Fernanda Carneiro Jacinto




SUCO das PALAVRAS
Quero degustar o suco das palavras
Senti-las dentro de mim
No íntimo do meu ser
Deixar-me envolver 
Até á exaustão
São chama ardente 
No meu ventre a semente 
A germinar 
Palavras são vida
Prontas p'ra amar 
Sucos da alma 
Me excitam e se entranham 
Na pele sedosa
São a voz mais airosa 
Num poema confissão
Delírios deste coração
Palavras de seda 
De rara beleza
Pedaços de mim

Anabela Fernandes



A LUZ DA FELICIDADE.
Ele era jovem lindo um príncipe,
Garboso de uma generosidade imensa. 
Vivia com a velha mãe a quem amava. 
Viviam numa casa ensolarada. 
Um declive de monte verde e agreste ao longe um rio manso. 
Num remanso de voz corria breve. 
A casa era rodeada de pomar. 
Maças, laranjas, tudo mais.
Mas era frente á romãzeira que sonhava.
A mulher que desejava. 
Um dia de inverno frio escuro. 
Se abeirou da casa uma carroça. 
Puxada por um velho burro. 
Dentro da casa havia lareira acesa. 
Conforto, a doçura do mel, pão na mesa. 
Truz, truz. Truz. 
Ele abriu a porta, enrubesceu. 
Era uma miragem o que via. 
Uns olhos negros como breu. 
Mas cabelos em cascata pelos ombros, 
Caíam pelas costas da miragem que tremia. 
Olhou nos olhos e viu chama. 
Entra, olha o vento que até corta. 
Senta bebe um trago quente 
De algo que queiras, 
Pão ou fruta. 
Foi poalha, lume aceso, amor nascido. 
Pois há casos de amor na realidade. 
Que basta um olhar enobrecido. 
Sem saberem ser obra do cupido. 
Enlearam os dedos num sorriso. 
Se deram em caricias nascidas nas mãos sedosas da verdade. 
Encheram a casa de sorrisos. 
Se amaram pela vida inteira. 
Já brincam duas crianças,
Projeta suas sombras graciosas a chama da lareira.
A velhinha avó numa cadeira de baloiço a rezar.
Agradecer a felicidade de seu lar.
Esqueci de mencionar. 
Ela era uma cigana, a quem alguém um dia a vida roubou aos pais. 
A ela tão criança a deixaram ao abandono, sem teto nem esperança. 
Apenas o velho burrito cansado e manso, por companhia
E a luz verde esperança que a vestia.

Augusta Maria Gonçalves.






06-07-2017

"Momentos escaldantes"
Esse teu beijo
Provoca magia em mim
Acende o desejo
E faz-me ficar assim
A pedir-te mais 
Mais um pouco desse amor
Tu és o meu cais
Perfume da mais bela flor
Percorre o meu corpo
Com teus dedos de veludo
Faz-me suspirar
Amar-te mais do que tudo
Leva-me á loucura
Enroscada em teu abraço
E descansa em meu regaço
Cheio de amor e ternura...
Dá lume á fogueira
Que ainda me consome inteira
Pois tu és queira ou não queira
Aquele que me completa
Vem ter comigo
Vem ser meu porto de abrigo
Meu grande amor, meu amigo
Inspiração de poeta... 

Isabel Susana Marouço




Recordações...
Não era o local mais apropriado
Mas o repentismo da atração
Apressou o momento à muito esperado
E foi mesmo ali na estação
Que o acto foi consumado
Entre carícias e muitos beijos
Mãos marotas aos apalpoes
Sucumbimos aos desejos
Soltamo-nos nas emoções
Encostados aos azulejos
Foi a chamada de " rapidinha "
Longe dos olhares alheios
Depois cada um foi à sua vidinha
A tremer...mas pelos próprios meios
Seguias feliz como uma doidinha
Não mais nos voltámos a encontrar
Mas " vejo-te " todos os dias
É um momento que gosto de recordar
Da maneira como...fugias
Mas que eu sempre conseguia apanhar!

Luís Farto




“NO SORRISO DAS FLORES”
No sorriso das flores
Sinto o aveludado da tua pele
Cor do sol poente
Alaranjado e adocicado
Passeio na tarde lenta
Há cheiros de amor no ar
Na loucura da noite que tarda
Há segredos em réstias noturnas
Na tua guitarra encantada
O meu corpo é melodia
Em acordes de amor e fantasia
Cai a noite
E o amor adormece na tua boca
Na madrugada embriagada de amor
Caem pingos de lua
Transformados em gotas de orvalho
A noite é do amor e dos amantes
Nas sombras que flutuam
Há rasgos de magia
Na noite cálida e terna
Arrasta-me nessa sombra
Tens sede de amar
De ficares em mim
Por entre os teus dedos
Passam raios de luar
Impera a sedução dos sentidos
Sabes á noite infinita
Atravessaste a madrugada
E ficaste…

“BRASA” MAGDA BRAZINHA



CORPO SEDUTOR
Uma sedução sem fim
esse teu corpo perfeito,
onde bate um coração,
tão feliz no teu peito.
Tua presença tira de mim
toda a amargura, és uma luz,
nas minhas manhãs de loucura.
Batalhas de beijos e desvarios
dunas de sonhos sonhados,
lágrimas nos olhos já sem brios.
No teu corpo descubro o pranto,
dos sonhos que ficaram por sonhar,
debaixo do fogo dos teus beijos,
passei a vida a caminhar...

MARY HORTA 



Êxtase
Meus seios tuas colinas
Onde repousas o teu rosto
Na ânsia de tocar
Saciar a tua sede 
Me tomando ao teu gosto
Sou a tua concubina
Vem amor dançar comigo
Nos lençóis amarrotados 
Marcas de uma noite 
Envolvidos, extasiados
Queremos sempre mais
Valseando nos amamos 
Entre carícias e beijos
Caíram as peças de cetim
Tuas mãos então audazes
As tiraram de mim
Desnudados somos loucos 
Deste desejo que não tem fim
Num compasso descompassado
Estás tu enamorado 
E eu te tenho dentro de mim.

Anabela Fernandes



Almas em fusão
Nós dois sós 
comungamos silêncios
trocamos olhares
e ousadas caricias. 
Nosso ser
em comunhão
e vibrante paixão 
entregamo-nos
de alma e coração-
Somos loucura 
em chama ardente 
somos almas em fusão
e corpos despidos em fulgor-
________________*________________
Ambos sabemos o que sentimos
o mesmo fogo e a mesma essência-

Mila Lopes




ESCALDANTE E PROFANO AMOR.
Estando em pleno verão. 
O sol dormiu. 
Creio que nos braços de Morfeu. 
E nuvens escuras se alisaram no céu tristonho. 
Li no tom das nuvens ser tela de outono. 
Longe ainda brilhava o cirio, a catedral. 
Cúpula rasgada de raios verticais. 
Trovões… O vento desavindo beijando os olivais. 
A chuva caiu em abundancia. 
Era capa prateada rasando o chão. 
No ar o cheiro intenso de terra fecundada. 
Sémen, restolho, semente no ventre da terra negra,
Essa eternamente virgem, intocada, em convulsão de lama, gemia, arreganhava.
A terra de pele dormente, que o cio de água, beijou sofregamente. 
Ah! Como sonho o húmus, revestido. 
De mil verdes amanhã já a brotar. 
Insana fico por ver tão grande amar. 
Caiu mais chuva no meu chão. 
Bebi perfumes agrestes, ancestrais. 
Desejei ser ventre de terra negro e fundo. 
Onde a festa das raízes, se eterniza com enlaces e promessas. 
De renovada árvore, que sorrirá em flor a desafiar os temporais. 
Digam-me se a natureza não se veste de amor e rituais? 
Uma tempestade em pleno verão, 
Coisas passionais, coisas de amor de terra flor e chão.

Augusta Mar




29-06-2017

Escaldante
Sempre a ferver
O amor entre tu e eu
Sabes me encher de prazer
Como me levar ao céu
Picante
E ao mesmo tempo doce
Ardente, sabor a mel
Amor que se vendido fosse
Seria vendido a granel
E aproveitado a cada pitada
Cada gota de suor derramada
Contigo ao pé de mim
Não preciso de mais nada....
Isabel Susana Marouço


“AMO AS PALAVRAS”
Amo as palavras
Que começam na boca
E acabam num beijo louco
E se tocam sem pudores
Amo as palavras
Quando só um olhar
Diz tudo
Sem precisar de falar
Amo as palavras
Que abraçam abraços
De corpos que se unem
Num amor carnal
Numa súplica de amor
Amo as palavras
Quando
Dizem tudo sem dizer
Um desejo apaixonado
Um querer mais e mais
Amo as palavras
Que me dizes em silêncio
Quando me tocas os sentidos
Amo as palavras
Quando me amas e seduzes
Quando te enrolas no nosso amor
Amo as palavras
Que te costumo escrever
Sem precisar de dizer
O que a alma sente
Quando nos amamos
Nas nossas noites sem palavras
Amo as palavras…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA



CHAMA ARDENTE
Ditosos os amantes. 
Que fazem de sua alcova ninho de ternuras. 
Ditosos os amantes, que esquecem o mundo para amar. 
Ditoso o amor em plenitude. 
O todo o que se despe na noite sem malicia. 
Porque amar é sublime doação, partilha de um manjar. 
É beber nos lábios do outro, néctares doces de primícias.
São mãos entrelaçadas num suspiro, 
Choveu há pouco amor, da terra se eleva o perfume da fencundação.
Eles suspensos no patamar das delicias, a chuva a seiva, o orgasmo da terra num tempo breve. 
Caminham na certa direção do desejo soletram a fome, duas silabas um beijo.
Imanam suspiros perfumados
Na realização do ato de amar se acende toda a aura da vida. 
Perdidos nos sentidos, estão os amantes a celebrar a magia de a vida poder vir a florescer 
Tocam liras, o universo se refaz em cada gesto. 
Mas porque banalizam o partilhar de corpos, 
Se há nessa partilha o festejar do se completar.
Amar extasia, é a procura da realização de humano ser, 
De extensões de asas a crescer, do fruto perfeito se completar. 
Ditosos os que sobem o patamar dos sentidos. 
Apelam aos místicos deuses sua presença. 
Assim o universo é equilíbrio, de dádiva, 
Partilha de amor tendo sempre do temor de errar a ausência. 
Ditosos sejam os que se fundindo, são cera e pavio 
Se amam se consomem e não ardem.

Augusta Maria Gonçalves.




SABOR A TI
Sedenta estou, das tuas mãos me tocarem 
Saciarem a minha sede deste amor sublime
Nossos corpos despidos se entrelaçarem
Num desejo que o coração não reprime
Teu corpo uma simples pauta de música
Que meus dedos tocarão ao de leve 
Deixando marcas das minhas unhas como uma rubrica 
E esperando que este momento seja em breve
Tenho a melodia gravada no meu coração
O dedilhar dos acordes no peito sentidos 
Os lábios sequiosos de novo se tocarão
O êxtase do prazer será o culminar do desejo 
Sussurrando ao teu ouvido ais reprimidos
A lua será testemunha deste nosso ensejo

Anabela Fernandes




Escaldante momento 
de loucura e ondulamento
Nossos corpos foragidos 
Ao mundo para vivermos 
Um só deslumbramento
Um percurso de erupção 
Nossos corpos se consumiram
Viveram e explodiram um só 
Color de amor e prazer 
Cada toque 
Cada gesto 
Cada sussurrar 
Cada gemido 
Foi um momento único e sublime de puro amor
Voamos para lá da imaginação 
Entregamo nos como um só ser 
Amamo nos de noite até amanhecer foi profundo 
Nosso amor acontecer

Sonia Pinto



Tu…
És o meu amor 
és a minha cura 
és a minha alegria 
és o abraço que me protege 
e que abraça com ternura.
Tu …
És vida da minha vida 
és o beijo que me sacia 
és o desejo que sinto
és a minha eterna paixão 
estás dentro do meu coração.
Amor ….
É para ti que escrevo palavras com emoção.

Mila Lopes




Mundo paralelo…
Camuflei-me no poder das palavras dúbias
Travesti a minha timidez nos poemas que escrevi
Senti-me solto…
Capaz das mais audazes façanhas
De atitudes tamanhas
Que não cabiam no meu mundo
Por isso criei um paralelo
Onde tudo para mim é belo…
Desmesuradamente belo!
É nesse mundo que tu entras…
Onde és homem e eu mulher
Onde sou livre se eu quiser…
Onde as flores nascem nas árvores 
E os rios correm no Céu…
Onde os pais são quem parem
E as mães são o que imaginarem!
É neste meu mundo…
Que os mares não têm fundo
Que posso nadar na areia
Ou ser possuído por uma sereia
Posso fazer tudo no meu mundo paralelo
Tornar o Sol azul em tons de amarelo
Fazer sexo como um depravado
E até por ti mulher… ser sodomizado!
Retiro-me num coma induzido
Não quero viver no mundo real
Onde tudo… a tudo é igual
Onde exceto tu…
Tudo é banal!

Luís Farto



Momentos escaldantes

São aqueles momentos
De calor 
Excitantes...
Onde existe amor
Onde o coração 
Transpira de suor
São os nossos momentos
Onde sentimos o calor
Dos nossos corpos
Simplesmente...
Porque nos amamos
Íntimos... 
São estes momentos
De grande cumplicidade
De grande respeito 
O amor sente-se no peito
Porque é de verdade
Onde nos abraçamos 
De tanta felicidade
Porque o amor
É mesmo assim
Os nossos corpos
São poesia
São palavras 
Num poema
Que é feito destes momentos
Sem fim
Onde nos envolvemos
E assim
Acontecem...
Momentos escaldantes


Alfredo Rodrigues Batista



22-06-2017



"momentos escaldantes"

 Vem ....

 Quero morrer nos teus braços

 Fundir o meu corpo no teu.

 Vem

 Enche-me de beijos, de abraços

 Leva-me contigo até ao céu....

 Vem

 Faz-me sentir irresistível

 como só tu sabes fazer

 Vem

 Estar contigo é incrível

 Fazes-me elouquecer.

 Vem

 Toca-me, beija-me, 

 diz-me palavras de amor

 Vem

 faz-me sentir sensual

 Deixa-me sentir o teu calor

 Vem

 Sem demoras, sem avisos

 De ti estou sempre á espera

 Vem

 Trocar comigo beijos e sorrisos

 Viver comigo esta quimera

 Vem 

 Com aquela vontade louca

 Aquele desejo sem fim

 Vem

 Beijar com doçura a minha boca

 Fazeres parte de mim.

 Vem

 Quando quiseres e desejares

 quando tua fogueira arder

 Vem

 Só porque queres ou por me amares

 Vem amor comigo fazer.

Isabel Susana Marouço




NA MAGIA DO LUAR

Debruçado na janela
 a brisa sopra quente,
 tal os teus beijos
 que me enamoram.
 A lua queda-se
 e reflecte o teu olhar cantante,
 com o corpo baloiçando
 e aspergindo flores de jasmim
 em bailado oscilante e mavioso
 num pas de deux afectuoso
 de carinho e amor.

José Lopes da Nave




Estavas lá...

Vou escrever...
 ...um poema...no teu corpo
 Em que as palavras... são sopros
 Que te arrepiam a pele
 ...e sente...o murmúrio
 Das mãos que te percorrem
 ...sem tempo...momento...
 Despertando os teus sentidos
 A serem ouvidos no tacto
 ...das minhas mãos
 Vem amor... são nossos os chãos
 E é música... dança...e balança...
 ...nossos corpos
 E deixa que meus braços
 ...te apertem contra mim
 Junta o teu peito...ao meu
 Solta tua voz...ao meu ouvido
 Ouve as palavras...sem sentido
 Solta o fogo...em fogo ardido
 Faz como se o mundo
 ...acabasse aqui...nessa hora
 ......mesmo agora...
 Como se nunca houvesse um fim
 ...e chama por mim... amor
 E descarrega teu grito
 ...na minha boca... já louca
 Que te grita...rouca
 Teu nome...na minha boca
 ...e vou escrever...um poema
 ......no teu corpo...
 Em que as palavras são sopros
 ...que te arrepiam a pele

FCJ
 Fernanda Carneiro Jacinto




Atreve-te…a quereres-me!

Gosto dos caracóis…
E da cor dos teus cabelos
 Os teus olhos e olhares confundem-me…
Mesmo que representados no papel
 Provocam-me arrepio na pele
 Todos os dias beijo as letras que escreves
 Sentindo que são para mim
 Em todos os teus poemas…
Apago a palavra…Fim!
 Leio-te nas entrelinhas
 Possuo-te em cada verso…
Os teus delineados lábios
 Desafiam-me a imaginação
 Neles leio…sedução!
 E todo o meu sangue ferve…
Talvez um dia façamos amor
 Mas será «selvagem»
Á tua imagem…

Luís Farto



ÉS...

Meu desejo louco
 Que me sabe pouco
 Me arrepia a pele
 Num toque leve
 Leva-me ao céu
 Nas tuas asas
 De anjo selvagem
 Teus lábios ruby
 Tocaram os meus
 Senti que és somente meu
 Mar salgado
 Lua distante
 De nós amante
 Em cada verso
 Que só eu sei ser para mim
 És a minha calma
 Também o meu vulcão
 Sempre em erupção
 Nas noites que são só nossas
 Basta para ti olhar
 Sentir o odor a maresia
 O corpo queimado do sol
 A fragrância das flores
 Que só tu conheces
 Me apura o desejo
 Teu corpo tocar
 Nos amarmos mais
 Sabendo nós que o mais
 É sempre pouco

Anabela Fernandes



15-06-2017

Sou feliz a cada beijo teu

 A cada toque levas-me ao céu

 Como é tão bom poder te abraçar

 Só tu sabes como me arrepiar

 As tuas mãos conhecem o meu corpo de cor

 Os meus olhos brilham mais quando fazemos Amor

 És doce, és carinho, és ternura

 Contigo viveria qualquer aventura

 Meu amor, como é mágico estar nos teus braços

 Sei-te de cor, que sejam sempre fortes nossos laços

 Basta-me um beijo teu e o teu carinho

 E já sou mais feliz um bocadinho

Isabel Susana Marouço



“DOIS LOUCOS”
Cheiras a jasmim
 Cheiras a mim
 Afagas-me o rosto
 Sinto na minha a tua boca
 Deitas-te a meu lado
 Segredas-me loucuras
 Abraças-me
 Percorres o meu corpo
 Apertas-me
 Sinto-te em mim
 És como um néctar
 Flutuo no teu amor
 Sou alma
 Sou gente
 Sou como um deserto
 Árida e sedenta
 Perco-me em ti
 Me acho em mim
 És meu
 Sou tua
 Dois corpos
 Uma só alma
 Tu és
 Eu sou
 Somos dois loucos
 Que amam
 Até ao amanhecer…
 “BRASA” MAGDA BRAZINHA




DANÇA COMIGO

Deixa os corpos rodopiarem na pista
 Sentir as tuas mãos em mim tocarem
 O teu desejo é louco e salta á vista
 Os nossos lábios sôfregos se saciarem

Numa dança de sentidos agora despertos
 Na sedução que te quero sempre propor
 Sabendo que nossos caminhos são incertos
 Mas nos envolvendo nesta dança de amor

Deixa que seja a tua gota de orvalho
 Que te salpica e refresca cada manhã
 Fazer do meu corpo o teu doce agasalho

Dança comigo neste chove que não molha
 Nesta esperança que sei que não é vã
 Sente em ti este desejo ser uma suave bolha

Anabela Fernandes



Quero

Quero viajar pelo teu corpo
 e sentir-me tua mulher e tua amante.
 Quero …
Alojar-me dentro do teu coração
 e dizer que te amo eternamente.
 Quero…
Ser para ti a doce rima duma canção
 e dançar a dança do amor com emoção.
 Quero…
Dormir a teu lado abraçada
 e sentir –me por ti entrelaçada.
 Quero …
Realizar os teus secretos desejos
 e saciar o meu amor com teus beijos
 Quero …
Ser a tua eterna paixão
 juntos somos amor em vulcão

Mila Lopes




Jogo de mãos

Fiquei preso na retina do teu olhar
 Decorei cada poro da tua pele
 Senti o hálito doce da tua boca
 Bebi-te na saliva que trocamos
 No aperto do teu abraço
 Li a carência de carinho
 A ausência de ternura
 Na sua forma mais pura
 Meus dedos deslizaram no teu sedoso cabelo
 Apertei-o enrolando num tufão
 Numa só mão
 Puxei... suavemente
 Queria ver-te no rosto o desejo
 Sentir-te no calor de um beijo
 Queria pedir-te sem falar
 Que te entregasses sem pestanejar
 Porque na outra mão...
 Já eras minha!

Luís Farto




CONVITE.

Quente a tarde.
 Adivinho já lá pela tardinha a fresca suave.
 E se amor juntinhos fossemos.
 Por aí a lua contemplar.
 Contar as estrelas uma a uma.
 Sonhar acordados, sonhos de encantar.
 Talvez até beijos nascessem.
 Iluminados por estrelas apressadas.
 Ou quem sabe?
 Se a magia da noite, não abrirá
 Para ti meu peito de papoilas encarnadas.
 Aceita o convite, é boa hora.
 Pois na vida se perde quando em vez.
 A chance de amar naquela hora…
Depois é tarde.
 Já nos branquearam os cabelos.
 Mas guardamos no tato a seda dos corpos.
 Sabem nossos lábios ler no escuro
 Os mapas em que todos os gestos eram felicidade.
 Vamos então, não vá ser tarde.

Augusta Maria Gonçalves.



08-06-2017
     Saudade
 Do teu beijo doce e avassalador
 Da forma meiga como fazemos Amor
 Dos teus dedos que me tocam com paixão
 De ouvir o ritmo do teu coração....
 Saudade
 De ser tua na plenitude do ser
 De ouvir palavras que te custam sempre dizer
 De sentir no teu olhar o desejo
 Que se acende e se apaga beijo a beijo
 Saudade
 De me tocares e sentir aquele arrepio
 Que acaba em calor e termina com o frio
 Da trinca na orelha, beijo na nuca, arrepio na espinha
 De me dizeres ao ouvido - "quero que sejas minha"
 Saudade
 De sentir o teu corpo no meu
 Estar na terra mas pensar que é o céu
 Adormecer sorrindo em teu regaço
 Depois de um longo e demorado abraço...
 Vem Amor e afasta a saudade para longe de mim
 Quero que saibas que te amo e por ti lutarei até ao fim
Isabel Susana Marouço
 
 
POR VEZES SOMOS!

Dá-me um sopro de ti enlaça-me.
 Somos nós um neste momento
 Olho-te profundamente.
 Enquanto minhas mãos se entregam a ler os sulcos do teu rosto.
 São teus olhos a fusão do céu com o mar.
 Azul acetinado.
 Sonho já.
 Reclinaste-te sobre mim.
 Desenhas-te mil pétalas em caricias.
 Disseste!
 És para mim a flor nunca desfolhada.
 Ri…
Respondi.
 És o meu poema, a razão do meu viver.
 A luz que ilumina a noite que declina.
 Já a lua namoradeira espreita assombrada.
 Já há mil chamas na noite.
 Acendeu-as o desejo meu e teu.
 Somos eu e tu amantes?
 Ou apenas almas caminhantes.
 Bebendo-se em tragos delirantes.
 Ou?
 Embriaguez de sentidos e mais nada.

Augusta Maria Gonçalves. 
 
 
“DESEJO ADIADO”
Volta aquela sensação
 De te ter nos meus braços
 Agora…
Quero que os lábios
 Recordem os beijos de maresia
 A pele
 O desabrochar do amor
 O desejo
 Toma conta de mim
 Com a saudade de ti
 A brisa amena beija-me os sentidos
 Agora…
Desperto da volúpia
 As memórias explodem
 Sinto as mãos transpiradas
 Tocas-me
 És um mar de amor
 O corpo reconhece-te
 O teu toque
 O teu cheiro
 Agora…
Enrosco-me em ti o silêncio devora-nos
 Ilumina-nos a luz ondulada
 Por entre as persianas
 És sal e água
 És a terra prometida
 És desejo adiado
 Agora…
Consumou-se…
 “BRASA” MAGDA BRAZINHA 
 
 
NO TEU CAMINHAR

Este tempo é um conto de magia
 começou, quando te olhei e vi
 e prossegue comigo,
 algo despertou em mim!
 O tempo seguinte,
 fez-me admirar as cores do arco-íris,
 todos os clamores do vento,
 todos os sonhos que me alcançam.
 Cada estrela, cada recôndito
 de ternuras desejadas
 cada respiração,
 cada palavra da nossa história
 existirão para testemunhar o meu querer.
 Quando tive de amar, estive no teu caminho,
 pensando em ti, a cada momento
 e amar-te-ei nos meus sonhos
 porque sei
 que a vida futura será bondosa para nós,
 neste meu ansiar,
 com o desejo da tua alegria e felicidade.

José Lopes da Nave


GEMIDOS NO MAR

Rebentam as ondas contra as rochas
 Num gemido latente do mar
 Quem em reboliço se esvai
 No mar se prazer que não cai
 Ao longe a lua abraça o sol
 Dançam até ao entardecer
 Cúmplices do amor que no mar
 Está iminente de acontecer
 Libertos os corpos se unem
 Na praia deserta se entrelaçam
 A água tapa a nudez
 Amor aconteceu outraves
 O vento sopra e leva os sussurros
 Dos amantes famintos de mais
 A pele molhada os cabelos soltos
 Um desejo louco
 Paixão ao rubro
 As ondas em euforia​
 Sentiu-se um orgasmo nesse dia

Anabela Fernandes




Sinto

Os teus olhos
 nos meus
 o teu corpo
 no meu
 é emoção
 e unidos
 ambos
 sentimos
 paixão
 são
 momentos
 de puros
 sentimentos
 e embriagados
 de amor
 nossas
 línguas
 dançam
 ambos
 sentimos
 arrepios
 e gememos
 de paixão
 nós
 somos
 gemidos
 suspiros
 e corpos
 suados
 entrelaçados
 contorcidos
 de prazer
 e perdidos
 de desejos
 de amor.

Mila Lopes 





talvez...

talvez quisesse...
 ter-te de novo junto a mim...
 num qualquer banco de jardim
 talvez pudesse...
 poder apenas olhar para ti
 trocar caricias sem falar
 fechar os olhos e sonhar
 fazer amor sem amar...
 talvez amanhã já...
 talvez o tempo escasseie
 e eu me sente sozinho
 naquele banco esperando
 não sei até quando!
 talvez pudesse...
 pedir-te apenas...
 vem...
 sabes-me ( tão ) bem!

Luís Farto



01-06-2017
ILUSÃO DE AMOR
Anoitece… meu amor
E eu fico feliz…
Vou mais cedo para a cama
Fecho os meus olhos e…
Sinto…
Como o meu coração te chama.
No desejo de te ter…
Num pulsar galopante…
E numa chama crescente...
Sinto o sangue correr nas veias...
Como o desejo de uma amante.
Não estas…
É pura ilusão…
Mas bate tão forte o meu coração...
Que só o meu amor é suficiente.
Amei-te loucamente!...
Saciei o meu desejo ardente...
Mas…Culminou no mesmo instante,
Quando senti que aqui tu não estiveste.

Fátima Verissimo



“DESEJOS”
Aguardo o teu despertar
Na nossa madrugada
Gosto de ver
O teu corpo preguiçar
Antes de acordar
Espero
Ansiosamente
De sorriso nos olhos
De mãos suadas
De boca húmida
O meu voo
Sobre o teu corpo
O amor chegou
Como o amanhecer
Cálido e doce
Apetece-me beijar-te
Mas não te quero acordar
Cuido do teu sono
Sonhando o momento
Das caricias loucas
Silêncio no ar
Desejos sem fim
O meu querer 
De te ter em mim
Abraço-te
Sinto-te
Acordas em mim…

“BRASA” MAGDA BRAZINHA



O nosso amor é sagrado
Sente o meu corpo no teu
toca-me com carinho
eleva-me ao paraíso
faz esta noite não ter fim 
eu sinto no teu olhar o desejo
_______estás sequioso há espera dum beijo-
As tuas mãos entrelaçam-se nas minhas
e nossas almas completam-se
os nossos corpos bailam 
unidos vibramos de paixão
______que ambos sentimos no coração-
O nosso amor está traçado
e não é nenhum pecado
somos amigos, namorados e amantes 
os dois continuamos apaixonados
________o nosso amor é sagrado-

Mila Lopes



 Momentos

E vais...embalado no vento
Bailando tal bailarino
Rodopiando esquecido
Como se foras tu
...o próprio tempo
Teus braços abraçam o ar
Como se de miragens
Se tratasse...o próprio amar
E nasce das tuas mãos...a vida
Nasce do teu corpo...o calor
Na dança do meu
...e é teu
O mar de pele salgada...molhada
Onde as mãos se deslizam
Gulosas...e ansiosas
E o sol...pendurado lá
...no tecto do mundo...acordado
Olha...silenciado
O bater da veia...do coração
Num bater desenfreado
...na palma da tua mão
Como trem desgovernado
Passando pela estação
Sem parar...sem se deter
...sem nada ver
......e são os minutos horas
Neste baile que demoras
No silêncio deste dia...ainda aqui
E estás em mim...e estou em ti
Então...deixa o tempo rolar
Sente minhas mãos a falar
...e meu olhar te beijar
Embala no vento...bailarino
...e voa...e esquece...
......e faz o tempo parar

FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto




EM AGOSTO

Amo cada curva do teu corpo
Cada traço do teu rosto
Cada luar do mês de Agosto
Que por ti espero

Amo o verde limo
A ti que tanto mimo
Nesse olhar que me desnuda
Quero ser a tua amada
 EM AGOSTO

Amo cada curva do teu corpo
Cada traço do teu rosto
Cada luar do mês de Agosto
Que por ti espero

Amo o verde limo
A ti que tanto mimo
Nesse olhar que me desnuda
Quero ser a tua amada

Amo os beijos tão gulosos
Dos lábios sequiosos
Desse sabor a ti
Belo travo de aniz

Amo o manancial de emoções
Que amor tu me despertas
Nas horas tão despersas
De dois loucos corações

Amo o arco-iris multicor
Que abençoa nosso amor
Neste desejo que é puro
Meu sentimento está seguro

E mais irei amar
Quando o dia chegar
Tu nos braços me tomares
Os meus seios tu beijares
Sabendo que por ti soube
Eternamente esperar

Anabela Fernandes




25-05-2017
Nos nossos lençóis suados
 Somos dois loucos apaixonados
 Trocando carícias de amor
 Cada toque é pura magia
 E é imensa a alegria
 De juntar o teu ao meu suor
 Os poros transpiram loucura
 Os dedos gestos de ternura
 Neste desejo sem fim
 Os lábios se amam em cada beijo
 Cada toque é de desejo
 Eu quero-te e tu queres-me a mim.
 Somos canção afinada
 Melodia bem treinada
 Na letra do nosso Amor
 Somos dois em um apenas
 Numa manhã de açucenas 
 Numa noite de esplendor
 Fundimos-nos um no outro
 como se não houvesse amanhã
 E depois adormecemos
 Amor mais puro não há
 Mais terno, mais doce, mais belo
 Passas-me as mãos no cabelo
 Percorrendo o meu corpo inteiro
 Retribuo a intensidade
 Amo-te de verdade
 De janeiro a janeiro.
 E adormecer nos teus braços 
 Tem por certo outro sabor
 Fortalece os nossos laços
 É um hino ao nosso Amor.
Isabel Susana Marouço



SENTIMENTOS!!
 Debaixo dos lençóis, os nossos ruídos
 Produzindo um acorde maravilhoso...delicia
 O som saindo de nossos lábios ouvidos
 Emitindo palavras de carinhos e malícia.
 Das nossas mãos atrevidas, a percorrer nossos corpos,
 Tal qual um artesão, a esculpir com desejo,
 tão ardente paixão em nosso rostos
 Arrancando suspiros de arrepios e um beijo
 Dos nossos corpos suados, a misturar o aroma
 Roçando voluptuosamente, arrancando gemidos de prazer
 Acabando por entorpecer nossos sentidos,a alma
 Nos momentos para não esquecer
 Das nossas loucuras,
 Sem censuras
 A descobrir movimentos mágicos,tua boca
 A procura da posição frenética e louca.
 De nossa alcova toda desarrumada,
 Das nossas roupas espalhadas,
 Daquele cheiro de amor pelo ar e ser amada
 E com nossa roupas molhadas.
 É claro que lembras... como poderia esquecer
 Das noites de amor e momento escaldante
 Dos gozos, gozados ao extremo,até ao amanhecer
 Até o esgotamento de nossas forças excitante 
 Nada poderia apagar esses momentos
 Até as paredes guardam impregnadas
 As imagens ali retratadas,
 O cheiro de amor e:SENTIMENTOS!!

Carmen Bettencourt




“VOO ERRANTE”
Cruzam-se olhares
 Num voo errante
 Voam entre o céu e o mar
 Na magia da noite
 Aceleram-se os desejos
 Conjugam o verbo amar
 Em toda a sua essência
 Corpos sedentos
 Almas carentes
 Inflamam-se os beijos
 Abraçam-se amando
 Os cheiros intensificam-se
 Mistura de corpos
 Numa avalanche de palavras
 Entre lençóis de linho
 Entrelaçam-se sonhos
 Dão voltas e mais voltas
 Nesta volúpia de amar
 Voam em sintonia
 Chegam e tornam a partir
 Em sensuais emoções
 Nada os detém
 São corpo e alma
 Num só
 O voo terminou
 Cansados e suados
 Extasiados de amor
 Descansam na madrugada
 Esperando novos voos
 Num eterno amar…

 “BRASA” MAGDA BRAZINHA





Inocência...

Por entre os galhos novamente floridos
 O Sol passava crivado
 Salpicando-te o rosto ruborizado 
 Aquecendo o teu corpo deitado!
 Nos olhos fechados
 Conseguia ler o que esperavas de mim
 Na boca semi aberta
 O sorriso maroto de quem espera uma maldade
 E sabe que é verdade!
 Eu...
 Deleitado com a visão do teu corpo
 À distância de um toque
 Hesitava em desfazer tão belo quadro
 Permanecia inerte
 Acariciando-te mentalmente!
 De repente...
 Quebrou-se a letargia...
 A tua mão pegando na minha
 indicou-me o que o teu coração queria!
 Um leve arquear das colegiais pernas bem femininas
 Mostrou-me o desejo
 Um beijo sôfrego fechou o medo
 Selou a complacência
 Perdeu-se a inocência!


Luís Farto




FASCÍNIO

Olhos amendoados,
 Castanhos num baixar de pálpebras e sombra de mistério. 
 Fascinio longínquo eram. 
 Fascinio, doença, frenesim. 
 Um imaginar deslizante de robe florido de cetim. 
 Deslizava, logo a imagem nua era desenhada.
 Pele branca acetinada. 
 Desejo que crescia na lonjura, 
 Luz que se acendeu na ilusão. 
 Fascinio, desejo, louca perdição. 
 Chamaram-lhe amor, não era não. 
 Impeto, vontade. 
 Venceu distancia, 
 Lonjura mar, céu e maré cheia. 
 E foi desejo, sede, secura.
 Queda no poço da loucura. 
 Feitiço enredo, curvas de corpos. 
 Ondular. 
 Dias e dias de tédio. 
 Desacetinada meditação. 
 Fascinio, doença, corpos nus.
 Mãos sem desejo. 
 Apenas um falso sorriso. 
 De quando em vez se acendia um beijo. 
 Já todo o fascínio se tinha despido de ilusão.
 Eram os olhos lagos turvos, 
 O grito mudo era renuncia. 
 Era a vontade de dizer. 
 NÃO E NÃO!!!


Augusta Maria Gonçalves.



Iniciativa "Momentos escaldantes"

Quando me tocas daquela forma sensual
 Parece que em mim se ópera magia
 É tão sublime, verdadeiramente especial
 Que o meu corpo todo se arrepia
 Tento resistir ao impacto que me provocas
 Mas quando dou por ela somos duas mentes loucas
 E já só quero sentir-te em mim
 Deixar-me levar por esse desejo sem fim
 E o meu pescoço beijas de mansinho
 Abraças meu corpo com tanto carinho
 Como resistir se és aquele que eu amo?
 E a chorar ou a sorrir é teu nome que eu chamo.
 Não​ há nada melhor que a tua paixão
 Fazes palpitar forte o meu coração
 E cada beijo teu é em mim maresia 
 Das ondas da paixão que me arrebatou um dia.

Isabel Susana Marouço





À BEIRA-MAR

O desejo de te ter,
 Te percorrer, 
 Te acarinhar.
 Lábios rubros de romã, 
 De sabor exótico, 
 Como o teu olhar.
 Seios de pomo,
 Pernas curvilíneas,
 Que antevejo
 Neste meu sonhar.
 As ondas beijam-te,
 Como beijam a areia 
 Que se espraiem deliciosamente. 
 E vazam, 
 Refluem 
 E voltam de mansidão, 
 Trinando um prazer em redor,
 De amor. 
 Uma última onda espreguiça-se na praia. 
 E, adormece. 
 Sonhei-te entre quimeras, a conduzir-me ao devaneio.


José Lopes da Nave




____DELIRANDO____

Delirando em desejos proibidos
 Loucos de paixão a ti eu me entrego
 E como as nuvens se entregam ao vento
 É o meu amor por ti em desvelo.

Tal como o sol aquece a terra
 E como a lua dá luz ao deserto
 Assim em loucos pecados carnais
 Entrego ó meu corpo a ti por completo.

Os delírios que me envolvem na entrega
 E esta chama no fundo de mim
 É o amor voraz que trago
 Há muito tempo sentindo por ti.

Nesta maior loucura de amor 
 Não me vou importar sequer
 Se a seguir de a ti me entregar
 Desfeita de prazer eu morrer.

Fátima Verissimo



18-05-2017
CONTEMPLAÇÃO

Contemplando o infinito
 em amor refugiados,
 sonhando quimeras,
 próximas.
 A luz emanada de nós
 reflectia-se,
 acompanhando o estrelado da noite
 e na calmaria das águas,
 serenas, lânguidas,
 de promessas de ânsia,
 por beijos ardentes meditando
 pela noite almejando
 que seria já.
 Penumbra não era,
 apenas o desejo
 de estarmos,
 de sermos
 corpos afeiçoados
 de amor
 num só.
 A estrela d’alva foi nossa,
 apenas nossa.


José Lopes da Nave




“QUERIA”
Queria ser gota de água
 Percorrer teu corpo
 Sentir cada traço teu
 O roçar da tua pele na minha
 Cheirar o teu cheiro
 Passar levemente minhas mãos em ti
 Queria ser gota de água
 Beijar os teus olhos
 Percorrer docemente os teus cabelos
 Deixar cair gota a gota
 Nos teus lábios entreabertos
 Escorregar pelo teu pescoço
 Massajar os teus ombros
 Sentir o teu toque
 Beijar o teu corpo
 Acariciar-te languidamente
 Arrepiar-me em ti
 Sentir cada poro teu
 Queria ser gota de água
 Beber do teu corpo
 Sentir o teu beijo molhado
 Perder-me em ti
 Hoje
 Só queria ser gota de água…

 “BRASA” MAGDA BRAZINHA



JARDIM DO EDEN.

Passeavas no jardim de encantos. 
 As flores, as pontes em arco. 
 As águas límpidas. 
 As pétalas dançando no vento. 
 Tudo era festa. 
 Tu deambulavas. 
 Perto ou longe. 
 Num recanto iluminado. 
 Um recanto onde o sol cortejava as flores. 
 Eu desenhava pétalas em poesia. 
 Olhei-te, perdi a rima, 
 Pois tu eras poema. 
 Poema solitário. 
 Olhando as flores. 
 Talvez sonhando. 
 Com tua amada adornada, perfumada. 
 Semi nua, dando-te sua boca em flor. 
 Convidando-te
 Para dançar a dança do amor. 
 Paras-te, olhando tua sombra. 
 Eu fui toque de lira. 
 Ergues-te o olhar. 
 Deste por mim. 
 Estendi as mãos, sorri, corri.
 Teu corpo abracei. 
 De seda fui para ti.
 Lábios de mel, ou flor rubi. 
 Aconteceu amor ali. 
 Como se tivesse folheado um livro, 
 Lemos na mudez das nossas bocas. 
 Todas as palavras loucas que brincavam no nosso olhar. 
 Foi um arco em flor, testemunha desse louco amor. 
 Adormecemos vestidos de felicidade,
 Já um dia novo estava a despertar.
 Foi para a vida este nosso amar. 


Augusta Maria Gonçalves.




COELHINHA RABITT

Será o momento
 Da tua surpresa 
 Com toda a clareza 
 Te irei demonstrar
 A minha ousadia 
 Vesti-me de coelhinha
 Eu que sou até pequenina 
 Pareço uma boneca 

Podes brincar 
 Á tua vontade
 Espalhei pétalas de rosa 
 Na cama ainda feita 
 Perfumadas de jasmim 
 Entre velas que acendi
 Te quero amor perto de mim
 O vinho a refrescar 
 Degustaremos só nós dois 

Entras no quarto devagarinho 
 Eu apareço de mansinho 
 Teu olhar de tal espanto
 Oh !!!! será de certo meu encanto
 A música já se ouve 
 Eu danço na tua frente 
 Sou a tua COELHINHA 
 Toma a tua atitude 
 Segura meu corpo finalmente
 Que a distância separou 
 Hoje eu aqui estou 
 Serei tua para sempre
 Será que ainda queres??????


Anabela Fernandes



ENCONTRO


 Há um encontro de almas, na desordem dos beijos,
 em tardes longas e calmas,
 e como estrelas cadentes,
 peregrinam os desejos, no entrelaçar da catarse.

Há um dilúvio de emoções,
 na sede dos sentidos,
 e o corpo perde-se em levitações,
 como se as células e os poros,
 resgatassem todas as sensações,
 e exaltassem todos os pruridos,
 se afinassem em coros de gemidos,
 numa cavalgada de esporos.

Não há segredos nos abraços trocados,
 censuras da decência entre diários e baús,
 todos os enxovais rasgados,
 libertos do pudor e da carência,
 enamorados da lividez mútua que os seduz.

Há afecto, querer e amor
 um fluído que brota das essências
 perfumando o dia,
 e se estende cobiçoso no voo leve da cotovia,
 na imaginação fértil dos sonhos,
 que se abebera das fontes alimentícias desse mel,
 onde a pele se vai alimentar de delícias...


Adelina Santos



 EU QUERO!

Quero sentir o teu toque,provocante
Acariciar a tua pele,com prazer
Mergulhar num jogo escaldante
E deixar-me levar na magia do amor e nunca esquecer
Beija-me suavemente,
Deixa a teu corpo no meu mergulhar.
Faz-me rebentar de paixão,somente
Quero ser tua e a ti me entregar.
A cada beijo quero-te ouvir dizer,
A cada toque quero sentir-te a tremer.
Juntos num abraço apertado
De corpo unido molhado.
Anda comigo ao céu,além...
Visita as estrelas que te entrego na mão...
Ama-me como nunca amaste alguém
Somos corpo e alma e um só coração.
A tua pele macia quero sentir
O teu cheiro suave quero provar
Amor intenso, platónico, infinito...e não fingir,
Em que os nossos corpos se vão transformar.
Suados e de respiração ofegante,
Somos dois seres em entrega no momento escaldante
Tu... com teu olhar cintilante
Eu... um sonhadora que não te quer perder nem por instante

Carmen Bettencourt



ÉS BÁLSAMO 

És bálsamo do meu amor
 delícias-me com teu odor
 acalmas me com teu sabor
 derreto-me com teu calor,

És bálsamo
 que em cada segundo declamo teu mel...

És bálsamo.... Por ti chamo meu amor...

Tu tocas-me na mão
 agarras-me com firmeza
 os espinhos se dobram
 e tu suavizas a minha beleza,

És bálsamo em meu olhar
 Dás-me o mundo
 um sorriso
 um pedaço de céu...

Teu amor é bálsamo
 suspira do pela razão 
 vives e fazes viver
 este meu coração,

Que a vide perdure por muito tempo
 porque o mais formoso e mais puro dos sentimentos
 são os teus que alcançam a doce e eterna poesia
 que alguém alguma vez entendeu, 

Sim... és tu o bálsamo que macia a minha vida.


Sónia Pinto





Lânguido…

Comtemplei-te dormindo…
No rosto…
A serenidade de quem está feliz
 Na boca…
O ténue esboçar de um sorriso
 De quem se sente em paz
 No corpo desnudado
 De curvas bem delineadas
 Os mamilos eretos
 Pedem para ser sugados…
Mordidos…
Beliscados!
 Talvez sonhando
 Rodopias...
 Arqueando as pernas
 Revelando-me o mais intimo da tua sexualidade
 Irresistível!
 Irremediavelmente excitado
 Solto a língua gulosa que me pede
 Para te saborear
 De imediato sinto o pressionar das tuas coxas
 Na minha cabeça…
E a tua voz lânguida que me sussurra…
 “ Possui-me…”


Luís Farto



11-05-2017

Entrego-me a ti

 E deixo-me levar pela volúpia do teu desejo

 És sonho que vivi

 E recordo mais uma vez em cada beijo

 Ardo de paixão

 Sou fogueira acesa pronta a te consumir

 Ouço o teu coração

 Sinto que também é amor que por mim estás a sentir

 Respiro o teu perfume

 E por ele me deixo completamente enfeitiçar

 Sente este lume

 Esta ânsia de ser sempre tua e tanto te Amar

 Dá-me o teu abraço

 Quero encolher-me em teu peito , minha proteção

 Em ti me enlaço

 És aquele por quem perfeito bate o meu coração

Isabel Susana Marouço




“VOO ERRANTE”
Cruzam-se os olhares
 Num voo errante
 Na magia da noite
 Entre o céu e o mar
 Olhares carentes
 Almas gémeas
 Bocas sedentas
 Corpos que se tocam
 Conjugam o verbo amar
 Misturam-se cheiros
 Inflamam-se desejos
 Numa sintonia
 Viajam no vale do amor
 Inundam o coração extasiado
 Despertam sabores
 Abraçam a alma
 Aninham-se no seu querer
 Há murmúrios urgentes
 Há silêncios que falam
 Alentam-se os corpos
 Emaranham-se lençóis
 Beijos adiados
 Amam-se na noite
 Em caricias suaves
 Sem pressas
 Conhecem-se em cada recanto
 Amam-se assim
 Num voo errante…
 “BRASA” MAGDA BRAZINHA




SÓ PARA TI

Saio p' ra rua
 Olho o espelho
 Retoquei o batom
 Cor de carmim
 Mini saia amarela
 Me sinto mais bela
 Cabelo mais louro
 Reluz feito ouro
 Blusa transparente
 Seio semi desnudado
 Te deixa extasiado
 Sigo em frente
 O joelho a descoberto
 Sinto os olhares
 Vejo-te ao longe
 Vou me aproximando
 Me desejas com o olhar
 O coração palpita
 Vem o abraço
 Um beijo eloquente
 Desejo presente
 Arrepio na pele
 Toco ao de leve na tua perna
 Me segredas ao ouvido
 Todo o teu desejo
 Saímos dali ...rumo a casa
 Ambos sabíamos
 Que a noite por nós esperava
 Roupas caídas pelo chão
 Marcas da paixão
 Intensamente vivida

Anabela Fernandes.



SOM DOS VENTRES

Sensível o
 Doce apetite.
 Intensos
 Momentos.
 Os dois.
 Gotas vermelhas,
 Os lábios.
 O vinho
 Escorre,
 No teu peito.
 Bebo-te o corpo
 Na pele.
 Sozinhos,
 O som dos ventres.
 Dentro de ti.
 Tanto!
 Agora.
 Aqui.


Carlos Lobato





OLHARES


 Teus olhos, de brilho tamanho
 De ternura e alegria sem antanho
 Ao beijá-los, meu querubim
 Me sabem a sóis para mim.
 Envoltos nas ondas do mar
 Enlaçados de cor
 Matizados de mistério
 São promessas de amor
 De tão belos eles são
 Com uma meiguice sem fim
 Para tê-los no meu olhar
 O meu condão serão.

José Lopes da Nave




SONHA-ME.
 Pensa-me!
 Olha-me, sorri como quem desvenda um segredo.
 Pois! Pensa-me, flor mulher, princesa.
 A dona dos teus carinhos.
 Aquela que por ti espera.
 Espera essa, que preparo com taça de cristal, enfeitada de rosas no hal, da entrada.
 As rosas são perfumadas.
 Seguirás depois até ao recanto onde te espero.
 Velas acesas.
 Musica suave.
 Robe de acetinado, pintado de flores a aves.
 Duas taças de vinho cor rubi.
 Quatro palavras doces, sussurradas.
 Um beijo doce depositado, com amor nos meus lábios de mel.
 Faz-se magia na festa de celebrar o amor.
 Tua camisa branca estarrecida de ciúmes.
 Olha-nos indiscreta.
 Somos só miragem, porque amar plenamente é não ter a certeza de viver.
 Ou estar a habitar um sonho desejado.
 Augusta Maria Gonçalves.




Há Estrelas

Há estrelas
 Que querem roubar
 ...o sorriso do teu olhar
 De tanto que olhas
 ...para elas
 Pois é no teu olhar
 ...que me perco... também
 É nas tuas mãos
 ...que banho meu corpo
 No conforto
 ...de mãos que gostam
 ......das minhas
 Sou mariposa
 ...vaidosa
 Atraída pelo fogo
 ...bailarino
 Onde queimo o amor
 ...sentido
 Colhido na boca
 ...perdido
 Que trespassa
 ... transparente
 Num leve toque
 ...de penas
 Corpo...grito...que sentes
 Iluminado
 ...pelas estrelas
 Essas que querem...roubar
 ...o sorriso
 Do teu olhar

FCJ
 Fernanda Carneiro Jacinto




Espero por ti esta noite. Tenho
 saudades
 dos teus beijos, dos teus
 abraços,
 e da tua amizade.
 O meu quarto ainda cheira ao teu
 perfume!
 As noites passam devagarinho,
 sinto-te
 ao meu lado, sem poder tocar-te.
 Tenho saudades
 de estar contigo, do carinho
 que trocámos,
 do amor que fizemos. Hoje,
 espero por ti,
 como se fosse a nossa
 primeira vez.

José Maria... Z L




04-05-2017


NO VARÃO​

Mesmo á tua frente
 Dancei só para ti
 Uma dança sensual
 Teus olhos eram fogo ardente 
 Me despiam ali naquele momento
 Num desejo sem igual 
 Meu corpo semi nu
 De preto tapado 
 O seio desnudado 
 Te despertam os sentidos 
 De venda na cara 
 Passei despercebida 
 Mais ainda atrevida 
 Te tocando ao de leve 
 Quando por ti passei
 No varão me enrolo
 Subo e desço 
 Sou aquela que te seduz 
 Num querer incessante
 Estás ali perante 
 Querendo tocar
 No intocável
 Desejos escondidos,reprimidos 
 Te arrepiam a pele
 Eu te olho nos olhos 
 Sacio a tua vontade 
 E quem sabe 
 Tudo acontece 
 Aqui no varão


Anabela Fernandes.



“IRROMPO”
Irrompo no meu mundo
 Sou chama incandescente
 Trago a paixão e o sorriso no olhar
 Deixo ao vento a raiva e a vaidade
 Comigo fica o travo amargo da saudade
 Deixo correr livremente as minha lágrimas
 Provo ao mundo a minha sensibilidade
 Tenho o amor á flor da pele
 Movo-me languidamente
 Sinto um roçar de desejo
 Inundam-me memórias e volúpias
 Sei como te trazer até mim
 Sei de cor o teu cheiro
 O sabor do teu beijo
 A urgência das tuas mãos nas minhas
 Os teus lábios rasgam-me os sentidos
 Sugo o destino
 Na impaciência do suspiro e da ternura
 Despertam em mim primaveras de amor
 Não sei viver sem te ter aqui
 Volta depressa 
 Estou apaixonada
 Pela vida e pelo teu amor
 Conto os dias 
 As horas e os minutos
 Sem ti
 O relógio parou
 Amo-te…

 “BRASA” MAGDA BRAZINHA



EU DESEJAVA SER AMADA DESSE JEITO

Disse-te num beijo de vento fugaz. 
 Amo-te! 
 Perguntei-me? 
 De que jeito me amará. 
 Só o coração batia, mudo pensava, 
 Eu flor viçosa, sorria. 
 Em declaração mais pertinaz. 
 Repetiu.
 Amo-te! 
 Eu ri. 
 Disse brejeira, tendo nos lábios encanto. 
 Nos olhos flores vivaz. 
 Sabes acaso cuidar de jardins. 
 Responder não foi capaz. 
 Olhou prepelexo, articulou vagaroso a s palavras. 
 Talvez seja capaz. 
 Caminhando de dedos entrelaçados. 
 Falei de tudo quanto nossos olhos viam. 
 Declarei que amava bosques, flores. 
 Nuvens, aves a planar. 
 Beber água nas fontes. 
 Saber delas a voz. 
 Dos rios o cantar. 
 Foi neste momento de encanto fugaz. 
 Que me roubou um beijo. 
 Eu só perguntei?
 Sabes que beijas-te, a sonhadora, a ave, a poeta a flor. 
 Fitou-me, respondeu. Sei. 
 Ruborizei. 
 Porque se ele me amava e conhecia desse jeito. 
 Seria a hora. 
 De colher todos os lírios do meu peito. 
 E amar-me como ama o vento. 
 Que arrebatado despe de flores os jardins a toda a hora. 
 Eu desejava que ele me amasse desse modo. 
 Que me desfolha-se pétala a pétala. 
 Fizemos amor sem preconceito. 


Augusta Maria Gonçalves.



LOUCURA

Estendemos Lençóis de espuma
 Em fragas ondulantes de mar calmo
 Nossos corpos entrelaçamos.

Ao sentir a tua pele macia e quente
 O meu corpo perdeu o controlo
 Tomado pelo frenesim de fogo no meu ventre.

Desejo ofegante perfumado com teu cheiro
 Melodias em sussurro chegaram aos meus ouvidos
 Senti o calor vulcânico da tua boca na minha.

Fulgor celeste, fulgor nas tuas mãos, desejo no teu corpo.
 A tua pele brilhava, quente, húmida
 O meu ventre riu-se de emoção e prazer.

Foi belo, muito belo,
 Prazer escaldante, sorrisos de alegria
 Fomos amantes, esquecemos o mundo.
 Foi puro, foi divinal, juntos os dois.


Rosete Cansado



União 

…Nossas bocas unidas
 nossos corpos molhados 
 e o nosso coração vibrando de emoção.

…Nossas mãos entrelaçadas
 nossa alma em união
 ardendo em chamas de paixão.

…Desejos sentidos a dois 
 caricias , carinhos , suspiros
 e olhares de sedução.

…Sons, gestos e movimentos
 nosso corpo unido transpira
 nossas línguas dançam
 nossa pele se arrepia 
 e entre nós o enlace acontece.
 ________E________

…Depois da entrega total 
 descansamos do prazer sentido
 e aconchegados 
 nos braços um do outro
 adormecemos abraçados.


Mila Lopes



fetiche

numa quente manhã de Verão
 ao ver-te semi-nua na cozinha
 não resisti a tamanha tentação
 já não consegui deixar-te sozinha

andava atrás de ti de um lado para o outro
 só sabias pedir-me para te deixar em paz
 mas agora era tarde eu já estava tão louco
 que afastares-me não era solução eficaz

mas o inevitável tinha de acontecer
 consegui sentar-te naquela bancada
 estava na cozinha e eu tinha de comer
 e a rede agora já estava lançada

realizei um fetiche antigo que tinha
 que me causava grande excitação
 consegui fazer amor na cozinha
 mas por azar, queimei-me no fogão

mas foi um momento bem escaldante
 porque o «aparelho» estava bem quente
 lembro-me que mesmo assim ficas-te radiante
 pois provocou-te um orgasmo bem diferente

ficaram no corpo as marcas do escaldão
 mas mesmo assim, valeu bem a pena
 nunca mais me esqueço de desligar o fogão
 para assim poder repetir toda aquela cena


Luís Farto




27-04-2017

"momentos escaldantes"

Fecho os olhos 
 e ainda sinto as tuas mãos em mim
 Aquele arrepio 
 que me deixa louca até ao fim
 Quando percorres meu corpo 
 com desejo e paixão
 Possuis-me como um louco
 Suspiro de emoção.
 Levas-me à loucura
 E no pico do prazer
 Lentamente as minhas unhas
 Teu corpo vão percorrer.
 Sei que tu gostas e eu gosto
 Somos ambos a gostar
 Ansiosamente espero
 Para a ti de novo me entregar...
Isabel Susana Marouço




"Momentos escaldantes"

Não sei explicar
 Nem sequer consigo bem entender
 Mas sou mais feliz
 Quando o teu corpo me dá prazer
 Quando cada beijo
 Faz aumentar o desejo
 Quando o teu perfume
 Faz acender este lume
 Esta fogueira onde gosto de me deixar consumir
 Onde apenas tu 
 Alguém especial me fazes sentir
 Nesses momentos sinto-me perfeita
 Mesmo sabendo de toda a minha imperfeição
 Por me desejares fico satisfeita
 Só tu alteras o ritmo do meu coração
 A tua pele macia
 Gosto de tocar e beijar
 E é pura magia
 A tua pele na minha tocar
 Não sei explicar
 Esta química que há entre nós os dois
 Gosto de te amar
 Sem pensar no que vem depois
 Naquele momento 
 O mundo parece parar
 Só existes tu e eu 
 Dois corpos com fome de amar
 Dois corpos que se desejam 
 Sem preconceito nem condição
 Duas almas que de amor se beijam
 Ao ritmo pautado da paixão

Isabel Susana Marouço




“TARDES NUAS”
Tardes nuas
 Esperas infindas
 Loucas palavras
 Bocas humedecidas
 Abraços apertados
 Gestos perdidos
 Em segunda mão
 Amor fugaz
 Palavras sem nexo
 Marés bravias
 Perco-me na ventania
 Paisagem surreal
 Momentos loucos
 Para onde vou não sei
 Amor onde andas
 Animal indomável
 Só sabes amar
 Quando e como queres
 Não ouves o coração
 Não deixas falar a razão
 Onde vou afinal?
 Diz-me tu amor
 Se sabes
 Se não sabes
 Então ama-me
 Aqui…E agora…

 “BRASA” MAGDA BRAZINHA



BEM-QUERER

Interpretam que o amar 
 é como um mar 
 que afoga e sufoca, 
 corta como uma faca, 
 a deixar a alma a sangrar, 
 que é uma fome, 
 uma necessidade, 
 uma dor sem fim. 
 Mas, o amar é como uma flor 
 uma semente, 
 é o coração assustado, 
 a aprender a dançar, o sonho 
 com receio de despertar na noite, 
 adormecendo solitário, 
 a alma com receio de falecer, 
 mas aprendendo a viver 
 um caminho duradouro.
 E, as palavras são insuficientes 
 para serem pronunciadas no amar.


José Lopes da Nave



Não soube amar...

Talvez pudesse ter sido diferente...
 Se eu te amasse
 Por isso...
 Apenas te possuí...
 Sem nunca ter sido teu
 Por isso te perdi!
 Nunca te disse que te amava
 Apenas que te desejava...
 Nunca te menti!
 Fizemos sexo sem amor
 Gritamos palavras sem nexo...
 E lembro que no campo...
 Para ti colhi uma flor...
 Recordo a tua pergunta...
 " Que sentes por mim? "
 Sem mentir nunca...
 Respondi...
 " Sabes-me bem "
 Hoje tudo é diferente
 Procuro-a incessantemente
 Mas sou rejeitado...
 Não por não ser amado
 Mas sim...
 Por não ter sabido amar!


Luís Farto



DE REPENTE

Tão de repente vieste
 q´ual lobo faminto 
 num querer incessante
 de amor e carinho
 te envolvi nas asas do sonho
 do que só nós dois sonhámos
 entre pétalas de flores
 desabrochou o amor
 reguei-o com ternura
 retoquei todas as cores
 e saciámos a sede 
 caímos sem rede 
 numa cama de plumas
 nos cobrimos um ao outro
 extasiados de prazer

Tão repente vieste
 numa lua de papel
 num céu pintado de estrelas
 e sem sequer ter dado por isso
 vi no horizonte ...a tua imagem
 senti a aragem refrescante
 inundar a minha face
 de um beijo tão gostoso
 e se de repente mais quiseres
 saberás onde me encontro
 eternamente à tua espera


Anabela Fernandes



Vejo as nuvens a passar e imagino,
 como se-
 ria viver n'outro planeta,
 junto
 das estrelas?
 Imagino, estar per-
 to d'uma
 e não a puder tocar!
 Imagino, co-
 mo será o infinito, ou viver num
 deserto
 impermeável, onde a sede busca
 a fonte
 e não sacia. Oferece uma flor a
 uma princesa,
 espere que o tempo
 se encarregue de pactuar com uma noite
 escaldante,
 onde tudo acontece,
 dentro d'um sonho imortal. Dei o
 teu nome
 a uma flor, entrego-ta nessa
 noite imperiosa, em que o
 tempo é nosso.


José Maria... Z L



Ama-me

Ama-me apaixonadamente
 com todo o desejo que tu sentes-

Ama-me delicadamente
 sem pressa nenhuma -

Ama-me suavemente 
 e faz de mim tua amante-

Ama-me com ternura 
 e faz-me sonhar com loucura-

Ama-me nos gemidos da minha paixão
 cola teu corpo no meu , sente o bater do meu coração-

Ama-me, e no delírio do nosso amor gememos
 sente o meu beijo o teu beijo de prazer -

Ama-me hoje, amanhã e todos os dias
 preciso que me ames assim como tu sabes -
 _______________*_______________

Ama-me , ama-me sempre 
 pois tu sabes que eu estou aqui eternamente-


Mila Lopes




Numa noite de Amor

Olhar nos olhos da mente
 Beijar nos lábios da alma
 Sentir a corrente
 Sentir a calma
 Murmúrios baixos
 Dos sons do amor
 Mãos que afagam
 Ganhando calor
 Na sombra da noite
 O amor é etéreo
 Com sentidos alerta
 A noite desperta
 No trocar de carinhos
 Iluminando os caminhos
 Dos beijos ardentes 
 Dos corpos carentes
 Sedentos de ar
 ...amar...amar
 ......é não ver
 É sentir com o tacto
 É deixar correr
 Essas mãos que afagam
 Ganhando calor
 Que os corpos apagam
 Numa noite de amor

FCJ

 Fernanda Carneiro Jacinto





20-04-2017


CÁLICES DE AMOR.

Nos olhares dos enamorados estrelas acesas.
 Que importa amor que o véu da noite tenha as estrelas apagado. 
 Se no amar há luz, dia a clarear. 
 Estrelas a nascer na nossa voz. 
 Sempre que entoe a palavra amar. 

Paixão, chama, delírio… querer. 
 No meio de tanta aridez, 
 Florescem beijos como jasmins em flor. 
 Vamos amor rasgar a noite.
 Abrir as portas secretas dos sentidos. 

Ali! Na praia de búzios e rendados de sal. 
 Há um canteiro de iris á nossa espera. 
 Degustaremos dos sentidos todos os segredos. 
 Nunca teremos poema de amor que seja igual. 

É lá que reclinados conheceremos melhor tanta delicia. 
 Nossas vestes perdidas no areal. 
 O mar, seu marujar. 
 A lua curiosa trajando luar. 
 É a nossa confidente. 
 De beijos loucos, de um bailado ritmado sensual.

Nós de olhos vendados beberemos tragos de néctares.
 Em cinzelados cálices de sal. 
 Guardarei a semente de nosso amar. 
 Para que se repita noite igual.


Augusta Maria Gonçalves




"Momentos escaldantes"

Apanhei um escaldão de amor
 Deitada ao sol da tua paixão
 Agora apesar da dor
 Bate mais forte o meu coração
 As tuas mãos quando me tocam
 Causam em mim arrepio
 O calor que em mim provocam
 Tiram-me todo o frio
 Sim, és sol para mim
 E os abraços que me dás são sempre tão quentinhos
 Que Deus te deixe brilhar sempre para mim assim
 Que sejas sol que com seus raios me enche de carinhos
 Queima-me a pele com teus beijos
 Realiza os meus desejos
 Arde na minha fogueira
 Tu és lume e eu sou lenha
 Que o vento da paixão venha
 E o fogo me consuma inteira
 Beija-me, abraça-me, possui-me
 Faz-me sentir inesquecível
 Faz com que todos os meus sonhos
 Sejam uma realidade incrível
 Não me importo de apanhar escaldões
 Se o meu sol fores tu
 Unem-se os nossos corações
 Une-se o nosso corpo nu
 E no fogo da paixão
 Fundimo-nos um no outro até ao fim
 Somos um só coração
 Eu em ti e tu em mim

Isabel Susana Marouço



Sentir seu corpo eu nunca esqueci
 Hoje passei todo o dia pensando em ti
 Teu toque suave, tuas mãos macias nem sei como descrever 
 acariciando meu corpo, me dando prazer.
 E eu, no mais puro êxtase, me encontro parada, perdida no teu olhar.
 Tento esquecer, mas lembro do encontro momentos gostosos que passamos,amar 
 Juntos, e no dia em que coisas realmente interessantes têm de acontecer.
 Tu sobrevive em minha vida para não esquecer
 Daquele momento escaldante.
 Parte do meu sonho, do nosso momento 
 Estará sempre em pensamento

Queria acordar todos os dias e te olhar enxergar ao meu lado, amigo ou amante, 
 samente ao teu lado e poder te amar dizer o quanto é maravilhoso te amar; embora só em pensamento;apaixonadamente.
 Sentir tua respiração em sincronia 
 Com a minha e nosso momento 
 Liberando a mesma quantidade de alegria
 Sangue pulsando forte com sentimento nossos hormônios loucos;
 Em total euforia, liberando adrenalina sem mais poder,
 Suficiente para deixar um corpo aos poucos
 Realizado, completamente extasiado, de prazer.

Carmen Bettencourt




“É NOS TEUS OLHOS”
É nos teus olhos
 Que vejo a esperança
 Rosto de anjo sem asas quebradas
 Tempo de esquecer
 É nos teus desejos, nos teus anseios
 Que adormeço serena
 Beijo-te a alma na escuridão da noite
 As palavras sabem a amor
 Quando escrevo o teu nome
 Quando te abraço
 Quando te beijo nos nossos lençóis suados
 Abraço teu
 Beijo meu
 Aconchegas-me
 Sinto-te, sentes-me
 No silêncio do quarto
 Só se ouve um murmúrio
 Do amor acordado
 Emoções ao rubro
 Toma a minha mão amor
 Deita-te na minha alma
 Vem amar a poesia que há em mim
 Sedução e sensualidade
 Procuro por mim
 Não me encontro
 Estou dentro de ti…

 “BRASA” MAGDA BRAZINHA




Triste...

Despias-te com a mestria de quem se habitou a se entregar
 Observava cada movimento teu...
 Mecânico...
 Robotizado...
 Contemplava a palidez do teu rosto
 E o brilho apagado dos teus olhos...
 Nos lábios bem delineados
 O vermelho escarlate
 De um qualquer baton rasca
 Impedia qualquer tentativa de beijo
 Sei que é propositado
 Dispensas o carinho mesmo que necessitado
 Observei-te os seios desnudados
 Marcados por mãos rudes
 Daquelas que não sabem acariciar
 Senti vontade de beijar os mamilos rosáceos
 Impedi que me despisses
 Sequei com a língua
 A lágrima vadia que te caiu na púbis nua
 E senti humedecer o mais recôndito dos teus esconderijos
 Não quis que fosses minha
 Não quiseste nada de mim...
 Sem falar...
 Sai daquele quarto...
 Levava no rosto uma lágrima que não viste
 E na face...
 A marca do teu batom escarlate


Luís Farto



SOBROU-ME DE TI...

Sobrou-me de ti...
 nossas horas de paixão louca
 em que nos perdíamos
 nas tardes cinzentas de Outono
 eu era a tua rainha 
 e tu o meu rei e meu trono. 

Guardo em mim 
 o calor do teu abraço
 a lânguida ternura
 com que te deitavas 
 no meu regaço
 a troca dos nossos afagos
 ora suaves ora vibrantes 
 no meu corpo eternizados.

Guardo em mim
 o bafo quente dos teus lábios
 roçando a minha pele arrepiada
 o apetite voraz que me invadia
 de me sentir desejada
 de me despojar de mim
 pra em ti ser de novo encontrada.

Sobrou-me de ti...
 a saudosa recordação
 desse amor que nos uniu
 e da sua celebração.


Aida Maria (Aida Marques)




O TEU OLHAR
Os meus olhos, ...
deliciosamente,
olham os teus.
E o teu olhar
introduz-se em mim,
como um mistério,
a exprimir e significar
que minha alma o acompanha.
Neste encantamento
nem uma palavra
transmites,
apenas me olhas
com um olhar
fixo e profundo
que me desnuda o âmago
e me faz olvidar
o tudo e o todo,
apenas sobrevive
o meu querer olhar-te.


José Lopes da Nave




Quero-te
 Na imensidão da noite
 Nos dias de chuva e de sol
 Nas planícies verdejantes
 Onde nos perdemos sem pudor
 Entre as papilas e os malmequeres
 Que nos acolhiam 
 No sabor do amor a pouco...

Quero-te
 Entre os espasmos de prazer 
 Dos corpos em sintonia
 No despir de cada peça de roupa
 Que nos desperta a fantasia
 Nas rendas que te seduzem
 E eu quero o toque da tua mão
 Junto ao meu coração
 Tão louco palpita 
 Na voz que não grita 
 Ainda....

Quero-te
 Nesse olhar sedutor
 Que me deixa louca
 Percorrendo o meu corpo
 Como tal perícia 
 Depois ,tão depois 
 Saboreamos juntos 
 As carícias 
 Que só nós conhecermos


Anabela Fernandes




Vem

Vem na voz do vento
 vem no barulho da água
 vem nos raios do sol
 vem na calada da noite
 vem no brilho das estrelas
 vem no sonho de todos os dias
 vem sem medo e traz poesia 
 vem e conta-me teus segredos 
 vem e sopra meu nome com desejo
 vem na caricia de um beijo
 vem vamos amar-nos com loucura 
 vem sente-me e ama-me sempre.
 _________*__________

Vem___ és vida e amor em mim.


Mila Lopes



Quisera ter eu...

Quisera ter eu...
 ...das mãos tuas
 A magia do afago...
 Flutuas...pelo rosto meu
 E é o adormecer...o deixar ir
 Na fantasia...sentir a magia
 ...levar-te comigo...ver-te sorrir
 Quisera ter eu...
 O meu ouvido...na tua voz
 Ouvir teu cântico...cantar a sós
 E sentir teus lábios...no meu olhar
 E no olhar...sentir o teu beijar
 Como se minha fosse...a tua boca
 Em beijo permitido...consentido
 Num soltar de vontades...muito louca
 ...sendo louca...coisa pouca
 Quisera ter eu...
 Meu sonho entrelaçado...no teu
 Sendo o teu...alimento do meu
 Como braços...em abraço de almas
 Juntas...gémeas...muito calmas
 E a noite...que não nos dorme
 Abertos...
 Os olhos sentem este amor enorme
 E pergunto... Também sentes?
 Na magia a fantasia?
 E telepatia...na nossa poesia?
 Quisera ter eu...Amor
 ...O teu ser no meu...
 Quisera eu...estar no teu
 ... e...
 ......o corpo adormeceu...

FCJ

 Fernanda Carneiro Jacinto



13-04-2017



INTIMIDADE 
 (…)
Procurou ansiosamente os olhos daquele que lhe propiciara aquela torrente de sensações, transmitindo nesse olhar quanta felicidade podia carregar um olhar embevecido de gratidão. Naquele preciso momento, era unicamente ele o foco primordial de todo o seu premente e intenso desejo.
 Soergueu ligeiramente a cabeça para poder observar por si própria, a visão do seu corpo daquela forma tão desejavelmente embelezado. Os seus olhos ficaram brilhantes de emoção e mudo espanto pelo refinamento e imaginação invulgares do seu companheiro, fazendo-a sentir uma mulher verdadeiramente especial e de tal modo adorada, que nesse estado puro de emoção se entregava inteira em suas mãos, despida de quaisquer reservas ou preconceitos. 
 Neste estado de beleza contemplativa, puxou instintivamente aquele corpo másculo para si e beijou-o sofregamente, como se nesse gesto pudesse retribuir todo o imenso prazer que lhe estava a ser dado sentir. A opressão do corpo masculino, ao invés de quase a sufocar, provocava-lhe uma sensação mista de protecção e necessidade, que o chamamento do seu corpo reclamava.
 Foi um beijo pleno de entrega, duas mentes em perfeita comunhão de sentidos, bocas famintas, línguas insinuadoras, que num instante se exploravam noutro se entrelaçavam, tentando mutuamente se aprisionar naquela muda batalha de sentidos.
 Aquele instante foi intemporal para os dois amantes… 
O relógio do tempo aprisionou os seus ponteiros e era agora a paixão que marcava as horas, até ao mais ínfimo milésimo de segundo! 
 Não existia absolutamente mais nada em seu redor, como se uma invisível rede de dossel os protegesse do mundo, o mesmo mundo que os espiava e ansiava condenar. 
 Naquele instante eram apenas eles… eles e a intimidade do momento. (…)

Antero Jeronimo
 (não publicado, excerto de conto)



QUERO...
 Me enrolar nas ondas 
 Do teu prazer
 Nos gemidos que rompem 
 A noite 
 Na aurora boreal
 De um fascínio tal
 Que nos alimenta a fantasia

QUERO
 Vestir a mini saia 
 Desnudar o meu joelho
 Nos teus olhos ver o desejo
 De tocar de leve o meu seio
 Entre rendas e sedas
 Termos as nossas certezas

QUERO
 Ser o princípio e o fim
 Da tua imaginação
 Vem ...Me seduz
 Sê diferente
 Toca em mim
 Conduz 
 Esta dança
 Entre corpos 

Rendidos 
 Despidos
 Extasiados 
 Se querendo 
 Em comunhão
 Ávidos de paixão


Anabela Fernandes.




A NOITE

A noite veio, até nós. 
 Ouviremos os nossos desejos de amor, 
 como trinados musicais 
 e rosas de primavera, 
 correremos para os nossos olhares, 
 durante os sonhos e dormiremos em braços, 
 até nossos olhos se mirarem 
 no azul do céu.
 Voaremos através do espaço 
 infinito,
 como uma maravilhosa revelação. 
 E, na noite estrelada, 
 caminharemos pelo arco-íris, 
 com as nossas almas, 
 vibrando numa sinfonia de afecto. 
 Seremos como dois cisnes transparentes 
 num lago aquecido pelos nossos corações,
 bailando o amor.


José Lopes da Nave



“O BEIJO”
Marcaste-me com o teu beijo
 Deixaste a tua marca em mim
 Viciaste-me
 Agora preciso sempre do teu beijo
 Abriste-me o apetite
 Acordei com vontade de te ter
 De te tocar e te beijar
 Gosto de beijar o teu beijo
 De sentir o teu corpo no meu
 De me enrolar no teu amor
 De sugar o teu beijo
 Até ficar sem folego
 Beijar-te e amar-te
 Como é bom meu deus
 Gosto de te beijar e em silêncio te olhar
 Beijo é um segredo que a boca guarda
 É o começo de algo
 É um prelúdio
 Quando te beijo o tempo voa
 Sinto-me a flutuar
 Teu beijo sabe a amor
 Afogo a minha vida na tua boca
 O teu beijo vicia
 Quero beijar-te agora
 Queres matar a minha sede de beijos?
 Então acorda amor…
Estou aqui á tua espera…Amo-te…

 “BRASA” MAGDA BRAZINHA



DOCE BEIJO
O teu beijo doce como mel...
Quente como uma chama a arder
Essência do amor que nos dá prazer
Adoças a minha boca, ficando a tua doce
Sussurros incontidos jamais esquecidos
Magia e sabores num ansioso querer
Nos corpos unidos sentires de pele na pele
Odores penetrantes em todo o nosso ser.
Tua boca nunca cansada e insaciável
Teus olhos refletidos nos meus com desejo
Suspiras baixinho, acariciando meus seios.
Na garganta, vibra, treme tua língua
O desejo, a excitação nos envolve
Como se tivéssemos dentro de nós um vulcão
Embriagados, quentes e num impulso desejado
O êxtase se pronuncia
Sem estar agendado… Um doce beijo culminado.


Rosete Cansado



ANJOS NÃO TÊM SEXO.
Ela caminhava sombria. ...
Seu rosto era branco de graciosos gestos.
Era dura a vida.
Carregava nos olhos marcas de dor,
Talvez desgosto.
Era andrajosa a roupa que vestia.
Despida porém era uma escultura branca, linda macia.
Mundo cão este!
Mordia os lábios, pensava.
Eram lágrimas sempre mudas que bebia.
Fado amargo carregava.
Não o sabia cantar.
Mas o chorava.
A noite descia.
Na esquina da noite.
O Candeeiro apagado.
Só o luar seus cabelos beijava.
Estava ali para vender.
Sua estátua viva.
Passavam caminhantes na noite sem rosto.
Só vontade.
Alguns já embriagados.
Desses fugia.
Preferia-os, ébrios de bom gosto e vontade.
Assim ela se desnudava.
Entre as árvores.
Viam as estrelas que se vendia.
Não era mal tratada.
Recebia o dinheiro do penhor da vergonha que carregava.
Ia ligeira até ás ruinas do teto desabado.
Onde a mãe enferma.
Saboreava o pão que ela lhe dava.
Sem sonhar ser fruto de penhor e vergonha.
Ganho com a venda do corpo,
Do ser que era sua filha.
O único ser que a vida não lhe roubou.
Era essa menina mulher sua filha, tão amada.


Augusta Maria Gonçalves.



Anoitecemos
......
Perdida nas tuas mãos...em pecado
Em teus dedos...Um cântico...tocado
E no corpo...os sons largados
Da tua mão...e da outra
Na distância quase pouca
...dos corpos entrelaçados
E o meu pé desliza...na tua perna
...que se alonga nas minhas
Num absorver...num sentir...num ir
Num bater de asas...num entrelinhas
E é o desbravar intenso dos sentidos
E é o teu peito meu...e o meu...o teu
...e são dois...num só...unidos
Nesta guerra de dois corpos
...em um...perdidos
Deslizam minhas mãos por ti
Num romper das nossas mentes
...como o rasgar da terra
No acolher das sementes
Uma fenda...no tempo de vida
Onde afundo no espaço...perdida
...e esquecida de mim...e por fim
Ávidas as bocas se procuram
E os corpos se movimentam
...lá fora o vento uivou
Por entre as árvores assobiou
...grito do amor que se faz...
......e no silêncio da paz...
A noite adormeceu
...eu no teu colo...e tu no meu
......anoitecemos...

FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto





As tuas mãos no meu corpo
 Tem um toque especial
 A tua pele é veludo
 Não há outro toque igual.
 Só tu me fazes estremecer
 Sentir o arrepio da paixão
 O teu toque faz bater
 De forma diferente o meu coração
 É doce o beijo da tua boca
 Tão quente o abraço que me dás
 Picante a palavra que me provoca
 Fecho os olhos e já não volto atrás.
 Deixo me levar nessa onda
 Que chega até mim desse teu mar
 Sou barco que em ti navega à deriva
 E em ti não me importo de naufragar.
 Naufragada agarrava me ao teu abraço
 E na tua onda de paixão me deixava levar
 Quando o amor é mais forte que qualquer laço
 Abre sorrisos, trás novo brilho ao olhar

Isabel Susana Marouço





06-04-2017
MORDISCA AQUI...
...

Neste dia cinzento
Debaixo de chuva
Nossos corpos molhados
Deveras extasiados
Tu deste uma trinca
No bago de uva
Soube-te bem
A mim também
Lábios se tocaram 
No seu mordiscar
Só foi o começo
Do que mereço
Sem mais demoras
Vê se devoras
O cacho completo
Debaixo do mesmo tecto
Estaremos unidos
Ao amor rendidos
Entre corpos despidos

Anabela Fernandes.




O
Som da noite
o brilho da lua...
olhares que se cruzam
em cumplicidade
abraços apertados
corpos unidos
desejos de amor
beijos em brasa
arrepios de peles
caricias de prazer
o tempo para
os corpos falam
em poemas
de amor .


Mila Lopes



TEMPO DE AMAR.

Já o dia entardece. 
 Nós de dedos entrelaçados, caminhamos devagar. 
 O ar está perfumado, os lilases riem. 
 As glicinias dançam pendentes nos troncos entrelaçados. 
 Olhamo-nos no vitral do olhar. 
 Lemos os sulcos cansados de mais um dia quase gasto. 

Beijas minha mão, 
 Dizes! Sentemo-nos aqui. 
 Há tanto perfume, podemos contemplar até que o sol se espreguice. 
 Reclinamo-nos, sobre o chão tapetado de verde. 
 Riam trevos amarelos curiosos. 
 Pois nem éramos árvores, nem vento. 

Tecemos de pétalas uma história de amor. 
 Disseste, esta tapeçaria é digna de amantes. 
 Respondi. 
 Quadro perfeito. 
 Para isso temos de amar aqui. 
 Desnudei-me como japoneira a deixar cair as camélias a rir sobre a tapeçaria. 
 Ele abismado perante a graciosidade dos gestos. 
 Rasgou o peito. 
 Recolheu do chão algumas camélias rindo. 
 Colocou-as sobre o rasgão do peito. 
 O coração pulsava confiante. 
 Cheguei meus lábios aos seus. 
 Eram de mel os beijos semeados. 
 Permanecemos ali, deslizando a seda das caricias, 
 Eram nossas mãos o vento da tarde. 
 Felizes, esquecidos da vida. 
 Existiamos, só nós e as estrelas. 
 O luar tece um véu para os amantes. 
 Isso fomos nós no inocente leito de trevos amarelos. 
 Amar nunca tem hora marcada. 
 Foi o raiar da aurora o recomeço da nossa história de amor. 


Augusta Maria Gonçalves.





“PELE”
Minha pele nua
Ornada de desejo
Despida nas tuas mãos...
Vestida da tua pele
Quero-te no meu regaço
Quero amar-te agora
Sou mulher amor
Respiração ofegante
Palpites e anseios
Despertar de loucuras
Este roçar de peles
Este regaço meu
Onde te deitas
E deleitas
Pertinente desassossego
Disfarço o momento
Agarro o teu beijo
Enrolo no teu abraço
Deixo que o ambiente flume
Deixo o amor acontecer
A ânsia da pele
Desejos e luxurias
Coisas minhas e tuas
São floreados de paixão
Sensualidade dos corpos
Adornados de amor
E…O amor acontece…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA






DA PELE
Da pele o inebriante apelo
Incita o chamamento dos lábios
Em premente e ousado anelo...
De beber da fonte o fogo

Da pele rendidos à química reacção
Dos olhos em promessa reagente
Deslumbradas as mãos libertadoras
Num afagar de sentidos sem remissão

Da pele traça-se relevo mapeado
Navegação ausente de pontos cardeais
Conquista-se o desejo pela vontade
Em encanto que nega a leve saciedade

Da pele essa audível sinfonia de afectos
Corpos cegos pela iridescência da paixão
Náiade sulcando as margens do meu rio
Numa promessa de eterna inspiração.

© Antero Jeronimo





30-03-2017

NOIVADO



Faz tempo amor. 

 Tanto tempo.

 Noivamos na primavera. 

 As árvores eram grinaldas orvalhadas. 

 O sol o esposo que as fecundava. 

 Fomos árvores com folhas verdes, 

 Rebentos audazes e promessa de flor. 

 E vergados aos sopros do vento.

 Fizemos amor 

 Vergávamos numa dança nupcial.



Foi das aves que aprendemos os rituais. 

 Nos ninhos o sonho em eclosão. 

 Nas manhãs primaveris. 

 Entoava essa canção feliz. 

 Eram ainda os seres no ninho. 

 Aprendizes da busca do pão.

 Em todos os voos os progenitores eram carinho.



Despreocupados caminhantes. 

 Na berma da vida toda em flor. 

 Colhemos as flores campestres. 

 Alindamos nosso docel. 

 Como quem um ninho tece. 



Ao cair da tarde um rutilo céu 

 Colcha se fez. 

 Vestidos da cor do poente.

 Não nos apercebemos da nudez.

 Foi ali... 

 Entre melodias de água a correr. 

 Que eu te beijei. 

 Teu copo acariciei. 

 Fizeste de mim o vaso onde depositas-te Teu semen com amor. 

 Flori por fim. 

 Tu nos acolhes-te 

 Como amores perfeitos. 

 Dentro desse teu amplo peito. 

 Obrigada AMOR. 



Augusta Maria Gonçalves



“NOITE”
Noite
 Silêncio…Amor
 Abraço…Beijo
 Solidão …saudade
 Desejo…Volúpia
 Noite
 Bálsamo da alma
 Apela ao amor
 Ao aconchegar dos corpos
 Ao tocar da magia
 Aos odores sentidos
 Tateamos nossos corpos
 Pausadamente
 Mordes-me a alma
 Noite
 Sacio o teu desejo
 Amo a tua boca
 Acaricias-me
 Mãos que se encontram
 Que se conhecem
 Beijos que se afagam
 Palavras que se murmuram
 Noite
 Cálida e sensual
 Entrelaçar dos dedos
 Enrolar de lençóis
 Noite
 Sou mulher amor
 Mulher flor
 Mulher paixão
 Mulher amante
 Sou tua…
 “BRASA” MAGDA BRAZINHA




ARREBOL
Quando a noite chegar,
a terra adormecerá,
o luar será o único brilho que nos olha.
Tenho a melancolia,
de estares junto a mim,
fica comigo no sonho desta noite.
Se o céu estrelado escurecer
a montanha desmoronar,
não chorarei uma lágrima,
enquanto estiveres comigo.
Fica, até ao amanhecer
nada recearás.
Abriga a parte do teu arrebol
guarda-o para mim,
para te ver em paisagem edílica,
de pele trigueira de sol,
com o perfume do jasmim
do teu corpo
e a lua suspensa
entre o meu sonho de bruma,
a esconder a escuridão,
enquanto te contemplo,
num tempo de relógio suspenso.
Quero ver-te claramente,
aproximando-te,
como doce Primavera,
encaminhando o carinho para mim.
A mais doce canção,
quero ouvi-la,
da tua boca
na liberdade de um beijo.
José Lopes da Nave




ELIXIR DA PAIXÃO
...
Roupas espalhadas
P'lo chão
Marcas de uma noite
Onde nos perdemos
Ofegantes ficámos
Extasiados de prazer
Foste o meu elixir
Meu verbo sentir
Loucura
Paixão
Fervor
Nossos corpos envolvidos
Olhares cúmplices
Amor ...Amor
Desejo-te
Ontem,hoje e sempre
Poeta,vadio
Homem e amante
A todo o instante
Sou eu tua musa
Intrusa de cada sonho teu
Nosso... Talvez
Anabela Fernandes






Sonho ter-te…
Sonho ter-te…
Poder ofuscar-me no teu corpo hercúleo
Sentindo o poder do teu abraço...
Sentir o eriçar doloroso dos mamilos
Na plenitude do desejo
Sonho sentir-te a língua
Percorrendo-me centímetro a centímetro
Humedecendo-me na intimidade
Sonho-me nas tuas mãos fortes
Subjugando-me…
E não resisto dando-te o melhor de mim
Tomas-me por detrás…
Sinto-te apertar-me os quadris
Impelindo-me num lento-rápido vai-vem
Dominador…
Sonho então ver-te o rosto de luxúria
E de olhos nos olhos…
Num grito surdo…
Sinto as torrentes de lava do amor
Que me inundam e comprimem as entranhas
E «como-te» os lábios
Num delirante selar do amor!

Luís Farto



Sedução

Olhei nos teus olhos e o que vi
 olhei os teu lábios e o que senti
 senti em ti, fome de mim...
 Senti o teu desejo
 num olhar avasalador
 senti-te tão meu
 tão cheio de amor
 sabes...?
 sempre te sinto não minto
 quando passo os dedos pelos lábios
 é como se sentisse os lábios teus nos meus
 e quando te aproximas.... Digo e sinto
 sinto a(inda) aquele amor arrasador
 aquele amor que nos apresentou
 aquele amor que foi tão nosso
 foi...? Digo eu que foi,
 foi e continua a ser...
 Continua a(inda) aqueles jogos de olhares
 continua a(inda) aquele momento escaldante
 como quando um dia cruzei o teu olhar
 e te fiz meu amante.

Florinda Dias








23-03-2017
"Momentos escaldantes"
 Gosto de tocar-te...
 Beijar-te loucamente...
 Sentir a tua pele na minha
 Com nova volúpia e o sentimento de sempre.
 Gosto que me admires enquanto fazemos amor
 De sentir o teu toque suave, terno e sonhador...
 Gosto que aquele momento seja só nosso
 Especial, enternecedor, arrebatador intenso
 Que seja um tu e um eu em perfeita sintonia
 Ao tu seres meu alimento e eu ser tua alegria
 Quando estamos assim juntos
 E nos fundimos num único ser
 Tudo parece fazer sentido
 Sinto que vale a pena viver.
 Quando nos amamos como se não houvesse amanhã
 O imperfeito é perfeito, corpo são em mente sã
 A vida tem mais cor
 Se fazemos amor
 Se nos damos assim
 Até a alma sorri
 Quando eu te beijo a ti
 E tu me beijas a mim...
 Tu e eu somos e podemos ser sempre um nós perfeito
 Porque para além do corpo, tocas-me o coração que bate dentro do peito.
 Quando fazemos amor, é amor a brotar no seu estado mais puro
 Tu és o meu Condor e somos um do outro um porto seguro

Isabel Susana Marouço



“BEIJA-ME”
Beija-me
Com a tua alma
Abraça-me...
Como se me perdesses
Deseja-me como se fosse mel
Toca-me
Como se fosse uma flor
Devora-me
Estou sequiosa de ti
Sente o desejo
Que flui em mim
Entrelaça
Os meus sonhos
Aconchega-me no teu corpo
Acaricia-me
Com as tuas mãos ternas
Sacia o teu olhar
Dentro do meu olhar
Transforma paixão em delírio
Embrulha-me na tua pele
Escuta o bater do meu coração
Afasta
A minha solidão
Sente
A saudade que me consome
Converte
Este amor em loucura
Leva-me até aos limites
Ama-me
Como se fosse o ultimo dia…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




QUERO VER-TE CLARAMENTE

Aproximando-te,
 mas o que desfruto 
 é um sonho de névoa, 
 a continuar, durante o dia 
 e, ao fechar os olhos, 
 a cada segundo da noite, 
 vivo outra vida, 
 num sonho que dorme.
 Cada momento acordado, 
 mais me sinto,
 como uma primavera no inverno
 rumando em parede de vitral
 com visão focalizada, 
 segurando a esperança,
 mas as palavras não têm forma, 
 desfilam pelos meus lábios. 

O sonho retém-me.


José Lopes da Nave




Serpente do Desejo 

Sou a serpente
 Tu és a presa
 Impiedosamente
 Deixo-te indefesa

Num abraço fremente 
 Sob meu corpo subjugada
 Possuo-te lentamente
 Nessa tua expressão ousada

Imploras tudo de mim
 Acelero a cadência
 Corpos em frenesim
 Pura indecência

Em lascivo beijo
 Servos da paixão
 Escravos do desejo
 Entramos em ebulição

E no desfazer do enlace
 Uma estocada final
 Bebes do meu cálice
 O líquido triunfal.


© Antero Jeronimo





PROCURO-TE

Procuro-te, nas frias noites do meu desespero,
 Na cama vazia onde nossos desejos, se cumpriram,
 Nos meus lábios, onde os teus quentes beijos, repousavam
 E agora estão frios, sem o seu, calor.
 Procuro-te, nos gemidos de prazer da nossa loucura,
 Nos meus dedos que teu corpo percorriam,
 Em mil carícias de amor e paixão.
 Procuro-te, no bater ritmado dos nossos corações,
 Nos corpos suados de prazer e luxúria,
 Nas palavras que murmurava-mos baixinho,
 Enquanto o amor em nós, acontecia.
 Procuro-te, no meu corpo que beijavas com paixão,
 No meu sangue, que fervia com a tua presença
 E agora, apenas corre, vagarosamente.
 Naquela música que gostavas de ouvir baixinho,
 Enquanto murmuravas docemente, ao meu ouvido,
 Meu amor, meu amor.
 Mas só ouço o som do vento, gemendo, dorido
 E sinto, o longo silêncio do teu vazio,
 Onde a ausência, magoa.
 Talvez, não volte a encontrar-te,
 Mesmo assim procuro-te,
 Porque ainda mais, te amo, agora, sentindo
 Que te posso ter perdido, para sempre.


António Henriques 23/03/2017




O nosso amor

Não tem fronteiras não conhece barreiras
 é pura sedução quando nos amamos
 o sol no céu e nosso cúmplice 
 a lua e as estrelas dançam a mesma sintonia
 a natureza em festa tece fios de seda
 abençoando o nosso amor.

São momentos únicos de encantamento
 a nossa entrega é intensa
 és só tu e eu vivendo o amor em emoção
 amando-nos num amor sem limites
 que vai alem do tempo e do espaço
 que nos leva a viver a mais louca paixão.


Mila Lopes



Amar-te

...e já não existe nada
 Só a mente desatinada
 ...e o mundo enlouqueceu 
 Fez parar o tempo...esqueceu
 Nas bocas que se juntaram
 Nos braços que se cruzaram
 ...deslizaram
 No sentido do tacto
 Com cheiro de amor
 Nos corpos desnudos 
 ...e em gestos mudos
 Ficou em nós
 ...um tempo parado
 ......embriagado
 .........sufocado
 Na música do amar
 ...na dança do respirar
 ......e cada segundo é louco
 ...profundo
 ......e aí...
 Esquecemos o mundo

FCJ
 Fernanda Carneiro Jacinto

 Março 2017




16-03-2017
“FANTASIAS”
Fantasias de amor
 Quem não as tem
 Fantasias e loucuras
 Devaneios
 Amar sem limites
 Libertação dos pudores contidos
 Grito ao amor
 Partilhar a paixão que nos assola
 Fantasias de amor
 São para serem sentidas na alma
 Abraçar o corpo amado
 Partilhar desejos
 Gestos calados
 Levas-me ao infinito
 Volúpia sentida
 Bocas respirando em uníssimo
 Fantasias de amor
 Sentimentos ao rubro
 Instinto profundo
 Pele arrepiada e suada
 Ritual de emoções
 É surreal
 Dou-te o melhor de mim
 Dás-me o melhor de ti
 Almas despidas
 Amor ao rubro
 Amamos até o sol nascer…

 “BRASA” MAGDA BRAZINHA



AO RUBRO...

Amanhece e o sol vem nos saudar
 Depois da mais bela noite de luar
 Onde nos amámos

Fomos lobos esfaimados com sede de amar
 Suspiros e beijos marcaram o ensejo
 Da mais bela fragãncia ainda sinto odor

Impregnado no corpo que te seduziu
 Levaste-me ao rubro sem qualquer pudor
 Extasiados caímos no sono profundo

Agora enrolados nos lençóis suados 
 Trocamos olhares cúmplices de quem sabe
 Que o sol voltará de novo a nos vir brindar


Anabela Fernandes.




TINTA PAIXÃO 

Nos contornos ousados do meu pensamento 
 desenho-te formas em vontades inconfessadas 

O toque ansiado no desnudar de cada traço 
 da mão que se perde no êxtase da caricia 

Mãos em devaneio que não revelam segredos 
 desvendam sim a candura do pudor do mundo 

O espelho já não reflecte imagens racionais 
 corpos que se prendem na pulsação do beijo 

Formas que se misturam em contornos indefinidos 
 desenhando arabescos em dança voluptuosa 

A escuridão explode ao ritmo dos sentidos 
 e a música brota cadenciada dos hálitos ofegantes 

A noite amanhece no etéreo momento 
 dos corpos inundados em balsâmico unguento.


Antero Jeronimo, in "Janela do Tempo".



Hoje 
 Preciso beijar teus lábios
 abraçar eu corpo nu
 entrelaçar minhas pernas nas tuas
 entrar num jogo de sedução
 e deixar nossas roupas espalhadas pelo chão.
 Hoje
 Preciso ouvir as tuas juras de amor
 deixar-me levar pela emoção
 sentir o teu desejo e paixão
 e depois com a loucura de nos amarmos
 Dormir-mos unidos aconchegados.


Mila Lopes



TEU E MEU CORPO

Meu corpo no teu corpo
 Metáforas entrelaçadas 
 Sobre um espelho desfocado
 Ousadia despida
 No teu porto calmo
 Pele sedosa 
 Quente fogosa
 Sensível sem pudor
 Dançamos sensualmente
 Com uma nudez prazerosa
 Envolves-me com palavras insidiosas
 Num rastreiro sussurrado ao ouvido
 Chegando tocar o céu 
 Toca-me
 Invade meu abismo de desejos
 Quero te ver
 Quero-te sentir
 O momento é agora 


Sonia Pinto



Para ti

Escuta amor
 Um dia... Não muito longe
 As minhas mãos
 No teu rosto vão poisar
 Meus braços vão abrir
 Para te abraçar
 E um rio de amor vai correr
 Nossos corações
 Vão forte bater
 E nesse momento...
 O mar vai extravasar
 ...sobre as areias
 As pedras vão falar
 ...e seus gritos soltar
 A lua de crescente
 ...fica cheia
 As estrelas paradas
 ... Vão pestanejar
 E a Terra...Ah! A Terra
 Vai simplesmente parar
 E assim...
 O mundo transformar
 Cheio do nosso amor
 ...do nosso amar
 ......amo-te...

FCJ

 Fernanda Carneiro Jacinto




09-03-2017
Ao ver teu corpo desnudo
 Meu coração incendeia
 Esqueço logo de tudo e até quando
 Meu sangue ferve na veia.
 O teu olhar provocante
 Sorriso tão lindo e sedutor
 É um convite escaldante
 Para fazermos muito amor.
 Foi no primeiro ato
 Quando para tudo iniciar
 Tranquei a porta do quarto
 Para melhor poder te olhar.
 Vestida sou uma bela dama
 Com muito charme e glamour
 Despida queimo em chama
 Querendo dar-te amor
 Naquelemomento escaldante a gente esquece
 Numa loucura sem fim
 Num jogo de sobe e desce
 Beijo teus lábios e enrosco-te em mim
 Ficamos tão entrelaçados
 Que já nem sei quem eu sou
 Teus gemidos alucinados
 Vão sonorizando o amor que se apaixonou
 Naquela união 
 Vejo teus olhos brilhar
 E no momento meu coração
 Com muita força vaia acelerar.
 Desta paixão alucinante
 Sinto um novo aroma no ar
 É o teu perfume inebriante
 Que nosso amor faz brilhar.
 Quem..?Neste escaldante momento vai condenar?
 É porque nunca asim conheceu
 Alguém que pudesse lhe dar
 Um amor igual ao teu.
Carmen Bettencourt



AMOR SOMENTE

....................................................

Sinto o teu olhar meu corpo aquecer
 Teu suspiro despertar-me baixinho
 A tua mão roçar-me de mansinho
 Que doce toque, faz-me estremecer...
 .................................................

A minha alma parece resnacer
 Tal intensidade traz teu carinho
 Em ti, eu perco-me devagarinho
 Elevas-me, num novo alvorecer...
 ..................................................

Aos poucos envoves-me, docemente
 O deleite confunde-me o sentido
 No clima da nossa paixão ardente...
 ...................................................

Acarinhando-nos, mutuamente
 Perdemos noção do tempo vivido
 Tão embevecidos de amor, somente...
 ........................................................


Ausenda Ribeiro





DEVANEIO

Suave tempo, 
 o imaginar-te,
 em mim 
 pensar-te,
 fechando os olhos, 
 sentir-te,
 com os braços abertos, 
 esperar-te,
 alegria no teu rosto, 
 causar-te
 a um imaginário beijo teu, 
 desejar-me.
 Vertigem!
 Despertaste os meus olhos, 
 como uma primavera precoce,
 em apelo de amor 
 que esperava ouvir,
 na delonga 
 de sensitivas auras,
 alegre fonte de vida, 
 fizeste minha alma sorrir.
 Como aurora de amor,
 trouxeste a vida,
 o início de uma melodia,
 a despertar-me
 a fantasia.
 Olhei-te, 
 olhaste-me.
 Converteste o tempo!


José Lopes da Nave



“NO AMANHECER”
Penduro os beijos no varal
Deito ao vento as palavras inúteis
Voo com o pensamento...
Deslizo levemente na vida
Num precipício de cores
Mergulho o meu corpo na palavra
Irradia luz do meu poema
Num vaivém de ternura
Acaricio-te
Corpos que se entregam
São rios de prazer
Aromas doces e quentes
Um ir e vir de sombras
Dança de prazer e sedução
Levanto o véu da loucura
A brisa serena agita as cortinas
O sol da manhã irradia feliz
Somos semente a germinar
Num mar de amor
Neste lugar de ninguém
É o nosso universo
Melodias de corpos
No amanhecer …
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




JUVENTUDE E DEVANEIOS.

Moça airosa travessa riso lindo. 
 Cabelos soltos, afagos, vento. 
 Diadema altivo de jasmim e orvalho
 Pés delicados pisando flores. 
 Corsa leve adornando prados. 

E canta e passa, colhe flores. 
 Enamorada. 
 Lembra amores. 
 Ecoa então, fundo suspiro. 
 Quando te abeiras, amor querido. 

Já entre as árvores alguém a vê. 
 Apressa o passo, 
 Corre veloz. 
 Quer tanto tê-la entre seus braços. 
 Volta-se ela escutou seu riso. 
 Correm os dois, fazem abraço. 

Caem no prado. 
 Dizem segredos. 
 Despe o corpete, diz ele então. 
 Ela entre risos, 
 Responde não. 
 Mas ateado o fogo está. 
 Ardem os beijos. 
 Bocas de rosa. 
 Mãos entrelaçam. 
 Amor se faz. 
 São corpos alvos. 
 Flores, estio,
 Leito de sonhos. 
 Ao abandono. 
 Beija-lhe o ventre branco… macio. 
 Vivem um sonho de amor vadio. 


Augusta Maria Gonçalves





02-03-2017

Sonho
Sonho, partilhamos o mesmo leito.
Bebemos os dois da taça da luxuria.
Teus olhos bebem as fontes de meu corpo.
Dizes,
Teus cabelos soltos são quedas de água.
Rio, num cantar melodioso de cascata.

Degusto com o olhar, a escultura perfeita do teu corpo.
Peço, abraça-me forte, tal como o mar abraça areais.
Sim! Arrasa meu gosto e sentidos.
Faz-me ondular ao vento.

Sonharei!
Que tu amor, és vento.
Forte vento.
Faz de mim, pétala solta.
No nosso mais intimo momento.
Guarda na memória, a luz que me encendeia.
Amor.

Augusta Maria Gonçalves.



“DESEJÁVEL OU NÃO?”
Posso já não ser tão desejável
A minha pele não ser tão sedosa
Posso não ser já tão sensual
Os meus lábios podem estar preguiçosos
Mas sempre te beijam quando os beijas
Os nossos corpos ainda se conhecem
Encaixam na perfeição
Ainda enlouquecemos de amor
Ainda gostas do meu perfume
Ainda sinto borboletas no estômago
Ainda vamos atrás da emoção
Ainda nos escorre o amor entre os dedos
Ainda és a minha poção mágica
Ainda sabes a sal e a maresia
O silêncio percorre a nossa mente
O teu toque parece música
Tocamo-nos…a noite escuta o segredo
És um rasgo de ternura no nosso amanhecer
Voos rasantes de aves imaginárias
Caricias de amor ardente
Somos dois corpos selvagens
Em uníssono no acalentar da madrugada
Só ficam as sombras dos corpos
Afinal …sou desejável…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




 VOO AO SOL
Minha única paz,
vida, glória, esperança
vontade de amar
embala em ti,
sem saber caminhar,
a ti me doei.
Como sorrir poderei
se o único facto que tenho
é a ausência do teu querer
que me sufoca lentamente,
com lágrimas que escorrem
em mudez.
Perguntas me ocorrem,
sonho ou negrura,
e a parte de mim, passando,
apenas tu continuas viva,
és a minha força.
Tudo o que sou
sou por ti,
sem ti é difícil
ser.
Beijei-te no luar,
sonhei, teu corpo ebúrneo
de diáfano tule vestido,
ao meu encontro
se doando, enternecido,
em conjunto voo de sol.


José Lopes da Nave



Recordo-te…
Cada centímetro teu…
Cada curva do teu corpo…
Recordo a cor da tua pele…
Creme…
De África
O teu cheiro e o perfume do teu cabelo!
Lembro as tuas manchas negras
De pressupostas agressões
E os olhos brilhantes…
Negros…
Assim como a alma!
Recordo o modo como te entregavas…
Talvez para o esquecer…
Para esquecer…
Ou talvez para o castigares!
Lembro os teus seios
E com um sorriso talvez malicioso…
Recordo os teus mamilos pequenos e rosáceos
Que acariciava e deliciosamente beliscava…
Enquanto tu…
Numa ânsia arrebatadora…
Desenfreadamente
Gemendo e ronronando
Me «cavalgavas» incessantemente…
Na tua posição preferida
E eu ficava ali…
Inerte…
Extasiado…
Submetendo-me…
Entendendo-te…
Inebriado pela tua beleza
Quando de olhos fechados…
Desfalecias…
E de peito no meu peito
Feliz…
Adormecias!


Luís Farto




 Amor
E os sorrisos brilharam
Quando a noite se aproximou
Teu corpo frio aqueceu
E junto ao meu se chegou
Respiro ar na leveza do ser
Momento sublime do acontecer
Em que o amor se desarrumou
E nossos nomes gritou
No êxtase​ do nosso querer.


FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto


23-02-2017


TATUAGEM
Tatuo o amor na sedosidade da tua pele.
Propositadamente. Audaciosamente. Quedando-me no decalque de cada traço.
Alma de artista que sulca entre obstáculos macios, onde se viciam os dedos.
Gotículas orvalhadas de desejo prenunciam a madrugada, sentidos despertando o dia, fundindo-se num abraço que confunde o estiar das horas.
Cada traço que te enforma compõe o puzzle da beleza que te contorna.
És templo de adoração. Local sagrado. Ciclo vicioso. Um lugar já revisitado.
As palavras trocam-se, tocam-se, num leve sussurrar onde tudo se eleva de sentido.
Inebriante contradição! É sempre nova, cada tatuagem, que te impregno na pele.


© Antero Jeronimo




“LENÇÓIS DE CETIM”
Gosto dos nossos lençóis de cetim
A sua leveza em nós
Nascem de mim para ti
Fazem-nos viajar
No tempo
Por lugares desconhecidos
Montanhas e vales
O meu corpo e o teu
Em caricias constantes
Luz em mim e em ti
Conquistas-me
Segredos murmurados
Na ardência de mim
Na volúpia de ti
No poder que tem o amor
Sinto-te na alma
Acabamos e recomeçamos
O amor flutua no ar
O toque em mim
A tua pele e a minha
Magia
O sabor do beijo
O suor em nós
O amor a dois
Acabámos…
Recomeçámos…
O que fazem uns lençóis de cetim…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA





 NEGRO e BRANCO

Sou o chocolate
Que te adoça a boca
De negro vestido
Agro o paladar
No teu degustar
Sacio a tua vontade
De te lambuzar
Mas eu gosto de doce
De branco e quente
Ser transparente
Te seduzir
Dar uma trinca
No chocolate
Ver-te sorrir
Nos lábios gostosos
Atear a paixão
Barrar o teu corpo
Negro e branco
Será meu encanto
Degustarmos​
O nosso prazer
Até nos fartarmos

Anabela Fernandes




Melodia de amar
Sinto 
os teus olhos 
nos meus
e o meu ser 
estremece.
O
Universo 
em sintonia 
connosco
abre-se 
e tinge-se 
de mil cores
para receber 
o nosso amor
em 
caricias
de fogo 
e ondas
de paixão.
Juntos 
sentimos 
amor 
e emoção
os nossos corpos 
procuram –se 

encontram-se 
ávidos de prazer.
E
Unidos 
somos
cúmplices
do amor 
que nos une .
Não!
amor
não digas 
mais nada
sente 
e escuta 
a nossa
eterna 
melodia 
de amar-

Mila Lopes



 Sou
sou floco de neve
...que derrete
no quente ardente
...do teu corpo
deslizo feita água
pingos que te lavam
amor que te veste
...e alago-me em ti
feita braços em gestos
...floco de neve
que solto se atreve
e em ti escreve
e em ti prescreve
e se desfaz em amor


FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto




 TU e EU
Escaldas-me os sentidos,
não te posso dar ouvidos;
sacias o meu amor,
com um ar provocador;
desvio o olhar para não te ver,
e tu... Tu colocas-te à minha frente;
não dizes nada, apenas me olhas com amor,
e eu... Eu fico calada...
por vezes até um pouco envergonhada,
beijas-me com o olhar, estremeço;
não te o posso negar...
Calas as palavras que me queres falar,
e eu... Eu finjo que não te estou a ver;
e tu... Tu insistes, persistes,
até um dia eu ceder...
És fogo, és paixão,
és tudo o que uma mulher ao seu lado quer ter:
e eu... Eu já provei o teu doce mel,
e tu... Tu já entendestes que te escrevo,
que te amo, que és tatuagem neste papel.

Eu e tu... Tu e eu...
Num Mundo tão nosso...
Tão teu e tão meu.
Florinda Dias 


16-02-2017

“O SILÊNCIO “
O silêncio ouve-se
Sinto o som do teu silêncio
No sonho que se esvai
A convidar dois corpos a amar
Acordam as mentes adormecidas
Sinto o calor do silêncio amordaçado
Noite que exala amor
Amor que caminha na escuridão
Palmo a palmo
A ansiedade toma conta de nós
Numa emoção e desejos
Acordamos do silêncio
Abraças-me e acaricias-me
O teu toque tem magia
És um vulcão em erupção
Louco e suave, terno e doce
Silêncios de amor e cumplicidade
Vivemos o momento
Paixão de duas almas
Que se fundem numa só
Levas-me ao infinito
Sussurras ao meu ouvido
Palavras de amor e ternura
Beijas-me sofregamente
Consolidamos a noite
O silêncio ouve-se…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




Ao te encontrar,
comecei a sentir uma estranha brisa,
suave então, mas a transformar-se em vento brando,
prendendo-me a emoções e sentimentos,
a dirigir-me para o olho do vento,
fazendo-me respirar mais rapidamente.
Ainda!
Foi a velocidade daquele vento
que fez construir a comunhão
entre o coração, a mente e a alma.
E, nos meus sonhos
com as mãos te desenho
com os lábios te pinto
enquanto uma canção de amar te canto,
olhando a existência verde de esperança
e a alegria era a minha linguagem.
Acreditei e olhava o mundo completo de felicidade,
e, como não deveria ser assim,
diz-me.
Porque ainda não te compreendia
e não percebia
a mão de ajuda que me ias dando.
Deverei ficar estático,
ou lutar, a provar quem sou,
deixar a corrente da vida,
enfrentar as hesitações e esperar?
Não.
Mas, guiar os corações, aceitar
que nós somos semelhantes e o mesmo.


José Lopes da Nave



PARA TI...
Para ti, o meu pensamento voa
quando ouço a mais linda canção
melodia que em mim soa
em acordes de paixão.


Por ti o meu corpo treme
num frémito de ânsia e ardor
no peito o meu coração geme
sedento de ti meu amor.

Para ti abri clareiras na minha alma
deixando entrar esse sol do teu olhar
essa luz que me ilumina e acalma
o farol que me ajuda a navegar...

Para ti me dou em poema
beijando os versos que escrevo
és nuvem que na manhã me acena
mar de encanto onde me atrevo...

Para ti serei a fonte do teu calor
contigo eu quero o sonho perfeito
onde eu possa derramar todo este amor
que não me cabe no peito...

Aida Maria (Aida Marques)



Pura magia
por vezes
o tempo pára
... e fala o silêncio
...... no amor
e nada separa
... e nada existe
para além do calor
irresistível...que persiste
... em pura magia
e é a sensualidade
... a fantasia
do corpo...no corpo
... que se move
amor que absorve
...no vai e vem
......da união
segueira na escuridão
como as ondas do mar
que se espraiam
num êxtase de relaxar
nesta nossa dança
que nos balança
... no amar
e...enjaulada nos teus braços
... sem espaços
e em pura magia
... adormeço
...... nesta nossa fantasia


FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto




 GUITARRA EM MEU CORPO
O meu corpo é uma guitarra
Dedilhada por tuas mãos
Teus dedos longos e finos
Que suas cordas tocam com sedução.
Para ti não tem segredo!
Sabes todos os compassos
Está sempre bem tratada
Só tu sabes tocá-la e afiná-la
Por isso o seu trinar
É sempre ouvido com amor
Momentos de grande emoção
Que faz vibrar o coração.
A letra é amor puro e sincero
A música é cumplicidade
Que sempre tocas baixinho
Para não acordar a saudade.
Quero-te sempre meu guitarrista
Outro não poderá ser!
Conheces meus gostos e sentires
Não quero outro vir a ter.
Guitarra toca aquela canção
Que nos faz vibrar de amor
Toca baixo e com o coração
Para que eu amo o meu senhor.
Guitarra, amor e fado…
São amigos de longa data e eleição
Por isso te peço com ardor
Toca-me guitarra com sentimento e amor.

Rosete Cansado



 Doce doação
Tu que és de mim
eu que sou de ti .
__Elevas-me__
Fazes-me voar!
Ir mais além do meu frágil ser
não é sonho!
É verdade que envolve a minha alma
Tu que estás em mim
íntima fração de amor
o nosso encontro é puro
és a verdadeira existência
que completa o meu ser
porque tu és meu!
__E assim__
Eu vou-te descobrindo
e saboreando aromas
nas cores do teu corpo
onde pintam sabores
que no meu coração despertam
mais e mais amor.


Direitos de @utor reservados
Mila Lopes




 FLOR DE MEL

Vesti rendas e sedas
No corpo semi nu
Transparente e perfumada
O que tanto te seduz
A música envolvente
Um luar esplendoroso
Nos convida a desfrutar
O prazer de amar
Carícias trocadas
Beijos molhados
Lábios saciados
Num prazer desmedido
A mim estás rendido
Sei-te de cór
Cada traço teu
Cada curva do teu corpo
É um gosto meu
E tu sábio me tomas
Num ritmo fervoroso
Ali naquele momento
És maravilhoso
Sentimos o tempo voar
Entre gemidos de amor
Fomos um do outro
Tua flor de mel

Anabela Fernandes




 AMOR
Eram lembranças de um tempo.
De tempo de amor.
Tempo de arrepio à flor da pele.
De tempo de beijos...
De caricias, de pétalas soltas acesas em perfume.
Eram suspiros, sopro que ateava chama e lava.


Tu me vestias de ternura.
Me despias com, mãos de loucura,
Num desejo arrebatado.
Beijo a beijo, cingias meu corpo
Terno era o manto...

Hoje dentro do tempo caminhado.
Caminho ao teu encontro.
Eis-me aqui!
Diante de ti olhos nos olhos.
Mãos carentes!
De tatear as tatuagens de nós.

Nos degustamos docemente, poro a poro.
Saboreando.
O sal e o mel do amor.
Eis-nos aqui!

Augusta Maria Gonçalves.







09-02-2017
 MEUS DIAS

Os teus dias chamam-me, 

durante os meus sonhos,

as tuas mãos aquecem-me

mas permaneço, 

como uma ave morta 

caída na relva. 

Essas mãos me fazem esquecer 

as canções da solidão que me envolvem 

ao sentir o deserto da noite.

Nos meus sonhos lindos, 

pondero que és a estrela

cuja luz recai no meu ser. 

Tantas vezes, estamos juntos, 

enquanto durmo e torno a ti, 

cada noite, é uma carta de amor 

e, vendo-te, sinto o sabor dos teus beijos. 

Peço um milagre 

e será, tudo luz,

não me verás longe dos teus olhares, 

sentirás a resposta do meu coração.

José Lopes da Nave




“ESCREVO-TE POEMA”
Escrevo-te poema
Na noite…No dia
Na escuridão…Na luz
Penso e iludo o coração
Fantasio o amor
Escrevo-te ao luar
Lembranças que em mim despertas
Nas ondas do mar
Na loucura de um desejo
Na ternura de um beijo
No aconchego daquele abraço
Nestes prazeres contidos
Escrevo-te enquanto amo
Quando me envolvo em ti
E me dou por inteiro
Num ato de amar desinibido
Escrevo-te palavras sentidas
Esperando o teu retorno
Na imagem do espelho
Nossos corpos enrolados
Tu e eu …Somente
Escrevo cada pedaço teu
Na tua pele suada
Juntos no nosso ninho
Escrevo-te poema…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA





 NO CORPO TEU!

Na tua beleza navego.
O contorno dos teu lábio decorei.
Do desenho do teu rosto não esquecerei
Tenho a imagem comigo.
Os teus olhos me aprisionam
O teu corpo me enlouquece
A tua vontade me chama
O desejo em mim permanece.
Quero-te sentir, quero amar-te
Nesta loucura, sedento de amor, de desejo
Deitar na cama e possuir-te
Ter-te entre os meus braços, teu beijo.
Sentir o teu calor
Sonho com os nossos corpos húmidos
Molhados num sentido só, numa permuta de fluidos
Envolvidos com amor.
Entre gemidos de prazer,
São momentos de loucura
Sem saber mais o que fazer
Amamo-nos com ternura.
Sussurro-te no ouvido
Percorro o teu corpo com a mão
Querer deixar-te duvido
Pois que é grande a emoção.
Deixa-me levar-te ao paraíso
Perde-te nos meus lábios, entrega-te
Não renuncies esta paixão, devora-me
Sou tua meu corpo alma doteu amor preciso.
A ti entrego-me sem pudor
Serás eternamente meu
Á tua vontade desse amor
Sinto-me em ti,sentes-me?:NO CORPO TEU
Carmen Bettencourt




 Chegas, tocas-me, trauteias ao meu ouvido
excitante bolero, de duplo sentido
que suave arrepio me causa na pele;
roças os meus com teus lábios de mel.


Tal teclas de piano vais-me dedilhando,
os acordes do bolero vão ecoando,
nossos corpos ardendo na chama ateada,
suspirando, pela plenitude almejada.

Num envolvimento, fremente de desejo
de paixão, trememos a cada troca de beijo,
consumando assim o que a loucura pede .

Sorri a Lua, na sua cumplicidade...
eternamente fica na nossa saudade
o sumo momento, por amantes vivido
certos que a vida até à morte os há unido...

Ausenda Ribeiro



 ÉS O MEU POEMA

És o meu poema em noites de luar
Que deitada na areia junto ao mar
Vejo as estrelas cintilantes e a lua a brilhar.
Sinto-te quente e ofegante de amor pujante
Quando me tentas agarrar e sofregamente beijar.
Meu corpo treme ao toque de tuas mãos
E, num momento de alquimia, nos unimos
Com sentires e desejos profundos
No âmago do prazer adormecido.

És o meu poema em noites de luar
Que te desejo em qualquer lugar.
Saído da minha mente e no meu corpo mergulhar
Cerejas doces mordiscar com cumplicidade
Nos teus olhos ficar a olhar e amar para sempre
E desejar-te em qualquer lugar.

Rosete Cansado



 COROLA FLOR
Tempos ledos.
De riso e travessura.
Coração palpita,
Desenfreado amor procura.
Vem amor.
Vem, que te não sinto.
Ver-te, vejo.
Sei! De sonho em sonho.
Me cobres de caricias mil.
Durmo e sonho…
Numa embriaguez de absinto.


Desperto!
Já pressinto teus carinhos
Teus desejos.
Vem está o leito preparado.
De pétalas adornado.
Eu sou a candida flor

Vem amor…
Não deixes que eu flor perca o fulgor.
O desejo, o tenho aceso em meu olhar.
Te deste, sempre me darei.
Meu porte delicado, anseia de ti o corpo e o enleio
Falta teu beijo.
Vem amor delicia-te,
Delicadamente

Onde estás amor meu.
Vem devagar.
Sou a corola da flor.
Ama-me sem me desfolhar.
Segreda-me eu ser tua.
Serei pétala pura,
Te direi, és meu.

Augusta Maria Gonçalves



 Eu em ti
Sou eu em ti
Sonho do teu sonho
Num sonho meu
Que na noite nasceu
E lá...eu flutuo
... pássaro livre
e voo...corpo leve
...leve...
Dunas afagadas
Nas curvas em movimento
Lento por mãos levadas
Sonho no meu tempo
Em que te fazes
Anjo meu
...que trazes
Nas asas o coração
E a proteção
...do meu caminho
E em ti fico
...dentro...crio ninho
......no teu carinho
...E voo...e flutuo
Aconchegada
...bem agasalhada
......no teu abrigo
...deixo-me ir
...neste sonho...contigo

FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto




 Vem amor
Quero viver uma vida inteira ao teu lado
sentir entre nós o amor eterno.
Vem amor
Quero viver sempre apaixonada
e sentir que sou sempre a tua amada.
Vem amor
Quero ouvir dos teus lábios palavras de amor
e ao olhar os teus olhos sentir o teu amar.
Vem amor
Quero adormecer nos teus braços
e os teus lábios com sabor a mel beijar.
Vem amor
Quero acordar com os teus beijos
e sentir em ti sempre amor e desejo.
_______________*_____________


Vem amor quero ser tua eternamente
.

Mila Lopes





Chegaste já de noite e trazias nos olhos o desejo,
no corpo a ardência de quem precisa amar
e ser amada.
Esperei a tarde inteira para te amar, e para
colmatar
o tempo, bebi mais e mais um copo.
Fiz o jantar e caprichei no vinho, aquele que tu
gostas,
não deixei nada ao acaso.
Eu conheço-te bem. Por ti eu faria o possível
e o impossível para te agradar.
Enquanto chegavas e não chegavas, ajustei a toa-
lha da mesa e os talheres mil e umas vezes, já os copos,
nunca dei com o jeito de os acertar.
Os nervos foram tantos, muito mais
do que da outra vez.
Jantámos!
Jantámos à luz das velas, num ambiente
romântico,
mais um copo,
o calor transbordou do nosso corpo e eu beijei
os teus doces lábios
há muito apetecidos.
Saciámos a sede. Era um desejo
mútuo...
A noite foi longa, escaldante, talhada à nossa
medida.
Ficam saudades...


José Maria... Z L




Sei(te)
Em cada gesto meu
O teu olhar
Seduzes(me)
Sou dona e senhora
Uma mão e um sinal
Entendo(te)
Dispo(me) de preconceitos
Entro na tua libido
Na febre dos teus sentidos
Que incendeiam o meu querer
Tateamos incandescentes momentos
E entregamos a alma
Sentimentos ao rubro
Sei(te)
Uma mão e um sinal

Fernanda Cerqueira



02-02-2017
 LUA MÁGICA
Debruçado na janela
a brisa me afaga suave,
tal os teus beijos
que me enamoram.
A lua queda-se
e reflecte o teu olhar cantante,
o corpo baloiçando,
aspergindo flores de jasmim
em bailado mavioso e oscilante
num pas de deux afectuoso
de carinho e amor.


José Lopes da Nave



“GOSTO DA TUA PELE”
Gosto do cheiro da tua pele
Gosto de acaricia-la
Do roçar da tua pele na minha
Escrevo poemas na tua pele
A tua pele respira amor
Abraça-me forte
Quero sentir a tua pele
A tua pele é um mar de emoções
Gosto de despir a tua pele
Vestir a tua pele na minha
Aqueces-me a pele e a mente
Um toque na pele
Um jogo de sedução
Arrepias-me a pele
Tocas-me e o prazer flui
As nossas peles conhecem-se
Sabem qual o caminho
Alisas-me a pele suavemente
Mãos trémulas numa viagem a dois
Deslizas no meu corpo
Devagarinho, sem pressas
Minha pele responde
Amo-te…
Dois corpos suados
Fundimo-nos num só
Revigoras-me
Gosto da tua pele…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA




 MOMENTO

Chegou o momento tanto esperado
Entre os pingos da chuva te vi aparecer
Um pouco sem jeito e desconfiado
Se afinal irias por fim me conhecer

Sem nada dizer te abracei docemente
Teu corpo termia homem sedutor
Ali rendido á paixão loucamente
Esperando sentir o fervor do amor

Não foram precisas palavras apenas olhares
Cúmplices de desejos tanto reprimidos
E tu junto de mim a me desafiares

Num tempo sem tempo tomei a tua mão
O mar confidente e sem estarmos escondidos
Fizemos amor sentindo a emoção

Anabela Fernandes.



 Nós dois
enamorados
o teu corpo
no meu corpo
beijos
abraços
desejos
gostos
e mil
sabores.
Nós dois
juntos
no mesmo
laço
no mesmo
abraço
unidos
nas
asas
dos sonhos
colhendo
desejos
do amor
sentido
por
nós.

Mila Lopes



Despertar em Amar
...e a madrugada despertou
no quarto de lençóis desalinhados
lançou a tênue claridade sobre nós
e despertou os sentidos do sono
e...aos teus olhos juntei os meus
roubei os beijos que eram teus
as mãos correram por teu corpo
... preguiçoso...langoroso...
sentindo...acariciando...amando
e tu...despertas sonolento
...ternurento
tuas mãos percorrem meu corpo
lentas e rápidas e loucas
e da tua boca saíram palavras roucas
na rouquidão que o amor provoca
...ar que nos sufoca
e as asas do desejo voaram sem sentido
assustadas pelo êxtase gritado
e os sentidos cansados adormeceram
...na madrugada
testemunha silenciosa
de despertares que aconteceram
...em um momento
FCJ

Fernanda Carneiro Jacinto




 Louca de desejos
Louca de desejos
Desejos insanos
Loucos poros
Transbordando
Os meus olhos
Palavras de carinho,
Teu jeito doce de chegar de mansinho
Suave encanto,
Doce magia no teu olhar
Sentimento de um fogo intenso,
que me atormenta e me faz sentir...
minhas mãos percorrendo teu corpo,
loucamente, te materializo em meus sonhos,
sinto tua boca na minha,
tua língua de fogo a percorrer minha pele,
Louca de desejos
Perco me de mim mesma
Sobre os improváveis abraços teus
Me deixam flutuar
Numa magia contemplada pelo luar
Na cama do teu corpo
Me deito saciando a vontade
do teu amar


Sónia Pinto




LEVA-ME!
Por caminhos de amor e prazer
Se inflame na chama do meu corpo
Sufoca-me até nunca esquecer
Enrosca no meu o teu rosto,
De forma natural
Eu entrego-me a ti
Num momento escaldante sem igual
Leva-me para mais perto de ti.
Vem me induzir aos anseios teus
E aos desejos tão loucos meus
Naquele momento naquele instante
Em que o momento é escaldante.
Que aos poucos vão nos consumindo
De tanto amor e prazer
Mesmo conseguindo
Para jamais esquecer.
Eu quero teu amor
Quero que me tenhas por inteiro
Amando com ardor
Como se fosses o primeiro.
Quero teus beijos ardentes
Tão doces... tão quentes...
Embriaga-me com teu perfume
Do teu corpo.teu queichume
Para que possamos viajar
Nesse amor tão bonito e e belo
Desejando sempre amar
E connosco sempre te-lo!!!
Carmen Bettencourt





26-01-2017

ANOITECEU


Anoiteceu e todos se foram embora

Somos só tu e eu,em saber o que fazer

Pois que chegou a hora

E tinha que acontecer.

Senti tua respiração

Tuas mãos passeando meu corpo

Ardente aquele mometo de paixão

Onde via só teu rosto.

Sinto tua face na minha

Tua boca no meu beijo

E assim se caminha

Com todo o nosso desejo.

Sem palavras apenas gestos

Não sendo necessário mais nada 

Naqueles momentos escaldantes modestos

Eu por ti ser amada.

Descobrindo o que se promove

No demais instante

Os corpos se entregam tudo move

Num momento escaldante.

Transpirando de desejos 

Respirando amor e paixão

Sussurrando ao ouvido com beijos

Vindos do fundo do coração.

Foi a mais erótica sensação

Por algo que se vicia

Amor desejo paixão

O ritual que se inicia.

Sinto o teu perfume

Estás longe e tão perto

Assim eu com meu queixume

Naquele momento recordando teu rosto!!

Carmen Bettencourt





A PROMESSA...
Aguardo-te impaciente
com um sorriso no olhar
não quero que me vejas triste
quando o momento chegar.

Meus lábios estão ansiosos
para os teus saborear
nesses beijos carinhosos
que só tu me sabes dar.
Sinto as minhas mãos trementes
na ânsia de te tocar...
descobrir tudo o que sentes
quando eu te afagar.
Mergulhar no teu olhar
ler nele a tua paixão
ansioso por me abraçar
sedento da nossa união...
És para mim a promessa
do meu regalo e prazer
a febre que me atravessa
só em ti cura há-de ter...
Aida Maria (Aida Marques)





AMANTES.
Chovem estrelas cadentes do céu,
Iluminam os teus olhos brilhantes,
Descubro teu lindo rosto do véu,
Beijo teus lábios, eternos amantes.
Em teu cabelo baila a brisa do mar,
O teu sorriso um convite ao amor,
Teus lábios uma flor a desabrochar,
Teu corpo ondas do mar em furor.
Nossos lábios colados com paixão,
Rolamos nus na areia fina da praia,
Como testemunha a brilhante lua.
Sinto bater acelerado o teu coração,
Acaricio a pele fina como cambraia,
Teu corpo arfante, navio que flutua.
Francisco Galvão.

“A PALAVRA”
A palavra 
Terna e morna
Dança sensual
No meio do nada
Na caricia de um beijo
Num abraço teu
No toque dos corpos
Na malicia do olhar
Num grito tresloucado
Numa entrega total
Num roçar de ternura
Num murmúrio sentido
Num amor sem barreiras
Numa volúpia sem par
Esperas-me
Sacias-me
Quero-te
Enlouqueces-me
Perdemos a noção
O tempo dá-nos tempo
Percorres-me
A palavra não tem tempo
Amamos sem palavras…
“BRASA” MAGADA BRAZINHA




 SONETO DE AMOR
Não me peças canções nem baladas,
Nem palavras, abre-me o teu peito
Deixa cair as pestanas fechando os olhos
Que entre os teus braços me alinho com respeito.
Na tua boca pousarei a minha com desejo
Que nossas línguas desvairadas se buscarão
Na languidez de um sentido profundo
Farão pulsar de amor o nosso coração.
Uma língua somente… em duas bocas unidas
Trocaremos nossos beijos em perfeito ênfase
Sentindo o nosso sangue em nós a pulsar.
Depois… meu amor abre os teus olhos
Verás que os meus estão a chorar por amar
Não digas nada… A vida, foi ela a nos juntar.
Rosete Cansado





 ENTRE BEIJOS E SUSSURROS.
Sorve a minha saliva,
Possui o meu corpo,
Entre beijos e sussurros,
Faz de mim tua loucura.
Rasga a minha veste,
Escorrega tuas mãos
pelos meus ombros,
Deixa teu suor na minha pele,
Aflora meus íntimos desejos.

Fica agarradinho comigo,
Me retém nas tuas pernas,
Acaricia a minha carne,
Me conduz ao gozo.

Sónia Pinto



És tu…
Quem me atiça o desejo
Me enlouquece com um beijo…
E uma caricia sensual!
És tu…
Quem me entontece…
Em meu corpo estremece…
Numa posse infernal!
És tu…
Minha ninfa do prazer…
Quem minha alma quer comer
Num louco instinto canibal!
És tu…
Quem numa ânsia desmesurada…
Se me revela despudorada…
Numa embriaguez de amor!
És tu…
Quem me tolda os sentidos…
E nos sentimentos envolvidos…
Me queima com o teu calor!

Luís Farto




 EVA

Era linda, formosa, esbelta risonha.
Agil como corça,
Torneadas as pernas…
Terminando no pé tão delicado.
De ancas redondas.
Como ânfora.
Contendo o perfume do pecado.

Olhavam-na olhos indiscretos.
Cheios de pensamentos menos bons.
Uns despiam-na.
Outros a beijavam.
Outros ainda mais ousados.
Os lábios carmim…
Rosa perfumada perdida no jardim.
Profanamente mordiscavam.

Tremia a calçada ao seu passar.
Graciosa de gestos riso franco.
Tinha no olhar o céu azul claro.
No peito flores, em botões ainda por desabrochar.
Na cintura um verbo por decifrar
No ventre a generosidade de um amplo mar.
Mas sabia bem o desejar.
De umas mãos de seda.
Que teceriam mapas no seu corpo.
Onde habitava a fome desconhecida,
Da Eva pronta a desbravar.

Augusta Maria Gonçalves.







19-01-2017



EDIFICAR



Não ouses amor. 
Não ouses ignorar. 
Pois foi dentro da noite. 
Que o amor se desenhou. 
Numa cama de luar. 
Recordas? 
Disseste!
Aqui edificaremos. 
E foi ali. 
Foram alicerces de ternura. 
Foram desejos de desbravar.
Beijo a beijo o sal da pele. 
Foi escutar a louca voz dos sentidos. 
Foi tatear as curvas da nossa nudez na noite acesa. 
Foi velejar o barco do amor por rotas só sonhadas.
Mas nos perdemos. 
Nos demos em enlaces de desejo e espasmos. 
Foi termos o cais das nossas bocas. 
Foi o rasar o céu, caminhar tocando estrelas. 
Depois… 
A noite em nós adormeceu. 
Recordas? 
Sentimos frio. 
Foi o resplandecer do sol o nosso, sedoso e delicado véu. 
Recordas amor!?


Augusta Maria Gonçalves.


“ÉS TUDO”
Despojas-me os sentidos
Sentimentos gritantes
Pairam dentro de mim
Ecoam em ti
Paixão velada na tua boca
Desejos que se entrelaçam
Em cada toque teu
Há um apelo ao amor
Um arrepiar de pele
Matizado como um arco-íris
Deixas-me tresloucada
Nas madrugadas amantes
És a leve neblina
Que baila no meu corpo
Deixas mel na minha boca
Sorrateiramente beijas-me
Saboreamos o doce sabor
É como se sol nascesse
Radiante e rubro de amor
A volúpia aumenta
Dançamos o amor
Bailamos como um só
Amamos a dois
Terno aperto de mão
És a vida que dá vida
És tudo…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA



A ILUSÃO DOS SENTIDOS...

Porque é em ti que desagua o meu desejo
procuro-te na recordação de um beijo,
o que sempre me embriaga de emoção
e transborda de ternura no coração.

Revejo-me assim no teu abraço
meu corpo colado ao teu como num laço
onde me dispo de preconceitos,
onde os nossos pulsares são perfeitos.

Acorda em mim o sonho há tanto adormecido,
volta ao meu corpo esse calor apetecido...
respiro ofegante de excitação, embargada
pela falta da tua presença que tanto tarda...

Desafio todo o sentir que há no meu peito
olhando o teu lugar vazio no meu leito...
e adormeço pensando que tu, ser amado,
ao acordar estarás de novo ao meu lado...
Aida Maria (Aida Marques)



NA PRAIA


Os últimos laivos de sol, raiados
brincavam connosco
na areia da praia.
Enquanto deitados,
as ondas tépidas
beijavam-nos os pés ternamente
como as carícias que trocávamos
afectuosamente.
Alongada, olhavas-me,
sorrindo,
fascinavas-me
com teu corpo florindo
em tuas mãos acalentado
nele me sentindo
por teus braços apresado,
em revolta agitados
corpos cingidos
em amplexos
dissolvidos
entre
beijos fermentados
encantados.

José Lopes da Nave



VOO OUSADO
O nu insinuante projecta-se no chão da imaginação
seduzido pelos encantos da luz libidinosa
que em pinceladas eróticas desenha suaves contornos
revelando as sombras dos nossos ébrios momentos.
Corpo que veste as palavras desse sentir onde vagueio
na volatilidade dos sentidos em desassossego constante.
Enceto um voo audaz sobre as colinas dos teus seios
e a sombra das minhas asas se engrandece de vontade.
Visão de condor, que plana sobre o desfiladeiro que encerra
a gruta mistério dos segredos por revelar.
Metamorfose de insecto, ofuscado pelo brilho do teu sexo
desfaleço mais e mais em esvoaçar estonteado
preso na teia, em doce caos enredado.
Por onde deixo escorrer o magma liquefeito
no regaço acetinado e quente do teu jeito.
Neste breve instante em que estou pousado em ti
vivo no teu corpo, e esqueço-me de mim.

© Antero Jeronimo,



EMOÇÕES


Sinto-te num beijo longo e quente
No raiar da aurora com o canto dos pássaros
Dentro de lênçoís de fino linho bordados
Embriaga-me o coração e deleita meu corpo
Que junto ao teu se envolve na camisa de tule
Sinto o teu cheiro e o desejo de me amares
Com ênfase e paixão.
Seduzes-me quando meus olhos procuram os teus
E numa longa dança de emoções
Desafio-te para o meu corpo apetecido de desejo
Respirando, ofegante que me tomes nos teus braços
E me faças tua! Sim tua somente…
Em mim desaguas todo o amor que te envolve
Dando-me alegria e prazer.
Enlaçados e saciados, adormecemos felizes
Acordei, julgando estar a sonhar…
Mas tu estavas a meu lado amor! Embevecido
E apaixonado.
Beijaste-me com carinho e disseste:
O amor acontece quando se ama ternamente.
São emoções que nem sempre a razão as conhece.

Rosete Cansado


A Nossa Dança
Num momento escaldante,
vi-me num momento errante;
vi-me contigo em pecado:
mas fui por aí adiante...
flui no amor que tinha por ti;
e foi num momento escaldante,
foi ... Foi aquele em que por ti me perdi:
Perdi-me ou não...
Nessa tão grande e tempestuosa Paixão,
nessa dualidade que por um tempo.,
nos deu um sim ao amor e à ilusão;
beijei-te com fervor...
E tu num terno abraço sentias o meu laço,
era mágico...
Quando me cantavas a nossa canção,
cantavas pra mim e ao mesmo tempo;
os teus dedos trinavam,
num leve toque, como um toque de viola
e eu serena ouvia-te calada...
acariaciava-te os cabelos em sentimento;
e ficava a ouvir-te até adormecer ...
Como não lembrar, essa doce madrugada
Num todo...
Tudo passou num instante;
vivemos assim juntos...
Um Momento Escaldante.
Florinda Dias



A dança do amor
O calor do teu corpo acende a minh’alma
levando-me ao abismo de desejos
louca e sôfrega
sinto a paixão me consome
voo entre nuvens e versos de carinho
pouso nos teus braços
que me acolhem com ternura
doce arrepio sons e melodias
e acordes de musica romântica
apaixonada ouço os de teus gemidos
a lua dança as estrelas brilham
e o sol banha nosso corpo nu
os anjos encantam-se
ao ver tamanha loucura
unidos dançamos trocamos carinhos
na cama de nuvens nos amamos
e no céu do amor levitamos.

Mila Lopes



LÂNGUIDOS DESEJOS


Vem numa noite de luar
Ao som da melodia que nos desperta
Em cada manhã em que sentimos a distância traiçoeira
E nos envolvemos nos sonhos que sonhamos
No amor que não fizemos
No desejo que desperta ao ouvir a tua voz
Mas vem...
Sem pressas porque eu estarei aqui
Sentada junto ao mar brincando na areia
Escrevendo o teu nome
Quem sabe um poema que irás sublimar
Vem amor sentir o calor dos meus braços
Sugar o este sabor amorangado do meu corpo
Alimentar a paixão que queima cada entranha do meu ser
Quero-te ter hoje, amanhã e sempre
Subir no teu barco á vela e irmos sem rumo
Ser o teu paraíso,na viagem que nunca fizemos
Nos prazeres recalcados que o tempo não apagou
E eu aqui estou esperando por mais um anoitecer
Ouvi o sino da igreja e senti ser um sinal de um final que teima em não terminar

Anabela Fernandes.


Ainda
Ainda ouço tua voz de veludo
Que num sussurro me dizia
Querido…
Amo-te mais que tudo
És tudo aquilo que eu mais queria
Sinto ainda teu corpo no meu
A nudez de nossas almas
A língua que minha saliva bebeu
O navegar em águas mais calmas
Fazes amor como ninguém
Com doçura nos movimentos
Os teus gemidos soam-me tão bem
Guardo-os em meus pensamentos
Se pudesse…
Manhã cedinho…
Acordava-te suavemente
e decerto te pediria baixinho…
Façamos amor novamente
Porque tenho medo de te perder
de não mais acariciar teu cabelo…
Dizes-me que não vai acontecer…
Mas como irei sabê-lo?

Luís Farto




E me sinto navegar
nessa paixão
que me derrete o coração.
Como aplacar o desejo
do meu corpo febril,
a morrer sem tua pele,
inebriada em mim?
Navegar no mar dessa paixão
Que transborda,
de cada célula do meu corpo.
Odor do teu suor,
nos lençóis de meu querer,
em gemidos de prazer...
Febril estou
nos rios de mim
que navegam em ti!
Vem
que o tempo se detém
e o sangue fervendo,
lateja em desespero.
Porque muito te quero
no corpo e na alma
de dia ou de noite!
Vem
navegar comigo neste rio
de desejo
que aflora em minha pele!
Traz a paixão e a ternura,
teus olhos a brilhar,
como luz a cintilar.
Vem
e navega comigo nas águas da paixão
em desejo e sedução.

Emilia Pedreiro


NAS MINHAS VEIAS CORRE O AMOR

A tua respiração corre nas minhas veias
Deliciando-me com o teu carinho
Beijas-me como a brisa quente em dia de verão
Acaricias-me com suavidade, que me dá calma
No teu olhar vejo ternura e confiança
Que se espelha no lago do nosso amor
Sou envolvida nos teus braços com esperança
Ouço o bater do teu coração latente de amor
Aperto-me no teu peito sentindo o teu cheiro
Que me faz entrar num mundo de sensações
Não são ditas palavras...
Os teus olhos fitam os meus,
Falam-me em volúpia e em entrega total
De um prazer que não inventado
Multiplicando-se em delírios e ais
Assim em nossas veias o amor tem fulgor.

Rosete Cansado



No meu corpo sinto o teu toque, mesmo sem estares aqui...
Sinto o cheiro, o aroma que em mim ficou de ti,
Nos meus lábios sinto o beijo que nossos lábios uniu
O suspiro de desejo que pelo meu corpo subiu....
Fecho os olhos e sinto a ternura de cada toque teu...
De cada beijo de doçura que me levou ao céu...
Ainda sinto aquele abraço que me fez sentir tão bem
O teu carinho em cada amasso, que me levou mais além...
Ainda sinto o teu desejo, a vontade de me ter em ti
A tua loucura em cada beijo, a vontade de ter te sempre aqui
Cada toque que causa arrepio e me faz sempre pedir mais
O teu calor que apaga o meu frio e soltar muitos e muitos ais.
Podes estar longe mas não te esquecerei
E quando voltares à tua espera estarei
Para te sentir de novo em mim
Com aquele desejo que nunca tem fim
Isabel Susana Marouço




CHAMA VIVA

Nos teus cabelos, fios de negrura
Planto afagos escorrendo em cascata

Do brilho intenso que inunda o teu olhar


Eclodem relâmpagos em mar de coral ardente

Dos lábios maduros de romã gretada
Reluzem laivos adocicados de orvalhada tentação

Na enseada acolhedora dos teus braços
Desfaço lonjuras pela extensão dos nossos abraços

Da seda pura que reveste as tuas mãos
Alvas pombas chegam em voo anunciado

Renascem então as bocas, na claridade dos astros
Lábios comprimidos na plenitude do erógeno sentir
Línguas que se encontram em rota de colisão
Buscando a saliva em fremente oásis sideral

Resta o fogo do sangue, alastrando
Consumindo a seara das entranhas
Em chama viva correndo sem margens
Pela força do ventre incendiado.

© Antero Jeronimo




Para nós o tempo a paixão aprimora
Coração acelera inebria e dia-a-adia melhora
Em intenso momento ardente
Naquele momento escaldante.
Onde os corpos se fundem mo ato amoroso
Fascínio,carinho,ternura
Num momento primoroso
Que se vive com loucura.
Amor que alucina inflama
Os corpos transmitem amor
Tudo o que vem com alma
É escaldante tráz calor.
Na alcova do prazer verdadeiro
Delirando de amor busco o teu abraço
Aquele momento fascinante o primeiro
Num eterno fascínio do corpo fazer um laço.
Levar-te ao delírio extremo
E perder-me em desejos excitantes
Calar-te enquanto gemo
Naqueles:MOMENTOS ESCALDANTES!!
Carmen Bettencourt




Dança do Amor

Silêncio
Na dança... Dança do amor
Em calmante e colorido prado
Florido em seu esplendor
Como manto ondulante de cor
Onde o beijo é terno e sagrado
E são os sentidos que sentem
Tateiam e deslizam e derretem
Na mulher embrulhada
Cintada
Em jardim de flores
Corpo quente sensual
Amor nos ardores
Loucura luxúria sem igual
São sabores e quereres
Sentidos entre dois seres
Esquecidos no silêncio
Desta dança...Do amor





FCJ
Fernanda Carneiro Jacinto



SABOR A TI


Deixaste no meu corpo o sabor a ti
O mel que me adoça e me faz estremecer
Eternos amantes de uma noite louca
Embriagados de desejos partimos na aventura
Salientes que duraria só apenas alguns momentos
Mas que interessa se estavam presentes belos sentimentos
Tu foste o mentor e eu a aprendiz de um amor que não se contradiz
Mulher repleta de sedas e algumas transparências fui eu sedutora
Te levei ao auge e desfrutamos rendidos
Caindo na cama extasiados soubemos
Que um pelo outro estávamos perdidos
E hoje tenho a certeza que ainda sinto nos lábios
O vinho maduro que entre tragos saboreamos ao jantar
Sabendo que depois irias me beijar
Naquela noite onde o imenso luar
Se fez presente como uma benção
Ah! pudesse eu por ti chamar
Que hoje mesmo iríamos recordar...

Anabela Fernandes.



Gosto que percorras o meu corpo como só tu sabes fazer
De forma mais arisca ou mais doce dando me sempre prazer
Gosto que me beijes q que me abraçasses, que me amasses, tudo com amor
E com aquele desejo crescente que faz subir meu calor
Gosto de sentir a tua pele suave e quente
Que faz mil e uma fantasias povoar a minha mente
Gosto de te amar lentamente ou no frenesim da paixão
Gosto que percorras o meu corpo com a suavidade da tua mão
Gosto de sentir me tua, à luz da lua ou na escuridão
E depois ficar a ouvir o bater do teu coração
Como quem escuta a mais bela melodia
E sente no corpo e na alma uma imensa alegria..
Isabel Susana Marouço




Hoje

Nesta noite de lua cheia
preciso beijar teus lábios
abraçar eu corpo nu
entrelaçar minhas pernas nas tuas
entrar num jogo de sedução
e deixar nossas roupas espalhadas pelo chão.
Nesta noite de lua cheia
preciso ouvir as tuas juras de amor
deixar-me levar pela emoção
e sentir o teu desejo e paixão
e depois com a loucura de nos amarmos
dormir-mos unidos aconchegados.

Mila Lopes




ACENO DE ASA

Amor! Amor!
Porque não escutas minha voz.
Gravada tenho a tua, meu amor…
Também alguns suspiros,
Das horas em que o amor cantou em nós,
Assim como tatuada minha pele.
De beijos salgados e suor.

Olho a praia deserta.
Desenhados ao poente entrelaçados.
No areal dourado, ficou nossa moldura.
Foram testemunhas mar e bruma.

Sabia teu copo a sal marinho.
Fizeste de mim pérola rara.
Apertaste-me contra teu peito.
Amas-te-me na horizontal pose de estátua deleitada.

Mas, hoje amor, tenho saudades.
Teceu o tempo outros caminhos.
Escuto-te no marujar de cada onda que se quebra.
Abraçando a areia com carinho.
Dizem-me as gaivotas, em aceno de asas.
Parte! Refaz esse teu peito.
Mereces ter muito amor e novo ninho.

Augusta Maria Gonçalves.


05-01-2017

“BOM DIA MEU AMOR”
Deixo-me invadir pela ansiedade
Deixo a lua iluminar meus ombros
Lua escondida nos escombros
Do meu verso inacabado
És metade de mim
A outra metade onde anda?
Saudades tuas meu amor
Das tuas mãos em mim
Quando afagas meu seio
Contornas o meu corpo
Escondo-me no teu sorriso
Espraio-me na tua noite
Anseio a tua chegada
Olho o mar entorpecida
Cai-me o véu da ternura
Sinto-me cansada de mim
Sou apenas um nó de saudade
Que espera a chegada do seu amor
Saudades tenho sempre
Do teu eu dentro do meu
Chegas…Enfim…
Passou a ansiedade
Entardece nos teus braços
Anoiteci nos teus olhos
Adormeci na tua paixão
Acordei na tua boca
Bom dia meu amor…
“BRASA” MAGDA BRAZINHA



" DOCE EXPLOSÃO "

Quero!

Me banhar
Nessa explosão
De prazer...
Húmida!
Sinto um arrepio!
Te chama a minha vulva...
Doce, louca, Ardendo de prazer!
Fico faminta
Como uma loba
Há procura
De caça.
Onde devora
Esse teu manjar...
Nesta invasão, teu corpo...
Beijei!
O meu hálito
De uma respiração
Ofegante!
Fico enfeitiçada...
No reino das palavras
Me afundo!
Da química
Deste amor.
AUT: Clara Patachão


CONTEMPLANDO

Se, contigo
puder
contemplar o firmamento,
pintá-lo de arco íris,
desejarei o céu
por ser um desígnio,
o símbolo do todo,
o que me permanece.
Tu és o sol
que me surgiste
em noite de luar,
no presente,
no futuro.
És o desejo,
o mistério
de toda a meditação.

José Lopes da Nave




AMANTES NA NOITE
Já a luz do dia entra pela janela
da nossa exaltação o que restou
foi essa sensação tão doce e bela
que aos nossos corpos se colou.


O mundo lá fora parou
o tempo ficou sem horas
a paixão que em nós brotou
saboreámo-la sem demoras.

Escrevi no teu corpo poesias
com os meus beijos as gravei
e viajando em fantasias
como em transe... a ti me dei...

Na noite fomos amantes rendidos
ao desejo que o prazer matou
no abraço dos corpos unidos
a manhã nos encontrou...

Aida Maria (Aida Marques)




 Meu corpo
Meu corpo
Chama pelo teu
Anseio cada segundo
Pelo toque do teu corpo no meu
Tua volúpia luxante de amor
Me transborda pelos poros
Aquecendo meu desejo
Prosseguido pela paixão
Queimando dentro de mim
Uma chama que inflama
Devoradamente anseia pela tua cama
Meu corpo persiste em segredar
Quero somente este amor despojar
Te quero
Te desejo
Deixa me arrastar
Pela fusão do amor
Assaltar teu ser
Quero-te suplicar
Não quero ficar a imaginar
Quero fazer-te delirar
No meu quente
Fazer-te gatinhar
Na minha entrega ardente


Sonia Pinto



Ouvir o silêncio...
As palavras que em silêncio saem
Da tua boca fechada…
Muda…
Calada…
Não fazem sentido
Ecoam em tempo perdido
Não dizem nada!
Possuo-te…
Numa posse apenas permitida
Isenta de sentires e mentida
Onde no rosto se lê a dor…
Intensa…
Numa amargura imensa,
Transformada em chama…
Calor…
Em doença!
E no silêncio que dói…
Que por dentro consome…
Que destrói…
Que fere os ouvidos…
Em surdos gemidos…
Que lenta…
Pausadamente…
De forma indiferente
Se ouve sibilar
E sem poder evitar…
Se apodera da gente!


Luís Farto




 Quero
Beijar os teus lábios
perder-me no toque das tuas mãos
como se nada mais existisse
entre nós e o nosso amor.


Quero
Acariciar o teu corpo
descobri-lo devagarinho
escrever o meu nome no teu coração
com a pena do amor.

Quero
Sussurrar que te amo
sentir-te vibrar com doces palavras
sentir teu corpo tremer
e gemer de amor e prazer.

Quero
Ser a tua mulher amada
ser uma letra uma música uma pintura
ser para ti um mar de amor.
ser o teu amor p´ra toda a vida .

Mila Lopes



 Desperta-me
Despe-me com o olhar
Destapa o véu que te cobre os olhos
Desperta o meu desejo adormecido
Á luz do luar faz amor comigo
Alimenta a minha fantasia
Com toques de mestria
Suga este sabor a pouco
Que te deixa louco
Sim,tão sedento de mais
Que sem findar a hora
Me sussurras ais
Intensos demais
Me corpo respondeu
Ao teu...
Sem pudor


Anabela Fernandes



 APENAS GOIVOS PERFUMADOS
Recordo nossas noites.
Eram nossos corpos luas.
De luar iluminados, de amor incandescentes.
A túnica era apenas transparência.


Éramos as sombras entre o arvoredo.
Leitos eram as clareiras.
Eu num abandono.
Era minha boca a rosa entreaberta.
Tu reclinado, tocavas a seda fresca,
Era meu corpo…
O jardim de goivos.
Explosão de perfume.

Fechei os olhos.
Escutei a canção da fonte de teus lábios.
Profanaste de beijos meu jardim.
Depois, mil rumores, suspiros,
O mar foi nosso leito, por momentos.

Depois… se aquietou o corpo.
Adormeceram os sentidos.
Tu disseste-me.
És o meu jardim.
Eu era só a terra fértil onde os goivos
Germinaram.

Augusta Maria Gonçalves.

Sem comentários:

Enviar um comentário